A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Costa da Caparica Casablanca
Casablanca Beach Lounge, na Praia do Infante

Os melhores bares e restaurantes na Costa da Caparica

Aqui, há praias para todos e para todas as alturas. O Verão já se foi, mas nestes bares e restaurantes na Costa da Caparica ainda pode matar a fome e beber um copo.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Há areais e marés para todos os gostos, destinos clássicos e paragens menos óbvias na Costa da Caparica. São 15 quilómetros de costa e muitas praias por onde escolher. Mas e na hora de matar a fome ou beber um copo? Fica perdido, sem saber para onde se virar e como distinguir os bons restaurantes das armadilhas para turistas e veraneantes? Estamos cá para ajudar. 

Reunimos 16 bares, esplanadas e restaurantes na Costa da Caparica, dos que o servem mesmo em cima da areia, aos que se afastam ligeiramente das ondas para servir brunches a qualquer hora do dia, peixe fresco ou sandes para levar para a praia. E não interessa que o Verão já tenha passado.    

Recomendado: As melhores praias na Costa da Caparica e Meco

  • Bares
  • Cafés/bares
  • Grande Lisboa

A inspiração para este beach bar veio dos melhores beach clubs internacionais. O menu não é muito grande, para não dispersar. As especialidades da casa para almoço ou jantar cedo (fecha às 21.00) são a feijoada de camarão (45€) ou o arroz de choco (52€ ), sempre para duas pessoas, mas acredite que é uma dose para dois que dá, à vontade, para três.  Há também peixe fresco, que vai variando consoante a apanha do dia, e aqui pode contar com serviço personalizado – no Clássico, tratam-lhe da papinha toda, tiram os lombinhos do peixe à sua frente e é só comer, sem espinhas. Na ementa há também carnes como o acém maturado (27€), o chuletón ou o hambúrguer de wagyu (25€), este último também pode ser servido nas camas ou nas palhotas, onde existe uma carta do restaurante mais abreviada, mais focada nos snacks.

  • Bares
  • Grande Lisboa

É o último da linha de praias da Fonte da Telha, e por momentos, sentado na esplanada, o mais provável é que se esqueça que estamos à beira da praia – há um muro que nos separa da areia e este é quase um refúgio para quem é arrastado para a praia mas não é assim tão fã. Tem sempre uma brisa agradável e espreguiçadeiras (com consumo mínimo de 5€ por pessoa), onde pode comer refeições ligeiras, das tostas às saladas, ou optar por um peixe grelhado. Se as bolas de Berlim não chegarem a esta ponta da praia, o Bambu Bar tem uma vitrine cheia delas.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

É o restaurante-bar de praia mais concorrido para casamentos, mas durante os meses de Julho e Agosto dedica-se aos clientes que vêm aqui para petiscar, antes, durante ou depois de um dia no areal. Esta temporada acrescentaram novidades ao menu: um ceviche de salmão (16€), outro tropical, com frutas marinadas com especiarias (9€), e um carpaccio de polvo (10€). O resto das ofertas mais clássicas mantêm-se, das amêijoas à Bulhão Pato (16€) para petiscar, linguini do mar com camarões selvagens e mexilhões (15€) às carnes, hambúrgueres ou saladas frescas. Há opções de pequeno-almoço, como o açaí e o iogurte e a granola, e cocktails de assinatura para os finais de tarde.

  • Restaurantes
  • Português
  • Grande Lisboa
  • preço 2 de 4

Este retiro honesto na Fonte da Telha fica mesmo na praia e está aberto todo o ano. Servem bom peixe fresco – quando lá chegar e disser que é isso que quer comer, chegam-lhe com uma travessa à frente para ver o peixe do dia (vá à confiança, que se não estiver fresco avisam). Há cadelinhas, amêijoas e outros petiscos para começar a refeição com o pôr-do-sol no horizonte. A caldeirada à Pescador ou a massada de tamboril (35€ para duas pessoas) também são apostas seguras. O melhor é reservar porque a casa é muito concorrida.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

O restaurante que abriu no Verão de 2020 na Costa da Caparica com uma imagem rosa berrante e arte nas paredes ganhou uma nova vida este ano. Esta temporada deixou o tex mex para trás e tem o húngaro David Liptay aos comandos, usando apenas o forno e o fogo para dar a provar pizzas, pratos vegetarianos gulosos e banana splits. A acompanhar tudo isto, há uma interessante carta de vinhos biológicos e produzidos de forma natural, bem como sidras artesanais. Perfeito para passar a ponte e ir ver o pôr-do-sol.

  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

João Carreira apresenta-se como o beach boy da Praia da Morena desde 1995 (ao lado, o Waikiki, na Praia da Sereia, é da sua responsabilidade desde 1986), portanto não está aqui a brincar. O Borda d’Água está aberto de Janeiro a Novembro e todas as quartas-feiras ao final da tarde começa a servir feijoada à brasileira (14€). Fora este cartão de visita, tem “os melhores petiscos da Margem Sul”, garante o responsável, e peixe grelhado do bom. Há serviço de mesa em toda a concessão, por isso pode escolher se quer comer no deck, no lounge ou nas camas.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

O restaurante da Praia da Princesa renasceu há três anos. O chef Miguel Simões de Almeida começou por fazer a consultoria mas agora está a tempo inteiro neste espaço com um deck de cores claras. Esta temporada há mais mesas na praia e uma grande aposta nos finais de tarde com DJs, para andar sempre de cocktail na mão. A carta foca-se muito no peixe grelhado em carvão, mas tem novidades, como o tártaro de atum com guacamole e tomate cherry (13€) ou um arroz negro de choco com aioli de alho e coentros (38€ para dois) ou um chuletón basco de carne maturada (50€ para dois) para quem precisa de algo mais consistente depois de um dia de praia. Há saladas frescas e sumos de fruta natural com propriedades desintoxicantes.

  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

O Bohemian tomou de assalto o antigo Delmare Café e tornou-o totalmente irreconhecível – este não é mais um restaurante de praia mas sim um beach club à séria, daqueles dos filmes e das praias internacionais, ainda que sem pretensiosismos. Tem opções mais leves para petiscar só de pé na areia mas também pratos do peixe fresco e umas quantas carnes.

Publicidade
  • Bares
  • Grande Lisboa

Organiza, desde 2011, casamentos, despedidas de solteiro ou jantares românticos. Mas o Casablanca Beach Lounge é mais do que isso e durante o dia serve especialidades como as amêijoas à Bulhão Pato (17,50€), apanhadas pelo marido da cozinheira todas as manhãs, e a acompanhar com pão torrado. Prove a sangria de espumante com morangos ou a de vinho verde. Se quiser, pode pedir isto tudo numa das espreguiçadeiras – o preço varia conforme o dia da semana ou fim-de-semana. Há ainda umas quantas mesas para comer com os pés na areia, ideal para aqueles miúdos irrequietos que aqui podem brincar à vontade.  

  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

A especialidade vê-se de longe, afinal a grelha está ali logo à vista de todos, e por lá vão passando linguados (46€/ kg), besugos, chocos ou ovas de pescada (28€/kg). Na lista de entradas e petiscos estão lá os clássicos quase todos, dos pipis (o prato é a 6,50€) ao choco frito (12,50€), portanto é só escolher a sua receita preferida.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

Fica no paredão da Costa, na linha do Barbas, o restaurante do benfiquista ferrenho, e aqui é o sushi que está em sentido. Existe a versão mais tradicional e combinados de fusão (a partir de 14€), mas também propostas para quem não é fã do peixe cru. Nesse campeonato é boa ideia atirar-se aos lagartos (12,50€) ou à tábua mexicana (15€).

  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

Pede emprestado o nome ao bairro do Rio de Janeiro e traz o ambiente carioca para a esplanada, com chapéus de palha e palmeiras a emoldurar a praia. O menu é do pequeno-almoço ao final da tarde: tem taças de fruta com iogurte ou açaí (a partir de 7,5€), senhores hambúrgueres de picanha (9,5€), carne de vaca, frango e farinheira ou salmão (8,75€), pratos mais tradicionais, como o arroz de polvo e os mais asiáticos nasi gorengs, um arroz negro frito ora com camarão, ora com frango (16€). As tostas, saladas e petiscos, do pica-pau às gambas na frigideira, também lá estão. Só fecha em Janeiro e durante os meses de Inverno serve cozido à portuguesa em formato buffet aos sábados e domingos (20€).

Publicidade
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

O café da Costa da Caparica entrou ali naquele limbo entre o saudável e o instagramável, com opções de pequeno-almoço e brunch a qualquer hora do dia. O menu de brunch (13€) inclui café ou chá, sumo do dia, uma taça de iogurte com fruta e granola, torrada de abacate, bacon e ovo ou de salmão fumado e uma panqueca. Há tudo isto à carta e ainda bowls, com opções vegan e gluten free.

  • Restaurantes
  • Frutos do mar
  • Grande Lisboa

Fica no mercado e a ideia é ir direito à banca escolher o peixe que quer, que é logo pesado à frente do cliente, e segue para a grelha. É tudo sujeito à pesca do dia, mas o mais provável é ter sardinhas, carapaus, peixe-espada, lulas, robalos, salmonetes ou linguado por onde escolher. O menu do dia, com peixe, salada, batatas e bebida é 8,50€.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Grego
  • Grande Lisboa
  • preço 1 de 4
É atravessar a estrada, vindos da Praia Nova, e entrar pelo restaurante grego de que Almada tanto gosta. De tal forma que o dono, grego legítimo, abriu uma segunda versão na Charneca — o Pita.gr & Peruano, fundado a meias com um cozinheiro peruano que também serve aí as suas iguarias nacionais. Voltando à casa original, se não estiver a conseguir escolher, diga 104: é o número da pikilia, uma travessa com quatro tipos de carnes grelhadas para duas pessoas – até se estica para três.
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

Na Praia da Mata, o restaurante com o mesmo nome é uma continuação do areal. É óptimo para beber um copo no fim da praia, como é perfeito em dias mais frios quando se quer apenas sentir a brisa do mar – o rooftop virado para a praia é ideal para isso. Há petiscos como choco frito, bolinhas de alheira e até caracóis no tempo deles, mas também hambúrgueres e saladas para refeições mais rápidas. Acompanhe tudo com um dos cocktails.

E em Lisboa?

  • Restaurantes

Este é o roteiro perfeito para quem não é egoísta à mesa e gosta de partilhar – agora, mais do que nunca, com as devidas cautelas, é claro. Para almoçaradas de amigos, para finais de tarde depois da praia, para melhorar os dias de chuva, para lanches ajantarados ou até para jantares fora de horas. A arte de picar é bem típica portuguesa e calha bem a qualquer hora do dia ou a qualquer refeição.

  • Restaurantes

As novidades na restauração multiplicam-se de tal forma que, à medida que damos conta destes restaurantes que abriram nos últimos meses, novas mesas já nos esperam. Felizmente, a pandemia começou a dar tréguas e aqueles projectos que tinham ficado em suspenso dão-se agora a conhecer. Há restaurantes a piscar o olho à estrela Michelin, comida democrática, refeições para qualquer hora, pratos daqui e do mundo. 

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade