A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Aniversário d'O 36
©DR

Os melhores sítios para ouvir hip-hop em Lisboa

Veio do Bronx para as pistas de dança à boleia do rap. Conheça os melhores sítios para ouvir hip-hop em Lisboa.

Escrito por
Tiago Neto
Publicidade

Foi, durante muitas décadas, sinónimo de marginalidade e o estigma ainda acompanha a cultura em muitas geografias. Mas o hip-hop foi-se impondo; das ruas onde nasceu e cresceu subiu à rádio, daí à televisão, chegou aos clubs, às séries, ao cinema. O rap (rythm and poetry) deu-lhe voz, os emcees tornaram-se figuras de culto, os produtores assumiram posição de destaque, o graffiti saiu das paredes da rua para as de casa e os B-boys são hoje vistos com espanto. Lisboa não lhe ficou indiferente, fomentando uma comunidade que perdeu o rótulo de nicho para abraçar essa universalidade. O resultado ouve-se hoje por toda a cidade. Por isso, siga este roteiro dos sítios para ouvir hip-hop em Lisboa e viva a cultura por dentro.

Recomendado: Os melhores sítios para ouvir jazz em Lisboa

Os melhores sítios para ouvir hip-hop em Lisboa

  • Noite
  • Cais do Sodré

Há uns anos, o Copenhagen era conhecido pelos seus afters concorridos. Depois, mudou a gerência e o rosto da casa seguiu as pisadas. Agora reina o hip-hop e seus afluentes (dancehall, batida e todos os seus derivados africanos). A programação dura de segunda a domingo, sim, que o Copenhagen nunca fecha. E dá-nos rap nacional e internacional seleccionada por uma carteira de DJs em quem podemos confiar. 

  • Restaurantes
  • Cais do Sodré

A Montana, no Cais do Sodré, deixou de o ser, mas só enquanto nome – chama-se Crack Kids Lisboa e voltou à essência do grupo homónimo que tem estado por detrás do projecto. Agora, além de latas, há exposições de artistas emergentes, tacos do Pistola y Corazón e muito hip-hop para embalar a coisa. Com o Tejo como vizinho e uma esplanada que deixa assistir sem pressas à pulsação da cidade, peça um slushie (8€) e acompanhe a banda sonora de forma mais alcoólica.

Publicidade
  • Bares
  • Bairro Alto

É um dos principais redutos para os amantes da cultura hip-hop e conta já com uma década de existência. A casa é pequena, o que é especialmente notório quando há dj sets, mas essa é a beleza d'O 36. Pelas paredes há trabalho de artistas como Kruella D'Enfer, AKA Corleone ou Halfstudio e nas prateleiras há lembranças de amigos, do skate à música. Das colunas sai o que se espera, hip-hop com fartura, do instrumental ao rap clássico. A programação está constantemente a agitar a Luz Soriano, com espaço a artistas consolidados e a newcomers.

  • Noite
  • Cais do Sodré

A caixinha de música da rua cor-de-rosa tem uma das mais generosas programações de concertos que se esticam noite dentro e uma das mais ecléticas, também. O que não falta são opções para todos os gostos e claro, o hip-hop consolidou o seu lugar, com actuações constantes e residências assíduas. Na lista de festas a ter em conta, destaca-se a Purple Hazin', com assinatura da label portuguesa Monster Jinx, ou a nova residência de DJ Glue, Crack, com início agendado para o final de Novembro.

Publicidade
  • Bares
  • Chiado/Cais do Sodré

É o parque de estacionamento mais famoso da cidade, principalmente por causa do sexto piso, onde metade de Lisboa se costuma estacionar no terraço com melhor vista. A oferta musical do Park já está bastante consolidada e é comum dar de caras com verdadeiras enchentes em busca de sonoridades urbanas, do hip-hop às linguagens mais tropicais, de tal forma que brotou daí uma editora, a Parkbeat Records. Entretanto, a PB entrou num hiato, mas a programação não, portanto continua a valer a subida.

  • Bares
  • Estrela/Lapa/Santos

Para os apaixonados pela capital portuguesa e pela vida nocturna alfacinha junto ao Tejo, o Lust in Rio oferece um espaço para abanar o capacete, as ancas, os braços, enfim, um workout intensivo sem sair do mesmo espaço. É também aqui a residência oficial das festas Swag On, onde o hip-hop, o dancehall e as pitadas de kuduro fazem a casa, às quartas. 

Publicidade
  • Noite
  • Cais do Sodré

O Titanic Sur Mer é o sucessor espiritual do saudoso Maxime, mas com uma programação musicalmente mais ecléctica. Dependendo da noite, tanto se pode ouvir jazz como samba e forró, músicas africanas, indie rock e, mais recentemente, também o hip-hop (e suas ramificações) ganhou espaço. As Hip-Hop & Trap Party acontecem pelo menos uma vez por mês, mas há também concertos a ter em conta.

  • Coisas para fazer
  • Avenida da Liberdade

Depois de profundas obras de reabilitação, esta sala histórica do Parque Mayer reabriu em Novembro de 2016 com 400 lugares sentados. É, por isso, uma das entradas mais tardias desta lista mas não menos meritória já que, na programação, há uma constante aposta no hip-hop. A periodicidade não é o forte, até porque o Capitólio não é um bar, mas um olhar atento sobre a programação e é garantido que algum nome do universo hip-hop vai subir ao palco.

Mais paragens sonoras

  • Noite
  • Estabelecimentos de diversão noturna

O rock está vivo e recomenda-se. Assim como todos os bares desta lista que provam que ainda há roqueiros de gema em Lisboa. Para abanar o capacete ou para apreciar um solo de guitarra enquanto brinda à mesa com os amigos, há opções para todos os gostos, do rock mais pesado ao mais indie e melódico.

  • Bares
  • Cafés/bares

Quantas vezes pensou em sair de casa em busca de música? Não dizemos música para fazer o corpo abanar até que o sol nasça, mas um espaço onde beber uma cerveja e ouvir uns quantos acordes não seja difícil. Vale a pena descobrir estes bares com música ao vivo em Lisboa.

Publicidade
  • Noite

Instituições lendárias que já conheceram diferentes encarnações e formatos, em busca de um lugar ao sol (ou ao luar, para sermos mais rigorosos). Quando cai a noite na cidade, e a jornada nocturna se arrasta como manda o figurino, a peregrinação de foliões passa necessariamente por aqui. Fique a conhecer algumas das melhores discotecas em Lisboa.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade