Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores sítios para fazer piqueniques em Lisboa

Os melhores sítios para fazer piqueniques em Lisboa

Este é o caminho a seguir para estender a toalha e pousar as cestas nos melhores sítios para fazer piqueniques em Lisboa.

jardim da estrela
David Clifford Jardim da Estrela
Por Francisca Dias Real e Raquel Dias da Silva |
Publicidade

Sabe onde piquenicar em Lisboa? É a forma ideal de fugir da cidade sem chegar a sair dela. É pegar, meter na cesta e estender a toalha nesses hectares relvados jardins fora. Há verdadeiros tesourinhos que vai querer conhecer, sobretudo agora que está oficialmente aberta a época do bom tempo, os raios de sol já queimam e a vontade de sair de casa é mais que muita. Se não é adepto de esplanadas cheias de gente, pode optar pelos espaços verdes e atirar-se a um lanchinho com a família ou entre amigos.

Recomendado: Odeia ginásios? Experimente treinar ao ar livre em Lisboa

Os melhores sítios para fazer piqueniques na cidade

Parque do Alvito
Fotografia: Arlindo Camacho
Atracções, Parques e jardins

Parque de Monsanto

icon-location-pin Alcântara

Este é talvez o melhor parque para piquenicar com crianças durante os dias quentes, entre as 09.00 e as 20.00. O Parque Recreativo do Alvito é um dos mais antigos da cidade e um dos mais emblemáticos do Parque Florestal de Monsanto. O acesso é proibido a animais, mas o Parque de Merendas, junto ao Parque Recreativo, tem – imagine-se – um forno a lenha para um piquenique 2.0. Há grelhador e uma área de mesas coberta, o que permite ter sombra permanente se não quiser estender toalhas na relva. Depois é certo e sabido que os miúdos vão delirar com os equipamentos de recreio, desporto e lazer.

COMO CHEGAR: A entrada faz-se pela Rua do Alvito. O melhor acesso dá-se por Alcântara, junto ao Centro de Ténis de Monsanto.

Jardim da Cerca da Graça 2
Fotografia: Arlindo Camacho
Atracções, Parques e jardins

Jardim da Cerca da Graça

icon-location-pin São Vicente 

É um segredo mal guardado à vista de todos. Ainda poucos o conhecem, mas é o maior espaço verde de acesso público da zona histórica de Lisboa. Afinal, são quase dois hectares junto à Igreja da Graça, com vista sobre a Lisboa antiga, que vai do Castelo à Mouraria. É o espaço ideal para um piquenique em que leve a família toda atrelada, com uma vasta área relvada para estender a toalha. O jardim tem três miradouros, uma zona com parque de merendas – se quiser sentar-se à mesa – e um pomar. Os miúdos têm um parque infantil só para eles, mas se preferirem andar à solta têm espaço para correr, dar toques na bola ou jogar ao lencinho com a família – é só uma ideia.

COMO CHEGAR: É apanhar o Eléctrico 28, com um percurso entre a Praça Martim Moniz e Prazeres, mais simples não há.

Publicidade
David Clifford
Coisas para fazer

Jardim José Gomes Ferreira

icon-location-pin Alvalade

Conhecido como Mata de Alvalade, neste jardim com cerca de dez hectares vai poder elevar a experiência de piquenique. É que há uma zona de churrascos, com tudo preparado. A si cabe-lhe levar as febras e entremeadas e o carvão. Depois pode servir na toalha ou sentar-se direito, que o espaço está equipado com mesas e bancos. É encher a barriga e deitar-se na relva, deixando-se envolver pela vegetação densa. Há ainda um parque infantil para entreter os gaiatos e um circuito de manutenção, rede de caminhos pedonais e pista ciclável se quiser digerir a refeição a pedalar. Se, por outro lado, preferir observar a avifauna, o espaço – aberto entre as 10.00 e a meia-noite – serve de refúgio a várias espécies de aves, desde melros e chapins-reais a piscos-de-peito-ruivo e pintassilgos.

COMO CHEGAR: Situada junto à antiga rotunda do Relógio, é possível lá chegar de autocarro (705, 708 e 722).

Jardim da Gulbenkian
©bjaglin
Atracções

Jardim da Gulbenkian

icon-location-pin São Sebastião

A máxima é aproveitar os melhores recantos da cidade para uma refeição diferente. O Jardim da Gulbenkian, uma referência para a arquitectura paisagista portuguesa, está no centro de Lisboa, mas não deixa de ser um bom retiro para piquenicar. Há um lago no interior do jardim e patos a vadiar por ali à solta. Só tem de levar o cestinho e aproveitar a calmaria do sítio. Depois, para entreter os miúdos, pode mandá-los registar quantas espécies de flora diferentes encontram: são mais de 230, desde alfarrobeiras a bétulas, passando pelas ameixeiras-de-jardim vermelhas e as olaias lilazes. A diversidade da avifauna também não fica nada atrás. Prepara-se, porque não são só patos. Já foram identificadas garças-nocturnas, periquitos-de-colar e até guarda-rios, com bico comprido e cores exóticas.

COMO CHEGAR: A forma mais simples talvez seja de metro, saindo na Praça de Espanha.

Publicidade
Jardim da Estrela
© Lydia Evans / Time Out
Atracções

Jardim da Estrela

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Plantado no coração de Lisboa, é perfeito para ir para fora cá dentro. Tem um bom parque infantil onde os miúdos se podem espojar à vontade (a qualidade do areão é inspecionada quinzenalmente); uma frota de bancos (um a cada vinte passos – acredite, nós já medimos) a ladear o passeio público que é também um dos melhores circuitos de corrida da cidade; e sobretudo tem meia dúzia de clareiras relvadas a pedir piqueniques e tardes de sorna com um livro (pode requisitá-lo na biblioteca-quiosque: está aberta das 13.00 às 18.00, de terça a sábado).

COMO CHEGAR: É apanhar o Eléctrico 28, que pára mesmo em frente.

Jardim do Campo Grande
Fotografia: Manuel Manso
Atracções, Parques e jardins

Jardim do Campo Grande

icon-location-pin Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Neste jardim vive-se uma espécie de microclima, uma ilha rodeada de estrada e da azáfama do trânsito, ainda que não pareça assim que mete os pés na relva e sente realmente a natureza. O Jardim Mário Soares, mais conhecido como Jardim do Campo Grande, é o maior do centro da cidade e tem um grande lago navegável, perfeito para se meter em aventuras nos barquinhos a remos. Há uma zona especial para merendas para poder fazer o seu piquenique à vontade, sempre com a vantagem de ter um parque infantil para manter os miúdos ocupados.

COMO CHEGAR: Dá para lá chegar de metro ou de autocarro (701, 732, 736, 764 ou 783). Depende de onde parte.

Publicidade
Quinta das Conchas
Fotografia: Ana Luzia
Atracções, Parques e jardins

Quinta das Conchas

icon-location-pin Lumiar

São 24 hectares relvados. A Quinta das Conchas é um paraíso para passeios em família e mais ainda para piqueniques, graças à extensa área ajardinada, onde pode estender a toalha ao sol ou à sombra das árvores. O parque infantil é o ponto alto para os mais pequenos, assim como os passadiços que usam para bicicletas, triciclos e trotinetes. É um palco ideal para festas de aniversário em estilo piquenique e há cinema ao ar livre durante o Verão.

COMO CHEGAR: Vá de metro e, na linha Amarela, saia na Quinta das Conchas. Depois é só mais um minuto a pé.

Coisas para fazer

Parque Urbano do Vale da Montanha

icon-location-pin Marvila

A obra foi iniciada em 2015 e era uma das peças do programa Corredor Verde Oriental, que liga o Parque Vinícola de Lisboa (junto à antiga rotunda do Relógio) ao futuro Parque Ribeirinho Oriente. O Parque Urbano Vale da Montanha tem mais de dez hectares, com ciclovia, caminhos pedonais, muita verdura, equipamentos de fitness e até outro parque infantil numa área mais elevada. Na entrada principal, há um gigante equipamento lúdico para crianças e ao lado uma área rodeada de bancos de pedra e pronta para receber eventos. Para quem quer um piquenique daqueles à antiga é mesmo chegar e estender a toalha onde vir os relvados espaçosos e deixar-se ficar refastelado no descanso longe da confusão citadina. 

COMO CHEGAR: Se não for de carro, vá de transportes públicos: os autocarros são o 208, o 793 e o 794.

Publicidade
Tapada da Ajuda
©DR
Coisas para fazer

Tapada da Ajuda

icon-location-pin Alcântara

A Tapada da Ajuda, parque botânico de reconhecido interesse, tem cerca de uma centena de hectares e muitas atracções. Há pomares, vinhas, prados, culturas arvenses e hortículas, uma reserva botânica, campos polidesportivos, o Observatório Astronómico de Lisboa e o Instituto Superior de Agronomia. No ponto mais alto da Tapada, junto ao marco geodésico (134 metros de altitude), existe um miradouro que oferece um vasto panorama sobre a cidade e o rio Tejo. Como parece óbvio, há mais do que espaço para piquenicar. Mas, caso restem dúvidas, sim, tem um parque de merendas, para piqueniques e churrascos, com uma vasta área relvada e lagos com patos.

COMO CHEGAR: Se levar o carro, terá de pagar 1,50€. Caso vá a pé, a entrada já é gratuita, por isso o melhor é ir de transportes públicos. No Cais do Sodré, pode apanhar o eléctrico nº 18 ou o autocarro 760 com destino à Calçada da Tapada.

Sê amigo do ambiente

quinta das conchas, lumiar, parque, jardim,
Fotografia: Duarte Drago
Coisas para fazer

Os melhores parques e jardins em Lisboa

Em Lisboa há parques para todos os gostos e nós escolhemos os melhores para brincar com os miúdos, ler um livro ou fazer um piquenique, independentemente da altura do ano. Afinal todos os dias são bons para uma pausa num destes parques e jardins de Lisboa.

Mata da Machada
Mata Nacional da Machada
Coisas para fazer

Seja um naturalista: passeios e workshops para respirar ar puro

Não precisa de começar a criar uma horta na varanda, nem de se tornar (muito menos do pé para a mão) guru do zero desperdício, mas passar mais tempo ao ar livre é remédio santo para vários males. Respire fundo (onde o ar for mais puro) e prepare a lista para o fim-de-semana ou para as próximas férias em família.

Publicidade
Embaixada das Flores
Fotografia: Inês Félix
Compras, Floristas

As melhores floristas em Lisboa

Jarros, malmequeres, peónias, rosas, frésias, girassóis, narcisos e tulipas. A lista continua, até porque as melhores floristas em Lisboa são especialistas em juntar estas e outras flores e em fazer os ramos mais originais da cidade, prontos para irem parar a jarra mais catita lá de casa.

Publicidade