Os melhores sítios para lanchar em Lisboa

Para ficar a comer e conversar toda a tarde ou sossegado a ler, estes são os melhores sítios para lanchar em Lisboa.
tease
Fotografia: Manuel Manso
Por Inês Garcia |
Publicidade

Todos sabemos que o pequeno-almoço é aquela refeição que nunca devemos saltar mas os médicos defendem que não devemos ficar mais do que duas a três horas sem comer e há que cumprir a recomendação. Comece já a pensar onde vai lanchar. Seja durante uma tarde de trabalho, para matar saudades daquele amigo ou familiar e pôr conversa em dia, ou ao fim-de-semana para ficar toda a tarde a relaxar, escolha um destes oito sítios para lanchar em Lisboa.

Os melhores sítios para lanchar em Lisboa

tease
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

Tease São Paulo

icon-location-pin Cais do Sodré

Os cupcakes são o bolo mais famoso da Tease mas na rua de São Paulo, no Cais do Sodré, além da tentadora montra de bolos que vai mudando, servem refeições todo o dia e têm uma carta de cocktails para entrar no ritmo da zona. Além de quatro a cinco variedades de cupcakes por dia, com massas, recheios e coberturas coloridos a (2,20€ cada) e bolos à fatia, há opções para um lanche ajantarado, das quesadillas às tábuas de queijos e enchidos. Regue o lanche com um mojito de frutos vermelhos servido em jarro “que dá para duas pessoas” (6€) – é o cocktail da casa.

L'Éclair
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Francês

L'Éclair

icon-location-pin Avenidas Novas

Absurdos, geniais, insensatos, deliciosos, perfeitos, únicos, escandalosos. São todas as descrições possíveis para os éclairs da patisserie de Matthieu Croiger, o mentor, e João Henriques, o pasteleiro. Sempre que muda a estação, muda o menu. O espaço na Avenida Duque de Ávila é o sítio ideal para ir pedindo éclairs uns atrás dos outros – vá com amigos para ir dividindo e conseguir provar uma data deles – e ficar por ali uma tarde inteira. Vá intervalando com os bons macarons ou outros bolos de pastelaria fina francesa que compõem a vitrine.

Recomendado:
+ Éclairs à lupa: a L'Éclair tem uma nova colecção
+ A L'Éclair vai abrir uma nova loja no Campo das Cebolas

Publicidade
O Moço dos Croissants
©DR
Restaurantes, Pastelarias

O Moço dos Croissants

icon-location-pin Campo de Ourique

O moço a conhecer é Manel Perestrelo, o responsável por esta pastelaria especializada em croissants simples ou com recheios doces e salgados, perfeitos para um lanche guloso de passeio pelo bairro de Campo de Ourique. Na oferta doce há o clássico doce de ovo, creme mascarpone com confitura de frutos vermelhos, lemon curd, caramelo salgado, maçã, doce de leite, chocolate ou praliné (entre os 2,20€ e os 2,70€). Nos salgados, além dos mais simples mistos ou com presunto, há propostas com queijo brie e cogumelos ou com frango caesar (2,20€-4€). Há sumos naturais para acompanhar, chocolate quente valrhona ou variedade de chás e cafés. 

Kaffeehaus
© John Wolf
Restaurantes, Cafés

Kaffeehaus

icon-location-pin Chiado

É espaço predilecto para bons almoços e jantares austríacos, seja com as salsichas de vários tipos ou os bifes panados, mas o lanche também é uma boa opção – sabe bem deixar-se ficar num dos sofás enquanto lê um livro ou as últimas notícias. O Apfelstrudel, o famoso pastel folhado, recheado com maçã e canela, passas e pão ralado crocante, ou a sachertorte, um bolo de chocolate com recheio de compota de alperce e cobertura de chocolate negro, servido com natas, são boas opções.

Publicidade
Pão de canela
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Cafés

Pão de Canela

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

A esplanada sobre o jardim da Praça das Flores é um dos pontos altos do espaço. Com boa pastelaria, com destaque para os croissants, tem ainda um interior simpático e familiar, a fazer lembrar uma sala de chá. Também ali vão turistas, mas o ambiente de café de bairro ainda não se perdeu. Há famílias que ali chegam, grupos de conversa amena e tomam-se cafés tardios, a acompanhar o jornal. Ao fim-de-semana, o brunch de buffet é concorrido. 

Fábrica Lisboa
©Fábrica Lisboa
Restaurantes, Cafés

Fábrica Lisboa

icon-location-pin Baixa Pombalina

É quase como entrar na casa da avó – portanto é garantido que vai sair de barriga cheia e satisfeito – nas estantes há caixas de mercearia antigas; em cima do balcão, uma balança serve de apoio a almanaques Borda d’Água; e é numa máquina industrial antiga, a primeira da Delta, que se tiram os cafés servidos aos clientes (0,70€). À mesa comem-se croissants com tudo e mais alguma coisa, do salgado ao doce, fatias de quiche, sandes, tostas e várias opções de pastelaria, do "original", afiançam, caracol, à tarte de amendoim e caramelo.

Publicidade
Madpizza, baixa, piza
Manuel Manso
Restaurantes

Green Coffee da Madpizza

icon-location-pin Baixa Pombalina

A Madpizza começou a ganhar terreno dentro de centros comerciais e agora começa a abrir espaços mais folgados noutras zonas da cidade. Na Baixa lisboeta mantém o menu de pizzas saudáveis mas tem uma novidade, um café chamado Green Coffee, com comida para pequeno-almoço e lanche a todas as horas do dia. 

simpli, coffee shop
Manuel Manso
Restaurantes, Cafeteria

Simpli

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Esta coffee shop perto do Marquês tem os melhores cafés da cidade, garante o dono, Mário Cajada. São servidos com todos os preceitos a que um café obriga: uma gramagem específica por chávena e ser tirado entre 20 e 26 segundos. Nos primeiros 20 segundos sai para a chávena todo o sabor do café, e a partir daí é só cafeína, explica, desmistificando a ideia de que quanto mais cheio é o expresso, menos cafeína tem. Aqui, além de um bom expresso (1,10€) ou daquilo a que Mário chama cocktails – um latte ou um capuccino, por exemplo –, ainda come pastelaria feita na casa, de tarteletes a croissants, de caracóis sem frutas cristalizadas a arrufadas, não esquecendo uma boa oferta de pães. Ao almoço há sempre uma focaccia e pizza, e aos fins-de-semana e feriados serve-se brunch (8,50€ a 15€), que nem só de expressos vive um apreciador de café.

Lisboa doce

Lxeesecake
©Gustavo Serra
Restaurantes

As melhores sobremesas ao domicílio

Saber mandar vir é uma arte — sem um pingo de chatices, apenas muito açúcar à mistura. Apresentamos quatro sugestões para rematar uma refeição, ou satisfazer um daqueles desejos irreprimíveis. 

Bettina & Niccòlo Corallo Shop - Bombons
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

As melhores chocolatarias em Lisboa

Frio ou calor, a verdade é que nunca se diz que não a um chocolate. Pode ser só um quadradinho, uma tablete inteira, bombons recheados com líquidos licorosos ou outros tipos de chocolates, mas ajudam sempre a melhorar o dia. De preferência se forem variados e de qualidade, o que ainda dá mais gula e menos sentimento de culpa na hora de abrir uma embalagem. Por isso, reunimos uma lista com as verdadeiras chocolatarias artesanais, com fabrico com os mais puros cacaus vindos de todo o mundo, para comprar bombons à unidade ou tabletes do mais puro cacau e lambuzar-se todo. 

Publicidade
Brigadeiros - Ponto mais doce da Cidade
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Três sítios para comer brigadeiro

São pequenas bolinhas de felicidade importadas do Brasil, mais especificamente de São Paulo. E não é fácil resistir a este doce que na sua versão mais tradicional é feito à base de leite condensado e chocolate (qual bomba calórica) e com uma preparação relativamente rápida e fácil de reproduzir em casa. Entretanto já há brigadeiros de todos os sabores, do amendoim ao morango, caramelo, caju, limão. Há até uns com nacionalidade luso-portuguesa que mantêm a base de leite condensando mas sabem a arroz doce, pastel de nata ou baba de camelo. Prove os brigadeiros destes três sítios e tire a sua prova dos nove. 

Boubou's - Pavlova
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Três sítios para comer pavlova

Parece um bolo meio desfeito mas é na verdade uma pavlova, um bolo com base de merengue feito pela primeira vez em homenagem à bailarina russa Anna Pavlova. Deve ser o equivalente a um espectáculo de fogo-de-artifício na boca, como diria Remy, o rato do Ratatouille, ou seja, deve ser crocante por fora e macio e suculento por dentro. Depois pode ter vários toppings mas o mais habitual são as frutas frescas, dos morangos às cerejas. Se não tem vagar para seguir a receita à risca em casa, e por mais desleixado que este bolo pareça, não é fácil. Siga as nossas sugestões e peça esta sobremesa num destes três sítios. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com