Os melhores estúdios de tatuagens em Lisboa

Perdemos o medo das agulhas, pusemos os braços de fora e fomos à procura dos melhores estúdios de tatuagens em Lisboa
fiasco
Fotografia: Inês Félix
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

As tatuagens não são fruto da modernidade. Pigmentam a derme humana há milhares de anos e a pouco e pouco vão vencendo as fronteiras da cultura underground. E o que é que todos estes espaços têm em comum? Bem, além de serem os melhores estúdios de tatuagens em Lisboa e arredores, trazem um extra: os piercings. Do estilo old school ou uma declaração de amor à mãe, àquela frase sentimentalóide que, a certa altura da vida, muita gente sente necessidade de gravar no corpo, estes artistas dão conta de qualquer recado.

Recomendado: Os sítios mais alternativos que tem de conhecer em Lisboa

Os melhores estúdios de tatuagens em Lisboa

Bang bang Tattoo
©Kitty Cat Kustom Arts
Compras, Tatuagens e piercings

Bang Bang Tattoo

icon-location-pin Sintra

Como em qualquer estúdio de tatuagens, aqui os donos são o principal cartão de visita, mas com um bónus. É que, em qualquer parte do mundo, Eduardo e Nazaré Pinela dão nas vistas. Vivem o estilo rockabilly ao máximo e isso, a somar às habilidades com as agulhas, leva muito boa gente a viajar até Sintra para fazer uma tatuagem. O que a freguesia pede é lei, se bem que a especialidade vai ser bater à porta dos clássicos. Dos corações e das âncoras aos punhais e piratas, o Bang Bang Tattoo parou no tempo das pin-ups e dos marinheiros. E isso merece ser visto de perto, até pelos eternos virgens de pele.

Duarte Drago
Coisas para fazer

Flourish and Blotts

icon-location-pin Lisboa

Os mais atentos devem estar à espera de uma livraria para estudantes de feitiçaria (alô, fãs de Harry Potter), mas aqui só se encontram estudantes de Belas Artes: Daisy e Karu – uma  de Arruda, outra de Fátima. Fazem tatuagens (mínimo  40€)que são autênticas ilustrações modernas cravadas na pele. Não há limites para a imaginação.

Publicidade
fiasco
Fotografia: Inês Félix
Coisas para fazer

Fiasco

icon-location-pin Baixa Pombalina

É a Franjarte, uma loja que vende franjas, borlas, cordões e puxadores (em bom rigor uma sirgaria/ passamanaria) que dá as boas-vindas a quem passa a porta do número 234 da Rua dos Fanqueiros em direcção a um verdadeiro Fiasco. Vai-se direitinho ao 2.º piso, mas não pense que vai ao engano – é mesmo assim e Fiasco só de nome, sem presságios desastrosos à vista. Este é o novo estúdio de tatuagens da cidade. Lá dentro, o trabalho divide-se entre quatro tatuadores de uma nova vaga artística, aquilo a que chamam de tatuagem contemporânea, com o mesmo rigor de sempre mas maior liberdade de criação. E não há repetições: cada tatuagem é única.  No Fiasco, além da sala comum, há quatro estúdios, cada um de seu tatuador, que funcionam de forma independente. São eles Cíntia Coutinho (Espirro), Charleine Boieiro (Françoise Tattoo), Luana Saldanha (Lixo.Eletrónico) e Luís Julião (Tattoos You Will Regret), nomes para procurar no Instagram.

Bad Bones
Fotografia: Ana Luzia
Compras, Tatuagens e piercings

Bad Bones

icon-location-pin Bairro Alto

Não há desenhos demasiado elaborados nem partes do corpo demasiado recônditas para o Bad Bones, um dos símbolos do Bairro Alto alternativo. Se bem que a história deste estúdio começou, imagine-se, em Campo de Ourique, já lá vão quase 30 anos. Fontinha e Natasha continuam ao leme e não deixam que a rota se desvie um centímetro que seja do mais puro espírito rock’n’roll. Não é por acaso que alguns roqueiros nacionais já passaram (e continuam a passar) por aqui. Não são os únicos. Com um historial destes, o Bad Bones é o estúdio lisboeta que passa de pais para filhos.

Publicidade
barbearia oliveira tattoo
Fotografia: Manuel Manso
Compras, Tatuagens e piercings

Damage InKorporation

icon-location-pin Marvila

Ele é realismo, ele é oriental (lá que está a oriente, está), ele é tribal, ele até é aquelas lamechices que, volta e meia, alguém se lembra de tatuar. Ele é também um estúdio de tatuagens cheio de personalidade. O Damage InKorporation abriu em 2012 e escolheu logo ficar de fora do grande centro. No Poço do Bispo, conquistou uma clientela fiel, mérito do trabalho de Sérgio Ricardo, Edgar Valerio e Pedro Miguens, os artistas residentes. Lá dentro, há vitrines que merecem ser vistas de perto – relíquias de tatuador, de um lado, uma colecção de máscaras indonésias (e não só) do outro. Ah, e este estúdio tem um extra logo à entrada. A Barbearia Oliveira encaixou aqui que nem uma luva e veio subir o nível à mudança de visual.

familia amorim tattoo
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

Tattoo Amorim

icon-location-pin Cais do Sodré

A família Amorim não pára de crescer. Depois de oito anos na Almirante Reis, deu o salto para o Chiado, para uma casa arejada, com paredes brancas e bem iluminadas e um ambiente bem diferente do que estamos habituados a encontrar em estúdios de tatuagens. Em Maio de 2018, ganhou mais uma morada, desta vez no Cais do Sodré. A pinta de galeria de arte mantém-se, com as tatuagens a transformarem-se em ilustrações emolduradas nas paredes. O estilo continua virado para o Oriente, especialmente para o universo das tatuagens japonesas. O que não quer dizer que não se façam outras coisas, mas sempre com o cunho artístico dos tatuadores de serviço.

Mostrar mais

Lisboa cheia de pinta

Prado
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os restaurantes mais bonitos em Lisboa

Espelho meu, espelho meu, haverá algum restaurante mais bonito do que eu? A pergunta é legítima, dado o esforço que os restaurateurs desta cidade têm feito em montar projectos de encher o olho. E a verdade é que os olhos não só comem o que vem para a mesa como também gostam de um espaço cuidado e decorado com gosto. 

Alfaiataria
Fotografia: Ana Luzia
Noite

Os bares mais bonitos em Lisboa

Uma antiga alfaiataria, os bares do famoso coleccionador Luís Pinto Coelho, uma antiga pensão de prostitutas ou um wine bar coberto de garrafas de vinho. Lisboa é linda e tem bares lindos. Estes que aqui lhe apresentamos são algumas das mais distintas casas nocturnas da cidade, sobretudo pela arte decorativa que contém. Ainda que estejamos conscientes de que a beleza é uma coisa subjectiva e que o estimado leitor possa ter uma opinião bem diferente da nossa. 

Publicidade
caixas correios
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Os sítios mais instagramáveis em Lisboa

Eu instagramo, tu instagramas, nós instagramamos. A conjugação pode travar um pouco a língua mas não há mesmo volta a dar: o verbo instagramar entrou no léxico urbano e não é certo que o abandone em breve. Se já não sabe viver sem actualizar o seu Instagram, siga o nosso roteiro de recantos bem instagramáveis em Lisboa, dos museus ao restaurante da moda, passando por propriedades privadas fáceis de entrar e dar o clique. 

Publicidade