Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right As melhores tartes de amêndoa em Lisboa

As melhores tartes de amêndoa em Lisboa

Uma tarte de amêndoa nem sempre é consensual. Pusemos umas quantas à prova e elegemos as melhores tartes de amêndoa em Lisboa.

Tarte de Amêndoa - Composição
fotografia: Manuel Manso
Por Mariana Morais Pinheiro e Inês Garcia |
Publicidade

Quando se trata de avaliar uma simples tarde de amêndoa, a fasquia sobe, porque nenhuma é tão boa como a da mãe, a da avó ou a que a madrinha fazia. A base tem de ser molhadinha q.b, ter uma cobertura estaladiça mas igualmente húmida, bem caramelizada mas com sabor forte a amêndoa. Bem sabemos que linha entre uma boa tarte e uma com uma base dura ou um nível de amêndoa desadequado é muito ténue, por isso a equipa Time Out foi à prova. Elegemos estas como as melhores tartes de amêndoa em Lisboa. Ala, que se faz tarte.

Recomendado: As melhores pastelarias com fabrico próprio em Lisboa

As melhores tartes de amêndoa em Lisboa

A Tarte - Fatia Tarte Amêndoa
Fotografia: Manuel Manso

A Tarte

Esta tarte, d’A Tarte, que anda a adoçar a boca dos alfacinhas desde 2011, é mais conhecida que o tremoço. Começou por ser exclusiva para alguns, quando Vasco, o seu criador, a servia como sobremesa em jantares com amigos. Mas a insistência foi tanta que o engenheiro alimentar, vencido, democratizou-a ao resto do mundo, para felicidade geral. Tem imensa amêndoa e caramelo na versão original mas também na de gianduja, na com noz pecan, numa com zimbro, de amêndoa e figo biológico ou a de caramelo e flor de sal. 


Preço: a partir de 18,90€. 

Das Flores - Tarte de Amêndoa
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Das Flores

icon-location-pin Chiado

Tudo o que se faz neste restaurante, instalado na Rua das Flores há 40 anos, é bom. Uma refeição que comece numas iscas de porco, passe por uns pastéis de bacalhau ou nuns croquetes bem recheados, e culmine num bom bife da casa, tem, indubitavelmente, que ser rematada com uma fatia desta tarte, uma das mais conceituadas da cidade, carregadinha de amêndoas.

Preço: 2€/fatia

Publicidade
Continente -  Tarte de Amêndoa
Fotografia: Manuel Manso

Continente

Quem disse que o barato sai caro estava redondamente enganado, pelo menos, neste caso. Por menos de 10€ tem à sua frente uma sobremesa capaz de impressionar os seus amigos mais exigentes. A base é tipo bolacha, compacta e crocante, com bastante caramelo. 

Preço: 8,99€

tartana
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Restaurantes

Tartana

icon-location-pin Campo de Ourique

A estrela das estrelas desta casa dedicadas às tartes é a de amêndoa, com uma base molhada q.b. e uma cobertura estaladiça. São todas feitas na loja, pensada como uma “casa de avó”, onde se entra cozinha adentro – o forno está bem à vista. Diariamente Ana faz cinco ou seis tartes diferentes, umas para almoços leves, que acompanham com sopa ou salada, sempre feitos com produtos da época, outras para a gulodice da sobremesa. Encomendas é com 24 horas de antecedência.

Preço: 20€ 



Publicidade
Sopa Amarela - Tarte de Amêndoa
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Português

Sopa Amarela

icon-location-pin Campo de Ourique

A tarte deste restaurante em Campo de Ourique é bem tostadinha e tem o caramelo no ponto. Se não ficar satisfeito só com uma tarte, preste atenção às outras coisas desta casa. Trinque, ou peça para levar para casa (também fazem entregas), como as pavlovas, as mousses, os pudins, ou as tortas de noz com doce de ovos caseiras.

Preço: 25€

Confeitaria Nacional - Tarte de Amendoa
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Cafés

Confeitaria Nacional

icon-location-pin Baixa Pombalina

A tarte da pastelaria do Rossio leva manteiga, farinha, ovos, açúcar e amêndoa e o ingrediente secreto dos cozinheiros: "muito amor e carinho”. 

Preço: 19,95€/kg

Publicidade
Sacolinha - Tarte de Amêndoa
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

Sacolinha

icon-location-pin Chiado

Com uma bola de Berlim de se lhe tirar o chapéu (uma das nossas preferidas), uma vitrina cheia de bolos capazes de causar picos de hiperglicemia e uma tarte de amêndoa extravagante, esta confeitaria no Chiado não desilude quando falamos de tartes de amêndoa. A massa é boa e tem uma quantidade generosa de amêndoas, ainda que tenha menos caramelo que as restantes tartes desta lista.

Preço: 16,50€/kg

Lisboa doce

Boubou's - Pavlova
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Três sítios para comer pavlova

Parece um bolo meio desfeito mas é na verdade uma pavlova, um bolo com base de merengue feito pela primeira vez em homenagem à bailarina russa Anna Pavlova. Deve ser o equivalente a um espectáculo de fogo-de-artifício na boca, como diria Remy, o rato do Ratatouille, ou seja, deve ser crocante por fora e macio e suculento por dentro. Depois pode ter vários toppings mas o mais habitual são as frutas frescas, dos morangos às cerejas. Se não tem vagar para seguir a receita à risca em casa, e por mais desleixado que este bolo pareça, não é fácil. Siga as nossas sugestões e peça esta sobremesa num destes três sítios. 

Bettina & Niccòlo Corallo Shop - Bombons
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

As melhores chocolatarias em Lisboa

Frio ou calor, a verdade é que nunca se diz que não a um chocolate. Ainda mais se for oferecido pela cara-metade, qual presente guloso para o Dia dos Namorados. Pode ser só um quadradinho, uma tablete inteira, bombons recheados com líquidos licorosos ou outros tipos de chocolates, mas ajudam sempre a melhorar o dia. De preferência se forem variados e de qualidade, o que ainda dá mais gula e menos sentimento de culpa na hora de abrir uma embalagem. Por isso, reunimos uma lista com as melhores chocolatarias em Lisboa, com fabrico com os mais puros cacaus vindos de todo o mundo, para comprar bombons à unidade ou tabletes do mais puro cacau e lambuzar-se todo. 

Publicidade
Dacquoise
©Manuel Manso
Restaurantes

Oh la la! Os melhores croissants em Lisboa

Folhados, brioche, mais ou menos cozidos e caramelizados, simples, recheados, mais doces, menos doces. Um bom croissant consola ao pequeno-almoço, ao lanche e a qualquer hora. É um aconchego para o estômago e para a alma, nas versões mais simples ou naquelas pecaminosas, bem recheadas, com chocolate e doces caseiros assim bem docinhos, mistos com queijo e fiambre ou presunto e queijo da Serra para uma gula salgada máxima. Corremos as casas novas da especialidade, sem esquecer as apostas sempre seguras. Esta selecção é quente e boa – como todos os croissants devem ser servidos. 

More to explore

Publicidade