Nos restaurantes com vista em Lisboa não olhe só para o prato

Uma refeição a olhar para o Tejo ou para a cidade. Estes restaurantes com vista em Lisboa alimentam o corpo e a alma.
terraço 23
Fotografia: Francisco Santos
Por Catarina Moura e Inês Garcia |
Publicidade

O prato é tudo, mas se vier acompanhado de uma vista para admirar nos intervalos entre garfadas melhor. E vistas são o que não falta a esta cidade das sete colinas — se formos ao mais alto edifício da Bica temos Cais do Sodré e muito Tejo, do alto do centro da Baixa temos o traçado ortogonal do Marquês e ao fundo as ruínas do Carmo. Da colina oposta vê-se Castelo, Sé e Senhora do Monte e se formos até Belém, há um imenso Ginjal na outra margem e uma ponte digna de filmes estrangeiros. Não faltam vistas a esta cidade e restaurantes também não.

Recomendado: Os restaurantes mais bonitos em Lisboa

Nos restaurantes com vista em Lisboa não olhe só para o prato

Restaurantes

Epur

icon-location-pin Chiado

Vincent Farges deixou a Fortaleza do Guincho e as praias paradisíacas dos Barbados para ganhar uma vista para o Tejo. A carta não é fixa mas certo é que há sempre três entradas, uma com elementos de água, outra de horta e uma terceira de terra; três pratos principais, do mar ou do rio, do campo e recordações de receitas familiares; e três sobremesas, uma com chocolate, outra com fruta e uma vintage.

Okah
Arlindo Camacho
Restaurantes, Asiático contemporâneo

Okah

O grupo Zazah, do restaurante de cozinha internacional para partilhar do Príncipe Real, abriu no último piso do LACS Community of Creators, no Cais da Rocha Conde de Óbidos, um restaurante de inspiração asiática, com pratos como estas amêijoas garam masala. O espaço era tão grande que os donos o dividiram em dois: do outro lado há um bar com petiscos, o Zazah Good View. A vista é 360 sobre a cidade e até os contentores coloridos ajudam a compor o cenário.

Publicidade
topo belem
Manuel Manso
Restaurantes, Português

TOPO Belém

icon-location-pin Belém

O TOPO Belém dinamizou a antiga cafetaria do Centro Cultural de Belém (CCB) com uma carta dedicada à comida portuguesa, alguns cocktails criados para o espaço, e uma vista elevada sobre o Tejo e a ponte 25 de Abril. O resultado é o espaço mais formal de todos os da marca TOPO e o primeiro que não se foca no bar mas na mesa. O chef é Ricardo Benedito, responsável pela cozinha portuguesa que aposta em bons produtos e numa carta de vinhos bem pensada.

faz figura
DR
Restaurantes, Português

Faz Figura

icon-location-pin São Vicente 

Depois de obras no início de 2018 voltou de cara lavada e novas possibilidades: há 48 dispensadores de vinho numa das salas da entrada para andar por ali em provas de vinho e abrir o leque de hipóteses dos vinhos servidos a copo. A varanda com vista irrepreensível sobre o Santa Apolónia e o Tejo foi fechada e assim nem os temporais impedem os comensais de ver atracar os cruzeiros. Nesta varanda fechada há ainda um bar para espirituosas portuguesas e uma loja de produtos portugueses de pequenos produtores de Norte a Sul.

Publicidade
Cervejaria Sem Vergonha
©Manuel Manso
Restaurantes, Cervejarias

Cervejaria Sem Vergonha

icon-location-pin Lisboa

É uma cervejaria-marisqueira que não quer ter formalismos e tanto dá para uma imperial e um pires de tremoços ou prato de ostras como para uma refeição completa. O menu é muito completo, dos petiscos ao marisco (que vem dos viveiros do Guincho), pratos de peixe fresco e de carne. Melhor, tem uma esplanada grande e um miradouro (ainda) calmo, com vista para o Tejo.

Esplanada darwin
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Darwin's

icon-location-pin Belém

A ciência não está só nos laboratórios do edifício da Fundação Champalimaud. Está também no restaurante, se atentarmos no nome, nas paredes onde há frases do cientista e até na falsa biblioteca. A Fundação Champalimaud já é envolvência arquitectónica que justifique o comentário "rica vista". Mas há mais: de lá de dentro vê-se o rio de uma perspectiva única. As massas e risotos são os pratos fortes, mas há que dar um olhinho às opções de inspiração lusa, como os Brás, as bochechas ou as costelas de cordeiro com migas.

A Time Out diz
Publicidade
esplanada espelho d'agua
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Espaço Espelho d'Água

icon-location-pin Belém

À beira rio plantado, o Espaço Espelho d'Água é um restaurante com vista privilegiada para o Tejo, onde os sabores do Ocidente e Oriente se fundem numa cozinha que faz uma releitura de pratos clássicos portugueses, brasileiros, africanos e asiáticos. Além do restaurante há uma cafetaria onde pode fazer refeições mais rápidas. Juntam-se aos dois espaços uma pequena loja com peças de artistas brasileiros e uma galeria de arte de performances musicais.

Café Colonial, Príncipe Real
Fotografia: Arlindo Camacho
Noite

Café Príncipe Real

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

A abertura do Memmo Príncipe Real trouxe a Lisboa mais um restaurante de cozinha de autor, nas mãos do talentoso Vasco Lello. O conceito é uma celebração da lusofonia, numa viagem que percorre as influências dos portugueses nas cozinhas brasileira, africana e asiática. Daí que a ementa apresente pratos tão diferentes quanto a tempura de legumes da época, o pato asiático ou a queijada de mandioca. Tem uma vista esplêndida sobre a colina da Graça, Alfama, o Castelo e a Sé e um terraço com bar de cocktails para a aproveitar antes ou depois das refeições.

A Time Out diz
Publicidade
SUD Lisboa Terrazza
©DR
Restaurantes, Italiano

SUD Lisboa Terrazza

icon-location-pin Belém

O SUD comemorou um ano com uma nova carta no restaurante no rés-do-chão, à beira-rio. A identidade italiana mantém-se, assim como a entrada bestseller, a burrata fresca de Andria,  mas há novos pratos, como o rolo de massa recheado com ricota e espinafres salteados, coulis de tomate confitado e molho de queijo scarmoza fumado. Mantém-se a vista incrível sobre o Tejo e a piscina do último piso. A partir das 20.00 há sempre animação com DJ.

A Time Out diz
cantina das freiras
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Cantina das Freiras

icon-location-pin Santa Maria Maior

É o rooftop mais simples e barato da cidade, já que todos os outros estão provavelmente tomados por cocktelaria sofisticada, petiscos internacionais ou reinterpretações dos nacionais. Aqui come-se prato do dia e sobremesa (incluem-se bolinhos caseiros) por menos de 7 euros — é comida de cantina, sim senhor, mas com a melhor vista que uma cantina pode ter em dias de sol: em pleno Chiado, deixa ver o rio e a outra margem.

Publicidade
terraço 23
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes, Petiscos

Terraço 23

icon-location-pin Lisboa

O hotel Torel Palace tinha já uma cave – a Cave 23. No Verão de 2017 permitiu que se fizesse luz: formalizou-se o terraço e a vista sobre o rio e a Baixa como lugar de petiscos e pratos para partilhar com o Terraço 23. A carta está a cargo de Bernardo Agrela e tem inspiração vinda de todo o mundo: há noodles de curgete espiralizada com molho teriyaki, favas de soja e amêndoas, há tártaro de alcatara maturada, chicken and waffles ou croquetes de cozido. A vista apanha de um lado um palácio e do outro a baixa pombalina.

skybar oriente
Fotografia: Manuel Manso
Bares

Sky Bar Oriente

icon-location-pin Parque das Nações

O Tivoli Oriente desempoeirou o terraço e abriu um Sky Bar no 16.º piso do hotel – é mais alto que o da Avenida da Liberdade (que fica no 9.º andar), tem vista desafogada para o Tejo e ponte Vasco da Gama (com o Montijo e Alcochete ao fundo), petiscos, combinados de sushi de fusão e cocktails. Mais precisamente 13 cocktails de assinatura, fora os clássicos, que vêm para a mesa com pipocas e batatas fritas. E jarros de bebidas espirituosas para partilhar com os amigos. Para ir picando há ainda nachos com queijo cheddar, mini-pregos do lombo e uma secção de sushi de fusão, preparado num balcão à vista de todos.

Publicidade
Less pollux
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes

Less

icon-location-pin Baixa Pombalina

O pequeno café da Pollux, no 8º andar da loja de artigos para a casa e jardim, foi transformado pelo chef Miguel Castro e Silva mas mantem uma das melhores vistas sobre a baixa pombalina, com as ruinas do Carmo em destaque. Com a entrada do chef em cena chegaram os sofás confortáveis, as mesas grandes e uma carta mais requintada, onde não faltam pratos de grelha, como o atum e o lombo de vazia maturado.  

Restaurantes, Global

Suba

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

O palacete em pleno Miradouro de Santa Catarina (Adamastor, para os mais íntimos) foi todo renovado para se transformar no luxuoso Verride Palácio Santa Catarina. No último andar tem um pequeno miradouro com vista sobre toda a cidade. Literalmente: são 360º, com o rio e a margem sul de um lado e Lisboa do outro. É mesmo lá ao lado que fica o Suba, o restaurante que mistura fine dining e comida para partilhar. Na mesa, uma cozinha essencialmente internacional, pensada pelo chef Bruno Carvalho. A carta divide-se em frios e quentes: ostras com mignonette, um molho à base de vinho tinto e azeite, cones de figo com creme de foie gras ou uma bola de Berlim com creme de sapateira, atum tataki com alho preto e molho ponzu ou uma dobrada.

Restaurantes do mundo em Lisboa

Confraria LX
©DR
Restaurantes, Japonês

Os melhores restaurantes japoneses de Lisboa

A oferta de restaurantes japoneses em Lisboa cresceu em larga escala nos últimos anos. Nem tudo o que abriu, porém, tem a qualidade de matéria-prima desejada ou mãos que a saibam tratar como merece. Bem espremidos, são poucos aqueles servem bom sushi, seja ele mais ou menos tradicional, mas confecionado com talento. São poucos, mas já fazem um conjunto agradável. Ei-lo. 

comida de santo, feijoada brasileira
Arlindo Camacho
Restaurantes, Brasileiro

Sítios para comer comida brasileira em Lisboa, do pão de queijo à feijoada

Não lhe vamos falar de rodízios de carnes grelhadas em situações all you can eat ou restaurantes onde o buffet se vende ao peso. Nada contra, mas nesta lista, o caminho vai ser outro, pelos quitutes, esses petiscos pequeninos para matar a fome aqui e ali, pela Bahia, com os seus clássicos como o óleo de dendê, o camarão seco, os coentros ou o leite de coco, e pelos ingredientes brasileiros que nos últimos anos ficaram na moda deste lado do Atlântico, como a tapioca ou o açaí. Reunimos uns quantos sítios para comer comida brasileira em Lisboa onde há variedade no receituário e que estão – esperamos – a abrir caminho para mais restaurantes brasileiros em Lisboa. É que samba sem um prato à frente não enche barriga. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com