Galerias de arte em Lisboa: um roteiro alternativo

Entre talentos emergentes e nomes consagrados, conheça os lugares menos óbvios das galerias de arte em Lisboa
Ó Galeria
Fotografia: Arlindo Camacho A Ó Galeria, na Mouraria
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Museus e centros de difusão de arte contemporânea são o pão nosso de cada dia no habitual roteiro cultural dos lisboetas. Mas, onde andam os artistas emergentes? Esses que não correm as bocas do mundo e que têm potencial para mover montes e vales no panorama artístico? Nas galerias, está claro.

Enamorar-se de uma peça de design nórdico e aproveitar para ver o que está exposto nas paredes de uma loja no Cais do Sodré. Ir fazer compras à Mouraria e encontrar ilustrações no lugar de um antigo minimercado. Passear por Santos e acabar entre arte contemporânea e tatuagens. Todos estes cenários são possíveis e há muitos mais a descobrir com as galerias de arte em Lisboa.

Ora tome lá uma lista de galerias de arte alternativas, algumas ainda meninas e moças na capital onde se compra e desfruta de arte em todos os moldes. Cada uma delas merece uma visita com olhos de lince, atentos ao mais pequeno detalhe.

Recomendado: 20 museus que tem mesmo de visitar em Lisboa

Galerias de arte em Lisboa: um roteiro alternativo

1
galeria brisa
Arte, Arte contemporânea

Galeria Brisa

icon-location-pin Chiado

O casal Bebel Moraes e Daniel Mattar veio directamente do Rio de Janeiro para se apaixonar por Lisboa. A paixão pela cidade e pela arte fez com que abrissem uma galeria de arte contemporânea – a Brisa. Com uma longa experiência na área da fotografia é aí que está o ponto forte deste novo espaço no Chiado. As vivências no mundo da moda brasileira – ela como stylist e ele como fotógrafo – motivaram vários projectos fotográficos que abordam temáticas das sociedades tradicionais e que agora trazem para a nossa cidade.

2
primner
Arte

Primner

icon-location-pin Santa Maria Maior

Chegou a Lisboa pelas mãos de Andrea e Rodolfo Guerra, para se instalar junto à Sé. A Galeria Primner ainda cheira a novo e assume-se como um espaço totalmente dedicado à arte brasileira do século XX, com particular destaque para o concretismo e neoconcretismo, movimento artístico surgido no Rio de Janeiro. Assumem-se como um veículo de divulgação da arte contemporânea do Brasil em Portugal, que ajuda no diálogo transatlântico e no enriquecimento da diversidade multicultural de Lisboa.

Publicidade
3
Arte

Lisbon Gallery (by experimentadesign)

icon-location-pin Princípe Real

Foi pelas mãos da experimentadesign que nasceu uma nova galeria em Lisboa. A Lisbon Gallery instalou-se no Palácio do Príncipe Real e assenta em dois grandes pilares, o design e a arquitectura. Ocupa o piso térreo do Palácio e arranca com artistas como Amanda Levete, Claudia Moreira Salles, Fernando Brízio, Michael Anastassiades, Miguel Vieira Baptista, Naoto Fukasawa e o Estudio Campana.

4
JUANCRUZIBANEZ.COM
Arte

Uma Lulik

icon-location-pin Alvalade

A Uma Lulik é uma das mais recentes galerias de arte contemporânea na cidade. O espaço é dedicado à arte oriunda da América do Sul, África, Médio Oriente e sul da Ásia. A Uma Lulik tem como missão divulgar o trabalho de artistas daquelas regiões, funcionando como uma plataforma de divulgação e, simultaneamente, quer desmistificar a arte contemporânea proveniente de outras geografias emergentes.

Publicidade
5
Ó Galeria
Fotografia: Arlindo Camacho
Arte, Desenho e ilustração

Ó Galeria

icon-location-pin Castelo de São Jorge

Tudo começou no Porto, até que a casa-mãe decidiu dar um pulo até Lisboa e assim, em 2015, a Ó Galeria abriu portas em regime pop up store no espaço que antes pertenceu a um minimercado, em plena Mouraria. O conceito, fundado por Ema Sara Ribeiro, mantém-se. Por aqui passa o melhor da ilustração, com vários artistas da Invicta em destaque. "Onde há um lugar", de Daniel Moreira, marcou a agenda de Outubro.

6
Arte

Bicho Careto

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

A Bicho Careto é uma galeria na Rua de São Bento, que é um verdadeiro tesouro de artesanato. Se quer encontrar peças que fujam completamente da monotonia e onde a cor é rainha é, certamente, na Bicho Careto que o vai poder fazer. O forte sao as esculturas e cerâmicas, acompanhadas por algumas pinturas e fotografia — sendo que são todas de origens geográficas diferentes. Um mundo dentro de uma galeria. 

Publicidade
7
balcony
©DR
Arte

Balcony

icon-location-pin Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

A arte na cidade brota que nem flores. A Balcony chegou à cidade pelas mãos dos coleccionadores portugueses Luís Neiva, Paulo Caetano e Pedro Magalhães e pretende dar a conhecer novos artistas para servir de rampa de lançamento das jovens carreiras na arte contemporânea.

De paredes branquinhas e chão de linóleo azul, a galeria reúne um portefólio inicial de cinco artistas com menos de 45 anos de idade, que estima alargar à medida que as exposições se vão desenrolando. A galeria quer dar a conhecer e apoiar a afirmação de novos nomes, privilegiando o estabelecimento de relações de longo prazo, baseadas num processo de trabalho e maturação desenvolvido em conjunto com os seus artistas.

8
Thilde_Dalager
Arte, Galerias

Shiki Miki Gallery

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Contemporâneos experimentais a quebrar estereótipos artísticos e sociais. Aberta desde novembro de 2016, com The Holy Package, dos portugueses Bassanti e Binau, tem programação do artista Eduardo Moreira. Em cerca de 100 metros quadrados que contam com uma cave curvilínea acontecem exposições, mas também residências de artistas e workshops.

Publicidade
9
Galeria Madragoa
©DR
Arte, Arte contemporânea

Galeria Madragoa

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

É fácil adivinhar em que bairro alfacinha abriu as suas portas, em Abril de 2016. Na Galeria Madragoa, uma das mais recentes na cidade, a arte contemporânea concentra as atenções dos seus fundadores, o italiano Matteo Consonni e o português Gonçalo Jesus, apostados em cavalgar a onda cool que varre a capital. Um encontro latino firmado nesta zona histórica de Lisboa, de portas abertas para o mundo, já que o espaço pretende trabalhar com artistas nacionais e internacionais. Luís Lázaro Matos e Sara Chang Yan (Portugal), Renato Leotta (Itália), Adrián Balseca (Equador), Joanna Piotrowska (Polónia) e Rodrigo Hernandez (México) são os nomes em destaque.

10
WASTED RITA Solo Show at Underdogs10 Human beings - God's only mistake 27/03/2015
©DR
Arte

Galeria Underdogs

icon-location-pin Marvila

Hub criativo, residência artística e o que mais encontrar na Underdogs, uma das mecas da cultura visual e arte urbana, que já leva seis anos de vida. É aqui, num armazém de Marvila em tamanho XL, que desfilam trabalhos como os de Wasted Rita ou André da Loba. Já em Dezembro de 2014 surgia a respectiva Art Store, agora no Cais do Sodré, que assistiu ao cruzamento do projecto de Alexandre Farto (aka Vhils) com a Montana, a loja de material para writers de Miguel Negretti. Aproveite para tomar um café artesanal, provar um bagel e espreitar as edições com o carimbo da casa.

Mostrar mais

Arte em Lisboa

Tamara Alves
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

Roteiro de arte urbana em Lisboa

Nos últimos anos, Lisboa tornou-se uma das capitais mundiais da arte urbana Vhils, Bordalo II, Aka Corleone, Tamara Alves ou Mário Belém são alguns dos nomes mais sonantes neste roteiro de arte urbana em Lisboa. Embarque connosco num passeio alternativo pela cidade. 

Museu do Oriente
©Museu do Oriente
Museus

Os melhores museus em Lisboa

Edifícios relativamente novos, com linhas que são uma perdição para a fotografia, e clássicos da cidade que patrocinam autênticas viagens no tempo. Destaque-se ainda os inúmeros e regulares workshops e eventos que promovem para adultos e crianças, ou mesmo as cafetarias e brunches que também são pequenas obras de arte. Deixamo-lo com uma visita guiada aos melhores museus em Lisboa, dando razões para redescobrir endereços obrigatórios e ideias para explorar colecções surpreendentes.

Publicidade