O melhor de Vila Nova de Milfontes

Seja para uma escapadinha ou para umas férias, isto é o que tem mesmo de fazer em Vila Nova de Milfontes.
Priaia Vizinha das Furnas
Fotografia: Arlindo Camacho
Por Mariana Correia de Barros |
Publicidade

Duas horas. Não demorará muito mais a chegar a Vila Nova de Milfontes e uma coisa conseguimos garantir: demorará menos ainda a esquecer-se que há vida em Lisboa. Praias, restaurantes, lojas. Não se fala do melhor da Costa Alentejana sem mencionar Vila Nova de Milfontes, seja pela praia e pelo rio, como pela gastronomia – e que bem que se come aqui. A verdade é que não faltam coisas para fazer em Vila Nova de Milfontes, mesmo que o sol teime em não aparecer. Siga o nosso roteiro e não se preocupe com mais nada. 

Recomendado: Os melhores hotéis da Costa Alentejana

Praias

1
Praia dos Aivados
Fotografia: Arlindo Camacho
Atracções, Praias

Praia dos Aivados

Não tem tabuletas com indicações e quase toda a gente se engana no caminho para lá, mas está longe de ser uma praia secreta. Ou melhor, se for para o lado direito (norte), vai ter bastante companhia; se for para a esquerda (sul), quase só acessível com a maré baixa, vai estar mais isolado. Tem boas ondas, coisa que atrai vários surfistas.

2
Praia do Malhão
Fotografia: Arlindo Camacho
Atracções, Praias

Praia do Malhão

É “a” praia eleita pela maioria dos veraneantes de Vila Nova de Milfontes, sobretudo pela sua beleza selvagem. Mas também porque permite longos passeios, carreirinhas nas ondas, com ou sem prancha e, ao fim do dia, aquela boa sensação de dia de praia que quase nos deixa mais cansados do que uma maratona. Então agora que tem um estacionamento bonitinho, é um pote de mel.

Publicidade
3
Praias Vizinhas das Furnas
Fotografia: Arlindo Camacho
Atracções, Praias

Praias Vizinhas das Furnas

Quer uma praia mesmo, mesmo, mesmo secreta? Aventure-se pelos trilhos que levam até um conjunto de praias secretas, ao lado da Praia das Furnas. Como chegar? Na estrada de alcatrão que vai de Milfontes até à Praia das Furnas (N393), depois de passar a ponte sobre o Rio Mira, virar à direita quando chega a uma tabuleta que indica proibição de circulação nas dunas, e quando chegar a uma bifurcação, ir pelo lado esquerdo. Seguir em frente, seguir pelo caminho à direita uma vez chegado a uma bifurcação e depois andar até a estrada se transformar mesmo em duna. Ir em direcção ao mar e dar de caras com uma bonita praia, outra para o lado sul, outra ainda para sul e mais uma. Desce-se com cuidado pela segunda, que tem ligação às restantes, mas na terceira há uma zona com um ribeiro que seca no Verão e cuja descida é peaners. Agora a boa notícia: na maré baixa há acesso pela Praia das Furnas (escusa de ligar já ao reboque).

Restaurantes

1
tasca do celso
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Tasca do Celso

É destino de boas comidas obrigatórias para quem frequenta esta costa e, acredite, vale cada quilómetro feito. Pode lá ir em modo petisco e pedir o queijo fresco com tomate e a linguiça frita com ovos mexidos, ou então atacar sozinho uma das carnes ou peixes grelhados. E só temos pena de nos faltar espaço para falar das outras especialidades alentejanas. 

2
ritual
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Petiscos

Ritual

No meio de tantos restaurantes de cozinha tradicional, sabe bem encontrar um espaço com onda internacional, boa música e alguma comida do mundo. A cozinha serve-se dos melhores produtos da região para apresentar tanto uns hambúrgueres de carne do Alentejo como um nasi goreng, tanto um chouriço de porco preto como um ceviche ou um caril de frango. 

Publicidade
3
Pátio Alentejano
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Pátio Alentejano

É o melhor sítio da zona para levar um grupo grande, armar-se em líder de todos, pedir uns quantos pratos e cada um atacar do meio da mesa. É garantido que as bocas saem bem alimentadas. Nesse pedido devem constar o bacalhau à casa, a carne de porco à alentejana e as migas com carne de porco. 

4
O Amândio
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

O Amândio

É um café-restaurante a caminho da Praia dos Aivados que sopra este ano 100 velas. E só lhe podemos desejar outros 100, para que as gerações vindouras possam ainda provar a qualidade dos peixes e carnes que rodam na grelha controlada por Dona Júlia. É ela quem escolhe os peixes da Arrifana, as sardinhas de Sines, quem trata do lume, quem escolhe e corta as frutas que acompanham a carne), por isso, só lhe podemos desejar também uma longa vida.

Publicidade
5
Porto das Barcas
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Porto das Barcas

Umas férias em Vila Nova de Milfontes não ficam completas sem uma ida à Estrada no Canal, paragem para apreciar o pôr-do-sol e, já agora, um jantar no Porto das Barcas. A cozinha tem nos peixes e marisco frescos e nas carnes alentejanas as suas munições, que vai apresentando ora em versão mais simples, ora em pratos modernos, como os ceviches, torradas de sardinha, entre outros.  

6
Picatapa
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Petiscos

Picatapa

O nome não deixa grande margem para dúvidas: aqui servem-se tapas e petiscos para dividir, naquilo que o palato dos portugueses tanto aprecia. Exemplos? Tábuas de queijos e enchidos, requeijão com mel e nozes, tiras de choco frito, saladas de polvo, pica-pau de porco preto, tudo para regar com sangria. Se a noite estiver quente – raro na zona, mas nunca se sabe – peça as mesas da esplanada.

Publicidade
7
Pôr-do-sol no restaurante A Choupana
Fotografia:Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

A Choupana

No Facebook apresentam-se como “restaurante em frente ao mar, especializado em grelhados, sempre com peixe fresco”. Tudo verdade. Permitam-nos, porém, uns acrescentos. Cá vai: restaurante em estilo cabana em frente ao mar, perfeito para ir ao pôr-do-sol, especializado em grelhados, feitos por quem percebe da matéria, sempre com peixe da costa muito fresco.

Petiscos

1
A Fateixa
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Petiscos

A Fateixa

O cenário é sempre o mesmo: o Sol começa a baixar, a lancheira está vazia e estômago a dar horas. O destino óbvio é A Fateixa, mesmo em frente ao rio, com uma varanda coberta (ainda bem, porque ao fim do dia entra frio), para picar umas amêijoas, umas gambas e uns percebes. Pode sempre estender o programa e ficar a jantar os pratos de tacho. 

Coisas para fazer

1
Passeios de Barco
DR

Passeios de barco no rio Mira

Têm partida no Cais da Fateixa e levam os tripulantes até Odemira, onde ficam três horas e meia antes do regresso. Junte-lhes duas horas no caminho de ida e duas no regresso e tem um dia bem passado. Para saber os dias e horários dos passeios, consulte o site da Câmara Municipal de Odemira (www. cm-odemira.pt).

2
Paddle South Portugal
Fotografia: Arlindo Camacho

Paddle South Portugal

O leitor deve conhecer a canoagem, o paddle surf, o ski, mas conhece o surfski? Pois, bem nos parecia. Trata-se de uma disciplina da canoagem feita nas ondas. Para conseguir apanhá-las é preciso algumas horas de treino, que pode fazer com a Paddle South Portugal, empresa de desportos náuticos instalada em Milfontes. Mas pode também fazer passeios de paddle surf ou apenas canoagem. 

Informações e reservas: 96 365 9417

Publicidade
3
Vila Nova de Milfontes
Fotografia: Arlindo Camacho
Atracções, Atracções turísticas

Fazer compras em Vila Nova de Milfontes

E eis que Vila Nova de Milfontes se tornou o destino certo para aquelas manhãs em que o litoral alentejano se apresenta com nuvens carregadas e risco de precipitação – ou então para um shopping antes da praia. Entre a rua principal e a igreja têm vindo a nascer lojas para todo o tipo de necessidades. Começando pelo lado de quem entra na vila, está a Maria das Flores (Rua Custódio Brás Pacheco), uma florista mais virada para as flores secas, os cactos, os arranjos bem originais. Tudo obra de Mariana Murteira Reis, que gosta de trabalhar com flores da zona, “apanho tudo o que posso”, ou encomenda flores da zona do Montijo, num constante trabalho para ser diferente. “Tenho algum jeito de mãos, sim.”

Na porta ao lado mora a Bigorna (Rua Custódio Brás Pacheco), uma loja de brincos, colares, pulseiras, anéis e outros acessórios, feitos sobretudo a partir de prata, couro e latão. A responsável é Elena, metade portuguesa, metade canadiana, que também tem um quiosque na Zambujeira do Mar, onde vende peças semelhantes. Tudo a preços amigos da carteira e exposto de forma original.

Seguindo para baixo, fica a Kozii (Rua Sarmento Beires, 34 r/c), uma loja de moda feminina, com peças feitas na Índia num método artesanal, com técnicas de tecelagem e respeito pelas regras do comércio justo. Há túnicas, vestidos, kaftans, kimonos, algumas peças para crianças e, mais recentemente, uma aposta em peças para a casa, como mantas para sofás, colchas ou almofadas.

Num estilo bem balnear, a Tribo da Praia (é a porta ao lado da antiga igreja do centro da vila) é o novo negócio sazonal de Rita Cunha, uma lisboeta que trocou a capital pelo Sul. O estilo é boho-beach-hippie-chic, e desdobra-se em vestidos, calções, t-shirts ou túnicas, em roupa mais de praia, mas também perfeitamente adequada à cidade. Às roupas juntam-se vários acessórios, como carteiras, colares feitos pela própria, bijuteria e toalhas de praia. Quando o Verão acabar, que poderá ser só no Inverno, o negócio passa para o online.

4
Pego das Pias
DR
Atracções, Rios, lagos e lagoas

Pego das Pias

A ribeira do Torgal é um afluente do rio Mira que, a certa altura do percurso, se transforma num pego, conhecido pelos locais como um bom spot para nadar, atirar-se das rochas, passear num bote de borracha ou até acampar (é proibido, mas…). Para lá chegar, na estrada que liga São Luís a Odemira, 200 metros depois de passar a ponte sobre a ribeira do Torgal, virar à esquerda para um caminho de terra batida e andar sempre, sempre, sempre em frente até encontrar ouro, quer dizer, água.   

Mais para descobrir na costa Alentejana

Praia de Santo André
Fotografia: Arlindo Camacho
Viagens, Escapadas

O melhor de Vila Nova de Santo André

Praias, petiscos, passeios e muito descanso. São várias as opções, conforme o que lhe apetecer. O melhor que pode fazer nesta vila a hora e meia de Lisboa está aqui. Apetece-lhe uma escapadinha? Damos-lhes umas dicas, sem esquecer, claro está, a praia e Lagoa de Santo André que tornam esta zona única para férias ou apenas para uma fugida da cidade. Siga as nossas pisadas e garantimos que os dias vão ser de descanso (até se vai esquecer do caminho de regresso a casa). 

Praia da Samoqueira - Porto Covo
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

O melhor de Porto Covo

Tornou-se tão cliché como inevitável cantarolar a “Porto Covo” de Rui Veloso quando passamos por aqui. É um clássico, tal como é um clássico não falhar uma ida a banhos na Ilha do Pessegueiro ou parar no Zé Inácio para comer um bom peixe grelhado. 

Publicidade
Praia do Tonel
Fotografia:Ana Luzia
Viagens

O melhor da Zambujeira do Mar

A zona mais a sul da Costa Alentejana foi abençoada por areais paradisíacos. Mas há muito mais do que praias de águas cristalinas, areias soltas e formações rochosas imponentes na Zambujeira do Mar: há restaurantes para petiscar ou para comer até fartar, com peixe fresco e marisco ou uma boa carne, há um festival que todos os anos atrai milhares de pessoas (descubra já os cinco concertos que não pode perder no MEO Sudoeste) e há coisas para fazer entre mergulhos e garfadas.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com