A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Rua Cor de Rosa
Fotografia: Mariana Valle LimaRua Cor de Rosa

Seis bares na Rua Cor-de-Rosa

No chão mudou-se a cor e na rua mudaram-se as gentes. Conheça seis paragens obrigatórias na Rua Cor-de-Rosa.

Raquel Dias da Silva
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Depois de uma transformação profunda, iniciada ainda em meados dos anos zero, a década passada viu o Cais do Sodré impor-se como um dos epicentros da noite lisboeta. Outra vez. Um dos momentos-chave desta renovação foi a pintura do pavimento da Rua Nova do Carvalho, que em 2011 passou a ser conhecida como a Rua Cor-de-Rosa – ou pink street, na linguagem dos turistas – e virou íman para todos os que procuram a noite. Neste recanto da cidade, entretanto ocupado por esplanadas e chapéus de sol coloridos, o decadente deu lugar ao cool e o kitsch passou a ser um ponto a favor. Hoje, estes seis bares na Rua-Cor-de-Rosa são paragens obrigatórias.

Recomendado: As melhores discotecas em Lisboa

Seis bares na Rua Cor-de-Rosa

  • Bares
  • Cais do Sodré

A noite não se faz só de barulho e copos. Há cinco anos, Cristina Ovídio transformou a vontade em realidade e abriu uma livraria que também é bar – ou um bar que também é livraria. No fundo, um espaço literário com comes e bebes e uma agenda cultural animada, que inclui desde encontros literários e workshops até música ao vivo. “Cresci com pais ‘leitores omnívoros’. Fui professora de português e depois editora durante 15 anos. Queria mesmo muito reunir livros a outros prazeres da vida”, conta. “Ser leitor constrói-nos como pessoas e está, de certa forma, relacionado com ser eleitor, ter espírito crítico e participativo.”

Rua Nova do Carvalho 40. Seg-Qui 15.00-02.00, Sex 15.00-03.00 e Sáb-Dom 16.00-03.00.

  • Noite
  • Cais do Sodré

Já são anos e anos a respeitar a mesma regra: dançar até de madrugada. Mas há mais para fazer neste clássico da noite lisboeta. Ultimamente, a programação tem incluído desde shows de burlesco até espectáculos de stand-up comedy. Não há dias fixos para a comédia, mas uma coisa é certa: primeiro é convidado a rir, depois a abanar o esqueleto na pista da casa.

Rua Nova do Carvalho 28-30. Qui-Sáb 23.00-05.00.

Publicidade
  • Noite
  • Cais do Sodré

A caixinha de música da rua cor-de-rosa tem uma das mais generosas programações de concertos e estica-se noite adentro. Inaugurada em 2006, é epicentro do trabalho da CTL – Cultural Trend Lisbon e assume-se como um híbrido entre sala de espectáculos e espaço de dança. Quando grande parte dos bares do Cais do Sodré fecham as portas, a noite aqui ainda está longe de morrer e prolonga-se até ao sol nascer.

Rua Nova do Carvalho 24. Seg-Dom 23.00-06.00.

  • Noite
  • Cafés/bares
  • Cais do Sodré

Tchim, tchim. Neste bar, que ocupa uma antiga garagem, o espumante da casa – para beber a copo ou em garrafa – é a estrela por entre os cocktails, sangrias, cervejas e gins que acompanham a meia dúzia de petiscos. A felicidade existe e aqui está marcada para as 17.00: até às 22.00 há happy hour.

Seg-Qui e Sáb-Dom 19.00-02.00 e Sex 17.00-03.00

Publicidade
  • Noite
  • Cais do Sodré

Em tempos foi uma loja de apetrechos de pesca. Depois transformou-se, mas sem perder a identidade. Como restaurante e bar, um dos poucos por ali abertos à tarde, tem tentado revolucionar a forma como se come um produto aparentemente menor: a conserva. Melhor, a conserva portuguesa, nas épicas latas que nos deram fama e que pode provar no prato ou levar para casa. A acompanhar, pão e vinho, também portugueses.

Rua Nova do Carvalho 44. Seg-Dom 12.00-01.00.

  • Noite
  • Cais do Sodré

É a discoteca mais familiar do Cais do Sodré, razão porque os maiores fãs vão notar mudanças no espaço, entretanto remodelado, e no pessoal, com a reforma dos funcionários mais antigos – o mais velho já tinha 90 anos. Quanto à famosa stripper Mónica, que todas as noites se apresentava em duas ocasiões, poderá voltar se assim for feita a sua (e a nossa) vontade.

Rua Nova do Carvalho 7. Fechado temporariamente.

Ali à beira

  • Restaurantes

O bairro não pára de crescer e há muito lugar novo a explorar: restaurantes de peixe de carne e de comida do mundo. É possível comer de tudo no Cais do Sodré, e nos restaurantes que se seguem, não vai ao engano porque são os melhores restaurantes do Cais do Sodré.

  • Coisas para fazer
  • Caminhadas e passeios

"O cais do Sodré não é só bares de prostitutas, também é gente a alombar caixa de peixe e de fruta". A letra da música Cais do Sodré do fadista Rodrigo defendia que “também é cais onde embarca quem busca no mar o pão”, mas se fosse escrita hoje talvez acrescentasse que é cais de alguns dos melhores restaurantes e bares de Lisboa. Mas há mais no velho/novo bairro da cidade. Descubra-o aqui.

Publicidade
  • Bares

São paralelas e perpendiculares. As ruas, claro, que formam o tão distinto e especial Bairro Alto, símbolo maior de uma movida, de uma agitação nocturna, que sempre caracterizou a zona. O Bairro Alto insiste em ficar e ali vão abrindo espaços que o querem revitalizar, que não o querem deixar morrer. Esta é a lista que lhe diz quais os sítios indispensáveis para beber um copo.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade