Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right As melhores chamuças em Lisboa

As melhores chamuças em Lisboa

Não é uma escolha pacífica, mas arriscámos listar as nossas seis chamuças preferidas em Lisboa.

Chamuças
Fotografia: Arlindo Camacho
Por Ricardo Dias Felner e Raquel Dias da Silva |
Publicidade

De todos os pastéis que o mundo inventou, nenhum viajou tão bem como a chamuça. Esta especialidade indiana chegou a Portugal através da culinária indo-portuguesa de Goa, Damão e Diu, outrora parte do Estado Português da Índia. Em Lisboa, a variedade é grande: não se atreva a aproximar-se dos triângulos amolecidos e oleosos de snack bar (que, bem sabemos, podem safar em alturas de grande larica). Procure pelas boas versões de carne picada (sobretudo de bovino e suíno), vegetarianas, frango e (não encontrámos mas pode ser que tenha mais sorte) aloo. Estas últimas são as chamuças mais tradicionais na Índia, com recheio de batata, ervilhas, cominhos, coentros e assafétida, uma planta muito utilizada não só na culinária indiana, como na afegã, paquistanesa e iraniana. Se encontrar, mande a morada.

Recomendado: Como comer picante como um indiano

As melhores chamuças em Lisboa

Jesus é Goes
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Indiano

Jesus é Goês

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Quando não está a inventar pratos com malagueta, o cozinheiro asiático mais cool de Lisboa, Jesus Lee (que jura a pés juntos que Jesus é Goês) está a pensar no que meter dentro de cinco centímetros de massa quebrada juntamente com malagueta. O que está na carta são as chamuças de camarão (2,40€), com o bicho rijo envolto numa pasta de alho, malagueta, gengibre e coentros frescos e as provadas e aprovadas de carne (1,90€), as mais clássicas.

Tentações de Goa
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Indiano

Tentações de Goa

icon-location-pin Castelo de São Jorge

A cozinha goesa é um caso à parte, dentro da cozinha indiana, por causa da influência portuguesa: Lisboa é uma cidade privilegiada, por ter acolhido comunidades de ascendência goesa, quer da Índia, quer vindas de Moçambique. Mas dentro da cozinha indo-portuguesa servida em Lisboa, há outro caso à parte: o Tentações de Goa. O restaurante de Maria dos Anjos é um dos étnicos mais consistentes de Lisboa. A massa das chamuças – de carne (1,50) ou camarão (1,80) –  é altamente recomendável, do tipo duro e estaladiço.

A Time Out diz
Publicidade
Caxemira - Sala
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Indiano

Caxemira

icon-location-pin Santa Maria Maior

Tem das melhores e mais bem recheadas chamuças de Lisboa e, para quem só gosta das de carne (neste caso de frango), as do Caxemira continuam a ser difíceis de bater. É verdade que tem de enfrentar um serviço sisudo e filas de gente, mas conta o seguinte: o interior é húmido e picante, a carne tem a gordura e a cebola certas, com um leve toque cítrico, e a capa estilhaça-se na boca como vidro (1,20€). 

Everest Montanha - Sala
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Nepalês

Everest Montanha

icon-location-pin Alvalade

A comida do Nepal, que faz fronteira a norte com a Índia, é muito semelhante à indiana. Mas, ainda no campeonato da carne, a escolha da chamuça do Everest Montanha, que se assume como nepalês, é polémica. As chamuças dos nepaleses tendem a ser de frango e secas e sensaboronas. As do Everest (1,50€) – de frango ou vegetais (batata, couve-flor, beringela e farinha de grão) – são só ligeiramente melhores. Mas se há chamuça que foi feita para levar molhos é esta. Gorda, massa dura, fica excelente com iogurte e menta.  

A Time Out diz
Publicidade
costa do malabar
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Costa do Malabar

icon-location-pin Lisboa

Costa do Malabar, na Alameda, serve comida da costa sudoeste do país, sobretudo da região de Kerala, mas também das de Tamil Nadu, Andhra Pradesh, Karnataka e Telangana. Diz-se que a culinária do Malabar é rica em propriedades medicinais, documentadas até em livro: o Hortus Malabaricus, publicado no século XVII, é uma espécie de glossário medicinal e, apesar da autoria holandesa, contou com o contributo de portugueses, como Garcia de Orta. Há chamuças de vegetais (1,25) ou de carne com cebola (1,50).

A Time Out diz
O Cantinho do Aziz
Inês Félix
Restaurantes, Pan-africano

Cantinho do Aziz

icon-location-pin Castelo de São Jorge

As mesas têm nomes de cidades como Angoche, Nampula ou Nacala, as toalhas de mesa são feitas de capulana e entre as especialidades estão muamba de galinha, caril de caranguejo e chacuti de cabrito. No moçambicano Cantinho do Aziz a entrada pode e deve fazer-se com as boas chamuças estaladiças da casa. Há de carne, vegetais ou frango (2€), todas molhadinhas por dentro e bem recheadas. Se for dos corajosos, pode e deve pedir o picante da casa e mergulhá-las lá.

Seja indiano em Lisboa

Taberna Macau
©Inês Félix
Restaurantes, Asiático contemporâneo

Tudo o que pode comer no novo Mercado Oriental no Martim Moniz

Se Alvalade é um bairro a ter em conta sempre que falamos do melhor da cidade, também o mercado é uma paragem obrigatória quando compras é o que quer fazer. Nesta lista, também encontra uma banca de especiarias liderada por Sadik Ahmad Mahomed, que tem sempre aquele ingrediente estranho de que só ouviu falar nos programas de culinária. Há ainda ervas aromáticas e fruta fresca, misturas de caril e uns óptimos snacks indianos.

chutnify
©Francisco Santos
Restaurantes, Indiano

Os melhores restaurantes indianos em Lisboa

Uma das primeiras referências dos portugueses no que respeita à cozinha étnica foram os restaurantes indianos. E não há como os contornar. Nos restaurantes desta lista não faltam chamuças, caris ou pães naan quentinhos. Cada um com as suas especialidades, um mais moderno e perito em fazer dosas (que são uns crepes gigantes); outros mais clássicos e prontos para darem aos comensais o que querem. Não tenha medo e prepare as papilas gustativas para ver se aguentam esta viagem pelos melhores restaurantes indianos em Lisboa. 

Publicidade
Especiarias e vegetais que se encontram na Mouraria
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores sítios para comprar ingredientes insólitos no Martim Moniz

O Martim Moniz está para a comida asiática como a Mealhada para o leitão. Acabou-se o sal negro lá em casa? A receita leva um rebento de bambu? Precisa de ceboleto fresco? Não deve conseguir pedir esses ingredientes ao vizinho de cima, à boa maneira antiga, mas basta ir até ao Martim Moniz, qual mercearia global, para encontrar os ingredientes mais estranhos e deliciosos (e até umas sobremesas que safam rápido, como os mochis). Para impressionar os amigos com uma jantarada asiática à maneira, pegue no saco de pano, faça uma lista de compras e prepare o telemóvel para googlar aquele ingrediente com uma forma estranha. Fomos às compras à praça mais global e dizemos-lhe quais os melhores sítios para desde frescos a especiarias no Martim Moniz, incluindo a Popat Store, uma loja de produtos indianos.

Publicidade