A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Córrer pels centres empresarials
DR

Gaste calorias sem gastar dinheiro nestes ginásios ao ar livre em Lisboa

O que não faltam em Lisboa (e arredores) são ginásios ao ar livre. Só não fica em forma se não quiser

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Equipamentos de fitness municipais (ainda que muito pouco aconselhados nestes tempos), paredões, espaços verdes amplos, enfim, uma variedade de locais onde pode compensar os excessos calóricos (essa segunda quarentena foi bem gozada, não foi?) nestes ginásios ao ar livre em Lisboa, seja num treino solitário ou com uma grupeta de amigos (só a partir de 5 de Abril). E não, não é ginástica de reformado, mas de bem informado – depois de ler este artigo de uma ponta à outra, claro. Qual vai ser a sua desculpa? Deixe-se disso e dê à perna, aos braços e ao corpo no geral que o tempo do sedentarismo já passou.   

Recomendado: Junte-se a estes grupos de treino ao ar livre em Lisboa

Ginásios ao ar livre em Lisboa

  • Atracções
  • Parques e jardins
  • Areeiro/Alameda

Palco de eventos de toda a espécie ao longo do ano, o jardim da Alameda é também um paraíso para cães no centro da cidade, para grupetas que querem fazer a fotossíntese e, claro, para os loucos pelo fitness que ali encontram espaço para se desdobrarem entre agachamentos, corridas e cambalhotas. Alameda acima, Alameda abaixo, o que não lhe falta é relvado para poder correr, caminhar e exercitar o corpo sozinho ou mal acompanhado pelo demónio dos tempos modernos a que chama de personal trainer. 

  • Coisas para fazer
  • Oeiras

Da Cruz Quebrada ao Passeio Marítimo de Algés, sempre a pedalar. A ciclovia é um convite às duas rodas e a imagem oferecida pela orla ribeirinha promete tornar a missão menos espinhosa. Se tomar embalo, aventure-se em outras paragens. 

Publicidade
  • Atracções
  • Parques e jardins
  • Avenidas Novas

Aqui há espaço para grupos de piquenique, grupos que vão só beber um copo de final de dia ou então para os maluquinhos do fitness que precisam de espaço para correr, saltar, rebolar, ir ao chão e voltar a pôr os pés na terra num salto encarpado. Há algum equipamento de fitness, que por agora não é recomendável usar, por isso puxe pela imaginação e faça-se ao piso relvado. 

  • Coisas para fazer
  • Benfica/Monsanto

Além de capital do piquenique, Monsanto pode vir a ser capital do exercício ao ar livre. Vimos por este meio propor a organização de umas olimpíadas em Lisboa. O cenário está escolhido: Monsanto. Há pista de ciclismo, zonas para corridas, mesas de pingue-pongue, pista de patinagem e skate, parede de escalada, campos de ténis… não lhe falta nada.

Publicidade
Campo Mártires da Pátria
  • Atracções
  • Parques e jardins
  • Lisboa

Duas razões trazem este jardim até aqui: o nanocomplexo para desportos de grupo com mesa de pingue-pongue e campo de basquetebol (este foi pintado de alto abaixo por Akacorleone e está uma maravilha para bater bolas e tirar fotos). Mas também pode usar a zona ajardinada para perder calorias.

  • Coisas para fazer
  • Campolide

Chama-se Jardim Amnistia Internacional, mas apostamos que ninguém o trata pelo verdadeiro nome. Assim como apostamos que os frequentadores preferem que faça o seu exercício descansado no circuito de manutenção (que por agora não é recomendado). Enquanto não for seguro, pode sempre escolher o relvado para treinos e corridas intensas. Se não gosta de mirones que passam e olham enquanto pinga de suor, este é o jardim perfeito. Poucos o frequentam. 

Publicidade
  • Atracções
  • Parques e jardins
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

O antigo Campo de Alvalade do século XIX foi precisamente construído em estilo de Passeio Romântico. Hoje acolhe uma série de actividades lúdicas, onde tanto se pode dar umas raquetadas no campo de padel, como passear o cão no parque canino ou esperar que as crianças esgotem todas as energias no parque infantil. Mas na hora do exercício físico também há muito boa gente que opta por estes relvados para conseguir manter distâncias e não ter olhares indiscretos na hora dos agachamentos ou das flexões.

  • Atracções
  • Parques e jardins
  • Lumiar

Cinco, seis, sete hectares? Isso é coisa de meninos. A área total da Quinta das Conchas, incluindo a vizinha Quinta dos Lilases e a mata, é de 26 hectares. Na principal mancha verde do concelho a seguir a Monsanto, encontrar lugar para estender a toalha é garantido, para isso e para arranjar um cantinho de treino longe de todos

Publicidade
Zona Ribeirinha
Fotografia: Arlindo Camacho

9. Zona Ribeirinha

É o ginásio ao ar livre ideal para quem primeiro prefere fazer o aquecimento a pé ou a correr, claro. Depois de um passeio junto ao Tejo, está apto a testar a resistência de braços, pernas e abdominais. Há equipamentos localizados junto ao Café In na Avenida Brasília e se ainda tiver energia, o MAAT fica apenas a 650 metros, para aquela foto básica de pôr-do-sol. 

  • Coisas para fazer
  • Cascais

Mais do que o caminho que dá acesso a grande parte das praias da linha, o Paredão de Cascais é um ginásio ao ar livre, grátis e com vista para o mar. Ao longo dos seus 2,8 Km, há espaço de sobra para corridas e bicicletas, e zonas espaçosas para ir ao chão em flexão ou chamar o seu PT para um treino a sério. 

Publicidade
  • Atracções
  • Parques e jardins
  • Santos

O Jardim de Santos está verde quem nem uma alface fresca e tem um circuito de manutenção quase novo. Reúna dois ou três amigos e entretenham-se a saltar de posto em posto. Podem simular condução, remos e passeios de bicicleta ou então fazer umas flexões e burpees como quem não quer a coisa.

Lisboa em forma

  • Coisas para fazer

Junte-se ao recém-criado Movimento PANO (Pistas de Atletismo Não Oficiais) e chegue ao Verão com umas pernas mais tonificadas que as do Ronaldo. Matas, parques, zonas ribeirinhas. Basta escolher o cenário mais apelativo para começar, ou continuar, a correr em Lisboa. 

  • Coisas para fazer

Uma boa forma de começar a ficar em forma pode ser através de uma aplicação que o vai obrigando a fazer certos exercícios, até porque o telemóvel já quase que se tornou numa extensão do nosso próprio corpo. O que também não precisa é de inventar a desculpa de que não tem tempo ou que não gosta de treinar com outras pessoas à sua volta – nada serve desta vez. 

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade