A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
máscara social
©NAJ3Máscara da NAJ3

Onde comprar máscaras sociais? Estas marcas entregam em casa

Use máscara pela segurança dos outros. Eis onde as pode encomendar.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

A má utilização de máscaras é um factor de risco na propagação do novo coronavírus. Mesmo quando instaladas na face com todo o preceito continuam a dar uma falsa sensação de segurança. Falamos das máscaras cirúrgicas, que servem o propósito de não contaminarmos quem nos rodeia, mas é importante seguirmos todos os procedimentos, como manda a lei e o bom senso. Isto significa que a utilização das máscaras só fará efeito se todos as usarmos.

Mas é preciso ter atenção a onde pomos as mãos e a Organização Mundial de Saúde (OMS) sublinha a importância de seguir as seguintes instruções para a utilização de máscaras cirúrgicas e comunitárias:

1) Antes de colocar uma máscara, limpe as mãos com um gel à base de álcool ou água e sabão;

2) Cubra a boca e o nariz com a máscara e verifique se não há espaços entre o rosto e a máscara;

3) Evite tocar na máscara enquanto a estiver a usar. Se o fizer, limpe as mãos com um gel à base de álcool ou água e sabão;

4) Substitua a máscara por uma nova assim que estiver húmida e não reutilize máscaras de uso único;

5) Remova a máscara pelos elásticos (não toque na frente), deite-a num recipiente fechado, e limpe as mãos com um gel à base de álcool ou água e sabão.

Tipos de máscaras:

- Os respiradores (FFP – Filtering Face Piece, classes FPP2 ou FFP3). São equipamentos de protecção individual destinados aos profissionais de saúde e a pessoas mais vulneráveis, como idosos, doentes crónicos ou com sistemas imunitários débeis. Ou seja, protegem quem usa e quem circula em redor.

- As máscaras cirúrgicas. Previnem a transmissão de agentes infecciosos pelas pessoas que utilizam a máscara.

- As máscaras não-cirúrgicas. Também chamadas de comunitárias ou de uso social. São feitas com diferentes materiais têxteis, destinadas à população geral, mas não certificadas.

O Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário (CITEVE) é o responsável por certificar as máscaras comunitárias que várias empresas portuguesas estão a produzir e vender. As máscaras sociais reutilizáveis de nível 3 devem ter uma capacidade de retenção de partículas de, no mínimo, 70%, e têm de resistir, pelo menos, a cinco lavagens. Fomos à procura de algumas das marcas que estão a produzir equipamentos de protecção individual com selo de aprovação e que entregam em casa.

Recomendado: Os murais de homenagem aos profissionais de saúde

Onde comprar máscaras

Estas avós já dispensam apresentações. Deixam todos de queixo caído e a desejar chegar àquela idade com aquela pedalada. Apesar de não poderem abrir a porta do seu ateliê, as avós não estão paradas e um dos projectos que têm em mãos é precisamente a produção de máscaras para “os seus netinhos com pinta”. São pintadas à mão e laváveis, têm dupla face de tecido 100% algodão e filtro TNT. Tanto o modelo cirúrgico como o bico de pato custam 9€ (unidade), e são enviados para todo o país e estrangeiro também. As vendas ajudam a que a iniciativa d’A Avó veio trabalhar possa continuar.

Surgiu em Évora pela mão de uma veterinária de cavalos com o objectivo de tornar acessíveis as máscaras sociais ao maior número de pessoas possível. Em colaboração com um atelier local e apostando na reutilização de materiais, as máscaras são feitas com duas camadas de algodão e têm a possibilidade de colocar um filtro de café no meio. Podem ser compradas individualmente (6€) e há dezenas de padrões e cores por onde escolher, de animais de quinta a azul turquesa. O fabricante não detalha o número de lavagens que o tecido aguenta.

Publicidade

As máscaras da Daily Day Studios, certificadas pelo CITEVE, são fabricadas em tecido 100% algodão e estão disponíveis em preto, azul marinho, verde oliveira, antracite, azul pato, azul claro, mostarda ou rosa e lilás para as crianças (a 3,80€). São máscaras de uso geral, reutilizáveis até 25 lavagens (4€) de nível 3 ou 75 lavagens (7,80€) com capacidade de retenção de 90%. Estão a ser produzidas numa fábrica em Paços de Ferreira e entregam em todo o país. Também há conjuntos de dez unidades (36€-73€) ou 25 unidades (69€-90€) com cores sortidas.

A d'enfiada é conhecida pelas suas T-shirts, bordadas à mão com mensagens arrojadas que dão nas vistas ou mesmo personalizadas. Em tempos estranhos e pandémicos adaptaram-se ao mercado e passaram também a fazer máscaras com mensagens bordadas como "Desconfina-me", "Sorriso amarelo", "Sorri com os olhos", "Covid’a minha" ou "Haja paciência". É visitar o site oficial da marca, escolher a cor e a mensagem e encomendar (12€). As máscaras são reversíveis, de um lado cor sólida e do outro padrão à escolha, e têm ainda uma abertura para colocar o filtro. 

Publicidade

Há propostas para pais e filhos em várias cores e até personalizáveis (com encomenda mínima de cinco unidades). Constituídas por duas camadas exteriores de tecido poliéster e algodão e uma camada interior de tecido anti-bacteriano e anti-fúngico, estão aprovadas para uso geral (nível 3) e 25 lavagens. Também têm máscaras de nível 2, destinadas à utilização por profissionais que estão expostos ao contacto com um elevado número de pessoas. Os preços começam nos 2,97€.

O estúdio português de tecidos reciclados e design também fez das suas. Produzidas à mão, há 20 coloridos modelos à escolha e têm duas camadas: por fora são em 100% poliéster reciclado e a camada interior, que toca na cara, é feita em com TNT (tecido-não-tecido). Custam 8€ e têm certificação para cinco lavagens (nível 3).

Publicidade

MOxAd-Tech é o nome da máscara têxtil reutilizável posta à venda, por 10€ a unidade, na loja online da MO, a marca de vestuário da Sonae Fashion. É a primeira máscara têxtil reutilizável que consegue inactivar o vírus que provoca a Covid-19. Depois de um teste no Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes, observou-se uma redução viral de 99% na sua superfície ao fim de uma hora de contacto com o vírus. Com um princípio activo testado com sucesso contra três vírus diferentes, pelo Institut Pasteur de Lille, em França, a tecnologia acreditada a nível internacional garante uma capacidade de retenção de partículas de 95%. Respirável e de secagem rápida, mantém eficácia antimicrobiana “de perto de 100%”, refere o fabricante, mesmo depois de 50 lavagens domésticas a 30ºC.

Com modelos para pequenos e grandes, as máscaras da NAJ3, confeccionadas pela Carnel, estão certificadas pelo CITEVE para 25 lavagens e disponíveis em várias cores e padrões, com um preço unitário de 6,90€. Desde tubarões, flores, skates e até pássaros, há propostas 100% algodão para todos os gostos.

Publicidade

A NudeMask é uma nova marca portuense de máscaras para vários tons de pele. As máscaras custam 6,90€ e estão disponíveis em tamanho de adulto e criança. Por cada máscara comprada, está a doar 1€ à Associação Cáritas Portuguesa, para que a protecção chegue a todos. A NudeMask apresenta já quatro tons de pele, mas o objectivo é aumentar a gama de modelos para oito tons de pele. De produção 100% portuguesa, as máscaras contam com certificação do CITEVE para a matéria-prima e resistem a, pelo menos, 20 lavagens.

É a marca de duas jovens unidas pelo seu amor à arte. Produzem máscaras 100% algodão, com duas camadas de tecido para garantir maior eficácia e abertura para colocação de filtro. Para encomendas, deverão contactar a marca no Instagram e cada uma custa 3€. Se quiser pode optar pela Basic Box (14,50€), que inclui duas máscaras, um porta máscaras com dois lados (para a máscara suja e para a limpa) e uma fita para segurar o equipamento de protecção.

Publicidade

A portuguesa Parfois tem disponível no seu site vários modelos de máscaras – neste caso são Meevo PROTECT 390 que estão certificadas com o selo “Máscaras COVID-19 Aprovado” de nível 3. Existem em vários padrões, do tropical ao animal print, e em cores sólidas como o preto, a partir de 6,99€. Além disso são cheirosas, com aromas diferentes como chá verde, eucalipto ou mesmo CBD.

A marca de roupa e acessórios para crianças tem uma colecção de máscaras de uso social para os mais pequenos, mas também abrem uma excepção para os adultos. Cada uma custa 5€, são 100% algodão e estão disponíveis em edições chamadas cegonha-preta, lince ibérico ou esquilo vermelho, animais que estão estampados em cada máscara, com várias cores disponíveis. Estão certificadas pelo CITEVE até 25 lavagens.

Publicidade

Portugal Masks é o novo projecto da Absolutarget. As máscaras são aprovadas pelo CITEVE e, no site, encontra máscaras lisas ou com estampados, a partir dos 9,99€ (individuais), em packs três ou quatro unidades. A máscara aguenta até 25 lavagens na máquina e se comprar quatro de uma assentada, recebe uma gratuita.

Só há um modelo, mas em várias cores, feitas de 100% algodão biodegradável e com clipe nasal ajustável, para maior conforto. Com dupla certificação do CITEVE, para o material e a longevidade da máscara têxtil, a proposta da Ivity está disponível em máscaras avulsas (3,90€) ou em diferentes pacotes. Destaca-se a edição limitada do pack Portugal (22,90€) com quatro máscaras de duas cores (olive green e yellow sunshine) e elásticos especiais.

Publicidade

A Safe & Care oferece dois tipos de máscaras sociais de protecção descartáveis (níveis 2 e 3), certificadas pelo CITEVE para números de lavagens diferentes: cinco, 10 e 25. São vendidas avulso (de 2,30€ a 3€) ou em conjuntos que começam nas cinco máscaras e só terminam nas 500 unidades. Branco, preto, azul e cor-de-rosa são as cores disponíveis.

A startup portuense Skizo reutiliza o plástico recolhido dos oceanos para produzir calçado, bolsas e máscaras de uso profissional e comunitário, com certificação de vários laboratórios de referência na Europa. As máscaras são criadas artesanalmente por costureiras portuguesas e estão disponíveis na loja online da empresa pelo preço de 9€ por unidade. São certificadas pelo CITEVE para 25 lavagens, pelo AITEX (Espanha) para 50 lavagens e pela EUROFINS (União Europeia) para 100 lavagens.

Publicidade

Estas máscaras são feitas artesanalmente e em algodão com espaço para colocar filtro TNT, contando com dezenas de padrões diferentes, do animal print às flores, das riscas às bolinhas, ou mesmo cores sóbrias para quem quer passar despercebido. Por serem personalizáveis e adaptadas a cada encomenda, a clientela pode ainda escolher o formato das máscaras, que podem assumir o modelo das pregas ou o ergonómico. Há ainda as máscaras make up friendly – uma versão composta por um forro 100% algodão, disponível em três tons, de forma a permitir combinar com a cor da base ou bronzer utilizado. As encomendas são feitas através da página de Instagram da marca.

A Well’s passou com distinção na auditoria de verificação "COVID Safe" pela APCER, na implementação de medidas de controlo à pandemia, sendo assim a primeira parafarmácia com o selo covid safe em todas as suas áreas de actuação. E, neste sentido, também apostou no material de protecção como as máscaras sociais, laváveis e reutilizáveis, com certificação do CITEVE nível 2, com capacidade para 25 lavagens. Têm ajuste nasal integrado e estão disponíveis estampadas ou em cores lisas.

Kit de sobrevivência

  • Coisas para fazer

De acordo com a Autoridade Europeia para a Segurança Alimentar e a Organização Mundial da Saúde, não existe, até ao momento, evidência de qualquer tipo de contaminação através do consumo de alimentos cozinhados ou crus. Ainda assim, recomenda-se a aplicação do princípio da precaução, através da manutenção e reforço das medidas de higiene e segurança alimentar durante a manipulação, preparação e confecção de alimentos, como a lavagem frequente e prolongada das mãos e a desinfecção de todas as bancadas de trabalho e das mesas. Em caso de dúvida, saiba quais são as melhores práticas a seguir para impedir a contaminação dos alimentos e da casa, de acordo com a Direcção-Geral da Saúde.

  • Coisas para fazer

Certamente já ouviu esta expressão da boca de alguém: “Estamos sempre a aprender”. A verdade é que estamos e nunca é tarde para adicionarmos à nossa lista de skills – chamemos-lhe assim – uma ou outra coisa que não sabíamos ou que nunca tínhamos feito. O factor novidade ajuda a aguçar a curiosidade e a vontade em experimentar e nós damos-lhe razões para isso, até porque tempo é o que não lhe falta, e jeito, bem, esse arranja-se. Cozinhar uma nova receita, fazer exercício, fazer um detox digital ou ver uma série de enfiada, experimente tudo isto e mais alguma coisa. Tome nota: experimentar uma coisa nova por dia não sabe bem o que lhe fazia.

Publicidade
  • Filmes

Enquanto estivermos confinados aos nossos lares, na luta contra a propagação do novo coronavírus, há todo um mundo na Internet por desbravar. A Time Out, que também consegue estar In, navegou por toda a rede em busca de boas curtas-metragens para o ajudar a passar melhor o tempo em casa, uma selecção de combate ao tédio durante o confinamento. São nacionais e estrangeiras e abrangem vários géneros: drama, comédia, terror, animação e imagem real, documentário ou ficção. Se quiser fazer esta lista render, planeie a visualização de um obra cinematográfica de curta duração por cada dia que tenha de ficar em casa.

  • Compras

É tempo de olhar para quem nos rodeia, para os nossos e para quem, todos os dias, se esforça para apresentar um produto de qualidade com uma etiqueta made in Portugal. Apoiar os pequenos negócios é uma missão que todos devemos abraçar para fazer com que, depois de tudo isto, eles ainda estejam lá para nós. Do calçado à cosmética, da roupa à joalharia, compre português e orgulhe-se de levar ao peito o que de melhor se faz por cá. Para ajudar na tarefa de se voltar a manter em casa, e em segurança, todos os dias, aqui, voltamos a sugerir-lhe uma marca portuguesa para ter debaixo de olho. 

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade