1 Gostar
Guardar

As melhores chamuças de Lisboa

Não é uma escolha pacífica, mas arriscámos listar as nossas cinco chamuças preferidas de Lisboa.

Fotografia: Arlindo Camacho

De todos os pastéis que o mundo inventou, nenhum viajou tão bem como a chamuça. Em Lisboa, a variedade é grande e isso faz com que já não precise de recorrer àqueles triângulos amolecidos e oleosos de snack bar.

Um dos responsáveis por esse fenómeno é Jesus Lee, o homem do restaurante Jesus é Goês (Rua de São José, 23, à Avenida da Liberdade). Quando não está a inventar pratos com malagueta, o cozinheiro asiático mais cool de Lisboa está a pensar no que meter dentro de cinco centímetros de massa quebrada juntamente com malagueta. Há umas semanas, experimentou umas chamuças de sardinha e diz que “foram as melhores de sempre”. Infelizmente, não ficaram na carta. “Só a trabalheira de tirar as espinhas…”. O que está na carta são as chamuças de camarão (2,20€), com o bicho rijo envolto numa pasta de alho, malagueta, gengibre e coentros frescos.

Ainda de entre as menos convencionais, é obrigatório provar a de tâmara e castanha de caju (2,50€), do Tentações de Goa (Rua de São Pedro Mártir, 23, ali ao lado do Martim Moniz), o restaurante de Maria dos Anjos, um dos étnicos mais consistentes de Lisboa. A massa é a mesma das de carne – também altamente recomendável –, do tipo duro e estaladiço, mas neste caso polvilhada com canela.

Para quem só gosta das de carne, as do Caxemira (Rua Condes de Monsanto, 4, 1º Dto., à Praça da Figueira) continuam a ser difíceis de bater. É verdade que tem de enfrentar um serviço sisudo e filas de gente, mas conta para aqui o seguinte: o interior é húmido e picante, a carne tem a gordura e a cebola certas, com um leve toque cítrico, e a capa estilhaça-se na boca como vidro (1€).

Ainda no campeonato da carne, a escolha da chamuça do Everest Montanha (Avenida do Brasil, 130, em Alvalade), que se assume como nepalês, é polémica. As chamuças dos nepaleses tendem a ser de frango e secas e sensaboronas. As do Everest Montanha (1,50€) são só ligeiramente melhores do que isto. Mas se há chamuça que foi feita para levar molhos é esta. Gorda, massa dura, fica excelente com iogurte e menta.  

A chamuça mais recente da cidade é a da Costa do Malabar (R. Rosa Damasceno, 6), o novo indiano da Alameda, que serve comida da costa sudoeste do país. As chamuças de carne têm um forte aroma a anis (2,90€) e mil especiarias e isso é bom.

Dito isto, lamenta-se que não se tenha ainda encontrado na cidade uma boa chamuça aloo, as mais tradicionais na Índia, com recheio de batata, ervilhas, cominhos, coentros e assafétida. Se souber de alguma, apite. 

Comentários

5 comments
Samantha E
Samantha E

Umas boas chamuças de legumes existem no restaurante Nepales ao lado do CNAI que são muito boas. Já provei e recomendo!

José F
José F

Falta a do India Gate, mas pronto. O que queria vir aqui fazer era dizer que aprecio bastante algumas chamuças de snack bar que o jornalista descreve como "triângulos amolecidos e oleosos". Experimente as do Pirata, ali nos Restauradores.

Rish P
Rish P

Conheço uma pessoa que faz umas chamuças de vegetais divinais. Do melhor que há.

João S
João S

Que artigo pouco sério. Serão as cinco melhores chamuças de Lisboa ou as cinco únicas chamuças que o jornaleiro provou ultimamente? Inclino-me mais para a última hipótese. Fazer um artigo destes sem incluir Zuari ou Cantinho da Paz, só para dar dois exemplos, prova que este Felner sabe tanto de chamuças como eu de alemão. Auswiederschein!

Marta B
Marta B

Nunca provaram a chamuça da cervetoria. Não é só a melhor de Lisboa, é a melhor de todos os sítios onde já comi chamuças. Feitas na hora, corram que elas esgotam!