Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores sítios para beber café artesanal em Lisboa

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Fauna & Flora
Fotografia: Arlindo Camacho Fauna & Flora

Os melhores sítios para beber café artesanal em Lisboa

Nestes espaços há cuidado acrescido quando se enche a chávena. Prove o bom café artesanal nestes sítios em Lisboa.

Por Inês Garcia
Publicidade

Uma boa bica é capaz de o despertar e deixar alerta o resto do dia. Mas beber o café perfeito tem muito que se lhe diga e quando andámos a rastrear origens e a identificar os melhores sítios para tomar café em Lisboa, demos de caras com o maravilhoso mundo que separa o café comercial do artesanal e, em última análise, do de especialidade. Este café artesanal de que lhe falamos aqui, é mais do que bom café só não tem a pontuação suficiente, na escala da Associação de Café de Especialidade, para passar para esta categoria especial. 

Prove estes cafés artesanais 100% arábica em Lisboa.

Recomendado: Os melhores sítios para beber café de especialidade em Lisboa

Os melhores sítios para beber café artesanal em Lisboa

The Mill
The Mill
Fotografia: Manuel Manso

The Mill

Restaurantes Pastelarias Chiado/Cais do Sodré

Vale a pena esperar por um lugar à mesa à frente do janelão que
 dá para a rua, mesmo que seja só para beber um café – há três tipos, todos arábica, torrados a lenha em Lisboa. No The Mill servem ainda deliciosas taças para pequenos-almoços, panquecas insufladas com fruta e maple syrup para as encharcar, vários tipos de pães com manteiga e doces, sanduíches a fazer as vezes de refeições e várias receitas com ovos.

Panquecas pumpkin spicy com amores perfeitos do Fauna & Flora
Panquecas pumpkin spicy com amores perfeitos do Fauna & Flora
©Manuel Manso

Fauna & Flora

Restaurantes Português Estrela/Lapa/Santos

No bonito Fauna & Flora há café da vizinha Flor da Selva, que o torra a lenha para aqui ser servido em expressos simples e lattes, a acompanhar a comida que puxa pelos elementos frescos, naturais e comprados ali no bairro. Tanto pode comer uma smoothie bowl logo de manhã como uma malga de arroz negro com cogumelo portobello, curgete e cebola roxa grelhada, abóbora caramelizada, milho baby e feijão fillet, um dos pratos novos.

Publicidade
Café Boavida
Café Boavida
©Duarte Drago

Café Boavida

Restaurantes Chiado/Cais do Sodré

Independentemente da hora
 e do tempo que esteja lá fora,
há sempre uma luz bonita no Café Boavida, graças ao pé direito altíssimo. Tem uma mezzanine e é normal encontrar pessoas por lá a trabalhar, com uma chávena na mão e um
prato ao lado, para ir comendo calmamente. À excepção do 
pão de fermentação lenta (da Gleba), é tudo feito ali, numa linha de cozinha 100% sustentável presente nas tibornas e saladas, nos pratos e sopas do dia, assinados pela chef Ana, do Banana’s Kitchen. Até o o leite de amêndoa, como alternativa para as bebidas de café, é feito de raíz. O café é 100% arábica, torrado a lenha aqui em Lisboa. Para além do menu, todos os dias há um prato e sopa do dia diferentes, vegetarianos ou vegan. Fique atento à página de Facebook, onde são anunciados workshops ou pop-ups especiais.

Dear Breakfast
Dear Breakfast
©Francisco Santos

Dear Breakfast

Restaurantes

Da larga oferta de ovos, que começa nos Benedict e continua pelos ovos Rothko, escalfados, em brioche, com tomate, queijo e chouriço, às tostas com manteiga de amendoim e fruta, aqui é
tudo idealizado para um bom pequeno-almoço prolongado até à tarde. As cadeiras de veludo azul ou rosa e as revistas sempre disponíveis para consulta pedem que vá ficando tranquilamente. Nas bebidas, pode optar por começar com uma Mimosa ou Bloody Mary (6,50€) e rematar com um expresso (1,50€) ou pink latte (3,20€).

Publicidade
Esteva
Esteva
©Manuel Manso

Esteva

Restaurantes Cafeteria Campo de Ourique

Aqueles com o olfacto mais apurado perceberão mais depressa o nome da nova cafetaria de Campo de Ourique. Esteva é uma planta muito abundante na Costa Vicentina, com um cheiro muito característico, presente nas jarrinhas que decoram as mesas do novo espaço de Camila Nascimento, a dona da loja Vintage Cactus, um paraíso de cactos e suculentas. Da necessidade de procurar um novo espaço para alojar as mais de 200 espécies de cactos e suculentas que tem na loja a meio caminho do Cais do Sodré – a Vintage Cactus fica num prédio antigo que há-de entrar em obras a qualquer momento – surgiu esta cafetaria. Seria uma loja demasiado grande apenas para plantas, por isso Camila chamou a amiga Teresa, vegan há 13 anos, e juntas pensaram no conceito de pequenos-almoços, almoços e jantares, refeições sempre ligeiras, sem nada de origem animal e assente numa cozinha simples e sazonal.

Heim Café
Heim Café
Fotografia: Arlindo Camacho

Heim Café

Restaurantes Cafés Santos

A fila à porta do Heim Café aos fins-de-semana é longa mas vale a pena esperar por um lugarzinho à mesa para comer os waffles, omeletes, saladas e sumos, à
carta ou presentes nos menus de brunch. Nas bebidas quentes há bom café simples (0,90€), cappuccinos (2,70€) e um café frio com leite e caramelo (2,70€), bom para refrescar nos dias que já começam a ser mais quentes.

Publicidade
Bettina & Niccoló Corallo
Bettina & Niccoló Corallo
©Manuel Manso

Bettina & Niccòlo Corallo

Compras Chocolates e doces Princípe Real

O mais provável, quando entrar nesta casa de bom chocolate e café vindo de São Tomé, é encontrar Bettina, matriarca da família Corallo, de volta do chocolate artesanal – a loja do Príncipe Real é também a fábrica. Mas no Time Out Market, no Cais do Sodré, há todos os ex-líbris. O puro chocolate artesanal feito com 70% a 100% de cacau proveniente de países como a Bolívia, a República Dominicana e a Venezuela, trabalhado diariamente, sem lecitina ou baunilha adicionadas para bombons, tabletes, brownie, salame ou sorvete de cacau. Os cafés são variados, de origem seleccionada, e vão bem com um pedaço de chocolate.

Landeau Rua de São Bento
Landeau Rua de São Bento
Manuel Manso

Landeau

Restaurantes Pastelarias Oeiras

O bolo de chocolate da Landeau entrou nos hábitos dos lisboetas com a mesma suavidade com que aquelas fatias entram nas suas bocas. Primeiro com um ateliê-loja e café na LX Factory, depois no Chiado e por fim na Rua de São Bento, onde têm uma loja decorada com máquinas de café antigas e pinturas de artistas como António Pinto Macedo. Acompanhe o dito bolo de três camadas (é bolo, mousse
e chocolate em pó, com fatias generosas a 3,70€) com um café (1€), um chá ou um cálice de Porto.

Publicidade
Kaffeehaus
Kaffeehaus
Fotografia: Ana Luzia

Kaffeehaus

Restaurantes Cafés Chiado

O café do restaurante austríaco do Chiado vem de uma torrefação artesanal na Áustria, onde trabalham com produtores brasileiros de pequena escala
e é um bom motivo para ir até
lá, assim como as salsichas artesanais com batatas wedges ou os bifes panados. Se não
for suficiente, entregue-se
sem remorsos a uma fatia de apfelstrudel. Aos dias de semana até as 12.00 e aos fins-de-semana, têm menus de brunch.

Bom café em Lisboa

Casa de Cafés Solposto
Inês Félix

As melhores lojas de chá e café em Lisboa

Compras Alimentos especializados

Quando terminar de ler as nossas sugestões a balança pode acusar uns quilos extra. Passamos a explicar: é que as misturas de chá e café não seriam as mesmas sem a companhia de bolachas, rebuçados, amêndoas, frutas caramelizadas, doces regionais e outros deliciosos demónios para a linha. Esqueça as preocupações, porque estas casas merecem mesmo uma visita. Grão a grão, ervinha a ervinha, gulodice a gulodice. Siga o nosso roteiro de casas de chá e café à antiga, entre sugestões históricas e espaços mais recentes que dão vida à tradição.  

Publicidade
Olisipo Coffee Roasters
Fotografia: Manuel Manso

Cheira bem, cheira a café: conheça estas torrefactoras em Lisboa

Restaurantes Cafés

O cheiro a café acabadinho de torrar, consegue imaginar? Damos-lhe as coordenadas de algumas torrefactoras em Lisboa onde o grão deixa de ser verde e fica bem torrado, por entre processos a lenha ou a gás. A torra do café é uma fase essencial para assegurar a qualidade do café e, sendo mal feita, pode mesmo arruinar todo o trabalho do produtor – seja ele de café comercial ou de café de especialidade. Em Lisboa já são poucos os locais que se dedicam a esta arte, e nós contamos-lhe aqui alguns dos segredos que se escondem entre grãos e cheirinho a café.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade