A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
museu da gulbenkian
DR

Concertos em Lisboa em Julho

Não há festivais e os concertos em Lisboa ainda são poucos. Mas não faltam alternativas para ver e ouvir online

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

O levantamento do estado de emergência e o desconfinamento progressivo já foram boas ajudas para que a normalidade pudesse começar a retomar-se. Contudo, a música ao vivo ainda não acompanha a tendência, o que acaba por ser um sinal de responsabilidade. Julho era o mês dos festivais de verão, das tours sucessivas, dos concertos sem fim, mas este ano a agenda alterou-se. Estão marcados alguns concertos em Lisboa em Julho, mas a melhor aposta continua a ser o online, onde vai encontrando música com fartura e alguns dos concertos mais emblemáticos de sempre.

Recomendado: Concertos em Lisboa – Os melhores concertos mês a mês

Mais concertos

  • Música

Ficar em casa com a chuva lá fora a cair é uma das melhores coisas que pode fazer. Mas merece sempre uma banda sonora à altura. Por isso mesmo, fomos à procura das melhores canções para dias cinzentos. Não interessa se o objectivo é acompanhar a melancolia dos dias ou atirá-la porta fora. Há opções para todos os gostos: os XTC a aproximar-se do opulento som dos Beatles, baladas de partir o coração das pedras da calçada, gritos de revolta e revolução ou boas canções country-folk à moda americana. A escolha é sua, mas o melhor é enfiar-se debaixo das mantas e pôr a banda sonora a tocar.

  • Música

O reino misterioso do sono nunca deixou de atrair os compositores de canções e, entre muitas escolhas possíveis, há neste lote gente conhecida como os Beatles, os Smiths e os Smashing Pumpkins. Estas oito substâncias hipnóticas podem ser tomadas sem receita médica, mas há que ter em atenção que alguns poderão produzir, nas almas mais sensíveis e quando consumidos repetidamente, efeitos secundários imprevisíveis. O importante é reter que as canções de embalar, apesar de talvez terem sido as primeiras criações musicais do homo sapiens, não são um género esgotado. A prova está aqui.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade