Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Quatro razões para visitar o Café Tati antes do encerramento

Quatro razões para visitar o Café Tati antes do encerramento

De fecho anunciado para o final do ano mas ainda sem data estipulada, o espaço vai respirando os dias como sempre o fez: intensamente.

Café Tati
Fotografia: Ana Luzia
Por Tiago Neto |
Publicidade

Sentado ao balcão, computador aberto, chá pela frente. É um dos da casa. Joana Campos, do lado de lá, trata-o por tu. É assim com quem vai chegando nos minutos que se seguem: todos são daqui, da família que floresceu no Tati ao longo de oito anos. O espaço fervilha às quatro da tarde, ouve-se falar inglês, português, espanhol, brasileiro. A liberdade do Tati é precisamente essa, uma congregação dos que passam pelo Cais do Sodré e se apaixonam pelo espaço através da porta de vidro ou dos que todos os dias por ali carimbam as tardes numa quase-peregrinação rotineira.

Mas o Tati está na recta final. O motivo é transversal a tantos outros espaços da capital – a renda ditou-lhes a saída. E com isso, o fim de uma das existências mais entusiasmantes do Cais está iminente, sem que seja possível adiantar-lhe um futuro. Por isso, e antes que feche definitivamente portas, damos-lhe quatro razões para rumar ao 36 da Rua Nova da Ribeira.

Sobre a data definitiva do encerramento, Joana Campos diz ainda não ter certezas. No futuro, o Café Tati poderá ganhar outra vida, noutro espaço, mas por agora nada se sabe ainda.

Recomendado: Brunch em Lisboa todos os dias da semana

Quatro razões para visitar o Café Tati antes do encerramento

Espaço

Se já por lá passou e não entrou, cometeu um grave erro. Os tectos em abóboda de aresta e a vibe descontraída são pérolas convidativas a sentar. A decoração transporta-nos a outras décadas sem ser propriamente um museu, num misto vintage e contemporâneo. O ambiente, sem descontrolo de decibéis, é ideal para dates de fim de tarde, para beber o café rápido, ou simplesmente para tirar o portátil, levar os fones aos ouvidos e ignorar o mundo.

Brunch

Para os amantes das slow mornings aos sábados, domingos e feriados, o brunch do Tati é a opção. E quis o destino - ou a gerência, na verdade - que o sumo de laranja, o salmão marinado, os ovos mexidos ou a panóplia de compotas caseiras disponíveis casassem no mesmo dia de outro dos trunfos do Tati: as jam sessions. O brunch é servido das 11.00 às 16.00 e custa 13€.

Publicidade

Jam Sessions

Não são os únicos mas foram os primeiros a trazer o conceito ao Cais. A prova camaleónica do Tati mantém-se viva todos os domingos e enche a casa de música das 17h às 20h numa celebração aberta a todos. O jazz, rei e senhor, não é a única sonoridade a subir ao palco, há também música portuguesa, ritmos africanos ou rock espanhol. Para o próximo dia 19 há concerto do quarteto brasileiro Maracancaia.

Eventos

A programação foi sempre uma parte importante do ADN do espaço e os que fazem do Tati casa diariamente têm razão de júbilo. Numa altura em que o Cais do Sodré ainda se vestia das memórias do passado, já as exposições, workshops ou sessões de cinema faziam do café um pólo de transição. A senda manteve-se. E no calendário de festividadesagora há, até ao fim do mês, a axposição colectiva com trabalhos de Vital Lordelo, Camilla Cossermelli, Basile Jeandin ou Manuel Mendonça.

Mais bares e cafés em Lisboa

Oitava Colina
Arlindo Camacho
Bares, Cervejaria artesanal

Os 14 melhores sítios para beber cerveja artesanal em Lisboa

A cerveja artesanal demorou a impor-se em Lisboa, mas hoje já não vivemos sem ela. E cada vez menos gente encara o consumo como uma "moda", mas antes como uma evolução natural da nossa relação com a cerveja. Não é por acaso que cada vez mais sítios, desde restaurantes típicos portugueses a auto-intituladas tabernas asiáticas, têm pelo menos uma marca e duas ou três variedades de cerveja artesanal por onde escolher.

Praia no Parque
Duarte Drago
Noite

Os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer

Juntamos a sede de conhecer novidades à vontade de beber cocktails e deixamos-lhe uma lista (em constante actualização) dos novos bares que abriram em Lisboa nos últimos meses. A noite lisboeta está bem viva e a prova disso são os novos hóspedes que vão aparecendo – e ainda bem. As novidades são das mais diversas espécies, dos cocktails e seus derivados à cerveja artesanal. 

Publicidade
tease
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Cafés

Os melhores sítios para lanchar em Lisboa

Todos sabemos que o pequeno-almoço é aquela refeição que nunca devemos saltar mas os médicos defendem também que não devemos ficar mais do que duas a três horas sem comer e por isso há que cumprir a recomendação. Comece já a pensar onde vai lanchar. 

Publicidade