A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
livros
Fotografia: Noémi Macavei-Katócz/ Unsplash

Livros para todos: apps e plataformas para promover a leitura

Se ainda não o fez, está na hora de descobrir as melhores apps e plataformas para manter ou fomentar o maravilhoso hábito da leitura.

https://media.timeout.com/images/105796494/image.jpg
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Adora ler ou descobriu há pouco tempo as maravilhas da leitura? Então, se ainda não o fez, está na hora de descobrir as melhores apps e plataformas para o ajudar a fomentar ou até a manter esse hábito. Desde sites para troca, compra ou venda de livros em segunda mão até redes sociais para leitores, esta lista tem tudo o que precisa para continuar a encher estantes e a trocar opiniões com outros bibliófilos. Entre as propostas, encontra inclusive iniciativas portuguesas, como é o caso do marketplace Ramalhete, a app Desvaneio, semelhante ao popular Goodreads mas 100% nacional, e até Heróides, um clube do livro feminista virtual, criado pela actriz e encenadora Sara Barros Leitão.

Recomendado: Cinco caixas de subscrição com livros para todas as idades

Apps e plataformas para promover a leitura

Não interessa se quer vender livros antigos ou já lidos para comprar novos, dar uma nova estante a uma obra de que não gostou assim tanto ou encontrar finalmente aquele livro a um preço acessível. O Trade Stories quer agradar a gregos e a troianos, é gratuito e já tem mais de 39 mil títulos à espera de serem descobertos pelos seus futuros leitores. Para começar a comprar ou vender, basta registar-se no site, que funciona através de mensagens internas entre utilizadores. Se quiser abrir os cordões à bolsa e levar para casa as melhores pechinchas, basta espreitar os títulos à venda, filtrando por género literário, ou pesquisar por título ou autor do livro se já souber o que pretende.

Adora comprar livros em segunda mão, mas está farto da troca de mensagens e do risco de fraude? Carlos Almeida e Rita Godinho querem resolver-lhe o problema com o Ramalhete, uma plataforma de venda e compra de livros em segunda mão, que oferece toda a comodidade de uma loja online. “Acabaram-se as mensagens entre comprador e vendedor e as trocas de IBAN e de moradas”, garante o casal. “É tudo automático, seguro e confidencial.” A partir de Vila Pouca de Aguiar, onde há tempo para “desacelerar”, decidiram inaugurar um marketplace, que foi lançado online com quase uma centena de referências, divididas por quatro categorias principais – Ficção, Não Ficção, Inglês e Outras Línguas – e várias subcategorias, para facilitar a procura também por géneros literários. Para comprar, basta escolher o livro e mandar vir. Ao valor de venda, acresce-se sempre uma comissão única de 20% (para garantir o reembolso em caso de fraude) e a taxa de entrega (entre 1,50€ e 3,50€).

Publicidade

É uma das redes sociais dedicadas a livros mais utilizadas do mundo. Lançada pela Amazon em 2006, estima-se que tenha mais de 2 milhões de utilizadores espalhados pelo mundo e para cima de 52 milhões de livros adicionados. Mas como é que funciona exactamente? Trata-se, no fundo, de uma “estante virtual”, que serve para mantermos o registo dos livros que lemos, dos que estamos a ler e dos que queremos ler no futuro. Mas também para consultar a opinião de outros utilizadores em relação a determinado livro (que servirá como uma espécie de recomendação, ou não) e até para partilhar as nossas próprias opiniões. Como não se trata de um site nacional, nem sempre é possível encontrar listadas as edições portuguesas, mas todos os membros, desde que tenham o estatuto de “librarian” (de fácil obtenção), podem adicionar as edições portuguesas. Há ainda outras ferramentas incríveis para explorar, como a possibilidade de criar objectivos de leitura e partilhar o seu progresso com a comunidade. 

Criada por Leonardo Oliveira, recém-formado em Engenharia Informática, esta app portuguesa (disponível para sistemas iOs e Android) não serve só para trocar ou vender livros em segunda mão. É também uma rede social para leitores, onde poderá inspirar-se ou inspirar terceiros a ler cada vez mais. Tal como acontece no Goodreads, é convidado a comentar os livros que vai lendo, a partilhar as suas citações preferidas e até a contabilizar as suas leituras, de forma a acompanhar o seu progresso ao longo do tempo. 

Publicidade

Inspirando-se na colectânea de poesia homónima de Ovídio, Heróides – Clube do Livro Feminista é o projecto inaugural da Cassandra, a nova estrutura artística de Sara Barros Leitão, vencedora da primeira edição do Prémio Revelação Ageas Teatro Nacional D. Maria II. A ideia é criar uma comunidade de leitores, que aceite o desafio de ler um livro por mês, escolhido por um de 12 convidados e convidadas, mas também de o discutir num encontro via Zoom. Cada sessão tem a duração estimada de duas horas, sempre com interpretação em Língua Gestual Portuguesa. A participação é gratuita, mas requer inscrição prévia. A primeira sessão está prevista para 30 de Janeiro.

Organizar os seus livros, ajudar a estabelecer metas (e a cumpri-las) e, no fundo, acompanhar o seu desempenho e progresso enquanto leitor. São estes os principais objectivos desta aplicação brasileira, que se destaca graças à sua “calculadora literária”, que calcula o seu tempo de leitura e descobre quantos minutos por dia precisa de dedicar para finalizar o livro que está a ler dentro do prazo que definiu. Se for bem sucedido, ainda tem direito a crachás virtuais que assinalam as suas conquistas.

Publicidade

Esta app espanhola foi especialmente criada a pensar nos fãs de comics do mundo inteiro. Além de ser uma ferramenta de organização, para catalogar todos os livros de banda desenhada que tem de forma automática (se adicionar um volume de uma colecção específica, ele vai parar imediatamente à pasta certa, onde estão os outros volumes que já tinha) e até para os agrupar por nota. Quer mais? Ao criar uma wishlist, poderá receber notificações se alguma das lojas online parceiras do Whakoom tiverem os comics em questão disponíveis para compra.

Fundada em 1971, é a mais antiga biblioteca digital e a designação do projeto remete para a figura de Johannes Gutenberg, criador da prensa amovível. A sua missão é arquivar e distribuir obras culturais através da digitalização de livros. A maior parte das obras disponíveis são de domínio público. Os ficheiros estão disponibilizados em diversos formatos, incluindo em texto livre, HTML, PDF e até em EPUB. Apesar da maior parte dos ebooks estar redigida em língua inglesa, obras de autores como Fernando Pessoa, Luís de Camões ou Cesário Verde figuram no top 100 de transferências em português a partir deste repositório cultural.

Publicidade

Esta plataforma online oferece mais de 30 milhões de livros (alguns pagos, muitos gratuitos) em cerca de 50 línguas. As prateleiras digitais juntam clássicos da literatura, como obras Jane Austen ou Hermann Hesse, a poemas e histórias escritas pelos próprios utilizadores (além de promover a leitura, também promove a escrita e até a possibilidade de veres a tua obra ser adaptada ao pequeno e grande ecrã). Embora a maior parte do conteúdo esteja em inglês, o português (sobretudo o português do Brasil) é uma das línguas mais lidas, com cerca de 600 mil livros disponíveis. Além disso, a plataforma também promove concursos de escrita e um programa anual de prémios.

Se não gosta ou simplesmente não consegue concentrar-se o suficiente para ler um livro até ao fim, mas adora podcasts, experimente esta aplicação da Amazon, em que é possível escutar histórias (por enquanto apenas em inglês) sem qualquer esforço, a não ser o da escuta activa. Ao criar uma conta tem imediatamente direito a um ou dois livros grátis. O período de experimentação é de 30 dias (passa a 9€/mês ou mais, dependendo da subscrição que preferir, assim que o prazo terminar) e pode cancelar o serviço assim que entender.

Livros para juntar à sua biblioteca

  • Coisas para fazer

A Internet é agora a grande janela para o mundo. Em tempos de pandemia mundial nunca são demais as ideias para nos entretermos no recato do lar. Entre outras coisas, sem gastar um cêntimo, tem acesso a um vasto leque de livros digitais, os chamados ebooks, que pode aceder através do seu computador, telemóvel ou tablet. Há de tudo um pouco: romances, biografias, diários e até banda desenhada.

  • Miúdos

Editados este ano, e assinados por autores portugueses, estes são alguns dos livros que mais nos chamaram à atenção ao longo do ano. Com páginas cheias de ilustrações e histórias de encher o olho, há livros que são também autênticas obras de arte, dignas de coleccionador. A Menina com os Olhos Ocupados, de André Carrilho, ou Desvio, de Ana Pessoa e Bernardo P. Carvalho, ficam bem em qualquer estante. Mas não são os únicos.

Publicidade
  • Compras

Numa simples tira, numa página inteira ou num álbum à séria, a banda desenhada é, no fundo, para todos. Mas há mais para além da Marvel, da DC e dos clássicos da nossa infância. Uns têm menos letras, outros mais asneiras. Uns são para as crianças, outros para os adultos, outros ainda para a família inteira. Espreite estes dez livros de banda desenhada.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade