Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Três sítios para comer tapioca

Três sítios para comer tapioca

Atravessou o Atlântico e conquistou os lisboetas. Descubra onde comer a famosa tapioca em Lisboa

ohlinda
©Duarte Drago Tapioca de camarão e queijo coalho
Publicidade

A tapioca, com origens no nordeste brasileiro, atravessou o Atlântico e conquistou os lisboetas. Os crepes com farinha de mandioca são uma das tendências da comida saudável que primeiro se estranha, mas depois se entranha. Não têm glúten, gordura, açúcar ou lactose e o cheiro da goma é meio azedo, com o crepe a ter uma textura rugosa – o sabor da farinha sobrepõe-se facilmente ao do recheio se não for bem temperado. Mas o limite dos recheios é a imaginação e tanto podem ser doces como salgados, mais simples ou mais complexos. Há versões mais tradicionais, da região de Olinda, com queijo coalho como ingrediente-base, ou outras modernas, mais ou menos fit. 

Descubra três sítios para comer tapioca em Lisboa.

Recomendado: Os melhores sítios para comer comida brasileira em Lisboa

Três sítios para comer tapioca

Ohlinda
©Duarte Drago
Restaurantes

Ohlinda

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

A tapioca de Olinda, cidade no Nordeste brasileiro, nada tem a ver com as que se comem no Rio de Janeiro ou em São Paulo. Os donos da OHLINDA quiseram homenagem essa terra, onde aprenderam a receita e o ritual artesanal. A goma de tapioca aqui utilizada é obtida através da mandioca, não tem glúten nem conservantes e as opções dividem-se entre as tradicionais, que têm como base o queijo coalho, e as contemporâneas, sempre com opções doces e salgadas.

Preço: a partir de 2,95€. 

tasca fit
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Tasca Fit

icon-location-pin Lisboa

Começou como um “fast-food saudável” há dois anos, mas agora dividem-se entre duas cartas, uma de almoço para refeições mais leves e outra de jantar, com pratos mais elaborados. É na primeira que estão as fitapiocas ou crepiocas, com frango mexido com ovo, salmão com guacamole ou numa versão vegan, com cebolada, espinafres, cogumelos, puré de grão e molho à espanhola.

Preço: a partir de 7,95€. 

Publicidade
Filosofia
Duarte Drago
Restaurantes, Cafés

Filosofia Lisboa

icon-location-pin Grande Lisboa

O projecto da actriz Sofia Ribeiro tem sumos naturais, smoothies, shots de energia e bem-estar, bowls e uns quantos pratos quentes, tudo virado para o saudável. Servem tapioca com tomate confitado, mozzarella e salada.

Preço: 7€.

Os melhores sítios em Lisboa para comer...

Brigadeiros - Ponto mais doce da Cidade
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Brigadeiro

São pequenas bolinhas de felicidade importadas do Brasil, mais especificamente de São Paulo. E não é fácil resistir a este doce que na sua versão mais tradicional é feito à base de leite condensado e chocolate (qual bomba calórica) e com uma preparação relativamente rápida e fácil de reproduzir em casa. Entretanto já há brigadeiros de todos os sabores, do amendoim ao morango, caramelo, caju, limão. Há até uns com nacionalidade luso-portuguesa que mantêm a base de leite condensando mas sabem a arroz doce, pastel de nata ou baba de camelo. Prove os brigadeiros destes três sítios e tire a sua prova dos nove. 

Restaurantes

Paella

A receita é espanhola, mas não é por isso que não se comem boas paellas em Lisboa, seja na sua forma mais tradicional ou reinventadas com os ingredientes que por cá se encontram mais frescos como é o caso da paella negra do Tapisco do chef Henrique Sá Pessoa feita com sépia e aioli. Mas se o que procura é a clássica paella, servida num tacho capaz de ocupar a mesa toda, então rume ao Solar dos Presuntos. Nestes três restaurantes, vai encontrar pratos coloridos, bem servidos e, acima de tudo, deliciosos.  

Publicidade
Coyo Taco - Quesadillas
©Duarte Drago
Restaurantes, Mexicano

Quesadillas

Comece por pedir as bebidas, afinal não se pode falar de restaurantes mexicanos em Lisboa nem das especialidades gastronómicas do país sem uma margarita na mão (ou, para quem tem medo de sair da sua zona de conforto, um cocktail com mezcal, com notas mais fumadas). Até porque vai inevitavelmente ajudar a aliviar o nível de picante da comida. As quesadillas, a versão mexicana dos crepes, feitas com tortilhas de trigo podem ser recheadas com tudo e mais alguma coisa: as mais típicas são as de carne ou de feijão, mas portugueses como somos não dispensámos um bom camarão. Sempre com muito queijo e, de preferência, natas ácidas e pico de gallo a acompanhar. Prepare o sombrero e vá comer quesadillas a um destes três restaurantes em Lisboa. 

Publicidade