Os melhores restaurantes em Alfama

Subimos uma das colinas favoritas dos turistas para escolher as paragens obrigatórias para todos os lisboetas
Boi Cavalo - Cozido de Pato
Fotografia: Arlindo Camacho Cozido de Pato do Boi Cavalo, em Alfama
Por Catarina Moura |
Publicidade

A subida vai ser recompensada, prometemos. E aqui o que interessa é a viagem, já que no caminho vai encontrar tascas, comida de autor, fado que não engana nem turistas nem lisboetas e boa comida portuguesa. Alfama é liiiiiinda.

Os melhores restaurantes em Alfama

Esplanada do restaurante Esperança da Sé
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Esperança da Sé

icon-location-pin Santa Maria Maior

Vale, em primeiro lugar, pela magnífica esplanada colada ao muro da Sé de Lisboa. Em segundo, pelas pizzas estaladiças, feitas com bons produtos. Em terceiro, pelo serviço descontraído. E, por último, mas não menos importante, pela selecção de bebidas, tanto italianas como portuguesas.

A Time Out diz
travessa do fado
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

A Travessa do Fado

icon-location-pin Alfama

Este restaurante do Museu do Fado não desilude quem, não tendo ilusões com as casas de fados viradas para turistas, quer petiscar qualquer coisa enquanto ouve uns acordes e umas gargantas lindas. Biqueirões, ameijoas à Bulhão Pato, lamejinhas, peixinhos da horta e umas bochechas de porco preto para rematar.

Publicidade
boi cavalo
Fotografia Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Boi-Cavalo

icon-location-pin Alfama

O restaurante de Hugo Brito criou uma nova figura mitológica para as lendas das gastronomia lisboeta. O Boi-Cavalo é dono de menus de degustação a rondar os 35€, diferentes todas as semanas, sem o conforto dos pratos-estrela. Este animal pujante tem em Alfama o seu laboratório de ideias novas com a memória portuguesa como grande referência.

A Time Out diz
ao pé da sé
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Ao Pé da Sé

icon-location-pin Santa Maria Maior

Basta subir até à Sé que mesmo lá ao pé vai descobrir o Ao Pé da Sé. Podia ser rima de faduncho, mas é mesmo um restaurante. João Igrejas e Ana Beirão abriram uma casa de comida crua onde durante muitos anos viveu uma oficina de máquinas de escrever. Comida crua que não tem nada em comum com o sushi mas se inspira antes em especialidades italianas. O Ás de copas não é um prato, mas sim três: carpaccios, tártaros e piadinas, que chegam à mesa nas mais diversas formas e feitios. Destaque para o clássico carpaccio de novilho, com molho de mostarda, e para o fresquíssimo tártaro de salmão asiático, com cebola roxa, cebolinho, pêra abacate, ovas de esturjão, sementes de sésamo, gengibre, wasabi e molho asiático.

Publicidade
pátio 13
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Páteo 13

icon-location-pin Alfama

Se está a contar com uma ida ao Páteo 13 o melhor é ir com tempo para estar na fila para o peixe fresco grelhado, uma das especialidades da casa. O nome não foi por acaso, neste as mesas do pequeno páteo são o sítio para estar em época de sardinhas.

leopoldo
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Leopold

icon-location-pin Castelo de São Jorge

Do antigo Leopold, no espaço onde em tempos funcionou uma padaria na Mouraria, sobreviveu apenas o nome, o chef Tiago Feio,
 e o tártaro de algas (na foto). Em Março, e depois de uma longa espera, o restaurante reabriu no Palácio Belmonte, encostado ao castelo, e agora transformado num alojamento de luxo, onde duas noites podem custar seis
 mil euros. Em comparação, as refeições no Leopold são bem mais baratas (o menu de degustação 
é fixo e custa 40€, sem bebidas). Uma das particularidades da nova decoração requintada é a vista, não para Lisboa (já chega disso nestas páginas), mas para os tachos. Uma espécie de Pesadelo na Cozinha, sem a parte do Pesadelo.

Publicidade
Restaurantes

O Sardinha

icon-location-pin Santa Maria Maior

É sempre bom ter catedrais do bitoque espalhadas pela cidade. O Sardinha assegura com firmeza a zona de Alfama e de Santa Apolónia. E mesmo estando mais para a zona do Campo das Cebolas valerá a pena parar nesta tasca à antiga, forrada a azulejos datados, para comer umas batatas fritas impecáveis ou umas iscas à portuguesa, rim salteado ou codornizes fritas ou grelhadas.

Outros bairros, outras mesas

topo belém
Manuel Manso
Restaurantes

Os melhores restaurantes em Belém

A fome arranja-se facilmente com uma corrida pelo passeio que acompanha a margem do rio, ou mesmo com umas pedaladas de bicicleta. Uma paragem talvez para a observação de turistas junto dos Jerónimos e dos Pastéis de Belém ou até para uma voltinha no Museu Berardo. Deixe as selfies com vista para a ponte 25 de Abril para depois e comece a pensar em talheres. 

Espumantaria do Petisco - Tabua de Queijo
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Restaurantes obrigatórios na Graça

Do pequeno-almoço ao jantar, não faltam sítios cheios de pinta para comer bem na colina. Novos ou clássicos, eis os restaurantes obrigatórios na Graça. 

Publicidade
Casa de Pasto
©DR
Restaurantes

Os melhores restaurantes no Cais do Sodré

O bairro não pára de crescer e com o final das obras no ano de 2017 há muito lugar novo a explorar: restaurantes de peixe de carne e de comida do mundo. É possível comer de tudo no Cais do Sodré e nos restaurantes que se seguem não vai ao engano porque são os melhores restaurantes do Cais do Sodré.

Chutnify
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes

Onde comer bem no Príncipe Real

É o bairro com as lojas mais alternativas, as noites mais coloridas e os restaurantes do momento. A oferta é variada e não desilude. Asiáticos, italianos, cozinhas de autor: abram alas para a família real de restaurantes do Príncipe Real.  

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com