A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Hoopers, arte, arte urbana
Hoopers

Estes campos de basquetebol em Lisboa são autênticas obras de arte

Lisboa tem cada vez mais campos de basquetebol transformados em obras de arte. Descubra-os, um por um, com este roteiro.

https://media.timeout.com/images/105796494/image.jpg
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Já imaginou como seria marcar cestos numa obra de arte urbana? Em Lisboa e noutras localidades da área metropolitana, como o Barreiro e Cascais, não precisa de imaginar: pode mesmo fazê-lo. Há cada vez mais campos desportivos, a maior parte exclusivos à prática de basquetebol, transformados em obras de arte. Com intervenções a cargo de artistas como Akacorleone, Pitanga, Samina ou a dupla Halfstudio, são um regalo para os olhos. E uma perdição para todos os desportistas com sentido estético. Aliás, se nem é muito de desporto, quem sabe se não se sentirá inspirado depois de visitar os campos de basquetebol mais bonitos de Lisboa.

Recomendado: Siga este roteiro de arte urbana em Lisboa

  • Desporto
  • Basquetebol
  • Lisboa

Não há dúvidas. Usado sobretudo por fãs de basquetebol, o polidesportivo do Campo Mártires da Pátria é mesmo uma obra de arte a céu aberto. Da autoria de Akacorleone, a arte colorida, que retrata uma pessoa de cada lado do recinto, chama-se “Balance” e foi criada no âmbito de uma parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, a Junta de Freguesia de Arroios, a plataforma desportiva Hoopers e a galeria de arte urbana Underdogs, de Vhils. Além do pavimento, também as tabelas de basquete foram renovadas. O campo inclui ainda balizas de futsal.

  • Desporto
  • Basquetebol
  • Grande Lisboa

Foi em 1992 que a história deste espaço começou a ser contada por Oliveira Donbell, mais conhecido no bairro por “Maninho”. Montou, na altura, uma tabela de basquetebol e pintou no chão um touro, em jeito de homenagem à equipa dos Chicago Bulls – é daqui que vem o nome Chicago pelo qual o campo continua a ser conhecido. Desde então tornou-se um ponto de encontro entre gerações. Foi, aliás, por isso que Frederico Umbelina, treinador, mobilizou um dos seus ex-jogadores André Costa, agora fundador da Hoopers, para promover uma intervenção artística no local. E Mariana Branco e Emanuel Barreira, que compõem os Halfstudio, não se desviaram daquilo pelo qual são conhecidos – o lettering.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Sete Rios/Praça de Espanha

No Largo do Conde de Bonfim, na freguesia de São Domingus de Benfica, encontra-se um campo de jogos muito especial. Numa placa junto à entrada, lê-se “Aqui não se joga futebol”. É exclusivo para a prática de basquetebol e foi renovado recentemente, numa acção dinamizada pela plataforma Hoopers. Com recurso a cores fortes e arrojadas, que combinam formas e figuras, Pitanga procurou retratar “o constante movimento, o convívio das pessoas, a dinâmica do comércio local e a beleza dos espaços verdes e do Palácio Béau-Séjour”, que o rodeiam. Foi a primeira vez que a artista portuguesa realizou um projecto em pavimento.

  • Desporto
  • Basquetebol
  • Charneca

Nunca ouviu falar em minibásquete? É baseado no basquetebol, mas pensado para crianças entre os seis e os 12 anos. E foi precisamente para incentivar os mais novos a praticar a modalidade que se inauguraram dois campos na Ameixoeira, junto à piscina municipal de Santa Clara, no pólo desportivo e de lazer da zona. A plataforma Hoopers – que combina e promove campos, conteúdos e produtos para fãs e praticantes de basquetebol – é a promotora do projecto, que também contou com o apoio da Junta de Freguesia de Santa Clara e da Galeria de Arte Urbana da Câmara Municipal de Lisboa. Já a intervenção artística ficou a cargo da dupla Los Pepes, cuja identidade se centra em padrões, formas abstractas e cores arrojadas.

Publicidade
  • Desporto
  • Basquetebol
  • Lumiar

Autor de uma tela de homenagem encomendada pela própria família de Kobe Bryant, o writer Hélio Bray é quem assina a intervenção artística do renovado campo de basquetebol da Calçada de Carriche, que “dividiu” em três partes: o campo de basquetebol, a lateral das escadas de acesso a um prédio e a empena do mesmo edifício. O projecto, que se revelou em plena vigência de Lisboa enquanto Capital Europeia do Desporto, foi promovido pela startup Hoopers, que se juntou à Galeria de Arte Urbana da Câmara Municipal de Lisboa e à Junta de Freguesia do Lumiar, para homenagear Kobe Bryant, o mítico jogador do Los Angeles Lakers, que faleceu num acidente de helicóptero em Janeiro de 2020.

  • Desporto
  • Basquetebol
  • Benfica/Monsanto

O Campo de Jogos do Calhariz, na Freguesia de Benfica, foi intervencionado em 2021 pelos artistas locais Edis One e Pariz One. Na pintura que cobre todo o piso do campo de jogos, inspirada em expressões como “desporto rei” ou “prova rainha”, estão ilustrados o rei e a rainha de copas de um baralho de cartas. O projecto, que baptizaram de “Cara ou Coroa”, promove valores como o fair play e a igualdade de género. A iniciativa integra o projecto “NO!”, promovido pela Junta de Freguesia de Benfica, que combate a discriminação e violência doméstica na freguesia, e contou com o apoio da Galeria de Arte Urbana e da Câmara Municipal de Lisboa.

Publicidade
  • Desporto
  • Basquetebol
  • Parque das Nações

Na Rua Chen He, na zona nascente do Parque das Nações, junto ao skate park e à pista de pumptrack, encontram-se três campos de basquetebol de rua, um deles preparado para receber provas oficiais desta modalidade. Numa área de 800 metros quadrados e reutilizando materiais existentes em estaleiro desde a Exposição Mundial de Lisboa de 1998, o projecto desportivo foi valorizado com uma extraordinária intervenção artística realizada pelo colectivo Thunders Crew e financiada pela Câmara Municipal de Lisboa.

  • Desporto
  • Basquetebol
  • Grande Lisboa

Em 2021, o Município do Barreiro promoveu a reabertura do Polidesportivo Francisco do Paço. O projecto de recuperação e renovação, desenvolvido em parceria com a Hoopers, incluiu uma intervenção artística do artista setubalense Samina, que homenageia 37 figuras históricas do desporto da cidade, como os futebolistas Fernando Chalana e João Cancelo e os basquetebolistas Mike Plowden e Miguel Minhava. O campo de jogos, onde é possível ler a palavra “Barreiro” e o código postal da cidade “2830”, já se encontra aberto ao público e a sua utilização é de acesso livre. Além dos espaços dedicados à prática de basquetebol e futebol, a área com cerca de 1800 metros quadrados compreende ainda uma empena e a zona dos balneários, local onde estão agora eternizados os 37 desportistas seleccionados pelo Município.

Publicidade
  • Desporto
  • Basquetebol
  • Cascais

Entretanto requalificado, o recinto deste campo de basquetebol em São Domingos de Rana foi pintado pelo artista urbano Gustavo São Pedro, que prestou (mais uma) homenagem ao grande Kobe Bryant. Esta foi promovida pela Federação Portuguesa de Basquetebol, no âmbito do programa 3x3 BASKETART. Para a prática do basquetebol 3x3, a Federação ofereceu a tabela oficial, produzida pela Fabrigimno, que também doou coletes técnicos e três oficiais Wilson 3x3, que foram entregues à Associação de Moradores do bairro, para serem usados pelos munícipes entre as 10.00 e as 18.00.

Outros roteiros de arte urbana

  • Coisas para fazer

Nos últimos anos, Marvila tornou-se uma autêntica galeria a céu aberto. Anote como coordenadas o Bairro das Salgadas (Rua Dinah Silveira de Queiroz), a Quinta Marquês de Abrantes (Rua Alberto José Pessoa) e o Bairro da Quinta do Chalé (Rua José do Patrocínio), três dos núcleos abrangidos pelos artistas das tintas.

  • Coisas para fazer

Entre as diferentes propostas visuais, encontramos obras de artistas como Odeith, Akacorleone, Vile e Smile. Pode vê-las num acervo virtual ou aproveitar para programar um passeio em família com este roteiro de arte urbana na Amadora, onde procurámos reunir alguns dos mais bonitos ou surpreendentes graffitis.

Publicidade
  • Coisas para fazer

O projecto AgualvArte, promovido pela Junta de Freguesia de Agualva e Mira-Sintra desde 2015, ocupa as principais ruas de Agualva-Cacém, reunindo obras de artistas como Edis One, Odeith, Tamara Alves, Gonçalo MAR, Utopia e Bordalo II. É caso para dizer: está na hora de ir desconfinar com este roteiro de arte urbana em Sintra.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade