Os melhores museus em Lisboa

Museus recentes e paragens históricas, sempre cheios de gente, como se quer. Estes são os melhores museus em Lisboa por onde tem de passar

©Museu do OrienteMuseu do Oriente

Edifícios relativamente novos, com linhas que são uma perdição para a fotografia, e clássicos da cidade que patrocinam autênticas viagens no tempo. Destaque-se ainda os inúmeros e regulares workshops e eventos que promovem para adultos e crianças, ou mesmo as cafetarias e brunches que também são pequenas obras de arte. Deixamo-lo com uma visita guiada aos melhores museus em Lisboa, dando razões para redescobrir endereços obrigatórios e ideias para explorar colecções surpreendentes. A lista de melhores museus em Lisboa não pára de crescer e nós estamos cá para actualizá-la.

Recomendado: 19 experiências imperdíveis nos Museus em Lisboa

 

Os melhores museus em Lisboa

1

The Sweet Art Museum

É a grande novidade na cidade em 2018, apesar do seu carácter temporário (e da imagem ainda o revelar em obras). Neste espaço, as regras são inversamente proporcionais àquelas a que tem de obedecer nos outros museus. As proibições desaparecem para darem lugar a experiências – pode fotografar, tocar nas obras e, imagine-se, mergulhar nelas. O The Sweet Art Museum instala-se numa transversal da Rua do Açúcar, em Marvila, e, durante três meses, vai deixar a cidade mais doce e os feeds de Instagram mais rosa. O museu tem oito salas, uma delas pensada pela artista portuguesa Maria Imaginário, sendo que algumas contam com degustação de doces. 

Marvila
2

Museu Calouste Gulbenkian - Colecção do Fundador

Lá dentro, há arte egípcia e greco-romana, pinturas de Rembrandt e Manet, uma Diana de mármore que pertenceu a Catarina da Rússia e uma libélula de arte nova, a estrela entre as jóias de René Lalique. No jardim, os recantos foram desenhados por Ribeiro Telles: conte com lagos, patos, pinturas, actividades e gelados. 

São Sebastião
Publicidade
3

Museu Calouste Gulbenkian - Colecção Moderna

Qualquer desculpa é boa para regressar a este endereço repleto de nomes do modernismo português e arte britânica do século XX. Amadeo de Souza-Cardoso ou Vieira da Silva são apenas algumas das razões para uma passagem pelo edifício localizado na parte sul dos jardins da fundação, projectado por Leslie Martin. Desde Janeiro de 2016 que o CAM passou a funcionar sob a gestão da mesma directora do Museu Gulbenkian, Penelope Curtis. 

São Sebastião
4

Casa das Histórias

A casa assinada por Souto de Moura é a jóia da coroa do Bairro dos Museus, criado para gerar sinergias entre 12 museus da vila de Cascais. A colecção deste espaço, constituído por pintura, desenho e gravura, reflecte o  percurso artístico e criativo de Paula Rego, percorrendo cerca de 50 anos, e inclui ainda obras do seu marido, o artista britânico, Victor Willing. No total, são 620 obras obrigatórias. 

+ Contos Tradicionais e Contos de Fadas: a nova exposição de Paula Rego

Cascais
Publicidade
5

Casa Fernando Pessoa

A casa onde Pessoa viveu os últimos 15 anos não é um museu, mas uma casa de autor, com a sua preciosa biblioteca, exposições temporárias e uma sala multimédia a contar a vida do escritor. Mas é no quarto do poeta que apetece demorar: está lá a máquina de escrever, há cópias de manuscritos sobre a cómoda, os lápis afiados que Pessoa guardava no bolso e até uma carta astral, a lembrar o seu lado místico. Na parede, o contrato de arrendamento é o original: 14 escudos /mês.

Campo de Ourique
6

MUDE - Museu do Design e da Moda

Encerrou a 15 de Maio de 2016 para obras, já esteve para abrir em 2017 (os atrasos ditaram o adiamento), os prazos apontavam para meados deste ano (mais atrasos), e entretanto a direcção do MUDE – Museu do Design e da Moda, que inclui a colecção de Francisco Capelo e mais de 2500 peças, adiantou que o museu só deve regressar à Rua Augusta em 2019. Para que a espera seja mais branda, lembre-se que no cimo do prédio vai nascer um bar e um restaurante, com cerca de 400 m2 de interior e 200 m2 de esplanada, e que o acesso dispensará passagem pelo museu. Sim, estamos a falar de um hiperterraço com vista sobre a cidade. Entretanto, tem promovido mostras fora de portas. Tem até 15 de Julho para ver Tanto Mar. Fluxos Transatlânticos do Design (no Palácio dos Condes da Calheta, Rua General João de Almeida, 15).

Baixa Pombalina
Publicidade
7

Fundação Arpad Szenes - Vieira da Silva

Foi em Paris que a pintora de perspectivas labirínticas conheceu o húngaro Arpad Szenes, mas foi a Lisboa que Vieira da Silva deixou o legado de ambos: desenhos e pinturas, mas também ilustrações, fotografias e cartas. As obras de coleccionadores e herdeiros também estão no museu e os pincéis e tintas de Vieira da Silva permanecem na casa onde morou, a mesma onde acontecem eventos relacionados com o ateliê e residências artísticas.  

Avenida da Liberdade/Príncipe Real
8

Museu Arqueológico do Carmo

Não tenha medo de levar os miúdos a ver as peças que aqui se mostram – são deles as perguntas mais curiosas e são eles que menos incómodo revelam quando se cruzam com o ex-líbris do Museu Arqueológico do Carmo. Falamos de múmias, que deram entrada na colecção em finais do século XIX, pela mão daquele que viria a ser o segundo presidente do museu, o Conde de São Januário. Mas há muito mais a descobrir, acredite.

+ Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e muito divertidos

Chiado
Publicidade
9

Museu Colecção Berardo

Há 862 razões para voltar sempre ao CCB, entre o acervo e a exposição, que atravessa o século XX. A colecção Berardo inclui dois Picasso e uma tela de Chagall de 23 metros que foi avaliada pela Christie's em 316 milhões de euros. Se gosta de curiosidades, saiba que a obra mais valiosa da colecção é mesmo o quadro de Picasso Femme dans un fauteuil (métamorphose), de 1929, avaliado em 18 milhões de euros.   

Belém
10
Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia – MAAT

Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia – MAAT

O MAAT nasceu em Junho de 2016, inaugurou em Outubro desse ano e começou a funcionar em pleno em Março de 2017. Sem direito a quaisquer confusões, são as curvas desenhadas pela inglesa Amanda Levete, campeãs da atenção nas redes sociais, que mais chamam a atenção neste reduto imprescindível à beira-rio. Esteja atento à programação e actividades paralelas.

+ Exposições que tem que ver até ao fim do ano em Lisboa

 

 

Publicidade
Mostrar mais
Mais museus em Lisboa

Mais museus em Lisboa

Paragens obrigatórias no Bairro dos Museus em Cascais

Cascais criou um verdadeiro microclima cultural com a implementação daquilo a que chamou Bairro dos Museus. O conceito é simples e só requer que dê umas voltinhas pelo perímetro que concentra um conjunto de equipamentos dedicados à cultura na vila. Concebido pela Câmara Municipal de Cascais e pela Fundação D. Luís I, o Bairro dos Museus em Cascais distingue-se pela forte componente de inovação e coerência cultural. Para entrar nos edifícios pode optar (vá por nós, que compensa) por comprar o bilhete único. Custa 8€ e dá acesso a todos os equipamentos do Bairro dos Museus. Preparado para a maratona? O Centro Cultural de Cascais, a Casa Sommer, o Museu Conde Castro Guimarães, a Casa das Histórias de Paula Rego e a Casa de Santa Maria são os pontos de paragem obrigatória neste roteiro cultural. Prometida para breve, está a abertura do Museu de Arte Urbana, a próxima grande atracção da zona. 

Por Francisca Dias Real
Publicidade

Museus e monumentos a não perder em Belém

De antigos coches a peças modernas, de edifícios que se perdem nos tempos a estruturas que ainda cheiram a fresco em Lisboa. Reserve um tempo na sua agenda para explorar a zona de Belém e arredores. Siga o roteiro de museus e monumentos, e faça o favor de compor a ordem da visita a seu gosto. 

Por Maria Ramos Silva

Comentários

0 comments