Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Roteiro perfeito em Marvila

Roteiro perfeito em Marvila

Cafés, restaurantes, lojas, galerias e espaços culturais. Fomos conhecer as maravilhas de Marvila.

centro de marvila, Praça David Leandro da Silva,
Fotografia: Manuel Manso
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Até há pouco tempo, era o ponto cardeal mais desprezado de Lisboa, mas, lentamente, começou a ganhar vida e pontos de interesse. É, aliás, a única zona da cidade em acelerada renovação sem ter o turismo como alavanca. É em Marvila que tem sido semeado talento e criatividade que fertiliza dezenas de novos projectos, sempre com a ajuda dos armazéns que o bairro ainda vai disponibilizando, quer seja para abrir galerias de arte, restaurantes ou fábricas de cerveja. Eis uma longa série de desculpas para rumar ao bairro da moda e descobrir a maravilha que é Marvila, das galerias aos restaurantes, passando pelas lojas e cervejeiras. 

Recomendado: Conheça Lisboa bairro a bairro

Roteiro perfeito em Marvila

1
Atelier Sá Pessoa
DR
Restaurantes

Atelier Henrique Sá Pessoa

Marvila

O atelier de Henrique Sá Pessoa é uma incubadora de ideias para o estrelado Alma e para o Tapisco. O chef quer encher a mesa comprida com 12 pessoas, em não mais do que grupos de quatro, para criar sinergias e promover o networking, ao mesmo tempo que apresenta os pratos de teste para os seus restaurantes. Aceita marcações.

2
The Royal Rawness
©Manuel Manso
Restaurantes, Cafeteria

The Royal Rawness

Marvila

A cafetaria Royal Rawness
 veio do Porto para Marvila
 com um menu de pastelaria
 e brunch muito composto e o café de especialidade como principal foco. Tem uma mesa de madeira gigantesca, para fazer novos amigos enquanto bebe o expresso da manhã ou para ficar a trabalhar tranquilamente. A torra é feita em Lisboa e aqui vai encontrar à venda os pacotes com os vários blends da casa.

Publicidade
3
Cafe com Calma
© Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Café com Calma

Marvila

Nada como começar um dia com calma. Rita Estanislau abriu o Café Com Calma na Marvila semideserta de 2015 para quem o visitar poder desfrutar com vagar, seja para um pequeno-almoço, almoço (servem refeições ligeiras e têm menu de almoço) ou lanche. A decoração é kitsch e confortável e a comida do mais caseiro que há.  

4
Tem-plate
Fotografia: Manuel Manso
Compras

Tem-plate

Marvila

Marvila guarda cervejeiras, armazéns, galerias e espaços de cowork, mas é recente esta pérola do bairro: a loja de luxo Tem-plate, uma montra de marcas que chegam pela primeira vez a Portugal. O aspecto de galeria futurista lança o repto para o projecto criado por Robby Vekemans e Rune Park, que trouxeram para o lado oriental da cidade a moda de passerelle. O espaço é amplo, com uma estética minimal e quase industrial, e dos charriots pendem peças de marcas como Acne, Jacquemus, JW Anderson, Loewe, Comme des Garçons ou Maison Margiela.

Publicidade
5
Biblioteca de Marvila
Fotografia: José Fernandes
Atracções, Bibliotecas, arquivos e fundações

Biblioteca de Marvila

Marvila

É a mais recente e a maior biblioteca de Lisboa. Uma casa senhorial abandonada há décadas foi ocupada por um auditório com 187 lugares, uma horta comunitária e 23 mil obras para consulta com foco na arte urbana e cultura hip-hop.

6
Tomaz Hipólito Studio
©DR
Arte, Centros de artes

Tomaz Hipólito Studio

Marvila

O armazém renovado funciona como ateliê do artista Tomaz Hipólito e no andar de cima
 está a arquitecta Helena Botelho. Desde Outubro, tem um projecto de residências para artistas internacionais, com duração entre um a seis meses. Regularmente organizam open-days.

Publicidade
7
barbearia oliveira
Fotografia: Arlindo Camacho
Compras, Tatuagens e piercings

Damage InKorporation

Marvila

Ele é realismo, ele é oriental (lá que está a Oriente, está), ele é tribal, ele até é aquelas lamechices que, volta e meia, alguém se lembra de tatuar, não fosse também um estúdio de tatuagens cheio de personalidade. O Demage InKorporation abriu em 2012 e escolheu logo ficar de fora do grande centro. Lá dentro, há vitrines que merecem ser vistas de perto – relíquias de tatuador, de um lado, uma colecção de máscaras do outro. Ah e este estúdio tem um extra logo à entrada. A Barbearia Oliveira encaixou aqui que nem uma luva e veio subir o nível à mudança de visual.

8
musa
Fotografia: Francisco Santos
Bares, Cervejaria artesanal

Fábrica Musa

Marvila

A Musa abriu o seu pousio ao público em 2017. Fica em Marvila, junta fábrica e bar, com muito bom aspecto e vista para os silos onde a cerveja se faz, e tem uma programação musical regular para acompanhar com os copos. Além das garrafas, fáceis de encontrar em vários restaurantes e lojas da cidade, há 12 bocas recheadas com as cervejas que se produzem ali mesmo, mais uma ou outra convidada.

+ O novo beer district da cidade

Publicidade
9
cenas a pedal
©Cenas a Pedal
Desporto, Ciclismo

Cenas a Pedal

Marvila

Ana Pereira e Bruno Santos chegaram a estar no centro de Lisboa, na Álvares Cabral, e mudaram-se para Marvila onde têm uma escola de bicicleta para todas as idades, uma loja, uma garagem de reparação e espaço para tudo o que tenha a ver com bicicletas – de exibição de filmes a workshops.

10
refeitório do senhor abel
Restaurantes, Italiano

Refeitório do Senhor Abel

Marvila

Com um avô italiano, Chakall sempre esteve ligado a esta cultura e o sonho de ter um restaurante dedicado à comida italiana concretizou-se no Refeitório do Senhor Abel, em pleno coração de Marvila, nos antigos armazéns Abel Pereira da Fonseca. À comida junta-se a bebida do Heterónimo Baar, o bar que complementa o restaurante, ambos inspirados no poeta Fernando Pessoa, com a curadoria de Miguel Tojal, que se juntou ao chef neste projecto, e a mestria do bartender Sandro Pimenta. 

Publicidade
11
Spot real- academia de parkour
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Spot Real

Marvila

Quatro amigos quiseram pôr um bairro meio adormecido aos saltos. Hilário, Ângelo, Nuno e Ricardo transformaram um armazém abandonado no Poço do Bispo na primeira academia de parkour do país. Há espaço para os malabarismos dos habitués, mas também para principiantes, que a partir dos seis anos podem atirar-se de cabeça para uma irresistível piscina de esponja.

12
AR.CO - Xabregas
©Nuno Martinho
Arte

Ar.Co - Centro de Arte e Comunicação Visual

Xabregas

A Ar.Co ocupa desde 2017 as instalações do antigo Mercado de Xabregas, na parte oriental da cidade. O complexo, remodelado segundo projecto do arquitecto João Santa-Rita, alberga espaços oficinais, laboratórios de fotografia, estúdio de fotografia/cinema, e outras valências associadas ao ensino de artes visuais. A história da instituição, com o seu carácter experimental, remonta a 1973. 

Publicidade
13
Kaizen Art
Fotografia: Manuel Manso
Desporto

Kaizen Art

Marvila

O cabo-verdiano Kwenda, natural da ilha do Sal, estudou engenharia, mas o que o interessou mais foi
 a “engenharia interior”, como lhe chama. Ajudar as pessoas “de uma maneira mais profunda”, trabalhando a parte física, através de actividades como a dança
 tribal e o projecto kaizen dance, que lhe deu fama em festivais de dança internacionais. Deu aulas em vários espaços da cidade e abriu o seu próprio, na Rua do Açúcar, um incrível open space numa antiga fábrica de acrílico. Há aulas de kaizen dance e kizomba, yoga kundalini e capoeira.

14
Officina Moto
©Manuel Portugal
Compras

Officina Moto

Marvila

Os fanáticos de motas têm aqui o seu paraíso. Numa zona de garagens e mecânicos, Miguel Vasconcelos abriu a Officina Moto em 2015, uma mistura entre stand, loja especializada com peças e acessórios, bar e representante de marcas como a Vespa ou a Piaggio. São aqui também os encontros do Riders Social Club.

Publicidade
15
Francisco fino
Fotografia: Arlindo Camacho
Arte, Arte contemporânea

Galeria Francisco Fino

Marvila

Francisco Fino viveu nos Estados Unidos, onde estudou e trabalhou numa leiloeira de arte contemporânea, e pensou em abrir uma galeria em Nova Iorque. Por mero acaso, numa visita a outras galerias de Marvila, passou em frente ao armazém devoluto onde hoje fica a galeria com o seu nome e decidiu remodelá-lo. “Interessava-me estar perto das outras galerias”, conta. Chegou ao bairro em Maio de 2017 e ficou surpreendido com a afluência de visitantes. A galeria tem duas salas de exposição, uma delas preparada para instalações de vídeo, e em breve terá também um terraço.

16
fábrica moderna
©DR
Coisas para fazer

Fábrica Moderna

Marvila

"Uma oficina criativa partilhada (...) onde se transformam ideias em produtos." É assim que a Fábrica Moderna se apresenta no seu site. Neste espaço, pessoas e empresas podem partilhar conhecimentos para que as suas ideias ganhem forma. A Fábrica dinamiza, ainda, workshops e oferece apoio ao lançamento de produtos. 

Publicidade
17
Fábrica Lince
©DR
Bares, Cervejaria artesanal

Lince

Grande Lisboa

Tudo começou como uma brincadeira, “a fazer cerveja em casa em baldes”, e tornou-se um “emprego full-time”. António Carriço e Pedro Vieira, criadores da cerveja artesanal Lince, trabalharam juntos na Vodafone. A paixão por cerveja, semelhante “a cozinhar”, levou-os a arranjar um armazém na Rua do Açúcar, onde montaram uma fábrica. Por enquanto, a Lince tem quatro à venda: uma stout, uma blonde, uma belgian pale ale e uma american IPA. 

18
Igreja da Madre de Deus
©Museu Nacional do Azulejo
Museus

Museu Nacional do Azulejo

Beato

O azulejo é a prova física do sentido prático dos portugueses que escolheram este material convencionalmente pobre para decorar espaços interiores e edifícios. No Museu, instalado no Convento da Madre de Deus, estão representados alguns dos mais significativos exemplares da azulejaria nacional, do século XV até aos nossos dias

Publicidade
19
Instituto do animal
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Instituto do Animal

Marvila

Sílvia Machado é a directora e fundadora do Instituto do Animal, um projecto cujo primeiro propósito é oferecer formação tanto a cães, como a donos e profissionais da área. Também funciona como creche, tornando-se no primeiro espaço de Lisboa a oferecer este tipo de serviço. Localizado no Jardim do Poço do Bispo, em Marvila, actua na área da Grande Lisboa, disponibilizando um serviço de transporte que vai buscar os animais a casa sempre que os pais babados precisarem. Treino para andar à trela sem puxar, obediência à chamada e acções de sociabilização são alguns dos programas de que pode usufruir. Para entrarem, os cães passam primeiro por uma entrevista em que é avaliado o comportamento e outros factores. Além disto, os requisitos de entrada para a creche são: ter idade igual ou superior a 3 meses, vacinas em dia e desparasitação feita há menos de 3 meses.

20
Entra
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Entra

Marvila

Quem entra, nem sabe o que o espera. Candeeiros que são garrafas de vinho e um menu que não existe: é surpresa, uma surpresa bem em conta (19,50€ com pão e azeite, duas entradas, dois pratos – de carne e peixe – e uma degustação de sobremesas). Quando abriu, em 2010, Marvila estava longe de ser um bairro da moda, mas os amigos Pedro Marques e Luís Magalhães e o seu Entra sobreviveram para ver a zona ganhar vida.  

Publicidade
21
Cantinho do Vintage
Fotografia: Ana Luzia
Compras, Lojas vintage

Cantinho do Vintage

Marvila

Nem toda a gente gosta de ter uma casa igual ao catálogo do Ikea e não há arquitectura moderna onde não encaixe que nem uma luva uma ou outra peça vintage. No Cantinho do Vintage, local de romaria de muitos lisboetas aos sábados, as peças de mobiliário e os acessórios de decoração de outros tempos amontoam-se sobre mesas, estantes, carrinhos e armários. Vale a pena ir com tempo para descobrir as melhores pérolas. 

22
capitão leitão
Fotografia: Arlindo Camacho
Bares

Capitão Leitão

Marvila

Cocktails, cerveja Lince, a loja de discos mais pequena da cidade, DJ sets, uma casa de banho mexicana e boa onda. O Capitão Leitão anima as tardes e noites de Marvila com tudo isto 
e muito mais. Viviana Baptista e
 o marido, Will Grant, fugiram de Londres para Lisboa em 2016 e começaram a organizar as matinés Studio Club com DJs internacionais em vários espaços. Mudaram-se para o bairro e abriram o bar onde o espaço reduzido não tem sido limitação para nada – nem para dançar, nem para organizar uma pequena feira de discos em segunda mão.

Publicidade
23
casa do bacalhau
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

A Casa do Bacalhau

Alfama

A Time Out costuma definir este restaurante como o sítio certo para apanhar uma overdose de bacalhau. A brincadeira é óbvia, mas ainda não encontrámos melhor forma de descrever uma casa – casa a sério, com arcos de pedra, que em tempos albergaram as cavalariças do Palácio do Duque de Lafões  onde são tão fiéis ao fiel amigo que ele está representado em mais de 20 pratos. Do à Brás ao Gomes de Sá, do Margarida da Praça ao Zé do Pipo, encontra os suspeitos do costume e ainda aquelas partes menos nobres, como a língua ou as caras.

24
Vertigo Climbing Center
© Diogo Garcia
Desporto, Alpinismo

Vertigo Climbing Center

Marvila

Se quer levar a mania de andar a trepar paredes à letra, vai encontrar no Vertigo uma plataforma de escalada com 300 m2. O primeiro rocódromo indoor de Lisboa nasceu em 2014 e tem paredes que batem o Grand Canyon aos pontos, além de ginásio, bar, esplanada e loja. Se sofre de vertigens, das duas uma: ou alinha num curso de iniciação que não vai acima dos 20 metros, ou se mantém afastado da zona mais radical de Marvila.

Publicidade
25
Tap Room Dois Corvos
Fotografia: Arlindo Camacho
Bares, Cervejaria artesanal

Dois Corvos

Marvila

Gosta de cerveja artesanal? Na Tap Room da cervejaria Dois Corvos pode provar a bebida e espreitar a fábrica onde ela é produzida. À sua disposição estão cervejas engarrafadas e várias à pressão, que vão mudando consoante a produção. Os indecisos podem pedir um tasting tray com cinco cervejas e fazer um pijaminha alcoólico.

26
EKA [palace]
Fotografia:Manuel Manso
Arte, Galerias

EKA Palace

Xabregas

Este centro cultural alternativo tem um terraço, o Floating Garden, onde pode descansar os olhos das folhas de Excel e esquecer aquele “reply to all” que fez sem querer. O Eka Palace tem ainda exposições, festas e aulas de dança, para aqueles dias em que precisa mesmo do seu Bharata Natyam (dança clássica indiana).

Publicidade
27
WASTED RITA Solo Show at Underdogs10 Human beings - God's only mistake 27/03/2015
©DR
Arte

Galeria Underdogs

Marvila

Foi uma das primeiras a vir marcar território para estas bandas. A galeria é um entra e sai de artistas e dá todos os anos à cidade exposições memoráveis. Maria Imaginário já encheu o armazém com balões, André da Loba deu largas ao que vai passando pela imaginação humana, Wasted Rita fez da galeria um parque de diversões da vida, enfim tudo coisas épicas. O foco está quase sempre na arte urbana e quando um artista pisa a Underdogs, é quase certo que vai levar a sua arte muito além da galeria. Por toda a cidade, há murais e empenas que provam a passagem de dezenas de artistas por Lisboa. 

28
El Bulo
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

El Bulo Social Club

Marvila

Chakall tem em Marvila um restaurante do tamanho da Argentina. Ok, é ligeiramente mais pequeno, com 1300 metros quadrados, mas tem espaço para o chef dar asas à imaginação. De uma cozinha saem ceviches e nacos de carne para o restaurante, da outra repastos para o catering, mais um negócio da casa. À entrada, há ainda uma loja com produtos argentinos.

Publicidade
29
Fábrica braço de prata
Fotografia: Ana Luzia
Noite

Fábrica Braço de Prata

Marvila

Este centro cultural instalou-se na antiga Fábrica de Material de Guerra em 2007. Mas a cantiga é uma arma e a luta por dar lugar a variadas expressões artísticas continua numa das fábricas culturais mais dinâmicas de Lisboa. Aqui há mais de uma dezena de salas, que num dia recebem concertos e noutro transformam-se em espaço de debate ou de exposições. Se estiver com fome, pode matá-la no restaurante da casa (jantares de quarta a sábado, e serve desde as 18.00 até ao fecho).

30
Teatro

Teatro Meridional

Marvila

Nasceu em 1992 e instalou-se em Marvila, quando ainda ninguém imaginava que aquele amontoado de armazéns poderia alguma vez estar na moda. Fique atento à programação da companhia de teatro no site.

Publicidade
31
Asian Home Concept
Fotografia: Ana Luzia
Compras

Revivigi

Marvila

À primeira vista parece um armazém atolado de móveis do chão até ao tecto. Mas com mais atenção vemos que estamos perante peças orientais, esculpidas em madeira, que não se encontram em mais lado nenhum. Vêm da China, do Tibete ou da Mongólia. É, de facto, o mais a Oriente que conseguimos estar em Lisboa.

 

32
Lisbon Work Hub
Coisas para fazer

Lisbon Work Hub

Marvila

Se trabalhar num espaço de cowork é fixe, então imagine trabalhar num bairro alternativo que se quer transformar rapidamente no sítio-onde-todos-querem-estar. Os níveis de estilo aumentam radicalmente. Junte a isto a ideia de passar os dias dentro de um antigo armazém de vinho, com uma fachada art déco e gabinetes modernaços. É admiração garantida. Uma secretária fica a 160€ por mês

Publicidade
33
Crossfit Oriente
Coisas para fazer

Crossfit Alvalade Oriente

Marvila

Não se deixe levar pelo nome: esta box de crossfit fica no mais emblemático largo de Marvila e não em Alvalade, onde mora o irmão mais velho. Praticantes ou aspirantes à modalidade diabólica, encontram aqui o seu bocadinho de Inferno. 

34
 Galeria Filomena Soares
©DR
Arte

Galeria Filomena Soares

Xabregas

É dos primeiros nomes que nos vem à cabeça quando pensamos no circuito das galerias de arte da cidade. É um daqueles armazéns de sonho, branquinho até mais não. Pelo programa de exposições, passam sempre artistas internacionais de alto gabarito, sem falar nos nomes que a Galeria Filomena Soares representa: Ângela Ferreira, Helena Almeida, Pedro Barateiro e Rui Chafes andam nas bocas do mundo, mas a casa deles é aqui, na Rua da Manutenção.

Publicidade
35
Varanda do Vale Formoso - Bacalhau à Brás
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Português

Varanda do Vale Formoso

Marvila
4 /5 estrelas

Apesar do nome, não espere formosura em nada, a não
 ser na comida. O bacalhau à Brás tem boa fama, tal como o bitoque de vaca, que ganhou o primeiro lugar num concurso da Coca-Cola, escolhido pelo chef Alexandre Silva.

36
Aquele Lugar Que Não Existe
©Francisco Santos
Restaurantes

Aquele lugar que não existe

Marvila

Eis aquele lugar que existe, mas não quer ser divulgado nos meios de comunicação social. Ups. Escrevemos apenas o essencial para o convencer a atravessar Lisboa e sentar-se à mesa de um dos sítios mais originais da cidade. Trata-se de um armazém gigantesco em Marvila, decorado com muitas madeiras, peças antigas, panos pendurados no tecto, mesas, cadeiras e bancos todos diferentes. A ementa tem toques asiáticos e de outros cantos do mundo, como as pizzas mexicanas ou tailandesas, feitas em forno de lenha. O serviço é simpático e descontraído e é um daqueles restaurantes bons para jantar e seguir nos copos sem sair do lugar. Agora guarde o segredo porque este lugar quer manter-se semi-secreto. Que assim seja.  

Publicidade
37
Frango Kong Pao com amendoins da Dinastia Tang
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Chinês

Dinastia Tang

Marvila
4 /5 estrelas

De uma bela história de amor entre uma portuguesa e um chinês nasceu este restaurante onde não vai encontrar vitrais iluminados, cascatas plastificadas, candeeiros de papel ou gatinhos dourados a dizer adeus. Uma antiga fábrica de vinhos onde agora não faltam recantos românticos para degustar pratos requintados como raiz de lótus ou ovos de mil anos com tofu de seda. 

Outros bairros lisboetas

principe real, top
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

O melhor do Príncipe Real

Por ocasião dos 50 anos da Time Out, os editores de todo o mundo elegeram os 50 bairros mais cool do momento. O Príncipe Real ficou em 5.º lugar. O que quer afinal dizer cool? É um anglicismo, uma daquelas palavras certeiras dos camones para a qual não temos equivalente imediato. Ou então temos demais. Cool é incrível, invejável, desejável, pode ser espectacular, óptimo, bom, maneiro, porreiro, giro, divertido, bacano, yo!, fixe, bestial. Cool é o novo que nunca saiu de moda, que tem pinta e é supimpa. Cool é uma atitude sem pose, uma tendência que tende a não querer saber disso. Cool é uma unidade de medida relativamente rigorosa, vagamente objectiva, usada genericamente para avaliar o grau de estilo de alguma coisa. Ora, isto é tudo o que acontece no Príncipe Real, onde as novidades se sucedem, as referências se mantêm e as figuras convivem, onde o novo se alicerça no antigo e a cidade não se expulsa a si mesma. E isso é realmente cool.

vista miradouro graça
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

O melhor da Graça

A melhor varanda para contemplar Lisboa está aqui e, provavelmente, a mais instragramada. Há cada vez mais tuk-tuks, é verdade, mas também há cada vez mais vida de bairro a acontecer, da tasca ao mini mercado. Não deixe esta colina entregue exclusivamente aos turistas, aliás que esteja longe de acontecer essa possibilidade. É um dos sítios para se desgraçar na cidade e beber copos até ser hora de rumar para outro lado, e onde pode petiscar antes num dos restaurantes da colina. Reclame para si o melhor das mesas, da cerveja artesanal e dos destinos nocturnos da Graça e siga o nosso roteiro recheado com o melhor que este bairro guarda.

Publicidade
jardim de santos
©Junta de Freguesia da Estrela
Coisas para fazer

O melhor de Santos e Madragoa

Gelatarias, brunches, mercearias alternativas, bares, restaurantes ou galerias. Há muito para explorar nesta lista quase infindável de atracções em Santos e na vizinha Madragoa, o bairro que tem recebido cada vez mais inquilinos e onde tropeça todos os meses num negócio novo. Santos é, aliás, um autêntico Design District, com lojas de decoração e design aos pontapés. Já para não falar de ser um epicentro cultural de museus e galerias de arte contemporânea. E, se está a ficar com medo de se perder com tanta oferta, não se preocupe, porque fazemos questão de lhe traçar um roteiro pela zona.

Publicidade