A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
O Velho Eurico
Mariana Valle LimaA esplanada d'O Velho Eurico

Cinco restaurantes de comida portuguesa para tirar a barriga de misérias

A restauração está finalmente de portas abertas. Seja na esplanada ou no interior. Ajudamo-lo com um roteiro dos melhores restaurantes de comida portuguesa em Lisboa.

https://d32dbz94xv1iru.cloudfront.net/customer_photos/14d3bbef-59cc-4753-a960-2f64c64804b1.jpg
Escrito por
Sebastião Almeida
Publicidade

A restauração está finalmente de portas abertas. Seja na esplanada ou no interior. Foram longos meses afastados das mesas e dos balcões e o que os comensais querem agora é encher a barriga. E qual a melhor forma de o fazer se não regressando aos clássicos de sempre, aos estabelecimentos que cobrem as mesas com um simples individual de papel texturado, aos restaurantes em que o guardanapo é entalado no copo e em que o aroma do receituário nacional circula no ar. Escolhemos alguns dos espaços da cidade, mais recentes ou já vividos, que elevam a cozinha portuguesa ao seu expoente máximo. Onde estrangeiros se cruzam com locais, onde o preço é justo e onde, acima de tudo, se prova boa comida portuguesa.

Recomendado: A luta pela sobrevivência dos restaurantes

Cinco restaurantes de comida portuguesa para tirar a barriga de misérias

  • Restaurantes
  • Alvalade

É uma instituição de Alvalade e este prato um ex-libris da casa. O cozido rico em enchidos, grandes nacos de carne e de legumes, mostra ao que deve saber uma iguaria destas na boca. O caldo é saboroso e o arroz cozinhado no mesmo. O importante é fixar os dias – serve-se à quinta-feira e ao sábado. Por 22€ a dose ou 13€ a meia.

Rua José Duro, 27D (Alvalade). 21 847 3619. Seg 11.30-15.30/ 19.00-22.00; Ter 11.30-15.30; Qua-Sex 11.30-15.30/ 19.00-22.00; Sáb 11.30-13.00. 

  • Restaurantes
  • Chiado

A mãe está na cozinha, o pai no balcão e a filha nas mesas. Assim se faz, de forma simples, um dos restaurantes lisboetas onde melhor se saboreia o receituário nacional. A clientela habitual e os turistas que a pandemia levou costumavam fazer deste restaurante um sítio concorrido. Aberto apenas para os almoços, à terça-feira e sábado costuma ser dia de croquetes com arroz de tomate. Ainda assim, encontra sempre no cardápio outras especialidades como o bacalhau à lagareiro, as pataniscas com arroz de feijão ou o polvo à lagareiro.

Rua das Flores, 76-78 (Baixa-Chiado). 21 342 8828. Seg-Sáb 12.00-15.30.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Santa Maria Maior

É uma das catedrais do bitoque na cidade. E é apenas isto que tem de saber. Entre Alfama e Santa Apolónia, encontra o Sardinha. O interior transporta-nos para outros tempos, longe dos restaurantes modernos e cheios de conceitos. Aqui respira-se cheiro a refogado e a louro. Peça o bitoque de vaca ou de porco (5,80€ ambos) e regresse para mais. Diz-se que as batatas-fritas são extremamente competentes, assim como as iscas ou as codornizes fritas ou grelhadas.

Rua Jardim do Tabaco, 18-20 (Santa Apolónia). 21 886 7437. Seg-Sex 10.00-22.30;  Dom 10.00-13.00.

  • Restaurantes
  • Português
  • Belém
  • preço 2 de 4

Aqui a especialidade reconhecida é, entre outras, a dobrada com feijão. O letreiro por cima da porta é discreto. Nesta casa, os cachecóis e até os azulejos das mesmas cores das paredes comprovam o clubismo que aqui se vive (mas há fairplay em dias de jogo ou não, que há cachecóis de outros clubes). O expoente máximo é a esplanada das traseiras, com direito a umas quantas árvores e espaço para as corridas dos miúdos. Não tem muitos pratos na carta, mas tem o que interessa: pratos do dia e especialidades como ou o naco à Gordo.

Rua Cordoeiros a Pedrouços, 33 (Belém). 21 301 2184. Seg-Qui 08.30-17.00; Sex 08.30-17.00/ 19.00-22.30. Sáb 08.30-13.00.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Castelo de São Jorge
  • preço 2 de 4

Eurico reformou-se em 2018. Nisto, um grupo de jovens com a escola de hotelaria e experiência taberneira tomou conta da casa há um ano e pouco. Acabaram com as ementas, as cadeiras de alumínio e as toalhas plastificadas, mas não alteraram o essencial: servir cozinha tradicional portuguesa. Pataniscas, croquetes, empadas, salada de polvo são alguns dos petiscos que encontra. O bacalhau à brás é um dos pratos fortes da casa que se vai manter nesta reabertura e isso diz muito sobre a sua qualidade. Quando Alfredo Lacerda, crítico da Time Out, visitou o restaurante ficou encantado com a simplicidade que os jovens cozinheiros à frente deste espaço proporcionam uma experiência honesta, com sabores portugueses, e sem artifícios a quem os visitam. 

Largo de São Cristóvão, 3-4 (Mouraria). 21 886 1815. Ter-Sáb 12.30-15.00/20.00-23.00, Dom 12.30-15.00.

Mais comida em Lisboa

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade