Sete filmes de Ryan Gosling

Estreia hoje "Música a Música", novo filme de Terrence Malick, que tem Ryan Gosling como um dos protagonistas, num enredo que aborda a cena musical de Austin, Texas. Desculpa perfeita para recuperar sete filmes de Ryan Gosling
Song to song
Por Miguel Branco |
Publicidade

Calma, meninas. Dispensa-se a histeria. Até porque ainda que estejamos no território cinematográfico, há música para todos, para ser escutada, portanto. Música a Música, novo filme de Terrence Malick parte da cena musical, em particular do festival South by Southwest (SXSW), para criar uma história de amor feita por música, com banda sonora adequada. 

Dois casais que gostam tanto de música como de sexo. Faye (Rooney Mara) e BV (Ryan Gosling), bem como Cook (Michael Fassbender) e Rhonda (Natalie Portman), cruzam-se, traem-se e fazem trinta por uma linha, ou trinta por uma pauta, neste caso. Num filme com uma componente musical enorme, que também vale por isso, há lugar para pequenas aparições de Patti Smith, Iggy Pop, The Black Lips, Flea, Chad Smith, entre tantos outros. 

 

Sete filmes de Ryan Gosling

Só Tu e Eu (2010)

Ignoremos o pobre e infeliz título do filme em português, Blue Valentine tem bem mais pinta. Já a fita de Derek Cianfrance a ter pinta é na arte do sofrimento. Estamos perante Dean (Ryan Gosling) e Cindy (Michelle Williams), um casal em ruínas mas por quem torcemos, já que nos demonstram toda a sua história, a altura em que se conheceram, os primeiros passos, tudo. Alguns anos depois, a realidade é outra. E a memória, a positiva, é um lugar bem mais cómodo. Michelle Williams seria nomeada para o Óscar de Melhor Actriz com esta interpretação. 

Drive (2011)

Está sempre tudo bem até o amor começar a misturar, perigosamente, aquilo que devia ser inalterável. Assim é com um condutor brilhante (Ryan Gosling), que além de duplo de cinema e mecânico, faz serviços a qualquer criminoso que precise de se safar rapidamente. O combinado é que o condutor dá cinco minutos ao seu cliente a partir do momento em que chegam ao local, e nesses cinco minutos não o abandona. Depois é cada um por si. Pelo menos até se apaixonar pela vizinha Irene (Carey Mulligan). Uma das melhores interpretações de Gosling, num filme onde tem muito poucas falas, e que é a sua primeira colaboração com o realizador dinamarquês Nicolas Winding Refn. 

Publicidade

Nos Idos de Março (2011)

Os corredores do poder e do jogo sujo da política norte-americana pela lente de George Clooney, que também interpreta Mike Morris, candidato democrata à presidência dos EUA. Um dos managers da sua campanha é Stephen Meyers (Gosling), um jovem ambicioso que se deixa envolver nas redes da manipulação e cuja lealdade dança como se a noite nunca fosse acabar. Um dia acaba. E o mundo desaba. Dos poucos filmes onde Gosling não canta nem toca piano. Quase lhe conseguimos imaginar uma carreira em Washington D.C. 

Só Deus Perdoa (2013)

Estamos perante um filme estranho, isso certamente. Mas também esses têm direito à vida. Julian (Gosling) é um expatriado norte-americano que gere um clube de muay thai em Banguecoque. Bom, é sobretudo uma farsa para traficar droga. E isso, por norma, quer na vida real, quer nos filmes, traz problemas. Quando o seu irmão mais velho viola e mata uma prostituta menor a coisa azeda. E como se calcula, os justiceiros na Tailândia não são propriamente afáveis.

Publicidade

A Queda de Wall Street (2015)

Christian Bale, Steve Carell, Brad Pitt, Mellissa Leo, Ryan Gosling. Respire. Mas que este elenco é dos fortes, lá isso é certamente. Gosling é Jared Vennett, uma das mentes por detrás da crise financeira nos EUA de 2007-2008, que partiu do caos no mercado imobiliário. Baseado em factos reais, o filme de Adam McKay, dos melhores filmes de 2016, mostra os bastidores de uma das maiores fraudes de sempre. 

Bons Rapazes (2016)

Regressamos à comédia à boleia de Ryan Gosling, que neste caso conta com a preciosa ajuda de Russell Crowe. O primeiro é Holland March, uma espécie de investigador privado com pouco jeitinho para a função. O segundo é um brutamontes que bate em pessoas para obter informações. Juntos têm como missão procurar uma jovem desaparecida e acabam no meio de um enredo de prostituição, festas, perigo, portanto.

Publicidade

La La Land: Melodia de Amor (2016)

O que dizer deste filme? Ganhou uma porrada de prémios, é um musical de Damien Chazelle e mete Emma Stone e Ryan Gosling. Bom, podemos dizer isto ou podemos dizer que um solo improvisado de piano pode conquistar qualquer coração. Assim foi com Mia Dolan (Stone), quando viu Sebastian Wilder (Gosling) a fazê-lo no clube de jazz onde trabalhava. Ele foi despedido nesse dia e Mia, aspirante a actriz, é corrida de um casting em menos de um minuto. Resta salvarem-se, mutuamente, pelo amor.

Os melhores filmes de...

Cinemas

Tom Hanks

Uma dezena de filmes com Tom Hanks, que, em conjunto, ilustram as qualidades deste actor com enorme apelo popular, à-vontade na comédia como no o drama e que se tem passeado por muitos géneros e por obras de dimensões muito díspares.

Meryl Streep nos Globos de Ouro 2017
©Image Group LA/HFPA
Filmes

Meryl Streep

Faça lá as contas: 80 papéis, 19 nomeações aos Óscares, 3 vitórias. Se isto não merece um prémio de carreira, então não sabemos o que merece. A 74ª edição dos Globos de Ouro distinguiu Meryl Streep, de 67 anos, com o prémio Cecil B. DeMille. Enquanto o discurso da actriz norte-americana se tornou viral, nós fomos à procura dos seus 10 melhores filmes.  

Publicidade
Filmes

Natalie Portman

Ver os melhores filmes de Natalie Portman é como uma viagem no tempo através da vida da actriz nomeada para o Óscar pelo desempenho em Jackie. Começamos na sua estreia, com apenas 12 anos, no papel de uma criança que quer ser uma assassina, e viajamos através dos seus 22 anos de carreira. Desde a adolescente problemática de uma pequena cidade à lenda de filmes de acção. Ah, e algures pelo meio ainda estudou em Harvard. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com