Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Um roteiro por Cacilhas
Cacilhas
©Duarte Drago

Um roteiro por Cacilhas

Esqueça Marvila, esqueça o Príncipe Real ou o Bairro Alto e tome nota: Cacilhas é a zona a ter em conta.

Por Tiago Neto
Publicidade

Já houve planos para lhe trazer uma Manhattan, mas o projecto de Manuel Graça Dias e Egas José Vieira havia de cair por terra. Anos mais tarde, encaixou numa designação doce ao ouvido, “Lisbon South Bay”, sem nunca se render, e foi seguindo à sua própria pulsação como um poema bastardo de uma Lisboa que sempre a olhou com indiferença. O fado não lhe chegou, a ponte roubou-lhe as gentes, e a Lisnave deixou-lhe o postal saudosista de um passado que poucos pensavam ser possível recuperar. Ainda assim, a ex-freguesia a sul do Tejo está de pé e vibra muito para além da banda sonora de cacilheiros e gaivotas. Tudo a dez minutos do centro, e sempre com a vantagem de o passe metropolitano já lá chegar. Este é o roteiro por Cacilhas obrigatório a fazer.

Recomendado: Os melhores passeios de barco no rio Tejo

Uma foto da Time Out Magazine

A Time In Portugal já está disponível

Pode ler a última edição no conforto do seu sofá

Ler a revista

Um roteiro por Cacilhas

Atira-te ao Rio
©Duarte Drago

Atire-se ao rio no prato

Restaurantes Grande Lisboa

O restaurante que serve de varanda para o Tejo abriu pela mão de Mikas, um dos nomes que pôs a Bica no mapa, numa altura em que ninguém acreditava possível. Hoje, quase a completar três décadas, o Atira-te ao Rio é uma instituição que continua a levar bocas ao cais do Ginjal, seja pelo marisco ou pela carne. E pela vista, claro está.

Boteco 47
©Francisco Santos

Suje as mãos sem vergonha

Restaurantes Grande Lisboa

Nem tudo no Boteco 47 é para comer sem faca e garfo, mas há forma melhor de provar o camarão frito, o prego de novilho ou as sardinhas, que não envolva um valente linguado aos dedos no fim? Acreditamos que não. E, para além dos petiscos acima, a casa no 47 da Cândido dos Reis também chega ao tataki de atum e ao picadinho de espadarte. É passar e ver qual a sugestão do dia.

Publicidade
Submarino-Museu Barracuda
©DR

Viva a História

Atracções Edifícios e locais históricos Grande Lisboa

Sem querer entrar no campo do saudosismo – mas fazendo-o, até porque não é todos os dias que temos acesso a algo do género –, é em Cacilhas que repousa o agora museu-submarino Barracuda. Reformado em 2009, depois de mais de quatro décadas de serviço, este pedaço de património cumpriu a última viagem em 2013, altura em que fez casa permanente no núcleo museológico da Marinha Portuguesa. 

Estaminé 1955
©Claudio Damiao

Preste culto ao glorioso hambúrguer

Restaurantes Hambúrgueres Grande Lisboa

Desengane-se se achava que só os atletas chegavam ao estatuto de velha glória – é que o Estaminé 1955 foi um dos galardoados do prémio Melhor Restaurante de 2018 pelos leitores da Time Out e, bom, isso eleva-o a outro patamar. A razão é simples: os hambúrgueres, essa combinação mágica de carne e pão que tanto conforto nos tem dado. E sim, também há opções vegetarianas que fazem valer a viagem.

Publicidade
Ginjal Terrasse
©Ana Luzia

Fique a ver navios

Noite Cafés/bares Grande Lisboa

Para esta nem precisa de binóculos, é que no Ginjal Terrasse está literalmente em cima do rio. Imagine este plano: entra, senta-se e, além da vista sobre a Lisboa ribeirinha que vai ter, de copo na mão, ainda consegue apanhar aquele pôr- -do-sol perfeito. Para que não falte ânimo, a carta tem ainda opções para ir petiscando. Portanto, como não?

MÁFIA DAS PIZZAS
©Ana Luzia

Discriminalize a "família"

Restaurantes Pizza Grande Lisboa

Como somos a favor da inclusão, partimos do princípio de que nem todas as máfias são más. A Máfia das Pizzas foi, por isso, um bom argumento nesta senda, mais não seja porque é muito difícil resistir a tudo o que inclua pizza no nome. Aqui as opções variam entre as brancas ou com molho de tomate, que vão da rústica (9,95€) à prosciutto crudo (10,95€) passando pela Bianca com azeite e alecrim (3€) ou a salada do chef (7€).

Publicidade
O farol
©Ana Luzia

Sinalize o tráfego marítimo-gastronómico

Restaurantes Grande Lisboa

E o que quer isto dizer? Nada mais, nada menos do que rumar ao Restaurante Farol, outro dos ex-líbris da Cacilhas ribeirinha. Mariscada é o assunto principal, e não há muito que enganar: da lagosta ao camarão de Moçambique, da sapateira à amêijoa, pelo misto de marisco (28€) ou pelo super especial para 4 pessoas (104€). Tudo depende do apetite.

meating steakhouse cacilhas
©DR

Corte na dieta

Restaurantes Grande Lisboa

Na Meating Steakhouse o tema é, como denuncia o nome, a carne. Maior, menor, de frango, da vazia, de picanha, do lombo, enfim, há cortes para todos os gostos. Mas se acha que não chega, não desespere, porque a estes juntam-se ainda o chuletón de 1 kg para duas pessoas (59€) ou o signature steak & lobster, uma combinação com 300 gramas de cauda de lagosta e outras 300 de bife do lombo (59€). 

Publicidade
Ponto Final
©Duarte Drago

Pontue à mesa

Restaurantes Grande Lisboa

Se lhe chegarem umas petingas de escabeche (5€), um arroz de tamboril para dois (39,50€) ou uma dourada grelhada (15,50€) já está a marcar pontos – é que no Ponto Final – logo ali pertinho do elevador da Boca do Vento, ao fundo do Cais do Ginjal –, estas são algumas das opções da carta. Quer mais vantagens? Está, também, em cima do rio. E se a coragem for muita, quase que consegue molhar os pés. Quase.

Mercadinho do Povo
DR

Coma, beba, escape e fume

Coisas para fazer Grande Lisboa

É shisha bar, é restaurante, é escape room temático – com o do filme A Ressaca incluído, onde beber faz parte para conseguir encontrar a saída – portanto ficava impossível não fazer referência ao Mercadinho do Povo, onde o comércio local é recriado como na Lisboa de antigamente. Faça-se à estrada, ou ao rio, e tente fazer tudo de uma vez. Tenha só atenção à ordem.

Publicidade
Meia Volta de Úrano
©DR

Viaje pelo universo cultural

Arte Centros de artes Grande Lisboa

Abriu em Julho de 2016 e veio acrescentar livros à Rua Cândido dos Reis, essa tudo-em-um cacilhense. O nome é bonito para entoar antes das 02.00, hora pela qual fecha esta Meia Volta de Úrano – Casa das Artes, que é bar, livraria, galeria de arte, tem um palco para miniconcertos e jam sessions e jogos de tabuleiros. É um fartote. Imaginemos se fosse uma volta completa

Já que vai atravessar a ponte...

Aya Bistrôt
Fotografia: Manuel Manso

Os restaurantes em Almada que vale a pena conhecer

Restaurantes

Não se deixe intimidar pelas filas e os relatos de trânsito da ponte 25 de Abril, até porque enquanto não há táxis aquáticos tem cacilheiros com percursos rápidos no Tejo para chegar a Cacilhas – daí a Almada é um tirinho. Explore a outra margem e marque mesa nestes restaurantes em Almada. 

Boteco 47
©Francisco Santos

Dez restaurantes em Cacilhas que tem de conhecer

Restaurantes

Há quem diga que é a margem certa, o sítio onde são feitos os sonhos. Cacilhas faz parte desse lote a Sul de Lisboa e é o sítio onde existem bons restaurantes de cozinha tradicional, pizzas em forno de lenha, petiscos para picar depois do trabalho ou as malgas de arroz com peixe cru da moda.

Publicidade
Costa Caparica Geral
Fotografia: Inês Calado Rosa

As melhores praias na Costa da Caparica

Coisas para fazer

Há areais e marés para todos os gostos, destinos clássicos e paragens menos óbvias na Costa da Caparica. São 15 quilómetros de costa e muitas praias por onde escolher, sendo que a pré-época de veraneio é a altura perfeita para fintar as longas filas que costumam marcar a temporada estival. Mesmo que esse duro compasso de espera faça parte do programa, não desista de partir à descoberta da outra margem. 

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade