O melhor de Melides

A pouco mais de uma hora de Lisboa, Melides oferece-nos o que de melhor podemos ter na costa alentejana: boa praia e bom petisco. Mas não tenha medo, há mais para descobrir nesta aldeia, mesmo que o sol não queira aparecer. Siga o nosso roteiro

Fotografia: Arlindo CamachoPraia da Vigia

130 kms. É apenas isso que separa Lisboa desta aldeia de areais extensos. Apetece-lhe fugir da cidade? Dizemos-lhe as melhores coisas que pode fazer em Melides

O melhor de Melides

Com Sol

Com Sol

MERGULHAR

Praia da Vigia para quem lá vive, “praia do cemitério” para quem a descobriu há uns anos e sabe que lá chega através da estrada que indica cemitério à saída de Melides, e “secreta de Melides” para a Time Out, que segue este mesmo caminho sempre (sempre, sempre) em frente até chocar com uma duna. Nomenclaturas à parte, importa saber que é de facto uma das últimas praias selvagens da costa alentejana, com um mar transparente e areal a perder de vista. Ei-la.

Tópico de conversa para a beira-mar: “Disseram-me que a casa do Louboutin é mesmo aqui ao lado.”

Praia da Aberta Nova (na foto) Para grande infelicidade de quem descobriu Melides há mais de uma década, a Aberta Nova deixou de ser, nos meses de Verão, aquele paraíso vazio e tranquilo. Ainda assim, continua a anos-luz de uma Praia da Rocha em Agosto. E há que ver o copo meio cheio: tem toldos, zona de chapéus de sol, banheiro, bar de praia e gelados – quem não gosta de um gelado fim de dia? 

Tópico de conversa para a beira-mar: “As tostas do bar lá de cima são porreiras. Ah, mas querias salada de polvo? Também têm.”

COMER

Flor de Sal de Melides No ano passado, a Lagoa de Melides ganhou um moderno restaurante chamado Papaya de Melides. Porém, o seu reinado foi curto, durou uma temporada e, no mesmo espaço, abriu em Abril o Flor de Sal by Melides, pelas mãos de Sandra Rito, a cozinheira do Papaya. Fechado o círculo, é altura de saber o que aqui se serve. “É um sítio de petiscos e wine bar. Mas também tem outros pratos”, conta Sandra. Falamos de camarão com creme de batata doce, coco e lima, de tiras de choco em tempura com maionese de coentros, de polvo à Bulhão Pato e de risotto do mar com búzios, camarões e mexilhões, entre outras iguarias. “Tento ter coisas biológicas e compro muitas coisas directamente aos produtores locais.” Além dos vinhos do litoral alentejano, tem também cocktails e sumos naturais. É aparecer para provar.

Lagoa de Melides. 96 031 1057. Seg-Dom 12.00-23.00 (até meados de Julho encerra à terça).

Quinta do Lourenço Da mesma forma que o número de táxis à porta de um restaurante em Lisboa é um bom barómetro para avaliar a qualidade de um sítio, o número de carrinhas de caixa aberta à porta de um restaurante, nesta zona do Alentejo, é um bom indicativo para entrar. Pois entre na Quinta do Lourenço, sente-se, escolha entre a carne especial à moda da casa (com amêijoas e camarão), as migas com carne, as cataplanas de peixe ou de marisco, o ensopado de enguias ou qualquer um dos peixes do dia, vindo de Sines. Aos fins-de-semana há sempre caracóis.

EN 261, Saibreira. 26 990 7329. Fecha à quarta.

O Fadista É um snack-bar com esplanada na aldeia de Melides, com uma curtíssima ementa de petiscos onde imperam as saladinhas frias, os caracóis e as doses de amêijoas. Sempre carnudas, num molho apurado que só vai para dentro quando o cesto de torradas de pão alentejano barradas com manteiga desaparecer.

Rua Nova, 13. 

Em caso de céu nublado

Em caso de céu nublado

Perdoe-nos o trocadilho, mas a Fonte dos Olhos (na foto) é mesmo a menina dos olhos dos melidenses. Um ponto de paragem para refrescar
o corpo, para pôr a criançada a chapinhar ou só para ver que se trata de uma pequenina fonte com fotogénico espelho de água.

Uma corrida pelos arrozais de Melides e estradas de terra batida que os ladeiam. Basta evitar as horas de refeição dos mosquitos – nascer e pôr-do-sol – e levar água, que o campo, já se sabe, é sempre quente.

Marcar mesa na Tia Rosa para provar um dos melhores patos assados do país, feito no forno a altas temperaturas, de onde sai com a pele a estalar. Há ainda ensopado de enguias, açorda alentejana, peixe frito, bacalhau ou cabrito assado... é só ter fome. E marcar mesa.

EN 261, Fontainhas do Mar. 26 990 7144.

Leve os miúdos a conhecer o mundo biológico da Herdade da Aberta Nova. São 500 hectares de terreno com produção de frutas, legumes, plantas aromáticas e medicinais, com cavalos, burros mirandeses, cabras, porcos, galinhas e outras espécies – que isto é um trabalho sempre em evolução.

Marcação de visita: 91 541 8590.

Para quem sempre sonhou em encarnar a persona Bo Derek em cima de um cavalo, a empresa Passeios a Cavalo tem a solução. Passeios a cavalo, lá está, tanto na Serra de Grândola (40€/1h45), como na Praia
(50€/1h45), e sem precisar
 de quaisquer conhecimentos equestres (ok, e também convém não se despir).

Coudelaria Quinta do Almargem. 91 747 4865.

A Biblioteca da Praia de Melides, à entrada da praia, conseguiu um bom compromisso entre livros light para adultos, histórias infantis para miúdos e revistas que mostram como está o corpo de Manuela Moura Guedes este Verão. É tudo grátis, mas há um “v”devolta.

Em Vale Figueira, à saída de Melides na direcção Sul, há uma padaria secreta, que vende pão às terças, quintas, sextas e sábados. É o pão da Tia Jesuína e para lá chegar basta virar à direita assim que chega ao Café Matias e procurar uma casa em cimento do lado esquerdo da rua. Se bater com o nariz na porta, vá ao novo Melides Villa e procure o pão na zona da padaria, nos mesmos dias.

O Mercado de Melides não chega a ser um minimercado: é um nanomercado. Ainda assim há duas bancas de peixe e uma de hortícolas com tudo aquilo de que precisa para o farnel da praia e o petisco do fim do dia. Carnes e afins compram-se no já referido Melides Villa.

Publicidade

Especial Costa Alentejana

As melhores praias na Zambujeira do Mar

São (só) 212 quilómetros que separam Lisboa de um paraíso de águas cristalinas, areias soltas e formações rochosas imponentes. A Zambujeira do Mar tem uma costa rasgada e vincada, perfeita para quem gosta de explorar segredos. Acabaram-se as desculpas: faça a mala, vista o fato de banho, calce as sandálias e faça-se à estrada. Aqui não faltam areais selvagens e secretos onde pode estender a toalha. E para aproveitar o melhor que a zona tem para oferecer, nada como se deixar ficar por ali durante uns bons dias.

Ler mais
Por Mariana Correia de Barros

As melhores praias na Comporta e em Tróia

Não são, provavelmente, a primeira opção para quem vive em Lisboa e quer dar uns mergulhos durante o dia, mas de vez em quando arrisque ir mais longe. Garantimos que não se vai arrepender (duvidamos até que vá querer voltar, o mais certo é mesmo querer ficar). Azul turquesa é a cor que domina o cenário, para quem parte de Tróia rumo a sul, passa pela Comporta, pelo Carvalhal e chega à fronteira de Melides. 

Ler mais
Por Mariana Correia de Barros
Publicidade

Comentários

1 comments

Visite-nos que não se arrependerá e vai gostar e voltar sempre que tenha disponibilidade. Boas praias;bons Restaurantes ; gente simpática na Aldeia de Melides.