Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Bares temáticos em Lisboa para noites diferentes

Bares temáticos em Lisboa para noites diferentes

Num mundo cada vez mais fotocopiado é sempre bom encontrar lufadas de ar fresco nos bares temáticos em Lisboa.

Por Renata Lima Lobo e Sebastião Almeida |
Publicidade
maxime hotel
Fotografia: Manuel Manso

Bares, bares e mais bares. Lisboa tem felizmente uma oferta bastante diversificada de bares e espaços nocturnos no geral e não deixa ninguém a morrer à sede. Até a cerveja artesanal tem ganhado um novo fôlego, especialmente na zona de Marvila, onde bares acumulam funções como fábricas. Mas há mais por onde desenjoar quando o assunto passa por ir a um sítio diferente, mais pensado, mais temático. Nesta lista encontra alguns bares temáticos em Lisboa, da era medieval ao tema do burlesco que parece arrecadar cada vez mais adeptos na cidade.

Recomendado: Lisboa vintage: aventure-se nestas experiências de outros tempos

Bares temáticos em Lisboa para noites diferentes

Covil
Manuel Manso
Bares

O Covil

Lisboa

Inspirado na cultura celtibera e lusitana, este bar em Arroios, um espaço ideal para um bom início de noite, é provavelmente o único sítio em Lisboa onde vai encontrar hidromel à pressão – e fique a saber que é uma boa alternativa para quem já está enjoado de sidra. Tanto Margarida Malheiros como Rui Bajouca, os fundadores, gostavam da bebida ancestral, especialmente deste hidromel que agora servem em garrafa ou à pressão, da marca Apiagro, empresa de apicultores de Torres Vedras, e que já é uma espécie de bebida oficial do bar. Outra das preocupações é respeitar a cultura celtibera e a dos antigos povos nórdicos e germânicos e por isso mesmo existe uma pequena biblioteca (ainda em crescimento) sobre o tema, comida e festas temáticas.

Trobadores
Fotografia: Arlindo Camacho
Bares

Trobadores

Grande Lisboa

É uma espécie de memória de uma Lisboa medieval enterrada pelo terramoto de 1755. Entrar no Trobadores é abraçar a boémia da Idade Média representada durante todo o ano nesta taverna na Baixa Pombalina, decorada a preceito e onde é possível beber cerveja de um corno ou vinho quente nos dias que pedem mais aconchego. Se tiver sorte pode ser que apanhe um amimado concerto de música folk.

Publicidade
Restaurantes

Maxime Restaurante-Bar

Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Os lustres foram construídos à semelhança dos originais. O balcão foi recuperado e os bancos de pé alto dão lhe um ambiente de outros tempos. Do bar tem-se vista para o palco e para o mural de Alexandra Prieto com bailarinas e um néon em que se lê Maxime. No Maxime regressa-se aos tempos de antigamente, quando o espaço era um dos mais famosos cabarets da capital, e onde o ócio e o luxo conviviam com as mulheres mais belas da cidade.

Toca da Raposa
©Arlindo Camacho
Bares

Toca da Raposa

Chiado

Constança Cordeiro veio de Londres, onde esteve a aprender tudo o que sabe sobre mixologia, para abrir o seu próprio bar, onde todos os cocktails têm ingredientes frescos portugueses. Há mesas e serviço de sala para umas 30 pessoas, mas a peça central é uma ilha em mármore onde se sentam 12 pessoas, como numa mesa de jantar com espaço suficiente para se conseguir falar com a pessoa do lado que se acabou de conhecer, ou ignorá-la olimpicamente. 

 

Publicidade
Monte Cristo Caffé Lounge
Duarte Drago
Noite

MonteCristo Caffe Lounge

Grande Lisboa

As aparências enganam e assim que se entra pela porta de vidro do MonteCristo, na Avenida da República, onde até há um par de anos funcionava uma das muitas farmácias da zona, comprovamos isso. As prateleiras de medicamentos foram substituídas por uma  garrafeira de fazer inveja ao bar mais apetrechado da cidade, e a decoração, com luzes que vão mudando de cor e paredes pretas e douradas, não faz adivinhar a antiga vida da casa.

pensão amor
Fotografia: Inês Calado Rosa
Noite

Pensão Amor

Cais do Sodré

A abertura da Pensão Amor, no final de 2011, foi um dos primeiros sintomas da mudança radical que ia acontecer no Cais do Sodré nos anos que se seguiram. Este bairro é hoje um dos preferidos dos lisboetas, com uma mistura entre jovens e turistas curiosos, bares para se beber à porta e outros para se demorar lá dentro. A Pensão Amor inscreve-se nestes últimos. Antes, naquele prédio, funcionavam quatro pensões que alugavam quartos à hora a prostitutas e a marinheiros que atracavam no Cais do Sodré, vindos de várias partes do mundo. Agora, há um bar de cocktails e muito mais, desde concertos de jazz a espectáculos de burlesco, passando por peças de teatro, DJ sets e lançamentos de livros. A sua decoração remete-nos para esse imaginário burlesco.

Publicidade
Frida
Manuel Manso
Bares

Frida

Chiado/Cais do Sodré

O restaurante El Clandestino ganhou um bar na mezzanine. Chama-se Frida e é ideal para fazer tempo no quentinho, enquanto espera por mesa para jantar. Duarte Cardeira criou a carta de cocktails com referências a pintores mexicanos. Um dos melhores é o Leonora (8,5€), com gin, licor de pêssego, manjericão, puré de ananás e sumo de lima e uma bolacha de banana e ananás com toffee de cacau e mezcal.

Bora Bora
©DR
Bares

Bora-Bora

Areeiro/Alameda

A Polinésia é onde nós quisermos. Na Alameda, porque não? Dos dois bares Bora-Bora que os proprietários abriram nos anos 80 – na Alameda e na Rua da Madalena –, só o primeiro ainda está a funcionar (o da Baixa fechou em 2011). O bar de inspiração exótica era uma coisa moderna na altura, com cocktails a deitar fumo (milagres do gelo seco). Agora, vale mais pelo ambiente kitsch. Espere uma noite divertida, com flores ao pescoço, palhinhas gigantes para bebidas colectivas (beber da mesma palhinha é um bom começo para a noite) e copos de loiça, com caras ou ananases.

Mais copos

musa
Fotografia: Francisco Santos
Bares

Os melhores bares de cerveja em Lisboa

Os alfacinhas estão a assistir ao milagre da multiplicação de marcas, estilos e sítios para beber cerveja artesanal, em garrafa ou à pressão, com tira-gostos clássicos a acompanhar ou o melhor da gastronomia internacional. Entre bares, garrafeira, fábricas e "brewpubs" há cada vez mais e mais variados projectos ligados à cerveja em Lisboa. E ainda há espaço para mais. Estes são os melhores sítios para beber uma fresquinha.

Baile Tropicante
©Alipio Padilha
Noite

As melhores noites africanas da cidade

Habitualmente, a temperatura arrefece à noite. Mas estas festas africanas são excepções à regra. Kizomba, kuduro, funaná, mornas, semba, afro-house... Há pistas de dança bem quentes – com música ao vivo ou DJ sets suados – para todos os apetites. Ensaie o seu melhor movimento de anca e prepare-se para viajar de Cabo Verde a São Tomé, de Angola a Moçambique, sem sair da capital portuguesa. 

Publicidade
Café da Garagem
Fotografia: Manuel Manso
Bares

Bares em teatros: quando os copos sobem ao palco

Se vamos a tantos bares e restaurantes, qual a justificação para não irmos mais vezes ao teatro? Até nos meses mais parados, Lisboa tem um cartaz preenchido de peças para todos os gostos – e, se for para juntar o útil ao agradável, não é difícil acrescentar copos à cena. Há, na verdade, muito por onde escolher. Era uma vez... uma peça, um bar e uma cortina a subir (ao mesmo tempo que o copo esvazia, claro).

You may also like

    Publicidade