2 Gostar
Guardar

Os melhores restaurantes saudáveis de Lisboa

Comer bem nesta cidade já não é um drama e os restaurantes saudáveis brotam como cogumelos (biológicos, evidentemente). Eis alguns dos que mais gostamos

Fotografia: Arlindo Camacho

Para comer saudável não tem de se empanturrar de verde, light, vegetariano ou comida para passarinhos. E também não precisa de passar fome. Corremos a cidade para lhe trazer esta barrigada de grandes ideias para comer do bom e do melhor em Lisboa. Bom apetite e saudinha da boa.

Os melhores restaurantes saudáveis de Lisboa

Organic Caffe

Se está a pensar converter-se, mais vale ir atrás de quem percebe do assunto. Mariana Pessanha largou a carreira em publicidade e os maus hábitos alimentares para estudar nutrição em Londres. Quando voltou, abriu um restaurante onde nada tem corantes, nem conservantes, açúcares ou temperos processados. Os intolerantes ao glúten e à lactose também estão aqui a salvo. E mais do que sumos verdes e saladas, o Organic Caffe – que abriu também no Mercado da Ribeira – serve pratos como corvina com gengibre ou strogonoff de frango, todos com propriedades anti-inflamatórias. Não deixe escapar as sobremesas: mesmo sem açúcar, são doces.

Ler mais
Cascais

Cento e Quatro

Os pequenos cestos com tiras de salmão, tomates secos, camarões, peras, cuscuz, requeijão ou pesto entram na vaporeira e em apenas dois minutos estão prontos. Dentro da maquineta, cozinham a 104 graus, a temperatura perfeita para ficarem… perfeitos. A ideia saudável foi de Francisco Magalhães, o chef, que contou ainda com os conselhos de uma nutricionista. Aqui não há gorduras cozinhadas e há soluções para vegetarianos, celíacos, intolerantes à lactose e desportistas. E até a sobremesa (bolo de cacau com manteiga de amendoim) é light: tem apenas 132 calorias.

Ler mais
Lisboa

Os Gazeteiros

Ao contrário do que possa pensar, neste restaurante trabalha-se e bem. David, o dono e chef, trouxe de casa a criatividade e os hábitos alimentares saudáveis e criou uma cozinha arrojada, bonita e com muitas influências mediterrânicas e orientais. As frutas e os legumes biológicos, comprados no supermercado Miosótis, dão origem a menus de degustação (de 14€ e 20€), que tanto podem vir com dourada, brócolos e batata, como com ovos e ervilhas tortas. Acompanhe com vinhos naturais, mas beba com moderação. Sobretudo ao almoço, para depois à tarde não ter de fazer gazeta ao trabalho.

Ler mais
Alfama

Dois Três Três

A antiga drogaria na Rua Silva Carvalho, em Campo de Ourique, ganhou uma nova vida assim que Marta Maia de Loureiro lhe deitou as mãos. Reaproveitou os armários, pintou as paredes e começou a servir refeições sem glúten e sem lactose. Ao pequeno-almoço têm iogurtes com granola, frutas e torradas (3,50€) e ao almoço há sempre três pratos, um deles vegan, que podem ser sopas de beterraba (2,50€) ou abóboras recheadas com leguminosas, arroz integral e frutos secos (entre os 7,50€ e 8,50€). Para aconchegar o estômago a meio da tarde, há bules de chá, bolos e uma queijada de se lhe tirar o chapéu (2,50€).

Ler mais
Lisboa

Pachamama

Há restaurantes bio e depois há restaurantes 100% bio. É o caso do Pachamama, que contamina quem passa com pratos cheios de saúde. Aqui não encontra morangos em tempo de uvas, pão ultracongelado (pelo contrário: fermenta durante 24 horas) ou frangos de aviário, mas sim uma lista que muda consoante o que a Pachamama (a mãe Terra, venerada pelo povo inca) dá. Se espera uma overdose de verduras, esqueça: aqui também há carne e peixe. E bem mais saborosos do que os que nascem no supermercado.

Ler mais
Santos

The Cru

A comida não é processada nem tem açúcares e, caso seja intolerante ao glúten ou à lactose, nada tema. Não tem nada que lhe possa fazer mal. Mas tem uma medalha: a de ouro na restauração biológica, atribuída pela entidade reguladora da Direcção Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural. As estrelas são os wrepes (uma mistura de wraps com crepes que a marca já vendia em carrinhas ambulantes), que podem ser de arroz, de espinafres, ou de beterraba. Os recheios variam, desde o frango ao camarão, atum e legumes (até 8,50€).

Ler mais
Oeiras

Local Chiado by Your Healthy Kitchen

A cozinha de Maria Gray é o local onde toda a gente quer estar. “Nem tudo é sem lactose, ou sem glúten, mas há opções saudáveis para todos”, garante a dona, que, desde o início do ano, já abriu dois restaurantes, o primeiro no Mercado da Vila, em Cascais, e o segundo no Palácio Chiado, em Lisboa. Ao pequeno-almoço, nesta cozinha saudável, comem-se saladas de frutas com iogurte grego e pistáchio (3,20€) e ao almoço pratos de salmão com crosta de panko, um pão ralado japonês, com curgete e molho de manga e hortelã (11€). Para sobremesa, há cheesecakes de frutos silvestres e sopas de amora, pêra e noz (3,50€).

Ler mais
Chiado

Água no Bico

Quem diria que milhares de anos depois estaríamos tão interessados em ser novamente uns homens das cavernas? Nunca se falou tanto de comida paleo como agora, e Nuno Carrusca, o chef que além de apostar nesta dieta serve comida vegetariana, vegan e crudívora, desmistifica o preconceito. “Alguns dos nossos pratos mais tradicionais são paleo. As iscas são paleo e as lulas recheadas também.” Nuno explica ainda que esta dieta consiste no consumo de frutas da época e de carnes de caça e de pasto. Hidratos de carbono como o trigo e o arroz, leguminosas ou açúcares refinados ficam de fora. Agora que já sabe, experimente as saladas e as tartes que todos os dias ali se fazem (entre os 3€ e os 6€). Mas não se porte como um Neanderthal à mesa. Por favor, tenha modos.

Ler mais
Chiado/Cais do Sodré

In Bocca al Lupo

Esta pizzaria junto à Praça das Flores, que só utiliza produtos biológicos, faz umas pizzas fininhas, sem fermento, em forno a lenha, que mal se sentem no estômago depois de comidas. A sua grande maioria são vegan e vegetarianas, como a de pesto com manjericão (13,50€). Se o fizer com antecedência, pode pedir que a base da sua pizza seja sem glúten. Prove ainda a panacota feita com agar-agar, uma gelatina vegetal (5€). 

Ler mais
Chiado/Cais do Sodré

House of Wonders

O terraço com mais onda de Cascais tem muitas cores, mas sempre foi mais verde do que outra coisa. À lista de pratos vegetarianos – que não é fixa, varia consoante a sazonalidade dos alimentos –a chef Fionna Lynne Harrower juntou raw food (comida crua e vegan). Cuscuz de couve-flor com frutos secos e molho de manga e hortelã, esparguete de curgete com pesto de abacate e girassol e tacos de cogumelos envolvidos em alface são algumas das novidades que chegam à mesa sem passar pela frigideira ou pelo fogão. Para sobremesas, a chef preparou cheesecakes com base de frutos secos e coco, abacate e chá matcha, e cremes de manga com flores comestíveis. Dizem os seguidores desta dieta que os alimentos não processados e não manipulados desintoxicam, vitalizam e até curam doenças. É experimentar para ver se é tão rawsome como a Fionna promete. 

Ler mais
Cascais
Mostrar mais

Mais restaurantes em Lisboa

As melhores sopas de Lisboa

Qual é a sopa do dia? Felizmente, há cada vez mais cozinheiros para quem a sopa não é apenas uma panela com cenouras e batatas trituradas.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Comentários

1 comments
Isabel L
Isabel L

Adiciono a esta lista o restaurante Escolha Natura em Alvalade. Recomendo vivamente! Cozinha vegana biológica muito bem confecionada.