Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right 12 restaurantes em Cacilhas que tem de conhecer

12 restaurantes em Cacilhas que tem de conhecer

Fica a uma viagem de sete minutos de barco. Sete minutos que valem a travessia para conhecer estes restaurantes em Cacilhas

Publicidade
Boteco 47
©Francisco Santos

Há quem diga que é a margem certa, o sítio onde são feitos os sonhos. Cacilhas faz parte desse lote a Sul de Lisboa e é o sítio onde existem bons restaurantes de cozinha tradicional, pizzas em forno de lenha, petiscos para picar depois do trabalho ou as malgas de arroz com peixe cru da moda. E até bolas de Berlim com recheios criativos. Melhor, está praticamente tudo concentrado numa grande avenida, a Rua Cândido dos Reis, mesmo à saída do cais dos barcos (uma viagem Cais do Sodré-Cacilhas custa 1,20€). Além de novos restaurantes e dos clássicos que já se impuseram como reis do peixe fresco e de mariscadas, Cacilhas é uma zona do futuro: está envolvida no projecto Comunidade Carbono Zero

Recomendado: Um roteiro por Cacilhas

12 restaurantes em Cacilhas que tem de conhecer

1
meating steakhouse cacilhas
©DR
Restaurantes

Meating Steakhouse

Grande Lisboa

A febre da carne maturada já passou o Tejo. E ainda que não seja, de todo, o restaurante mais barato de Cacilhas é daqueles que vale o seu investimento num dia em que está a precisar de um bife para o deixar xexé. Têm vários cortes de carne disponíveis para pedir, do rib eye (250gr; 14,90€) ao t-bone (400gr; 25,90€). Para partilhar há um senhor chuletón (1kg; 59€) ou o steak&lobster, uma cauda de lagosta grelhada (300g) com um bife do lombo (59€). Há sete molhos diferentes e uma data de acompanhamentos, do mais básico ovo estrelado ao feijão preto com farofa.

2
cova funda cacilhas
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Cova Funda

Grande Lisboa

Existe há mais de cinco décadas, mas a actual gerência só chegou a este Cova Funda há dois anos. E de covas aqui não há nada. Só se for covinhas nos sorrisos de quem prova os pratos da casa, que incluem quase toda a peixeirada que ronda a costa nacional. Voltando à cova, dizem os clientes mais antigos que o nome tem origem numa estrutura interior que já não existe. Quem entrava, entrava mesmo para uma cova. Agora só há um degrau e iguarias como o tamboril à marinheiro.

Publicidade
3
CABRINHA
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Cabrinha

Grande Lisboa

Há 60 anos saíam daqui os barris de vinho para abastecer os bacalhoeiros atracados na Margem Sul. Na década de 70, a Cabrinha tornou-se marisqueira de fama, posição que ainda hoje ocupa com 18 qualidades de marisco à disposição, da lagosta aos cavacos. 

4
O farol
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

O Farol

Grande Lisboa

O peso pesado do marisco pode ficar fora da rua principal, mas não há visitante em Cacilhas que não passe por lá, mesmo que seja só para uma imperial e um prato de tremoços. O Farol é casa centenária, famosa pela variedade e pela qualidade do marisco mas também pelas condutas e depósitos que fazem com que a cerveja seja produzida, transportada e servida aqui sem nunca deixar de estar bem gelada. Os apreciadores do néctar atestam: aqui sabe melhor. 

Publicidade
5
ESTAMINÉ 1955
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Hambúrgueres

Estaminé 1955

Grande Lisboa

Em Cacilhas, hambúrgueres gourmet é no Estaminé 1955, votado pelos nossos leitores como o Melhor Restaurante nos prémios Time Out 2018. Os produtos nacionais são ingredientes de primeira ordem e o resultado é 
um cardápio onde ressaltam o Funchalense (com novilho, banana, agrião e molho madeira em bolo do caco) e o Barrosã ao 
Gerês (carne barrosão DOP, cebolada de tomate, ovo escalfado, courgete, queijo flamengo, azeitonas em pão de hamburguer artesanal). Para decorar o espaço,
 nada como utilizar o recheio
 que já vinha com a casa. O 
balcão é da antiga leitaria e 
tudo o resto é fruto de uma imaginação engenhosa:
 candeeiros feitos de molas da roupa, tanques a servir de lavatórios e uma mesa de matraquilhos como balcão de bebidas. 

6
MÁFIA DAS PIZZAS
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Pizza

Máfia das Pizzas

Grande Lisboa

Máfias italianas à parte, os fornos a lenha logo à entrada desta pizzaria impõem respeito. Os ingredientes base vêm de Itália, mas o resultado é mais português do que se poderia pensar. Há pizzas com morcela, farinheira e até de alheira, um toque tuga que já faz vir clientela da outra margem, onde pizzarias é coisa que não falta.

Publicidade
7
Restaurantes

A Toca

Grande Lisboa

Se existe um monopólio na Rua Cândido dos Reis é o de Manuel Silva, proprietário do restaurante A Toca há mais de 26 anos.
 Na casa-mãe, continua a servir
 as especialidades – migas de espargos com secretos, sopa de cação, espetada à madeirense e cozido de grão à alentejana –, mas o negócio já se expandiu para os dois restaurantes ao lado: o Cova Funda e a Casa do Bacalhau, onde toda a ementa gira em volta de um único conduto. 

8
Boteco 47
©Francisco Santos
Restaurantes

Boteco 47

Grande Lisboa

O Boteco 47 tem uma carta com muita escolha, um balcão e uma grande esplanada na rua principal. João Paulo Zortéa esteve na cozinha do Atira-te ao Rio, o restaurante no Ginjal com vista para o rio Tejo, nos últimos quatro anos, mas quis abrir o seu próprio projecto de “petiscos descontraídos sem pretensões”. Tem uma carta fixa, mas de três em três dias acrescenta três sugestões novas, muito inspiradas nas suas raízes brasileiras – como os corações de galinha com cebola e tomate.  

Publicidade
9
Restaurantes

Oficina da Carne

Grande Lisboa

Esta Oficina dedicada às boas carnes começou no Mercado da Romeira, um armazém na zona industrial de Almada que foi renovado para receber um mercado com restaurantes e bares. Os carnívoros aqui têm muito por onde escolher: há picanha, chuleton (uma costeleta de boi com 500 gramas), t-bone, maminha. Há cortes que pode escolher no prato, outros no pão. Se preferir um hambúrguer, aqui também se arranja e todos os meses há um diferente.

10
Restaurantes, Japonês

Maui

Grande Lisboa

A febre das poké bowls, um prato de pescadores havaianos, tradicionalmente feito com arroz, peixe cru e com um ou outro molho de influência oriental, também já chegou a Cacilhas. A Rua Cândido dos Reis completa o monopólio do mundo com o Maui, um restaurante japonês que tem várias opções de pokés (pode escolher o clássico ou ir acrescentando o seu peixe preferido e outros toppings) mas também temakis ou combinados de sushi.

Publicidade
11
Esplanada do restaurante Atira-te ao Rio
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Atira-te ao Rio

Grande Lisboa

É muitas vezes preterido em favor do Ponto Final, um ponto de referência uns metros mais à frente, com umas cadeiras amarelas em cima de um pontão no rio. O que significa que este Atira-te ao Rio, no Cais do Ginjal, acaba por ter menos gente na esplanada, também com uma vista incrível para Lisboa (especialmente agradável numa noite de Verão ao pôr-do-sol). Já foi mais tradicional, mas ainda serve bons pratos portugueses, como a caldeirada de bacalhau fresco com camarão e poejo, peixe-galo frito com arroz de tomate ou o espadarte com puré de beterraba.

12
Restaurantes, Italiano

PZA Pizzeria Romana alla Palla

Grande Lisboa

A vera pizza romana alla palla chegou a Cacilhas. Esta pizzaria tem apenas duas mesas compridas e uma decoração simples, a deixar brilhar as pizzas com ingredientes de qualidade, redondas ou mais ovais e compridas, consoante o número de pessoas – há três tamanhos, a pequena, a grande e a XL. Há sete opções bianche, sem tomate na base, e outras sete rosse. A carta completa-se com uma tábua mista de queijos e enchidos italianos, para abrir as hostilidades, e com três sobremesas onde não faltam os tradicionais tiramisú e panna cotta.

Já que vai para a outra margem...

Ginjal Terrasse
Fotografia:Ana Luzia
Noite

Três sítios para beber um copo na Margem Sul

Muitos lisboetas acham que fazer a travessia do Tejo é quase uma odisseia à lá Homero. Se desatarmos a fazer contas percebemos que em dez minutos de barco estamos em Cacilhas (ou no Cais do Sodré, claro) – ora, isto é seguramente mais rápido do que ir de Benfica à Baixa Pombalina. E isto seguramente também é só um exemplo. Sim, se optar pelo carro pode apanhar trânsito, mas a não ser que um camião TIR tenha uma avaria (ou que esteja a chover a potes) não vai haver grande drama. Dito isto, a escolha é sua. O que aqui lhe sugerimos é que se perca por um destes três bares almadenses. Uma cerveja artesanal na Birraria, uma noite no Ginjal Terrasse ou um copo de vinho n'A Cerca.  

Costa Caparica Geral
Fotografia: Inês Calado Rosa
Coisas para fazer

As melhores praias na Costa da Caparica

Há areais e marés para todos os gostos, destinos clássicos e paragens menos óbvias na Costa da Caparica. São 15 quilómetros de costa e muitas praias por onde escolher, sendo que a pré-época de veraneio é a altura perfeita para fintar as longas filas que costumam marcar a temporada estival. Mesmo que esse duro compasso de espera faça parte do programa, não desista de partir à descoberta da outra margem. Rume à Costa da Caparica e abanque no areal certo para si. Aqui estão as melhores praias da Costa da Caparica. 

Publicidade
Restaurantes

Os melhores bares e restaurantes na Costa da Caparica

Há areais e marés para todos os gostos, destinos clássicos e paragens menos óbvias na Costa da Caparica. São 15 quilómetros de costa e muitas praias por onde escolher. Mas e na hora de matar a fome ou beber um copo? Fica perdido, sem saber para onde se virar e como distinguir os bons restaurantes das armadilhas para turistas e veraneantes? Estamos cá para ajudar.  Reunimos 17 restaurantes, bares e esplanadas na Costa da Caparica, dos que o servem mesmo em cima da areia, aos que se afastam ligeiramente das ondas para servir brunches a qualquer hora do dia, peixe fresco ou sandes para levar para a praia. 

Publicidade