Os melhores bares na Graça

É um bom sítio para se desgraçar na cidade e beber copos até ser hora de rumar para outro lado, seja para a cama seja para o Lux. Estes são os melhores bares na Graça

Fotografia: Inês Calado Rosa

Lá de cima, vê-se a cidade como de nenhum outro lugar. Mas nem só de miradouros vive a Graça. Há muita coisa nova a dar nas vistas, mesmo depois do sol se pôr. Descubra os melhores bares na Graça, um bairro cheio de turistas mas que não abdica de ter vida própria. 

Recomendado: Restaurantes obrigatórios na Graça

Os melhores bares na Graça

As Damas

Para quem anda a repetir vezes sem conta “o Damas”, fique sabendo que são duas e o nome diz-se no feminino. O espaço As Damas é o grande responsável pela peregrinação nocturna de centenas de pessoas ao bairro que antigamente servia apenas de dormitório. Petiscos tardios, cerveja artesanal, concertos gratuitos, DJ sets que acabam às quatro, uma casa de banho minúscula onde às vezes cabem duas pessoas e uma multidão na rua. Sem dúvida, um dos melhores sítios para sair à noite em Lisboa.

Ler mais
São Vicente 

Estrela Decadente

Quando o Laboratório, no número 168 da Rua da Graça, fechou portas em Agosto
 de 2015, o Estrela tornou-se a nova incubadora da associação Real Urinol para concertos, exposições, jantares comunitários, lançamentos de fanzines e tertúlias a altas horas, quando o mais provável seria bater com o nariz na porta nos bares das redondezas. Claro que nem todos ficam contentes com o horário até ao nascer do sol e já foi entregue à Câmara uma petição com queixas de barulho de vizinhos.

Ler mais
São Vicente 
Publicidade

Associação Cultural Amigos da Feira da Ladra

A sede da Associação Cultural Amigos da Feira da Ladra abriu oficialmente portas ao público em Maio de 2015 num antigo estabelecimento de carvoaria 
e vinhos e com mobília que os associados arranjaram. O espaço é apertado (principalmente em noites concorridas) mas por aquelas bandas, nas imediações da Feira da Ladra, dificilmente encontra um sítio aberto até tão tarde. Conte com concertos improvisados, sessões de poesia, fados e às vezes stand-up comedy.

Ler mais
São Vicente 

Botequim

A memória continua a pesar no 79 do Largo da Graça. O espaço esteve 15 anos fechado, mas a presença da poetisa Natália Correia, que primeiro inaugurou o espaço, em 1968, não está só nas fotografias. Modernizado, o Botequim mantém o antigo balcão de madeira escura e também algum do espírito da sua génese de boémia intelectual. Na lista, a par com os chás e outras opções saudáveis, o café continua a surgir “com cheirinho”, e não faltam petiscos, folhados e tostas para acompanhar com um copo de vinho. Já pouco é como dantes, mas continua a haver muitos artistas por ali e de vez em quando há mesmo concertos.

Ler mais
São Vicente 
Publicidade

Má Lingua

Liliana Escalhão mudou-se de Castelo Branco para a Graça quando veio estudar para Lisboa e depois de ter sido obrigada a fechar o Primeiro Andar, no Ateneu Comercial de Lisboa (o edifício vai ser vendido para apartamentos de luxo), pensou em abrir outro bar/ restaurante/associação cultural no bairro. Juntamente com Vítor Augusto, abriu este Má Língua, o novo sítio para petiscar e sair à noite na Graça. Conte com uma cave com um pé direito alto com concertos acústicos, jam sessions, tertúlias literárias e um ciclo de cinema. Todos os sábados, alguém vem ao bar mostrar a sua colecção de discos.

Ler mais
São Vicente 

A Voz do Operário

O trabalho d’A Voz do Operário no bairro é incansável, mas há sempre fôlego para um pezinho de dança. Diz-se que o chão do salão de festas desta sociedade (com capacidade para mil pessoas e disponível para alugar para eventos privados) é o melhor para dançar tango na cidade e não é por acaso que é aqui que se organiza o Festival Internacional de Tango. A esplanada no topo do edifício, com vista para o Tejo, é um dos melhores segredos
 da zona.

Ler mais
São Vicente 
Publicidade

Grupo dos Cinco Reis

É uma das
 associações recreativas mais 
antigas de Lisboa, em vias de 
extinção. Na altura em que foi 
criada, em 1907, ainda havia 
moedas de cinco réis, as mais
 baixas, e também o valor que cada 
sócio pagava de quota. Hoje em
 dia há cerveja barata, uma mesa 
de bilhar e matrecos.

Ler mais
São Vicente 

Mapa da noite de Lisboa

Os melhores bares no Cais do Sodré

Uns podem ser considerados cafés e outros discotecas. Mas afinal, na hora de beber um copo, isso não importa nada. Descubra os melhores bares no Cais do Sodré, dentro e fora das fronteiras da rua cor-de-rosa.   

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Os melhores sítios para tomar um copo no Príncipe Real

Do Quiosque do Oliveira ao Café Colonial, do final da tarde às noites longas. Se não se conseguir decidir pelo registo, guarde este link nos seus favoritos e regresse ao assunto sempre que lhe apetecer beber um copo no Príncipe Real. Entre happy hours e elaborados cocktails, vamos a isso, com moderação. 

Ler mais
Por Clara Silva
Publicidade

Comentários

0 comments