Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores restaurantes em Setúbal

Os melhores restaurantes em Setúbal

Há poucos sítios no mundo onde se come tão bom peixe como em Setúbal. Tem dúvidas? Ora espreite as nossas sugestões

Batareo
Fotografia: Arlindo Camacho
Por Francisca Dias Real e João Pedro Oliveira |
Publicidade

Peixe fresco e choco frito, não há que enganar. Todos os pretextos são bons para passar por Setúbal a caminho
 da Arrábida, mas o peixe assado talvez seja o melhor. Há clássicos imperdíveis onde não pode deixar de picar o ponto, e outros que são uma lufada de ar fresco na hora de dar novos significados aos produtos locais. Setúbal é a escapadinha gastronómica perfeita, aqui mesmo ao lado de Lisboa. A verdade é que é difícil errar na hora de se sentar à mesa, mas mesmo assim deixamos-lhe aqui a lista dos melhores restaurantes em Setúbal. 

Recomendado: Nove sugestões de enoturismo na Península de Setúbal

Os melhores restaurantes em Setúbal

1
O Tavira
©Manuel Manso
Restaurantes, Frutos do mar

O Tavira

icon-location-pin Grande Lisboa

O negócio aqui mantém-se entre João Tavira pai e João Tavira filho. Enquanto o pai, tido como um conhecedor nato na arte do peixe na brasa, fica ao leme do restaurante Bombordo, o filho assume as rédeas d’O Tavira, o novo membro da família. Nesta casa, salta à vista o aquário de marisco vivo – de onde saem os crustáceos para compor as mariscadas à la carte –, mas as preferências da clientela vão para as massadas de garoupa e sapateira e para o arroz de tamboril, aquela comida de tacho que dá conforto ao estômago. Se for numa de partilha, peça também a travessa de choco frito com maionese de especiarias. Para quem foge do peixe, há carnes maturadas e a especialidade: entremeada de leitão.

2
Xtória
©Manuel Manso
Restaurantes

Xtória

icon-location-pin Grande Lisboa

Rute Marques deixou de lado a área da publicidade para se atirar ao seu sonho de sempre: abrir um restaurante. Rita Neto,
 a irmã e vencedora da primeira edição do concurso Masterchef Portugal, juntou-se à aventura e assume as lides da cozinha – que tem especial atenção aos produtos locais e à sazonalidade. “Peixe assado e choco frito já havia em todo o lado, por isso criámos uma carta de autor com produtos tradicionais mas reinterpretados”, explica Rute. A carta muda a cada três meses, para acompanhar
a sazonalidade, e, para já, pode ser feliz com uma caldeirada de raia, tamboril e robalo (12€), com o bacalhau fresco e molho de caril (13€), a codorniz asiática a baixa temperatura (6€), o ramen de abóbora assada (6€) ou, nas carnes, o filete angus com puré de aipo (18€). Fun fact: algumas das peças decorativas do espaço, de uma colaboração com o designer de interiores João Maria, estão à venda.

Publicidade
3
Bar in Sado Valenciana 1938
©Manuel Manso
Restaurantes, Geladarias

Bar In Sado Valenciana 1938

icon-location-pin Grande Lisboa

A cafetaria abriu no Parque Urbano de Alvarquel, com vistosos toldos amarelos às riscas e vista para o mar, e divide-se entre refeições ligeiras e gelados – que são a estrela da casa, vindos directamente da clássica gelataria Valenciana, das mais antigas do país. Por agora ainda só têm meia dúzia de sabores, que adoçam o bico de quem ali pára, mas são todos rotativos e contam ter maior variedade em breve.

4
Sem Horas
©Arlindo Camacho
Restaurantes

Sem Horas

icon-location-pin Grande Lisboa

Há um ano escrevíamos que Paulo Gouveia esperava ver alguns empecilhos técnicos serem resolvidos para, finalmente, abrir portas ao Sem Horas. Agora, já a funcionar em pleno, num dos edifícios mais instagramados da cidade, chegam à mesa tábuas (quatro queijos, compota, azeitonas e pão a 11 €; três enchidos, queijo de Azeitão, azeitonas e pão por 12€) e muitos petiscos: bruschettas, conservas ou um folhadinho de sapateira, tudo até 5€; mais pataniscas de polvo, pica-pau de atum ou choco frito, tudo abaixo de 10€. Lá dentro há 15 lugares em bancos altos, lá fora 36 numa esplanada em madeira.

Publicidade
5
Sardinhas
©DR
Restaurantes

Casa Morena

icon-location-pin Grande Lisboa

O pequeno restaurante do senhor Horácio fica no coração do Troino, bairro de pescadores, é servido pelo grelhador comunitário do largo da Fonte Nova e é uma das nossas paragens obrigatórias em Setúbal. Vá nos salmonetes, massacotes ou alcorrazes. Se vir ovas, mande grelhar de entrada. Peça branco da casa (é do Sado, como o peixe) e uma salada com pimentos assados. Não fecha até Setembro. Só almoços.

6
Peixe Imperador
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Verde e Branco

icon-location-pin Grande Lisboa

Aqui foge ao circuito mais turístico, mas ao fim-de-semana não garantimos que fuja às filas. Portanto, vá cedo. O Verde e Branco é outra instituição com muitos anos a virar peixe e é só isso que vai encontrar na ementa ao almoço. Ao jantar não encontra nada, que a casa fecha. As batatas chegam temperadas, as saladas servem-se com pimento assado, o pescado tem aquela frescura de horas que se exige por estas bandas. Com peixe à dose, não conte com mais de 15€ na conta, com peixe ao quilo já fica por sua conta.

Publicidade
7
Massacotes da Tasca do Xico da Cana
©Arlindo Camacho
Restaurantes, Frutos do mar

Tasca do Xico da Cana

icon-location-pin Grande Lisboa

As boas-vindas são dadas com um mural de homenagem ao cantor popular da terra, Xico da Cana, imortalizado nesta casa onde a arte de assar peixe conviveu muitos anos com as sessões improvisadas de cantoria. Saem do carvão as doses de dourada, massacote, salmão, carapau ou peixe espada, mas depois há os exemplares ao quilo como o salmonete ou o pregado – e, quem sabe, não apanhe uns daqueles pescados há poucas horas, do mais fresco que há. Para lá da grelha, há uma já famosa massa de sapateira. Fica a 30€, serve quatro e convém encomendar.

8
Batareo
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Frutos do mar

Batareo

icon-location-pin Grande Lisboa

À entrada tem um santuário em forma de vitrine. Escolha, mande pesar e espere que o milagre volte da grelha. De entrada recomendam-se lulinhas ou ovas de pescada. Em dias de sorte, também tem barriga de atum ou eirós escalada. Ainda há-de haver carapau manteiga, salmonetes, douradas, robalos, sargos e linguados tirados à linha. Não evite as sobremesas, pergunte pela torta de laranja. O vinho da casa vem de Palmela, serve-se fresco e ao litro.

Publicidade
9
Bife na Pedra do Pedra e Sal
©Arlindo Camacho
Restaurantes

De Pedra e Sal

icon-location-pin Grande Lisboa

Encontra uma boa sopa de peixe (3,20€), um choco frito com batata à padeiro (9,5€) ou nacos de atum para brasear (14,50€). Mas o que nos interessa aqui é o porco, o borrego, o pato e, sobretudo, a vaca uruguaia, mais a forma como o chef João Oliveira os trata a todos no fogo. Há uma mista de carnes que reúne toda esta bicharada numa pedra com sal (19,50€). Há o cachaço (9,80€), o entrecosto (9,80€) e o pernil de porco (14,50€) assados no Josper. “Mas o ex-líbris é o bife na pedra”, aponta o chef. São 300 gramas de carne com sal e pouco mais, servida com batata à padeiro e legumes assados (16,50€). 

10
Restaurantes

Tasca do Toninho

icon-location-pin Grande Lisboa

Se chegar cedo, vai encontrar sempre uma vitrine apinhada de peixe fresco. Os bichos confiam-se às mãos sábias de António Oliveira – Toninho – o homem da casa e da grelha que trabalha o peixe à frente dos nossos olhos. De entrada, não deixe de passar pelas lulinhas à moda casa, inteiras na frigideira.

Pequenas escapadinhas gastronómicas

O Filipe
Arlindo Camacho
Restaurantes

Sete restaurantes em Sesimbra onde deve reservar mesa

O mote da iniciativa que promove a tradição piscatória e a cultura gastronómica da vila diz quase tudo. Sesimbra é tudo de bom do que vem do mar. E tanto podem ser uns carapaus gordos, como umas sardinhas, robalos ou pregados, salmonetes ou imperadares. Falta dizer que é também a arte que há em terra para cuidar tanto tesouro – não é só na grelha que se esconde o segredo de um bom prato à mesa. Sesimbra não é apenas um destino de praia, pode bem ser uma escapadinha gastronómica. Ora atente nesta lista dos melhores restaurantes em Sesimbra.  

Restaurantes

Cinco sítios para comer peixe em Cascais

Basta avistar a Baía de Cascais ao longe, no caminho pela marginal, para perceber que estamos em terra de pescadores. Os barquinhos marcam a paisagem da Praia do Peixe (vai um mergulho numa das praias da Linha de Cascais?), com os utensílios usados pelos pescadores dos dois lados. Por ali, pescam-se linguados, corvinas, polvos – de madrugada –, sargos, cavalas e fanecas, além de bons mariscos: afinal, com mares frios eles ganham ainda mais sabor. Há muitos restaurantes que merecem uma visita na vila, mas nesta lista o que vai encontrar são os melhores sítios para comer peixe em Cascais. 

Publicidade
Restaurantes

Os melhores bares e restaurantes na Costa da Caparica

Há areais e marés para todos os gostos, destinos clássicos e paragens menos óbvias na Costa da Caparica. São 15 quilómetros de costa e muitas praias por onde escolher. Mas e na hora de matar a fome ou beber um copo? Fica perdido, sem saber para onde se virar e como distinguir os bons restaurantes das armadilhas para turistas e veraneantes? Estamos cá para ajudar.  Reunimos 17 restaurantes, bares e esplanadas na Costa da Caparica, dos que o servem mesmo em cima da areia, aos que se afastam ligeiramente das ondas para servir brunches a qualquer hora do dia, peixe fresco ou sandes para levar para a praia.  

Publicidade