A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Exposição Film Bilder na Monstra Festival de Animação
Exposição Film Bilder

Monstra à solta: o que o festival de cinema traz a Lisboa

Mais de 550 filmes, 50 países e cinco continentes. Esta é a programação da Monstra – Festival de Animação de Lisboa para 2019.

Raquel Dias da Silva
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

A 18.ª edição da Monstra, à solta em Lisboa de 20 a 31 de Março de 2019, contempla mais de 550 filmes, entre longas, curtas e curtíssimas. A programação completa foi apresentada esta quinta-feira, na Cinemateca Portuguesa. Fernando Galrito, director artístico do festival, anunciou homenagem ao cinema de animação do Canadá, com mais de dez sessões de obras de realizadores como Norman Mclaren, Frédéric Back e Caroline Leaf, bem como de co-produções frutuosas entre os estúdios de animação do National Film Board of Canada (NFB) e artistas de renome da animação mundial.

Este ano, a competição internacional de longas-metragens é composta por sete filmes, seis dos quais estreias nacionais, incluindo Mirai, nomeado para os Óscares 2019 como Melhor Filme de Animação. Como é habitual, a Monstra conta ainda com as secções competitivas de filmes de estudantes, curtas-metragens, curtíssimas (filmes até dois minutos) e da Monstrinha, dedicada aos miúdos. Brevemente será também divulgada a competição portuguesa, num momento que reunirá realizadores e produtores.

A programação conta ainda com retrospectivas, secções especiais, música e exposições. Para além da exposição sobre os estúdios Aardman, no Museu da Marioneta, estão planeadas exposições no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa e na Sociedade Nacional de Belas Artes, incluindo uma retrospectiva aos 25 anos de trabalho conjunto dos realizadores Regina Pessoa e Abi Feijó.

Recomendado: Vem aí uma exposição gratuita dos criadores da Ovelha Choné

Programação

Competição de longas-metragens

Competição de longas-metragens

Na competição internacional de longas-metragens, sobressai Mirai, nomeado para os Óscares 2019 como Melhor Filme de Animação. A obra, do mestre japonês Mamoru Hosoda, conta – em estreia na Monstra – a história de um menino que encontra um jardim mágico que lhe permite viajar no tempo e conhecer os seus antepassados.

O vencedor do Grande Prémio de Longas no último Festival de Annecy, Funan, realizado por Denis Do, estará também em competição para nos mostrar a história de luta e sobrevivência de uma mãe que foi forçosamente separada do filho, durante a revolução do Khmer Vermelho, nome dado aos seguidores do Partido Comunista da Kampuchea, partido governante no Camboja de 1975 a 1979. O compositor e o designer de som estarão presentes.

De relevância política, temos também The Tower, uma longa realizada por Mats Grorud, sobre uma jovem que vive num campo de refugiados na Palestina e aprende sobre a história da sua família através de relatos contados por três gerações anteriores de refugiados. O realizador, assim como o director de arte, Rui Tenreiro, vão estar presentes.

Nesta secção, vão competir ainda o filme de marionetas This Magnificent Cake!, com a África colonial do final do século XIX como pano de fundo; a longa brasileira Tito e os Pássaros sobre um menino que salva o mundo de uma epidemia contraída pelo medo; e Dilili a Paris, de Michel Ocelot, realizador francês que assinou filmes como o premiadíssimo Kirikou e a Feiticeira (1998) e que também estará presente para apresentar a sua mais recente obra. 

Finalmente (e depois de terem sido exibidos os primeiros 25 minutos do filme na edição passada, na altura ainda em pós-produção), Captain Morten and the Spider Queen, de Kaspar Jancis, fará também parte da programação, em estreia nacional.

Retrospectivas

Retrospectivas

Estão programadas retrospectivas dos escritores e realizadores de animação belgas Stéphane Aubier e Vincent Patar; do renomado Raoul Servais; e dos estúdios Film Bilder, fundados em 1989 pelo realizador e produtor de animação Thomas Meyer-Hermann, que contam com um grande portefólio de curtas-metragens, vídeos musicais, séries televisivas e longas-metragens.

Além disso, haverá uma retrospectiva especial, dedicada ao cinema de animação japonês, onde será feita homenagem ao realizador Satoshi Kon, que morreu aos 46 anos em 2010. Vão ser exibidas quatro longas-metragens, produzidas entre 1997 e 2006, incluindo Perfect Blue (1997), Padrinhos de Tóquio (2003) e Paprika (2006).

Numa outra homenagem, neste caso à BD no cinema de animação, vão ser também exibidas cinco longas inspiradas nas histórias do marinheiro Corto Maltese e o filme Tintim e os Prisioneiros do Sol, uma obra de 1969 que comemora agora 50 anos desde a sua estreia.

Publicidade
Secções especiais

Secções especiais

A Monstra 2019 apresenta ainda filmes nas secções Históricos, DokAnim (filmes de animação, representados por duas longas e uma retrospectiva do festival alemão Dok Leipzig), TerrorAnim (filmes de animação de terror), Monstra Triple X (selecção de filmes sensuais para maiores de 18 anos) e Cinema Experimental.

Na secção de filmes Históricos destaca-se, por exemplo, Terkel in Trouble (2004), uma comédia sobre amor secreto, um assassino psicótico, barras de ferro, canapés e uma amizade posta à prova. Entre outros, também poderá ver Sonho de uma Noite de Verão, filme de marionetas inspirado na peça clássica de Shakespeare, ou Mil e Uma Noites (1974), onde o realizador checo Zeman conta, em sete episódios que junta numa longa, a história de Sindbad na terra dos gigantes.

Para fãs de terror, recomenda-se, de olhos fechados e com uma perna às costas, as longas e curtas de Pedro Rivero e Albert Vázquez, exibidas na secção TerrorAnim, como A Crise Carnívora (2007) e Sangue de Unicórnio (2013).

Por fim, destaca-se também o alinhamento da secção mais sensual da Monstra, que vai exibir seis curtas-metragens, entre as quais a americana Sexo no Telhado (2002) e a Sobremesa (2014) checa.

Masterclasses e workshops
Caroline Leaf

Masterclasses e workshops

Outra das propostas do certame são as actividades de formação, como masterclasses, talks e workshops. Destaca-se a masterclass de Paul Wenninger, a 25 de Março, sobre como a coreografia o levou até à animação; a talk com um dos fundadores dos estúdios Aardman, Peter Lord, a 30 de Março; ou um workshop com Caroline Leaf, onde durante três dias os participantes trabalharão a pares para criar as suas próprias curtas-metragens animadas, utilizando a técnica de pintura sobre vidro para criar animações.

Publicidade
Monstrinha
Leo Da Vinci

Monstrinha

Na Monstrinha, um dos grandes destaques do ano é a ante-estreia de The Queen's Corgi, um filme de aventuras, cujo protagonista é o cão de estimação da Rainha de Inglaterra. O realizador Ben Stassen estará em Lisboa a apresentar a longa, que estreará nas salas de cinema portuguesas depois do festival, a 4 de Abril. Mas vão haver muitos mais filmes para miúdos e graúdos. Destaca-se, por exemplo, uma homenagem ao famoso Mickey Mouse, na Cinemateca Júnior, um novo espaço nesta edição do festival; a exibição do filme italiano Leo da Vinci, homenagem – com uma abordagem para toda a família  às invenções e descobertas de Leonardo Da Vinci, no ano em que se celebram 500 anos sobre o seu falecimento; as sessões da Baby Monstra, de entrada livre para crianças até aos três anos; e ainda workshops de animação para pais e filhos.

Exposições e Música

Música, poesia e animação ao vivo

Música, poesia e animação ao vivo

Em foco estará também a música, com a presença confirmada do músico Pierre Kwenders, canadiano nascido no Congo. O concerto, a decorrer dia 23, pelas 23.00, no Cinema São Jorge, contará ainda com animação ao vivo pelo ilustrador António Jorge Gonçalves.

Antes, no dia 22, pelas 19.00, As Quatro Estações de Vivaldi serão tocadas ao vivo na Escola Superior de Música de Lisboa, enquanto alunos de animação executam um software de sincronização de imagem e música.

Na secção JazzAnim, programa a decorrer no Hot Clube de Portugal, várias curtas vão ser musicadas ao vivo pelos alunos desta escola. O colectivo Lisbon Poetry Orchestra também vai estar na Monstra para um concerto de música com poesia e cinema de animação com filmes exclusivos de alunos da Escola Superior de Artes e Design, das Caldas da Rainha. Vai realizar-se ainda um concerto de scratch digital, com um animador a desenhar ao vivo sobre película.

  • Arte
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

A exposição Traços de Luz, em parceria com a Sociedade Nacional de Belas Artes, divide-se em quatro mostras independentes: 25 Anos de Animação de Abi Feijó e Regina Pessoa; Os 4 Estados Da Matéria, de Miguel Pires de Matos; duas instalações de homenagem a Norman McLaren nos 80 anos do ONF (Office National du Film du Canada); e Scratch Triptyque, uma instalação de animação sobre película, do canadiano Pierre Hébert.

A exposição dedicada aos 25 anos de animação conjunta dos realizadores Regina Pessoa e Abi Feijó estará dividida por três espaços. O primeiro dedicado à Casa Vilar, onde os animadores têm um museu dedicado ao pré-cinema, aos seus projectos e à animação internacional. O segundo espaço está reservado ao trabalho de Abi Feijó e o terceiro à produção de Regina Pessoa. Todas as obras são originais, excluindo uma impressão de “Clandestino”, a partir de fotografias dos seus negativos.

 

Publicidade
  • Filmes
  • Avenida da Liberdade

No Cinema São Jorge, as exposições patentes são dedicadas aos 30 anos do estúdio Film Bilder, fundado em 1989 pelo realizador e produtor de animação Thomas Meyer-Hermann; e a Norman Mclaren, fundador do estúdio NFB, que conseguiu dar à animação canadiana uma visão e direcção que ainda hoje se mantém, muito tempo depois de ter sido contratado por John Grierson, em 1941. “Para Norman Mclaren, o homem de quem falamos, o mais importante no cinema de animação não é o que se vê em cada imagem, mas antes o que se passa entre cada imagem, o invisível”, afirma Fernando Galrito, director artístico da Monstra.

  • Filmes
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Numa parceria com a Monstra, a Cinemateca Portuguesa apresenta uma compilação de algumas imagens de filmes de animação do arquivo da Cinemateca do Quebec e irá exibir filmes de três grandes mestres da animação mundial – Jiří Trnka, Karel Zeman e Raoul Servais – e um documentário de tributo a um destes cineastas.

Mais filmes

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade