Os melhores hotéis para dormir em São Miguel

Há para todos os gostos e para todos os tipos de visitantes: hostels, resorts de luxo e até casas de campo. Saiba onde ficar em São Miguel, nos Açores.
white exclusive suites & villas
©Paulo Goulart Photography
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

O dia de um aventureiro pode ser difícil, sobretudo quando tem de ir à descoberta da maior ilha do arquipélago dos Açores (e a maior de todas as ilhas portuguesas, com 64,7 quilómetros de comprimento e de 8 a 15 quilómetros de largura), mas sabemos onde pode descansar as pernas, as costas e a cabeça depois de um dia de caminhadas. Foi por isso que escolhemos oito sítios em São Miguel onde, com toda a certeza, vai querer pernoitar. São eles: resorts, hostels, casas no centro ou casas de campo de onde não vai querer sair.

Recomendado: As melhores coisas para fazer em São Miguel

Os melhores sítios para ficar em São Miguel

1
Pico do Refúgio
©DR
Hotéis, Hotéis de charme

Pico do Refúgio

Esta quinta na costa norte de São Miguel já foi muitas coisas: um forte de milícias, uma quinta de laranjais e uma fábrica de chá. Mas é o seu passado como casa da escultora Luísa Constantina que está mais presente. Nestas casas de campo há residências artísticas e por lá já passou, por exemplo, o músico Thurston Moore, dos Sonic Youth. A quinta é um dos ex-líbris do turismo açoriano e oferece alojamento em duas tipologias: apartamentos ou lofts.

2
La Maison
Hotéis

La Maison

Há janelas rasgadas de uma ponta à outra da parede, estruturas modulares a formarem a sala, a cozinha, a zona de refeição e quatro quartos (onde cabem oito pessoas), todos com acesso directo à piscina. A cor não podia ser outra, o branco, e o ornamento exterior é inexistente, daí a referência à escola criada por Ludwig Mies van der Rohe, Walter Gropius e restante cambada modernista. A decoração é simples, com peças de madeira em destaque, assim como o macramé de Diana Cunha, da Oficina 166. No exterior, há um escorrega para crianças (ou adultos maneirinhos) e um fire pit (uma lareira, diria Camões) onde pode passar horas à conversa, sobretudo ao anoitecer. Faltou apenas dizer o melhor: além de ter uma piscina aquecida, a La Maison está a cinco minutos da praia.

Publicidade
3
The Nook Hostel
©DR
Hotéis, Albergues

The Nook Hostel

O The Nook é um hostel moderno, funcional e bem decorado – queríamos usar a palavra “mimoso”, mas parámos a tempo. Fica no edifício mais azul do centro histórico de Ponta Delgada, tem quartos duplos com WC partilhado ou as mais económicas camaratas onde pode escutar o ressonar de pessoas dos quatro cantos do mundo. Inclui ainda as essenciais áreas comuns – cozinha e sala – para a conversa do costume: “De onde és? Em que parte da ilha estiveste”?

4
Santa Barbara Resort
©DR
Hotéis, Hotéis de luxo

Santa Barbara Eco-Beach Resort

Está à beira da maior praia de areia da ilha, a de Santa Bárbara, e ainda tem uma piscina virada para o mar com espreguiçadeiras submersas (leu bem!). O Santa Bárbara Eco-Beach Resort é um dos mais recentes e luxuosos hotéis dos Açores (quatro estrelas) com 14 villas: sete T1 e sete T2 — alguns deles com piscina privativa à qual se acede a partir do quarto.

Publicidade
5
Villa Várzea
©DR
Hotéis, Hotéis de charme

Villa Várzea

Esta casa de campo fica na costa oeste da ilha de São Miguel, junto às termas da Ferraria e a meio caminho da Lagoa das Sete Cidades, numa aldeia pacata e longe do circuito turístico mais convencional. Sossego é o que não vai faltar nesta mansão rodeada de palmeiras que parece saída de um filme de época. Tem quatro quartos e aloja no máximo oito pessoas. A cozinha e o salão são áreas partilhadas.

6
white exclusive suites & villas
©Paulo Goulart Photography
Hotéis

White Exclusive Suites & Villas

Verdade seja dita: não há quaisquer fotos que façam justiça ao White Exclusive Suites & Villas. Constatamos isso mal entramos neste novo hotel da ilha de São Miguel. A porta abre-se para nos receber e a primeira coisa que salta à vista é o mar. Umas portas largas em vidro, numa parede de pedra antiga, são o cartão de boas-vindas. De tal forma que nem fazemos o check-in. Pousamos as malas para seguir o caminho do mar e descobrimos então um terraço de suspirar: uma piscina que parece abraçar o Atlântico, espreguiçadeiras e mais sofás. Há nove suites e uma villa, que tem um terraço próprio com um jacuzzi, também ele em cima do mar.

Publicidade
7
casa dos barcos
©DR
Hotéis, Hotéis de charme

Casa dos Barcos

Há muitos sítios belos e misteriosos perto da Lagoa das Furnas mas a costa oeste é uma das mais intrigantes. Está lá a Ermida da Senhora das Virtudes, a Mata José do Canto e esta Casa dos Barcos, um edifício de arquitectura nórdica do século XIX, antigo pavilhão dos barcos da família do aristocrata José do Canto. Os preços vão dos 300€ por noite (6 pessoas) aos 120€, dependendo da altura do ano.

8
casa grande
©DR
Hotéis, Apartamentos para alugar

Casa Grande

Ficar na casa mais bonita das Sete Cidades, junto a uma das lagoas mais bonitas dos Açores não tem preço. Ou tem? A Casa Grande, construída em 1853, tem cinco quartos, quatro casas de banho e acolhe até 10 hóspedes. Um palácio que pode ser seu por 300€ por noite, com uma particularidade: a casa só é alugada por um mínimo de sete noites. Junte a família e amigos e seja rei por uma semana. Procure “Casa Grande” no Airbnb. 

Mais escapadinhas na calha

São Lourenço do Barrocal - Vista Exterior
©Nelson Garrido
Hotéis

Os melhores hotéis no Alentejo para uma escapadinha

Se juntarmos o baixo e o alto, a lembrar um famoso anúncio de detergentes, criamos a maior região portuguesa. Com uma gastronomia rica e paisagens tão variadas como a costa marítima, as planícies ou os vales profundos, o Alentejo já foi conhecido como o celeiro de Portugal. Agora, se separarmos o trigo do joio, é um dos melhores destinos para se passar umas férias desligadas de tudo e todos. De hotéis de cinco estrelas desenhados por gente que guarda um Pritzker em casa, a turismos rurais que nos fazem querer trocar a cidade pelo campo para sempre, são dez as sugestões de sítios onde pode ficar a dormir. Estes são os melhores hotéis no Alentejo para uma escapadinha.

Quinta da Alorna
©DR
Coisas para fazer

Enoturismo: 13 coisas para fazer em Lisboa

Com uma área demarcada que se estende de Colares à Lourinhã, a região de Lisboa produz os mais variados vinhos, fruto dos diferentes tipos de clima, solos e castas. Fortemente influenciada pelo Atlântico, esta zona que se estende por 40 quilómetros foi delineada em 1993 como Extremadura, ganhando, mais tarde, o nome de Vinho Regional de Lisboa e é actualmente formada por nove denominações de origem. São elas: Colares, Carcavelos, Bucelas, Arruda, Torres Vedras, Alenquer, Lourinhã, Óbidos e Encostas d'Aire. Sugerimos uma viagem pelos enoturismos da região, sem esquecer três experiências ligadas ao vinho: onde beber vinhos naturais em Lisboa, dormir num hotel da zona Oeste e folhear o recém-lançado Guia de Enoturismo
 de Torres Vedras
 e Alenquer (as duas cidades “Cidade do Vinho 2018”). 

Publicidade
Hotéis

Seis escapadinhas no interior de Portugal

Passeios pelas serras, trilhos para seguir (ou por descobrir), doses individuais servidas para saciar uma família de quatro pessoas e até praias fluviais para quem não consegue viver sem água, há de tudo na faixa do território nacional que mais se encosta a Espanha. Sugerimos seis escapadinhas que passam por Viseu, Travancinha, Portalegre, Vouzela, Sabugueiro e Elvas, entre turismos rurais, hotéis de charme, pousadas seculares ou casas no meio do nada. 

Publicidade