Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Oh la la! Os melhores croissants em Lisboa

Oh la la! Os melhores croissants em Lisboa

Um pequeno-almoço ou lanche sem croissants é como uma noite sem estrelas. Saiba onde encontrar os melhores croissants em Lisboa.

Dacquoise
©Manuel Manso Croissant da Dacquoise
Por Inês Garcia |
Publicidade

Folhados, brioche, mais ou menos cozidos e caramelizados, simples, recheados, mais doces, menos doces. Um bom croissant consola ao pequeno-almoço, ao lanche e a qualquer hora. É um aconchego para o estômago e para a alma, nas versões mais simples ou naquelas pecaminosas, bem recheadas, com chocolate e doces caseiros assim bem docinhos, mistos com queijo e fiambre ou presunto e queijo da Serra para uma gula salgada máxima. Corremos as casas novas da especialidade, sem esquecer as apostas sempre seguras. Esta selecção é quente e boa  como todos os croissants devem ser servidos.

Recomendado: Os melhores sítios para lanchar em Lisboa

Oh la la! Os melhores croissants em Lisboa

Fermenta
Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

Fermenta

icon-location-pin Grande Lisboa

1,40€

A Fermenta concedeu o desejo a muitos lisboetas e portuenses desterrados: trouxe os mais famosos croissants do Porto, da Padaria Ribeiro, para o Bairro de São Miguel, à Avenida de Roma. O projecto é de Bárbara Teles, com experiência no mundo da restauração, que abriu este café no final de Novembro. A massa do mítico croissant amanteigado é fermentada e cozida nesta casa e é pincelado com uma calda com muitos ingredientes (além do açúcar e água tem maçã e vinho do Porto), que lhes dá mais sabor e um brilhante muito apetecível. Há também versões de chocolate ou de doce de ovos e amêndoa (1,80€).

Croissant de Sesimbra
©Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

Croissant de Sesimbra

icon-location-pin Lisboa

1,50€

A receita dos croissants da pastelaria Croissant de Sesimbra, na Estefânia, data de 1996 e é obra de João Silva, que os vende na Liansini, na vila de Sesimbra. São feitos diariamente de forma artesanal na fábrica da pastelaria sesimbrense, e em Lisboa, onde chegaram com a mão de Ricardo Sá, sócio deste projecto, são apenas cozidos e recheados no momento. A vitrine está sempre carregadinha destes exemplares simples (há fornadas sempre a reforçar a montra), que são recheados no momento com uma das 25 opções da lista.

Publicidade
Dacquoise
©Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

Dacquoise

icon-location-pin Campo de Ourique

1,50€

Ivo Camões quis abrir uma pastelaria fina francesa em Campo de Ourique mas com preços de uma pastelaria de bairro normal. Além dos bolos de apresentação cuidada, perfeitinhos, que se comem com os olhos, estão os croissants maison, o francês clássico. Depois há os gourmand, recheados com uma compota caseira de framboesas e líchias ou de amêndoa (2,30€), no campeonato doce, só com manteiga (1,70€) ou misto (2,50€).

Isco
©Duarte Drago
Restaurantes, Padarias

Isco

icon-location-pin Alvalade

1,80€

Volta e meia Paulo Sebastião inventa, e os croissants simples, feitos mesmo com manteiga, uma massa leve – daquelas que quando corta ao meio consegue contar todas as camadinhas da excelente massa folhada – mas ao mesmo tempo ligeiramente húmida, e uma base caramelizada, ganham vida própria e transformam-se. Ganham formas diferentes, açúcar e canela por cima. Também os faz com canela e abóbora ou bem recheado com chocolate 70% valhrona. É tudo “pastelaria de padeiro”, uma pastelaria “lêveda, que fermenta”, que vai mudando consoante o que o padeiro decide. 

Publicidade
Moço dos Croissants
©Inês Félix
Restaurantes, Pastelarias

O Moço dos Croissants

icon-location-pin Campo de Ourique

1,50€

Manel Perestrelo é o moço responsável por esta pastelaria especializada em croissants que de cada vez que sai uma fornada deixa esta rua no centro do bairro de Campo de Ourique a salivar. O francês de manteiga é o mais simples de uma escolha entre doces e salgados que não acaba: tem o clássico doce de ovo, lemon curd, caramelo salgado ou praliné (2,20€-2,70€), mas também os mistos com queijo e fiambre, ou presunto e queijo da Serra (2,20€-4€). 

Padaria da Esquina
©Inês Félix
Restaurantes, Padarias

Padaria da Esquina

icon-location-pin Campo de Ourique

1,30€

Na padaria de Vítor Sobral e de Mário Rolando, há uma selecção de bolos de padaria com todos os clássicos, dos queques e bolos de arroz aos pães de deus e sidónios. Os croissants estão lado a lado, e são feitos com massa lêveda, não folhada. Mas a história não acaba aqui: são do Porto porque levam uma calda feita com vinho do Porto que os deixa brilhantes e suculentos. Podem (e devem) ser comidos simples, com manteiga ou mistos.

Os valores seguros

Pastelaria Careca
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Cafés

Pastelaria Restelo - “O Careca”

icon-location-pin Belém

1,20€

Os croissants açucarados do Careca são uma batota boa no que toca ao croissant. Mal cozido e com uma crosta de açúcar de lamber os dedos no final.

Confeitaria Nacional - Croissant
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Cafés

Confeitaria Nacional

icon-location-pin Baixa Pombalina

1,85€

Massa compacta e cozedura longa, é polvilhado com açúcar e pode levar chocolate ou doce de ovos no interior. 

Publicidade
Croissant de  Ovo da Cister
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Confeitaria Cistér

icon-location-pin Princípe Real

1€

Mal cozidos mas com uma massa bem tostadinha por fora. 

La Boulangerie - Croissant
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Francês

La Boulangerie

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

1,80€

Os tabuleiros de croissants são uma tentação assim que se entra na Boulangerie. Ceda ao simples (pelo menos). 

Publicidade
Choupana Caffe
©DR
Restaurantes, Cafés

Choupana Caffe

icon-location-pin Avenidas Novas

1€

São grandes, saborosos e muito variados: prefere simples, com ovo e amêndoa ou com recheio de maçã? Nutella ou arrisca numa versão red velvet? 

Fábrica Lisboa - Croissant
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Cafés

Fábrica Lisboa

icon-location-pin Baixa Pombalina

1,30€

Sempre que sai nova fornada, toca o sino. São bem amanteigados e podem ser conjugados com doze recheios diferentes. 

Sobremesas em Lisboa

Vermelhosa - Mil Folhas de Baunilha
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Mil-folhas

Mil-folhas há muitos, mas como estes nem por isso. São feitos ao melhor estilo francês, com diferentes camadas trabalhadas com todo o cuidado. São gulosos, bem recheados e com a massa no ponto, estaladiça q.p.. Seja de baunilha, frutos vermelhos, limão ou chocolate, nestes três sítios que lhe sugerimos um mil-folhas nunca desilude e compõe qualquer lanche (ou pequeno-almoço se é daqueles que precisa de uma boa dose de acúçar para arrancar o dia). Prepare-se é para sujar as mãos, mas o é que isso comparado com o bem que sabe? 

Boubou's - Pavlova
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Pavlova

Parece um bolo meio desfeito mas é na verdade uma pavlova, um bolo com base de merengue feito pela primeira vez em homenagem à bailarina russa Anna Pavlova. Deve ser o equivalente a um espectáculo de fogo-de-artifício na boca, como diria Remy, o rato do Ratatouille, ou seja, deve ser crocante por fora e macio e suculento por dentro. Depois pode ter vários toppings mas o mais habitual são as frutas frescas, dos morangos às cerejas. Se não tem vagar para seguir a receita à risca em casa, e por mais desleixado que este bolo pareça, não é fácil. Siga as nossas sugestões e peça esta sobremesa num destes três sítios. 

Publicidade
Mousse de Chocolate - Cacué
©Manuel Manso
Restaurantes

Mousse de chocolate

É a sobremesa caseira mais segura em todas as festas de aniversário e jantares de família ou amigos. Mas fora de casa, a coisa pode complicar-se. Antes de mais nada porque é facilmente comparável com a da avó, da mãe ou da tia, depois porque os níveis de cacau do chocolate variam facilmente e há quem goste dela mais intensa ou mais cremosa e consistente, outros preferem chocolate com menos percentagem de cacau ou com cheirinho. Nestes três restaurantes em Lisboa, a mousse de chocolate é servida como deve ser. Perfeita para um final de refeição guloso. 

More to explore

Publicidade