Os melhores sítios para beber chocolate quente em Lisboa

Esqueça o chá ou o galão. Quando o frio aperta, a bebida perfeita é o chocolate quente, e estes são os melhores sítios onde o pode beber em Lisboa
cultura portuguesa cafe
Fotografia: Inês Félix
Por Inês Garcia |
Publicidade

Cremoso, com ou sem chantilly por cima, quente e bem docinho. Se o que lhe aquece realmente a alma (e as mãos) é o chocolate numa versão líquida, esta é a altura certa para correr as capelinhas todas em busca de uma chávena de chocolate a fumegar e colocar a gulodice em dia. Aqui damos-lhe uma lista de sítios para beber chocolate quente em Lisboa com um grau de cacau mais ou menos elevado, com rum e até com licor de laranja. Mais ou menos doce, estas canecas são um tiro certeiro para curar todos os males.

Recomendado: As melhores novas sopas em Lisboa

Os melhores sítios para beber chocolate quente

Chocolate quente do Kaffeehaus
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafés

Kaffeehaus

icon-location-pin Chiado

No austríaco Kaffeehaus, no Chiado, onde os sofás puxam por nós sempre que lá pousamos, o Hausgemachte heiße Schokolade é uma receita do país de origem dos donos, feito com barras de chocolate austríaco, leite e mel português (3,90€) mas há outra versão com rum (4,60€) ou com licor de laranja (4,90€). Por cima leva chantilly.



Chocolate quente do Delidelux
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Delidelux

icon-location-pin São Vicente 
É feito com chocolate da marca francesa Monbana, misturado com leite meio gordo ou, se quiser, leite de soja ou leite sem lactose (2,90€). E pode ou não levar natas por cima, dependendo do nível de gulodice (3,20€).
 
 
Publicidade
 chocolate quente da Bettina & Niccolò
Fotografia: Ana Luzia
Compras, Chocolates e doces

Bettina & Niccolò

icon-location-pin Princípe Real

É Bettina, a matriarca da família Corallo, que recebe os clientes na loja/fábrica no Príncipe Real (agora também no Time Out Market), onde faz cerca de 10 quilos de chocolates todos os dias para assegurar a frescura da obra-prima. O chocolate quente tem uma espessura incrível e existe em versão pequena (1,75€) ou grande (3,50€). 

bonbons
Fotografia: Manuel Manso
Compras, Chocolates e doces

Leonidas

icon-location-pin Grande Lisboa

A loja de chocolates Leonidas tem chocolate quente simples (2,50€), com natas (2,80€), com gelado para quem não se quer despedir do Verão (3€) ou com café e natas (2,50€). 

Publicidade
Fábrica Lisboa
©Fábrica Lisboa
Restaurantes, Cafés

Fábrica Lisboa

icon-location-pin Baixa Pombalina

Na Fábrica Lisboa o ambiente já é, só por si, um aconchego quase suficiente, com cadeirões, luzes baixas, a balança das antigas e as latas nas prateleiras. O chocolate quente que servem para acompanhar ora quiches ora bons croissants é numa versão "da avó" (2,75€).

Restaurantes

Chef Nino

icon-location-pin Alcântara

É café e restaurante, serve refeições ligeiras durante a semana e aos sábados e domingos aposta no brunch. O chocolate quente do Chef Nino é servido a todas as horas do dia (2,40€). Só falta falar dos gelados, também eles caseiros, e dos crepes e panquecas.

Publicidade
cultura portuguesa cafe
Fotografia: Inês Félix
Bares, Cafés/bares

Cultura Portuguesa Café

icon-location-pin São Vicente 

É divertido ver pessoas com bigode a beber chocolate quente. Mas melhor do que isso é beber um delicioso chocolate quente que primeiro vem em formato bigode. Uma receita do Cultura Portuguesa Café que já valeu ao seu fundador, nascido e criado no bairro, um convite para o vender em Las Vegas. É servido em seis variedades (3,9€-4,2€), entre elas a de baunilha, de café, caramelo ou avelã e faz-se à moda antiga: à mesa chega a chávena com o leite quente e ao lado um bigode de chocolate (do sabor solicitado) pronto a ser mergulhado e derretido.

Mais gulodices em Lisboa

Brigadeiros - Ponto mais doce da Cidade
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Três sítios para comer brigadeiro

São pequenas bolinhas de felicidade importadas do Brasil, mais especificamente de São Paulo. E não é fácil resistir a este doce que na sua versão mais tradicional é feito à base de leite condensado e chocolate (qual bomba calórica) e com uma preparação relativamente rápida e fácil de reproduzir em casa. Entretanto já há brigadeiros de todos os sabores, do amendoim ao morango, caramelo, caju, limão. Há até uns com nacionalidade luso-portuguesa que mantêm a base de leite condensando mas sabem a arroz doce, pastel de nata ou baba de camelo. Prove os brigadeiros destes três sítios e tire a sua prova dos nove.

L'Éclair
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Dez pastelarias com fabrico próprio em Lisboa

São das melhores coisas da cultura urbana e gastronómica portuguesa. E Lisboa está recheada a pastelarias, só que nem todas são as autoras das delícias que apresentam nas montras e ao balcão. A arte do fabrico próprio deixa a salivar muitos locais e visitantes e entrámos em algumas das casas que representam uma verdadeira tentação para os mais gulosos. Portanto, não deixe para amanhã o que pode fazer hoje, aproveite o pequeno-almoço, o lanche ou  qualquer hora do dia para ir experimentar as especialidades destas dez pastelarias com fabrico próprio. Prepare-se para sair de barriga cheia. 

Publicidade