Os melhores crepes em Lisboa

Doces ou salgados, há crepes que sabem bem de todas as formas e até a qualquer hora. Nestes sítios em Lisboa, todos os dias são dias de crepe.
santini crepe
©DR Crepe do Santini
Por Cláudia Lima Carvalho |
Publicidade

Sabia que em França há um dia do crepe, também conhecido como fête de la chandeleur? Acontece a 2 de Fevereiro e é só mais uma desculpa para se lambuzar com crepes. Por cá, aproveitamos o dia para lhe dizer os melhores sítios em Lisboa para comer crepes.  

Os melhores crepes em Lisboa

Restaurantes

Sama Sama

Os "melhores crepes do mundo” estão em Galway, na Irlanda, num pequeno mercado que se repete todos os sábados, garante o irlandês Malte Kochen, que pediu as receitas a Mick, o cozinheiro dos tais crepes, e as trouxe para a nova crêperie do Cais do Sodré. Na Sama Sama, os crepes são em triângulo e a base, que pode ser com massa sem glúten (com farinha de milho) ou vegan (sem ovo e com leite de arroz), tem sempre uma mistura de três queijos à volta (também há opção com queijo vegan).

Restaurantes

Bistrô na Guia

icon-location-pin Cascais

Fica dentro da casa apalaçada da Guia, mas é nas mesas altas da varanda, com vista para o mar e para a Boca do Inferno, que melhor se está no Bistrô da Guia. Os protagonistas do menu são os crepes: salgados – como o Farol das Berlengas (com farinheira, ovo escangalhado, cebola confitada, espinafres, queijo da ilha e coentros) ou o Farol do Cabo Sardão (com rosbife, rucula, tomate, rabanete e cebola confirtada) – e doces – como o Nó Direito (com pera e parmesão ou abóbora e nozes) ou o Volta de Fiel (com manteiga de amendoim ou doce de leite). Há ainda omeletes, tostas abertas e sumos naturais. 

Publicidade
crepe do chef nino
©DR
Restaurantes

Chef Nino

icon-location-pin Alcântara

É café e restaurante, serve refeições ligeiras durante a semana e aos sábados e domingos aposta no brunch. Só falta falar dos gelados, também eles caseiros, e dos crepes e panquecas.

Restaurantes

Pindô

icon-location-pin São Sebastião

Muito antes da febre pós-moderna dos gelados já a Pindô andava nestas lides. É um clássico das Avenidas Novas, fundado em 1976, que o brinda com abacate, cereja, arroz doce e outros sabores sempre bem frios. O crepe com gelado é um dos campeões da lista – só por isso tem de entrar nesta selecção. 

Publicidade
Le Bar à Crêpes
©DR
Restaurantes, Creperias

Le Bar à Crêpes

icon-location-pin São Vicente 

Monica Belucci (6,5€), Marion Cotillard (6,5€), Coco Chanel (7,2€), Louboutin (7,2€)... Os nomes na ementa do Le Bar à Crêpes, a casa de crepes da Graça, são sugestivos. Há crepes doces, crepes salgados, gelados e waffles, tudo à grande e à francesa, ou não tivessem os donos vindo de Paris, onde geriam um restaurante de saladas. Os crepes salgados são feitos de farinha de trigo sarraceno e não têm glúten.

amorino crepe
©DR
Restaurantes

Amorino

icon-location-pin Baixa Pombalina

Foi em 2002 que dois amigos de infância, Cristiano Sereni e Paolo Benassi, criaram a Amorino. Sorbets, batidos, gelados, granizados, e ainda doces e mercearia fina compõem a ementa, que se vai alastrando pela Europa. Por Lisboa, encontra-a na Baixa, seja na centralíssima Rua Augusta ou na Rua Garrett, já pelo Chiado. Seja onde for, não deixe de provar os crepes. Gelados da Amorino e crepes são uma combinação vencedora.

Publicidade
crepes da casinha boutique café
©
Restaurantes, Pastelarias

Casinha Boutique Café

icon-location-pin Chiado

A marca que há muito conquistou o Norte – tem quatro lojas espalhadas pelo Porto, Braga, Guimarães e Viana do Castelo – chegou a Lisboa pela mão de Liliana Trigo. No que aos crepes diz respeito, há salgados de presunto, salmão, ou de requeijão com tomate e pesto (entre os 4,25€ e os 5,45€). E depois há os doces: com gelado artesanal, um ou dois sabores (4,50€ ou 5,20€), ou com um simples topping (3,35€).

Gambrinus
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Gambrinus

icon-location-pin Santa Maria Maior

Não estranhe a nossa escolha. Sim, estamos a pôr o Gambrinus numa lista de crepes e porquê? Porque os crepes suzette, para duas pessoas, são obrigatórios (30€). Muito pelo espectáculo que é vê-los a serem feitos à nossa frente.

A Time Out diz
Publicidade
santini chiado
©DR
Restaurantes, Geladarias

Santini

icon-location-pin Chiado

Antes de Attilio Santini, o fundador, instalar os seus gelados no Tamariz, em 1949, já os fazia em Itália. Quando cá chegaram fizeram suspirar meio mundo e até foram considerados os melhores do mundo. Agora já fazem parte de um império (há 6 gelatarias na Grande Lisboa) e é o neto que toma conta de tudo. Morango e nata são os mais batidos mas a carta já não é só clássicos: pode calhar encontrar açaí com morango, biscoito amareto ou doce de ovo com pinhão. Agora imagine tudo isto num crepe.

A Time Out diz

Os melhores sítios para...

Nicolau Lisboa - Panquecas
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Comer panquecas

Acha que a sua receita de panquecas é a melhor do mundo? Dê folga à frigideira lá de casa, rume a um destes três cafés e fique a conhecer as nossas panquecas preferidas em Lisboa. 

tiramissu do bella ciao
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Italiano

Comer tiramisu

Mascarpone, palitos la reine, café, licor e cacau: são estes os ingredientes que tornam o tiramisu muito mais do que a melhor sobremesa de Itália, mas uma das melhores de todo o mundo. Em Lisboa, não faltam belos exemplares do doce que nasceu em Treviso (já terá Monica Bellucci experimentado algum?). Estes são os três melhores sítios para comer tiramisu.

Publicidade
Chocolate quente do Kaffeehaus
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Beber chocolate quente

Cremoso, com ou sem chantilly por cima, quente e bem docinho. O frio chegou e é a altura certa para aquecer as mãos numa chávena de chocolate a fumegar e colocar a gulodice em dia. Escolha um destes três sítios para beber chocolate quente com a certeza que são bons. Recomendado: As melhores esplanadas para fingir que é Verão

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com