Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores sítios para beber chocolate quente em Lisboa

Os melhores sítios para beber chocolate quente em Lisboa

Esqueça o vinho quente ou o chá. A bebida para os dias frios – afirmamos sem pudor – é mesmo o chocolate quente.

Chocolate quente da Confeitaria Nacional
©Arlindo Camacho Confeitaria Nacional
Por Inês Garcia e Tiago Neto |
Publicidade

Cremoso, mais líquido mas intenso, com ou sem chantilly por cima, quente e bem docinho. Se o que lhe aquece realmente a alma (e as mãos) é o chocolate numa versão líquida, esta é a altura certa para correr as capelinhas todas em busca de uma chávena de chocolate a fumegar e colocar a gulodice em dia. Aqui damos-lhe uma lista de sítios para beber chocolate quente em Lisboa com um grau de cacau mais ou menos elevado, com rum e até com licor de laranja. Mais ou menos doce, estas canecas são um tiro certeiro para curar todos os males.

Recomendado: Os melhores cafés em Lisboa

Sítios para beber chocolate quente em Lisboa

Chocolate quente do Kaffeehaus
©Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafés

Kaffeehaus

Chiado

No austríaco Kaffeehaus, no Chiado, onde os sofás puxam por nós sempre que lá pousamos, o Hausgemachte heiße Schokolade é uma receita do país de origem dos donos, feito com barras de chocolate austríaco, leite e mel português (3,90€) mas há outras versões: com rum (4,60€) e com licor de laranja (4,90€). Por cima leva chantilly.

Grom
©DR
Restaurantes

Grom

Grande Lisboa

Além dos potes de gelado, a gelataria Grom juntou a vitrine um novo produto para o aquecer este Inverno: o chocolate quente. A bebida é feita com leite fresco, ao qual se junta o chocolate vindo do Equador e da Venezuela, sem qualquer aditivo. Há três opções à escolha: o fondente, com chocolate negro do Equador, com um aroma floral e traços de frutos secos; o latte, com chocolate de leite da Venezuela e ainda o guianduia, uma combinação do chocolate equatoriano com avelãs. As bebidas estão disponíveis até Abril (5€, o pequeno; 6,90€ o copo grande) e pode pedir para a finalizarem, à semelhança dos gelados, com a tradicional Panna italiana.

Publicidade
Heim Café
©Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafés

Heim Café

Santos

O Heim Café, ali na fronteira de Santos com a Madragoa, veio dar vida (e um brunch) a um bairro até então precisava de alguma movida diurna. O sítio tornou-se tão popular que esperar na fila aos fins-de-semana é inevitável. Não desista e lute por um espaço onde possa meter as mãos num chocolate quente (3,50€).

Chocolate quente da Confeitaria Nacional
©Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafés

Confeitaria Nacional

Baixa Pombalina

Foi a confeitaria que trouxe o bolo-rei para Portugal, uma receita que se mantém inalterada desde 1875 e continua a ser motivo de romaria por altura do Natal. Na casa-mãe, localizada na Praça da Figueira, pode bebericar um chá e decidir-se entre algumas das especialidades, como pastéis de nata, duchesses ou enfarinhados (massa de amêndoa envolvida numa boa camada de açúcar em pó). O chocolate quente fica-lhe entre os 2,35€ o copo e 4,55 o bule para duas pessoas.

Publicidade
Wish Slow Coffee House
©Francisco Santos
Restaurantes, Cafés

Wish Slow Coffee House

Alcântara

Margarida Eusébio abriu a Wish em 2013, uma concept store com cadernos, caixas e prints de inspiração minimalista. Depois veio esta cafetairia de inspiração nórdica. Além da oferta de cafetaria – o café de saco aqui é preparado com todos os cuidados, torrado semanalmente e passado com paciência - há bolos que enchem o ar com cheiro doce e não falta chocolate quente (2,80€).

Chocolate quente do Delidelux
©Arlindo Camacho
Restaurantes

Delidelux

São Vicente 

Consegue lembrar-se de um plano melhor do que rumar até perto do Tejo, sentar-se numa esplanada aquecida e beber um chocolate quente? É difícil, bem sabemos. Aqui, o dito é feito com chocolate da marca francesa Monbana, misturado com leite meio gordo ou, se quiser, leite de soja ou leite sem lactose (2,90€). E pode ou não levar natas por cima, dependendo do nível de gulodice (3,20€).

Publicidade
 chocolate quente da Bettina & Niccolò
©Ana Luzia
Compras, Chocolates e doces

Bettina & Niccolò

Princípe Real

É Bettina, a matriarca da família Corallo, que recebe os clientes na loja/fábrica no Príncipe Real (agora também no Time Out Market), onde faz cerca de 10 quilos de chocolates todos os dias para assegurar a frescura da obra-prima. O chocolate quente tem uma espessura incrível e existe em versão pequena (1,80€) ou grande (3,50€). 

calçada do cacau, alfama, chocolataria
©Manuel Manso
Restaurantes

Calçada do Cacau

São Vicente 

Uma chocolataria artesanal de Lisboa, nascida no final de 2017 no Campo de Santa Clara, ideal para passar depois de uma festa, quer dizer, visita ao Panteão. Inspirada na calçada portuguesa, tem nos Cubitos, pequeninos cubos de chocolates com misturas variadas, a sua especialidade. Há também tabletes, cafés e mesas para se sentar a devorar chocolates sem qualquer pressa. Em alternativa, sorva um chocolate quente.

Publicidade
Chocolate quente Landeau
©DR
Compras

Landeau Chocolate Chiado

Chiado

O bolo de chocolate da Landeau dispensa apresentações – na verdade, grande parte da doçaria da casa também – mas há mais a conhecer. Falamos, claro, do chocolate quente (3€, que pode chegar com ou sem leite), essa pérola guilty pleasure (não tanto guilty free) que nos abraça o corpo naqueles dias mais frios em que a taxa de pessoas no Chiado ultrapassa o aceitável.

Leonidas - Rato
©DR
Compras, Chocolates e doces

Leonidas

Grande Lisboa

Na Leonidas, marca belga de chocolataria que já chegou a vários pontos do país e que tem actualmente cinco lojas em Lisboa, chocolate quente é coisa que não podia faltar. Nas opções há o simples (2,50€), com natas (2,80€), com gelado para quem não se quer despedir do Verão (3€) ou com café e natas (2,50€). Se estiver no mood combine um chocolate quente e um scone no menu inverno (2,80€).

Publicidade
Fábrica Lisboa
©Fábrica Lisboa
Restaurantes, Cafés

Fábrica Lisboa

Baixa Pombalina

Na Fábrica Lisboa o ambiente já é, só por si, um aconchego quase suficiente, com cadeirões, luzes baixas, a balança das antigas e as latas nas prateleiras. O chocolate quente que servem para acompanhar ora quiches ora bons croissants é numa versão "da avó" (2,75€).

Selllva
©Manuel Manso
Restaurantes

Selllva

Grande Lisboa

O grupo Capricciosa tem já 12 restaurantes no seu portefólio mas faltava-lhe um conceito mais saudável. O Selllva. na rua Mouzinho da Silveira, perto do Marquês de Pombal, junta-se ao clã como um restaurante saudável sem ser fundamentalistas, com opções vegetarianas e veganas mas também boas propostas para quem não quer abdicar da proteína animal. Há um menu jet lag, disponível das 08.00 às 18.00, com opções que sabem bem qualquer que seja a altura do dia, e um "into the wild", com pratos das “diferentes selvas espalhadas pelo mundo”. Para beber a qualquer hora há o chocolate quente cremoso (3,50€).

Publicidade
Caffè di Marzano
©Manuel Manso
Restaurantes

Caffè di Marzano

Chiado

Os donos da pizzaria Valdo Gatti abriram o Caffè di Marzano no Largo Rafael Bordalo Pinheiro. É um café, vinoteca e vermuteria, onde juntaram os pequenos-almoços nova-iorquinos às influências italianas para todo o dia. Uma espécie de pequena Little Italy, que vai mudando as propostas gastronómicas, e o próprio ambiente, ao longo do dia. Além de café de especialidade e lattes vários, têm um bom chocolate quente (2,50€), que pode ser feito com leite de vaca, de amêndoa ou aveia.

Mais gulodices em Lisboa

Bolo de bolacha
©Duarte Drago
Restaurantes

Os melhores doces em Lisboa

O açúcar tem tanto de vilão como de melhor amigo – mas uma vez não são vezes e a vida tem de ser feita de equilíbrios. Lembre-se, aliás, que os doces podem ser os nossos melhores amigos em alturas difíceis, calmantes emocionais que ajudam na produção da serotonina, a hormona que regula o bem-estar e o humor. Organize o calendário de almoços e jantares semanais e faça um pijaminha de sobremesas com esta lista que tem de tudo.

Brigadeiros - Ponto mais doce da Cidade
©Ana Luzia
Restaurantes

Três sítios para comer brigadeiro

São pequenas bolinhas de felicidade importadas do Brasil, mais especificamente de São Paulo. E não é fácil resistir a este doce que na sua versão mais tradicional é feito à base de leite condensado e chocolate (qual bomba calórica) e com uma preparação relativamente rápida e fácil de reproduzir em casa. Prove os brigadeiros destes sítios e tire a sua prova dos nove.

Publicidade
Mousse de Chocolate - Cacué
©Manuel Manso
Restaurantes

Três sítios para comer mousse de chocolate

É a sobremesa caseira mais segura em todas as festas de aniversário e jantares de família ou amigos. Mas fora de casa, a coisa pode complicar-se. Antes de mais nada porque é facilmente comparável com a da avó, da mãe ou da tia, depois porque os níveis de cacau do chocolate variam facilmente e há quem goste dela mais intensa ou mais cremosa e consistente, outros preferem chocolate com menos percentagem de cacau ou com cheirinho. 

Publicidade