Os melhores bares na Graça

É um bom sítio para se desgraçar na cidade e beber copos até ser hora de rumar para outro lado, seja para a cama, seja para o Lux. Estes são os melhores bares na Graça.
Damas
Fotografia: Inês Calado Rosa
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Lá de cima, vê-se a cidade como de nenhum outro lugar. Mas nem só de miradouros (onde abundam turistas, os seus paus de selfie e o seu desejo de tirar fotografias) vive a Graça. Há restaurantes que vale a pena visitar e muita coisa nova a dar nas vistas, mesmo depois do sol se pôr. A lista que se segue apresenta alguns clássicos do bairro, como o Botequim ou o Cinco Reis, e coisas mais recentes e com queda para a cerveja, como o Taproom ou o Quiosque da Oitava Colina, cervejeira nascida e desenvolvida por aqui. Uma coisa é certa: só não bebe um copo na Graça se não quiser.

Recomendado: O melhor da Graça

Os melhores bares na Graça

1
Damas Bar
Fotografia: Ana Luzia
Noite, Bares abertos de madrugada

Damas

icon-location-pin São Vicente 

Para quem anda a repetir vezes sem conta “o Damas”, fique sabendo que são duas e o nome diz-se no feminino. O espaço as Damas é o grande responsável pela peregrinação nocturna de centenas de pessoas ao bairro que antigamente servia apenas de dormitório. Petiscos tardios, cerveja artesanal, concertos gratuitos, DJ sets que acabam às quatro, uma casa de banho minúscula onde às vezes cabem duas pessoas e uma multidão na rua. Sem dúvida, um dos melhores sítios para sair à noite em Lisboa.

2
associação cultural dos amigos da feira da ladra
©DR
Bares, Cafés/bares

Associação Cultural Amigos da Feira da Ladra

icon-location-pin São Vicente 

A sede da Associação Cultural Amigos da Feira da Ladra abriu oficialmente portas ao público em Maio de 2015 num antigo estabelecimento de carvoaria 
e vinhos e com mobília que os associados arranjaram. O espaço é apertado (principalmente em noites concorridas) mas por aquelas bandas, nas imediações da Feira da Ladra, dificilmente encontra um sítio aberto até tão tarde. Conte com concertos improvisados, sessões de poesia, fados e às vezes stand-up comedy.

Publicidade
3
Botequim da Graça
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Botequim

icon-location-pin São Vicente 

A memória continua a pesar no 79 do Largo da Graça. O espaço esteve 15 anos fechado, mas a presença da poetisa Natália Correia, que primeiro inaugurou o espaço, em 1968, não está só nas fotografias. Modernizado, o Botequim mantém o antigo balcão de madeira escura e também algum do espírito da sua génese de boémia intelectual. Na lista, a par com os chás e outras opções saudáveis, o café continua a surgir “com cheirinho”, e não faltam petiscos, folhados e tostas para acompanhar com um copo de vinho. Já pouco é como dantes, mas continua a haver muitos artistas por ali e de vez em quando há mesmo concertos.

4
má língua bar restaurante
Fotografia: Manuel Manso
Bares, Cafés/bares

Má Lingua

icon-location-pin São Vicente 

Liliana Escalhão mudou-se de Castelo Branco para a Graça quando veio estudar para Lisboa e depois de ter sido obrigada a fechar o Primeiro Andar, no Ateneu Comercial de Lisboa pensou em abrir outro bar/ restaurante/associação cultural no bairro. Juntamente com Vítor Augusto, abriu este Má Língua, o sítio com pinta para petiscar e sair à noite na Graça. Conte com uma cave com um pé direito alto com concertos acústicos, jam sessions, tertúlias literárias e um ciclo de cinema. Todos os sábados, alguém vem ao bar mostrar a sua colecção de discos.

Publicidade
5
Voz do operário
©Nuno Agostinho
Coisas para fazer

A Voz do Operário

icon-location-pin São Vicente 

O trabalho d’A Voz do Operário no bairro é incansável, mas há sempre fôlego para um pezinho de dança. Diz-se que o chão do salão de festas desta sociedade (com capacidade para mil pessoas e disponível para alugar para eventos privados) é o melhor para dançar tango na cidade e não é por acaso que é aqui que se organiza o Festival Internacional de Tango. A esplanada no topo do edifício, com vista para o Tejo, é um dos melhores segredos
 da zona. A isto juntem-se programas de karoake, arraiais, por aí. 

6
grupo dos 5 reis
©DR
Bares

Grupo dos Cinco Reis

icon-location-pin São Vicente 

É uma das
 associações recreativas mais 
antigas de Lisboa, em vias de 
extinção. Na altura em que foi 
criada, em 1907, ainda havia 
moedas de cinco réis, as mais
 baixas, e também o valor que cada 
sócio pagava de quota. Hoje em
 dia há cerveja barata, uma mesa 
de bilhar e matrecos.

Publicidade
7
21 Brewpub Gallas
Duarte Drago
Bares, Gastropubs

21 Brewpub Gallas

icon-location-pin Beato

Gustavo Gallas já andava a produzir a sua cerveja Gallas há um tempo e a romantizar a ideia de abrir um bar. Quando conheceu Vinicius Praça, um fã de cerveja artesanal que se mudou do Rio do Janeiro para Lisboa, foi o momento ideal para abrirem o 21Brewpub Gallas e para Gustavo pôr em prática as suas capacidades culinárias, que já testava nos fins-de-semana de “hamburgadas” no Brasil. A estrutura do gastrobar – onde em breve vão passar a produzir as cervejas, na cave – permite 15 torneiras de cerveja, mas por enquanto têm sete, entre as quais as suas três com nomes a puxar o português, a Wit Cinco de Abril, a CaparIPA e a All the Way to Stout, e mais umas quantas convidadas.

8
Taproom Oitava Colina
Duarte Drago
Bares, Gastropubs

Taproom Oitava Colina

icon-location-pin São Vicente 

O novo taproom gastrobar da Graça completa o triângulo da Oitava Colina no bairro, onde tinha já a fábrica e o quiosque no Largo da Graça. É coisa simples, com um balcão, bancos altos, umas mesas (a esplanada vem a caminho), garrafas de Oitava Colina e dez torneiras, a maior parte com a cerveja da casa mas com abertura para convidadas especiais, de quando em vez. E comida. O menu inclui três cachorros com salsichas da Maria Wurst, chicken wings e uma sandes de cachaço de porco cozinhado a baixa temperatura e com molho barbecue. A partir daqui vão andar a brincar aos pairings – o próximo lançamento é uma sour de framboesa e vão ter um prato especial a acompanhar só nessa semana. Depois o mais provável é ter chefs a fazer pop up.

Publicidade
9
Oitava Colina
Arlindo Camacho
Bares, Cervejaria artesanal

Quiosque Oitava Colina

icon-location-pin São Vicente 

Era a esplanada que faltava para o Largo da Graça ficar mesmo cheio de graça. A cerveja do bairro, a Oitava Colina, instalou-se num dos quiosques mais carismáticos da zona, que em tempos serviu de casa de banho para os guarda-freios da Carris e também chegou a ser bilheteira para os eléctricos. Há cinco torneiras de cerveja artesanal da marca (pena que a indian pale ale Urraca Vendaval não esteja disponível) e também cerveja artesanal engarrafada.

Mapa da noite de Lisboa

Alfaiataria
Fotografia: Ana Luzia
Bares

Os melhores bares em Santos

“E se o não-sei-quantos quer ser cá da malta, tem de beber este copo até ao fim…” A música repete-se nos bares das redondezas, a menos que queira fugir dos shots a 50 cêntimos e da ressaca monstruosa do dia seguinte. Nestes bares estará a salvo. A verdade é que Santos tem bem mais do que isso. Tem um bar que era um antigo alfaiate, outro que é uma casa e até um bar de teatro. Ou seja, tem tudo e estes são os melhores bares em Santos. 

Rua Nova do Carvalho à noite
Fotografia: Arlindo Camacho
Noite

Os melhores bares no Cais do Sodré

Uns podem ser considerados cafés e outros discotecas. Mas afinal, na hora de beber um copo, isso não importa nada. Descubra os melhores bares no Cais do Sodré, dentro e fora das fronteiras da rua cor-de-rosa.   

Publicidade
Tap Room Dois Corvos
Fotografia: Arlindo Camacho
Noite

Os melhores bares em Marvila

Marvila, Marvila, maravilhosa Marvila. Longe vão os tempos em que este bairro era um deserto, uma zona deixada ao abandono, armazéns com tectos a cair por ocupar. Marvila já tem vida própria, graças a algumas pessoas que quiseram afastar-se do centro da cidade, procurar rendas mais justas, juntarem-se a pessoas honestas. Neste momento há bons restaurantes, ginásios, galerias, coworks, arte urbana e muitos espaços para se fazer coisas, para se ser criativo. Há até o Lisbon Beer District, ou seja, o sítio onde tem de estar para beber boa cerveja. Mas há mais opções nocturnas, sim, que até à noite Marvila está viva. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com