Os três melhores sítios para comer lapas

Prometem uma viagem às ilhas sem sair do continente. Agarre-se que nem uma lapa a este petisco
lapas do bar do peixe
Fotografia: Ana Luzia Lapas do Bar do Peixe
Por Mariana Correia de Barros |
Publicidade

O sabor dos Açores, o sabor da Madeira. Uma experiência riquíssima patrocinada por uma rápida deslocação na grande Lisboa. 

Os três melhores sítios para comer lapas

Bar do Peixe - Esplanada
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Frutos do mar

Bar do Peixe

icon-location-pin Grande Lisboa

As lapas do Bar do Peixe, servidas na chapa com molho de manteiga e regadas a limão, são tão famosas e fotogénicas, que já posaram para a capa desta mesma revista, no Verão de 2011. São apanhadas por pessoas da zona, garantem no restaurante, e vão muito bem depois de um dia a banhos de sol e mar.


Preço: 15€.

lapas de o madeirense
©X.MAYA
Restaurantes, Português

O Madeirense

icon-location-pin Lisboa

É o melhor restaurante da cidade para matar saudades da Madeira – ou treinar o palato para a comida da ilha antes de embarcar numa viagem. Como não podia deixar de ser, tem lapas grelhadas na frigideira, servidas com limão, ideais para anteceder um prato de filetes de peixe-espada com banana frita.

Preço: 15€.

Publicidade
laps do espaço açores
©DR
Restaurantes, Português

Espaço Açores

icon-location-pin Ajuda

É um dos únicos restaurantes açorianos de Lisboa (o único?), aberto no Mercado da Ajuda por um casal que veio do Pico. Além da linguiça com inhames, do bife à micaelense ou do pudim de chá, tem lapas na grelha, logo na lista de entradas. Uma viagem aos Açores a sair mais barata que um voo da Ryanair.

Preço: a partir de 11,30€.

Três sítios para...

Chá de Bolhas
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Beber chá de bolhas

O chá de bolhas é uma invenção que já vem de 1980, altura em que apareceu pela primeira vez em Taiwan. Existem imensas variedades disponíveis, dos chás de fruta aos chás de leite, servidos gelados ou quentes, com pequenas bolhas feitas de tapioca, com uma textura tipo goma, que são depois sugadas com palhinhas largas. A receita original asiática é precisamente um chá de leite, menos doce e feita com leite, chá preto e pérolas de tapioca, que acabam por dar mais textura do que propriamente sabor. Depois há outra versão, com bolinhas mais frágeis, que são esferificações que rebentam na boca, de vários sabores, como lichia, maracujá ou caramelo. Prove chá de bolhas num destes sítios. 

La Puttana - Marinara
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Comer pizza marinara

Há umas quantas teorias populares que explicam a origem do molho marinara e, portanto, da pizza marinara. Umas dizem que era o prato preparado pelas mulheres dos marinheiros para os receber em terra, outras afirmam que este molho simples e saboroso de tomate e alho foi inventado pelos marinheiro de Nápoles no regresso das Américas e que assim que fez a primeira pizza. Em qualquer dos casos a receita está ligada ao mar como o nome revela desde o início: marinara significa "do marinheiro" em italiano. Por Lisboa, não tarda estamos na época do tomate, a melhor ocasião para comer marinaras nestes três sítios. 

Publicidade
tabbouleh
DR
Restaurantes, Árabe e Médio Oriente

Comer tabbouleh

Esta nova palavra está a instalar-se com cada vez mais conforto em Lisboa: mezze. São pratos que enchem um mesa para uma refeição em grupo, cada um a rasgar pedaços de pão com a mão e a usá-os para agarrar as saladas, purés, arrozes e afins. São, no fundo, petiscos que enchem uma mesa do Médio Oriente e, para ser a sério, entre eles não poderá faltar o tabbouleh. O nome tem várias versões — taboulé, tabbouli, taboulah — e assim é também com a receita. O essencial é sempre a salsa, o limão, o bulgur, tomate e cebola. Em diferentes regiões substitui-se o bulgur por couscous, com mais ou menos salsa, com ou sem menta. Damos-lhe três sítios para comer tabbouleh em Lisboa e deliciar-se com as variações. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com