As melhores lojas de chá e café em Lisboa

Nestas lojas há mais do que chá e café. Há biscoitos, chocolates e outras bombas calóricas que valem a pena.
Casa de Cafés Solposto
Inês Félix
Por Mariana Correia de Barros |
Publicidade

Quando terminar de ler as nossas sugestões a balança pode acusar uns quilos extra. Passamos a explicar: é que as misturas de chá e café não seriam as mesmas sem a companhia de bolachas, rebuçados, amêndoas, frutas caramelizadas, doces regionais e outros deliciosos demónios para a linha. Esqueça as preocupações, porque estas casas merecem mesmo uma visita. Grão a grão, ervinha a ervinha, gulodice a gulodice. Siga o nosso roteiro de casas de chá e café à antiga, entre sugestões históricas e espaços mais recentes que dão vida à tradição. 

Recomendado: As melhores lojas tradicionais em Lisboa, bairro a bairro

As melhores lojas de chá e café em Lisboa

Casa Macário
Fotografia: Manuel Manso
Compras, Chocolates e doces

Casa Macário

icon-location-pin Baixa Pombalina

Nos parapeitos das janelas desta casa centenária da Rua Augusta ainda se podem ler as palavras “chá” e “café”, gravadas em placas de bronze. Lá dentro, em cima dos armários, estão sinais luminosos que anunciam “biscoitos” e “chocolates”. Faltam apenas as palavras “vinhos” e “guloseimas”
para completar o leque de produtos que aqui se vendem. Conhecidos pelos chás e cafés, tiveram durante vários anos uma torrefacção própria, altura em que recebiam o café em verde, vindo do mundo inteiro, mas continuam a comercializar os lotes da casa, a par de uma aposta em vinhos do Porto, dos séculos XIX e XX, de rebuçados, chocolates e outros doces.

Pérola do Chaimite
©DR
Compras

Pérola do Chaimite

icon-location-pin Avenidas Novas

A idade avançada não impediu a Pérola do Chaimite de continuar a apostar na divulgação e venda de produtos à moda dos tempos de hoje. Tem um delicioso site – e por delicioso entenda-se uma montra das dezenas de produtos gulosos que vende – e continua a trazer ao centro da cidade uma série de marcas, como os famosos bolos da Casa Gregório, em Sintra, o vinho de Carcavelos, os caramelos El Casario ou os rebuçados Diamante. Isto sem entrar na extensa lista de cafés de São Tomé e Príncipe, Colômbia ou Nicarágua e dos chás e tisanas que lhe deram fama ao longo dos anos e, pela popularidade do sítio, continuam a dar.

Publicidade
a mariazinha
©DR
Coisas para fazer

A Mariazinha

icon-location-pin Alvalade

A par do nome, é tudo
 apetitoso nesta casa de chás e cafés de Alvalade. A fachada azul turquesa, os placards informativos com a idade da loja ainda pendurados, as caixas que se enchem de boas amêndoas na Páscoa e até o facto de avisarem, via vídeo no Faceboook, que já estão a preparar o Natal de 2018 – uma prática, aliás, recorrente. Vá lá comprar guloseimas, frutos secos, chás ou o famoso lote Extra de café da casa, 60% arábica, 40% robusta.

Pérola do Rossio
Fotografia: Ana Luzia
Coisas para fazer

Pérola do Rossio

icon-location-pin Santa Maria Maior

O letreiro luminoso é um dos sobreviventes de um Rossio em néons que o tempo já não traz de volta, assim como as máquinas 
de moagem de café, para onde entram os grãos torrados do Lote Pérola do Rossio e do Ultramarino, este último feito apenas com cafés vindos de ex-colónias portuguesas. Há chás vendidos a quilo, de misturas pré-feitas ou de sabores escolhidos pelos clientes, há chocolates portugueses e suíços e muitos biscoitos, como os esses de Alcobaça.

Publicidade
Casa Pereira da Conceição
Fotografia: Manuel Manso
Compras, Chocolates e doces

Casa Pereira da Conceição

icon-location-pin Baixa Pombalina

A loja enche o olho mal se passa da porta, graças à incrível madeira de casquinha dos móveis, estilo Luís XVI. Depois enche as narinas com o aroma a café acabado de moer (o lote da casa é aposta certa) e, se quiser ficar para
 ouvir a história, contada por Margarida Pereira da Conceição, terceira geração na loja, também enche o ouvido. E ela lhe falará sobre os tempos em que o seu avô importava loiça da China, depois de Alcobaça e só mais tarde outras peças portuguesas, como as da Vista Alegre; ou como o lugar ocupado pelos leques de pau-santo e pintados à mão, teve em tempos exemplares de madrepérola ou tartaruga. Resumindo, é imperdível.

casa pereira
Fotografia: Manuel Manso
Compras, Chocolates e doces

Casa Pereira

icon-location-pin Chiado

Há as bolachas da Paupério, expostas em pratos individuais atrás de uma vitrine; há os gulosos chocolates com laranja; há o inconfundível cheiro a
café acabado de moer, sempre dos lotes da casa; há os vários chás que dão para meia hora de conversa até escolher um; há as gavetas cheias de rebuçados; e há os vários colaboradores – “Diga, menina, o que vai ser?” – sempre vestidos de fato cinzento. Aqui a antiguidade é a palavra de ordem.

Publicidade
a carioca
©Sergio Calleja
Compras, Alimentos especializados

A Carioca

icon-location-pin Bairro Alto

Experimente passar dez minutos encostado ao balcão desta pequenina e histórica 
loja de cafés e chás do Chiado
 e veja quantos turistas
 entram encantados com as preciosidades da montra, abrem a boca de espanto com as máquinas de moagem de café e saem com sacos cheios de, 
lá está, cafés, chás, bolachas, rebuçados e até cafeteiras manuais. Os cafés são torrados numa torrefacção própria nos Anjos (Negrita Cafés), os chás vêm da Índia, Japão, China e Açores (Gorreana), mas aqui também já piscam o olho à modernidade: há lotes da casa vendidos em cápsulas para as máquinas Nespresso – e são bem bons.

cafélia
Fotografia: Ana Luzia
Compras, Chocolates e doces

Cafélia

icon-location-pin Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

À esquerda, estão as bolachas 
da Paupério, dentro de caixas
 de tampa transparente para venda a peso; à direita, ficam os vários rebuçados, dos Penhas
 aos Caramelos; à frente, estão
os recipientes com frutos secos, muitos e variados; no balcão atrás guardam-se os cafés, como o lote Marquês de Pombal, o Bar ou o Cafélia, a cevada e a chicória; na cave, infelizmente não há metros quadrados à vista para tudo, ficam as ervas aromáticas. Dizer que não há espaço para mais uma agulha é mentira, porque na época de Páscoa a loja enche-se de amêndoas de todas as cores e sabores, de chocolates e ovos. Posto isto, só podemos desejar longa vida à Cafélia.

Publicidade
Compras

Moinho de São Bento

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Num trio de ruas onde abrem negócios novos todos os meses, é bonito ver que nesta loja/ restaurante ainda se vendem lotes de café à moda antiga, misturados aqui mesmo, 
e rebuçados a peso. O sítio passou a ser mais visitado para beber café e comer qualquer coisa rápida, mas ainda é possível apanhar umas fotos
 de armários antigos para usar um #lisboavintage e levar uns docinhos para a criançada da casa.

casa de café sol posto
©Diogo Camacho
Compras, Mercearias finas

Casa de Cafés Solposto

icon-location-pin Benfica/Monsanto

A casa remonta a 1949 e as suas montras deixam-se atafulhar por todas aquelas coisas que engordam, o que só pode ser positivo. Por aqui os chás e cafés cruzam-se com os doces regionais e não há como ignorar o soberbo nome de família ao leme do espaço — Solposto — acrescendo o facto de terem feito as delícias ao longo dos anos de um outro clã conhecido, o Lobo Antunes. 

Mais chá e café em Lisboa

Uma senhora bebe um café num café em Lisboa
© Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores cafés em Lisboa

Ir ao café é um hábito bem português, ainda que ao longo dos anos os cafés se tenham transformado, acompanharam os tempos, vestiram outras modas. Até já há cafés que se chamam café sem servir o dito, mas mantém a tradição do encontro. Seja para tomar o pequeno-almoço, lanchar com a família, fazer uma refeição ligeira, trabalhar, para se iniciar no universo dos baristas, encontrar amigos ou mostrar tudo isto nas redes sociais (para isso também vale a pena espreitar a nossa selecção dos cafés mais instagramáveis). Corremos os bairros e encontrámos os lugares que não dispensamos na hora da bica. 

Fabrica Coffee Roasters
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafeteria

Três sítios para beber café de especialidade

É aquele amigo que está sempre lá nas horas difíceis, das manhãs complicadas depois de uma grande noitada ou para aguentar firme mais um dia. Mas uma bica já não é só uma bica e ainda bem. O café de especialidade é um café cujos grãos não têm defeitos e são todos produzidos a, no mínimo, 1100 metros de altitude – na escala do SCAA, que mede a perfeição do café, este tipo de café artesanal tem mais de 80 pontos. Motivo, também, para o preço não ser o de um café expresso normal na tasca mais próxima. Mas nestes três sítios explicam-lhe tudo direitinho. Vá e peça o melhor café de especialidade. 

Publicidade
The Mill
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Os melhores sítios para tomar café em Lisboa

O que era simples tornou-se complexo. Antes bastava um simples "beba isto com açúcar", à café Nicola, que deu origem à bica lisboeta que está em todo o lado. A nova vaga, inspirada sobretudo pelas casas do norte da Europa complexificou o assunto — as novas cafetarias moem o café na hora e filtram-no através de processos delicados, dão-lhe a escolher entre diversos estilos e origens. Foram dias de insónias, mas aqui está a lista dos melhores sítios para tomar café em Lisboa. 

Chá de Bolhas
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Três sítios para beber chá de bolhas

O chá de bolhas é uma invenção que já vem de 1980, altura em que apareceu pela primeira vez em Taiwan. Existem imensas variedades disponíveis, dos chás de fruta aos chás de leite, servidos gelados ou quentes, com pequenas bolhas feitas de tapioca, com uma textura tipo goma, que são depois sugadas com palhinhas largas. A receita original asiática é precisamente um chá de leite, menos doce e feita com leite, chá preto e pérolas de tapioca, que acabam por dar mais textura do que propriamente sabor. Depois há outra versão, com bolinhas mais frágeis, que são esferificações que rebentam na boca, de vários sabores, como lichia, maracujá ou caramelo. Prove chá de bolhas num destes sítios. 

Publicidade