Os melhores sítios para correr em Lisboa

Sem ideias para as suas corridas em Lisboa? Temos 16 circuitos para correr daqui para fora e ficar em forma na cidade.
maat, corridas
Fotografia: Manuel Manso
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Matas, parques e jardins ou zonas ribeirinhas. Em Lisboa, não faltam opções para se pôr a mexer – e, dependendo das horas, sem qualquer confusão, afinal a ideia é relaxar também. Basta escolher o cenário mais apelativo para começar, ou continuar, a correr na cidade. Saiba onde correr em Lisboa, com as melhores sugestões de circuitos para amadores ou profissionais do jogging e do running. Qual é que vai ser a sua desculpa agora para não ficar em forma? Decore as paragens que se seguem e salte do sofá. 

Recomendado: Este mapa mostra as rotas de corrida mais populares em Lisboa

Os melhores sítios para correr em Lisboa

1
parque das artes e do desporto
Manuel Manso
Coisas para fazer

Parque das Artes e do Desporto

icon-location-pin Grande Lisboa

A Amadora tem um amor cada vez mais verde com o Parque das Artes e do Desporto, uma antiga lixeira convertida num parque de lazer. Bela reciclagem, não é? Foram plantadas 1552 novas árvores no novo parque que compreende uma área de nove hectares e onde cabem três campos de futebol, três campos de ténis, dois campos de padel, um campo de disc golf (modalidade que substitui as bolas e os tacos por discos voadores), dois dog parks, três circuitos (um infantil, outro de caminhada com três quilómetros e ainda outro de esculturas), equipamentos de desporto uma zona de espectáculos – tudo ao ar livre. 

2
Fotografia: Manuel Manso

Zona Ribeirinha de Belém

É dos primeiros sítios que vem à cabeça quando nos lembramos de corridas ao ar livre. Do Cais do Sodré até Belém, o Google Maps fala-nos em 7 km, mais uns quantos metros para se desviar dos turistas. Dê corda aos sapatos logo cedo, e vai ver que a corrida é mais descansada.

Se quiser levar a empreitada mesmo a sério, pode sempre juntar-se aos Belém Runners, o grupo de corredores associado ao histórico clube Os Belenenses. 

+ O melhor de Belém

Publicidade
3
Alameda Keil do Amaral, em Monsanto
Fotografia: Arlindo Camacho

Parque de Monsanto

Em 900 hectares é difícil medir a extensão dos trilhos que existem no parque inteiro. Uma rápida consulta ao mapa de Monsanto mostra uma encruzilhada de estradinhas que só mesmo com muitos meses de corrida deve ficar 100% estudada. Por isso o melhor conselho é: comece a correr, mas decore o caminho (ou vá deitando pedrinhas pelo chão) para voltar em segurança.

+ Ficar em forma no Monsanto

+ O melhor do Monsanto

4
Parque das Nações

Parque das Nações

O rio, a ponte, as vias desafogadas. São mais de 300 hectares para conhecer de fio a pavio, assim as forças acompanhem a sua vontade. Uma das sugestões possíveis é ir do Parque das Nações ao Parque Tejo (ainda se lembra quando o Super Bock Super Rock se realizava aqui?), com partida do Passeio de Neptuno. No total, não correrá mais que 6 km bastante agradáveis e acessíveis aos mais novatos. 

+ Coisas para fazer no Parque das Nações

Publicidade
5
Paredão do estoril
Fotografia: Manuel Manso

Paredão de Cascais

Não é aconselhável aos domingos por causa das multidões; não é aconselhável às horas em que o sol está forte porque lhe pode dar para se atirar à água (sem falar dos escaldões); e não é aconselhável fazer com fome porque os restaurantes são mais que muitos. De resto, é uma corrida com cerca de 2,8 km com vistas bem agradáveis.

+ Coisas para fazer em Cascais

6
Parque Eduardo VII
©DR

Parque Eduardo VII

Desde que evite as datas da Feira do Livro, uma corrida no Parque Eduardo VII será, à partida, tranquila. Uma volta completa ronda os dois quilómetros, mas há que contar com subidas e descidas. Para um treino completo, porém, convém dar mais que uma volta, ou ir atravessando o parque de um lado ao outro.

Publicidade
7

Estádio Universitário

Às quintas-feiras, às 19.00, em frente ao Pavilhão no1, pode juntar-se ao serviço de aconselhamento gratuito de running do Estádio Universitário de Lisboa, feito por técnicos especializados. Quem já está um nível acima, pode apenas usar os espaços exteriores e a pista de atletismo No 2 (saiba mais em www.estadio.ulisboa.pt).

8
Quinta das Conchas
Fotografia: Ana Luzia

Jardim da Quinta das Conchas

Tem algumas virtudes, que dão sempre jeito, especialmente quando a resistência física está a milhas dos mínimos olímpicos. É fácil e grátis estacionar por aqui, o percurso não vai além dos três quilómetros, e os atletas ainda contam com zonas de repouso e alguns serviços que atenuam por momentos esta estafa. Tudo boas razões para se meter a caminho do Lumiar.

 

Publicidade
9
Jardim da Estrela
Fotografia: Ana Luzia

Jardim da Estrela

Se quiser exercitar-se pelas sete da manhã, venha daí. Se pertence ao clube dos que apenas começam a funcionar depois das 11.00, mais vale marcar o encontro com o Jardim da Estrela quando a lua já vai alta. Afinal, o espaço só fecha portas à meia-noite. O circuito é pouco extenso mas isso só o torna ainda mais perfeito para quem prefere caminhadas e corrida em modo lento. 

10
Parque Urbano do Jamor
©Ze Caetano

Jamor

É o único sítio que não pode pertencer ao Movimento PANO, por se tratar efectivamente de uma pista de atletismo oficial. Decida-se entre os verdadeiros pisos dos campeões, arrisque na pista de crosse ou faça um treino livre – convém levar companhia ou telefone com bateria.

Publicidade
12
Parque da Bela Vista
DR

Parque da Bela Vista

Muito boa gente só lá vai de dois em dois anos pelos brindes, ups!, pela música do Rock in Rio. Mas o Parque da Bela Vista é uma excelente pista para corridas. Os sítios que vai pisar são tal e qual os mesmos que pisa para encontrar um lugar com boa vista para o Palco Mundo, mas aqui é seguir sempre em frente.

Publicidade
13
Entrada do Parque José Gomes Ferreira
©Reino Baptista

Mata de Alvalade

Chama-se Parque José Gomes Ferreira, mas pode simplificar a coisa para Mata de Alvalade, onde o esperam cerca de três relaxantes quilómetros. Usamos a expressão relaxante porque aqui o adjectivo é mais que possível. A área é perfeita para trazer a família, para rematar o esforço com uma merenda, para usufruir da sombra, ou para fazer uma paragem no parque infantil. 

 

 

14
parque urbano do vale da montanha

Parque Urbano do Vale da Montanha

É o mais recente espaço verde da cidade, parte do Corredor Verde Oriental, que liga o Parque Vinícola de Lisboa (junto à Rotunda do Relógio) ao futuro Parque Ribeirinho Oriente. São nada mais nada menos que 11 hectares, com ciclovia, caminhos pedonais, muita verdura, equipamentos de fitness e até dois parque infantis – e isto é só uma primeira fase. Ou seja, não falta espaço para correrias. 

Publicidade
15

Oeiras - Paço de Arcos

Não precisa de ser um menino da Linha para mudar de ares e ir apanhar a brisa marinha da zona de Oeiras. O piso foi renovado há poucos anos e está feito uma verdadeira pista de atletismo, com uma extensão aproximada de 3,4 km. É só evitar os fins-de-semana e terá uma bela corrida com alguns desníveis entre a Praia da Torre e a de Paço de Arcos.

Mostrar mais

Lisboa em forma

Atitude Outdoor
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

Experimente treinar ao ar livre em Lisboa

Os grupos de treino que praticam exercício físico ao ar livre multiplicam-se e são a solução perfeita para quem não gosta de treinar enfiado dentro de um ginásio. À beira-mar, à beira-rio ou fazendo uso dos altos e baixos de Lisboa, conheça oito grupos de treino ao ar livre. Recomendado: Os melhores sítios para correr em Lisboa

passeio de bicicleta
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Dê ao pedal: sítios onde alugar bicicletas em Lisboa

Há quem passe o dia a catarolar a velha música dos Queen "I want to ride my bicycle/ I want to ride my bike" sem duas rodas em casa que possa usar. Estes são os lugares onde alugar bicicletas em Lisboa e tirar a barriga de misérias no que toca a pedalar. 

Publicidade