Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right As receitas de Natal da família Time Out
O Antunes - Rabanada
Fotografia de Marco Duarte A rabanada d'O Antunes

As receitas de Natal da família Time Out

Mantenha as tradições e ponha as mãos na massa. Estas receitas de Natal vieram dos livros antigos das nossas famílias.

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Pode estar tudo diferente, é verdade, mas esta quadra tem tradições que ainda conseguimos preservar. Uma delas é seguir direitinho para a cozinha no dia 24 logo pela fresca, meter a coluna no máximo com os clássicos natalinos, e deitar mãos à obra. Pode não ter a família toda de volta dos tachos (menos riscos e menos confusão, sejamos sinceros), mas pode honrá-los indo aos livros de receitas antigos e seguindo as instruções para os bilharacos, as rabanadas, os fritos flor e até a roupa velha – no final ligue-se em videochamada para mostrar o resultado. Aqui na Time Out metemos toda a equipa a vasculhar os livros de receitas de família para descobrir os pratos mais tradicionais da quadra. Partilhamos tudo com os nossos leitores.

Recomendado: Restaurantes a aceitar encomendas de Natal

Aletria

Mãe da Ana Patrícia Silva

Ingredientes
* 1 litro leite
* 250 gramas aletria
* 2 paus canela
* 1 casca limão
* Açúcar a gosto

Modo de preparação
Pôr o leite ao lume com a casca de limão e os paus de canela. Quando começar a ferver, acrescentar o açúcar e a aletria. Deixar cozer para apurar os sabores – se a aletria começar a ficar seca, acrescentar mais leite. Vai-se provando até ficar com o gostinho certo, só assim se sabe quando fica pronto. Tirar a casca de limão e os paus de canela antes de empratar. Polvilhar com canela em pó e servir (quente ou fria).

Roupa velha

Mãe da Ana Patrícia Silva

Ingredientes
* Bacalhau, batata e couve (tudo cozido na noite anterior)
* Azeite
* Cebola
* Alho
* Sal e especiarias (pimenta, noz moscada, cominhos)

Modo de preparação
É um prato para aproveitar as sobras da noite de Natal. No Minho, é comido no almoço de 25 de Dezembro, antes do prato principal (cabrito). Primeiro desfaz-se o bacalhau em lascas e tira-se as espinhas, corta-se as batatas e as couves em pedaços. Leva-se ao lume o azeite, a cebola às rodelas e o alho picado. Quando as cebolas começarem a amolecer, acrescentar as sobras e os temperos (sal, pimenta, noz moscada e cominhos, a gosto). Deixar aquecer em lume brando com a caçarola tapada e ir mexendo de vez em quando. Em menos de 15 minutos fica pronto.

Publicidade

Mexidos

Mãe da Ana Patrícia Silva

Ingredientes
1,5 l de água
1 colher de sopa de manteiga
1 cálice de vinho do Porto
Casca de um limão
Pau de canela
2,5 dl de mel
1 chávena de açúcar
Frutos secos: pinhões, nozes, uvas passas, amêndoas (cerca de 40 g de cada)
250 g de pão

Modo de preparação
Demolhar as passas e os frutos secos em água durante algumas horas, para incharem. Num litro e meio de água deitar a manteiga, o cálice de vinho do Porto, a casca de um limão, o pau de canela, o mel, uma chávena de açúcar e uma pitada de sal. Levar ao lume e deixar ferver durante 15 minutos. Juntar os pinhões, nozes, passas e amêndoas e deixar cozer mais 15 minutos. Esfarrapar o pão velho, juntar à panela e deixar cozer mais um pouco. É importante mexer a mistura de vez em quando, para não fazer grumos. Empratar, polvilhar com canela e comer.

Bilharacos

Avó Arminda da Renata Lima Lobo

Ingredientes
1 kg de abóbora menina
2 a 3 ovos inteiros
200 g de açúcar
100 g de farinha
Raspa de limão
Meio cálice de aguardente ou vinho do Porto
Canela em pó

Modo de preparação
Leva-se a abóbora a cozer com um pouco de sal. Depois de cozida, escorre-se a água para um pano ou saco de pão e pendura-se na torneira da cozinha. Durante 24 horas vai-se espremendo a abóbora de forma a tirar todo o excesso de água. Em seguida, juntam-se os ovos, a farinha, o vinho do Porto ou aguardente e o açúcar, até ficar uma massa com a consistência dos bolinhos de bacalhau. Fritam-se em óleo muito quente, cuja temperatura se pode testar com um bocadinho de massa que não deverá ficar ensopada em óleo. Depois de fritos, põem-se a escorrer em papel absorvente. Por fim, colocam-se numa travessa e pulverizam-se com canela e açúcar.

Publicidade

Rabanadas

Avó Lourdes da Vera Moura

Ingredientes
0,5 dl de leite
1 casca de limão
Canela em pó q.b.
1 colher de sopa de manteiga
3 colheres de sopa de açúcar
3 ovos
Óleo para fritar
Pão fatiado (não deve ser do dia)

Calda
6 colheres de sopa de água
3 colheres de sopa de açúcar
2 cálices de vinho do Porto
1 cálice de aguardente

Modo de preparação
Ferve-se o leite com a casca de limão e junta-se a canela, a manteiga e o açúcar. Batem-se os ovos. Depois de pôr o óleo a aquecer, molham-se as fatias de pão na mistura de leite e depois passam-se pelos ovos batidos. Depois de fritar, secam-se em papel pardo e polvilham-se com açúcar e canela. No final, colocar as fatias na calda.

Biscoitos de aguardente

Avô Horta da Inês Garcia

Ingredientes
2 ovos
4 colheres de sopa de aguardente
4 colheres de sopa de leite
4 colheres de sopa de azeite fervido
4 colheres de sopa de açúcar
2 colheres de sopa de fermento
0,5 kg de farinha

Modo de preparação
Amassar tudo muito bem e deixar a massa repousar cerca de 15 minutos. Tender a massa e fazer um feitio a gosto. Fritar em óleo muito quente e polvilhar com açúcar e canela.

Publicidade

Fatias douradas em vinho

Avó Elisa da Cláudia Lima Carvalho

Ingredientes
50 cl de vinho tinto
2 colheres de açúcar
Um pau de canela
10 fatias grossas de pão
2 ovos

Modo de preparação
Numa panela, levar ao lume meio litro de vinho tinto com duas colheres de açúcar e um pau de canela. Verter para um prato para mergulhar as fatias de pão cortadas. Passar depois o pão por dois ovos batidos. Fritar em óleo.

Fritos Flor

Avó Luísa da Inês Garcia

Ingredientes
500 g de farinha
5 ovos
2 laranjas
1 colher de sopa de açúcar
Água e sal q.b.
1 cálice de vinho do Porto
Açúcar e canela q.b.

Modo de preparação
Peneirar a farinha para dentro de uma tigela. Juntar uma pitada de sal, o açúcar e água suficiente para obter uma massa mole. Adicionar depois as gemas, a raspa da casca das laranjas, o vinho do Porto e deixar a massa repousar. Na altura de utilizar, incorporar as claras batidas em castelo. Mergulhar a forma de filhós (tem de ir buscar à arrecadação das avós, se não tiver por aí) em óleo bem quente, escorrer e introduzir na massa. Colocar a forma no óleo, sacudi-la para a massa cair e deixar fritar até alourar. Servir as filhós polvilhadas com açúcar e canela a gosto.

Publicidade

Bolinhos de arroz

Avó Elisa da Cláudia Lima Carvalho

Ingredientes
200 g de arroz
400 ml de leite
3 colheres de sopa de açúcar
1 pau de canela
3 ovos
Açúcar e canela a gosto

Modo de preparação
Cozer o arroz com o leite e o pau de canela. Retirar do lume e deixar arrefecer. Juntar então o açúcar e os ovos e envolver tudo muito bem. Com a ajuda de uma colher, fazer pequenos montinhos para fritar em óleo.

Tudo para a mesa de Natal

Doces, Sobremesas, Rabanada, Estrela da Bica
©Gabriell Vieira

Os melhores sítios comer e encomendar rabanadas em Lisboa

Restaurantes

É um doce simples, replicado pelos mais gulosos muitas vezes ao longo do ano, mas é nesta época que mais brilham na mesa. As rabanadas são fatias generosas de pão que, depois de molhadas em leite (há versões alcóolicas da coisa), são envolvidas em ovo e fritas logo a seguir até ficarem douradas – não é por acaso que os mais antigos lhes chamam fatias douradas. Seguindo a receita à risca é polvilhá-las depois com açúcar e canela, mas em Lisboa há quem suba a outro nível e as sirva como sobremesa em versões arriscadas e não tão natalinas, algumas com direito a estar na carta durante todo o ano. Em época de Natal, há versões clássicas e outras novinhas em folha para ir dourar a sua mesa. Todas podem, e devem, ser encomendadas com antecendência.

bolo rei fatias
Fotografia: Ana Luzia

Os melhores sítios para comprar bolo-rei em Lisboa

Restaurantes

Por esta hora já deve ter começado as festividades natalícias e empanturrado umas quantas de fatias de bolo-rei. Este bolo redondo com um buraco no centro já não tem fava nem pequena figura de loiça (diz que era coisa capaz de engasgar quem o comesse por engano), mas continua a ser uma tradição querida da época. Popularizou-se em Portugal no século XIX, seguindo uma receita originária do sul de Loire, que ainda hoje se mantém. Este bolo é em forma de coroa e feito de massa lêveda. Consta que a primeira casa a vendê-lo foi a Confeitaria Nacional, que se mantém firme na lista dos melhores sítios para comprar o bolo-rei. 

Publicidade
Bolo, Bolo-Rei, The Oitavos
©Gabriell Vieira

Rei ou Rainha? Estes bolos fogem do tradicional para celebrar um Natal diferente

Restaurantes

Sem fava nem boneco de loiça, mais ou menos redondinhos, com frutos cristalizados ou caramelizados, muitos frutos secos e um cheirinho licoroso. Mesa de doces de Natal tem de ter estas sumidades, mas já lá vão os tempos onde só os mais tradicionais bolos-rei e rainha tinham direito a sentar-se. Se não é fã dos clássicos, nesta lista encontrará opções fora da caixa, com chocolate e avelãs, em formato coroa a ir buscar inspiração à babka, com folhas de ouro ou até numa versão mais progressista com croissants a servir de base do bolo. Este Natal é diferente, portanto os bolos rei e rainha também podem ter personalidade. Sempre com qualidade. Encomende já.

Bolos, Tronco de Natal, Ritz Delicatessen
©Gabriell Vieira

Os melhores troncos de Natal em Lisboa

Restaurantes Pastelarias

Os troncos de Natal não são tradição portuguesa. É uma sobremesa típica em França ou na Bélgica nesta altura do ano e, na sua versão mais tradicional, a sua aparência é o mais próxima possível de um tronco de lenha (afinal, representa um hábito da quadra, em que as famílias se reuniam em volta da lareira para ouvir histórias e entoar cânticos de Natal enquanto um enorme tronco queimava). Mas por cá os troncos de Natal já se juntaram às rabanadas, azevias, sonhos, fatias douradas, coscorões e bolos-reis para agradar aos mais esquisitos ou adoçar ainda mais a quadra com novos sabores. Provámos e aprovámos estes sete troncos. Trate já das encomendas para a sua mesa de Natal nestes cafés e pastelarias com os melhores troncos de Natal em Lisboa.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade