Paragens obrigatórias na Rua Coelho da Rocha

A principal rua de Campo de Ourique é também uma das mais gulosas de Lisboa. A Rua Coelho da Rocha reúne alguns dos melhores restaurantes de Campo de Ourique
Mercado de Campo de Ourique - Sala 2
Fotografia: Ana Luzia
Por Clara Silva |
Publicidade

Que bem que se está no Campo, principalmente se tiver paciência para procurar lugar para estacionar. Será recompensado. Na Rua Coelho da Rocha estão alguns dos melhores restaurantes de Campo de Ourique, que por si só já é um dos bairros onde se come melhor em Lisboa. Claro que tudo isto é discutível, mas não vamos discutir de estômago vazio. Da cozinha japonesa ao café saudável da moda, há para todos os gostos – e todos os heterónimos – ou não fosse esta a rua de Fernando Pessoa.

Recomendado:

Outras paragens obrigatórias em Campo de Ourique

O melhor de Campo de Ourique

Paragens obrigatórias na Rua Coelho da Rocha

Peixinhos da horta do Coelho da Rocha
©DR
Restaurantes, Português

Coelho da Rocha

icon-location-pin Campo de Ourique

Comecemos pelo nome da rua, Coelho da Rocha, nome de um antigo sacerdote e professor da Faculdade de Leis. Claro que isso foi há 225 anos (a idade exacta da rua) e agora quando se fala em Coelho da Rocha toda a gente pensa no restaurante com o mesmo nome com petiscos que vão das pataniscas de polvo ao pica-pau, ideais para partilhar. Mesmo os mais exigentes hão-de encontrar alguma coisa que os satisfaça.

A Time Out diz
Hikidashi
© Ana Luzia
Restaurantes, Japonês

Hikidashi

icon-location-pin Campo de Ourique

Agnaldo Ferreira, sushiman do Hikidashi, é um dos melhores da cidade e o restaurante, também no top, prova que a cozinha japonesa é muito mais do que sushi. Prepare-se é para comer num enorme balcão.

A Time Out diz
Publicidade
Focacceria Pugliese
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Italiano

La Focacceria Pugliese

icon-location-pin Campo de Ourique

Pizzas, focaccias, ciccio, panzerotti, treine o seu italiano quando fizer o pedido na Focacceria Pugliese. Se for 
para levar, nem que seja para as mesas da esplanada, tem 10% de desconto.

A Time Out diz
O Moço dos Croissants
©DR
Restaurantes, Pastelarias

O Moço dos Croissants

icon-location-pin Campo de Ourique

O Moço dos Croissants deu outro cheirinho à rua, com fornadas de croissants (costumam tocar um sino para chamar clientes) e mini-palmiers que compensam o atendimento lento.

Publicidade
Glood
Manuel Manso

Glood

Na mesma altura em que o Moço abriu, e como se não bastasse de guloseimas, a rua ganhou também uma mercearia Glood, com produtos de várias partes do mundo e um especial destaque para os Made In USA, dos chocolates com manteiga de amendoim aos cereais coloridos.

Mercado de Campo de Ourique - Sala 1
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Global

Mercado de Campo de Ourique

icon-location-pin Campo de Ourique

Inaugurado em 2013 no coração de Campo de Ourique, recebeu um lifting inspirado no Mercado de San Miguel, em Madrid. E assentou-lhe tão bem que é difícil arranjar assento ao fim de semana para jantar em qualquer uma das mais de vinte tasquinhas.

A Time Out diz
Publicidade
Ela Canela
©DR
Restaurantes, Português

Ela Canela

icon-location-pin Campo de Ourique

O brunch saudável do Ela Canela (das 11.00 às 18.00) já conquistou a sua legião de fãs, com menus como o Acabado de Acordar (15€) ou o Dia já vai longo (18€), mais substancial e com sobremesa. 

A Time Out diz
Safarka Escape Room
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Safarka Escape Room

icon-location-pin Campo de Ourique

E atenção que isto aqui não é só enfardar. No fim de 2016, Campo de Ourique ganhou um novo escape room, o Safarka, que dizem ser dos mais realistas da cidade.

Publicidade
casa fernando pessoa
Fotografia: Ana Luzia
Atracções

Casa Fernando Pessoa

icon-location-pin Campo de Ourique

Quem se queixa de falta de oferta cultural terá de bater à porta da Casa Fernando Pessoa. Além de um novo clube de leitores adolescentes de Pessoa (dos 15 aos 18 anos), há concertos como os do ciclo O Piano No Meio da Sala.

A Time Out diz

As melhores ruas de Lisboa

Rua dos Bacalhoeiros Campo das Cebolas
ManuelManso
Coisas para fazer

Dez paragens obrigatórias na Rua dos Bacalhoeiros

Há um novo espaço verde na cidade e a rua, em plena Baixa, agora pedonal começa a ganhar uma vida perdida há muitos anos. Os próximos inquilinos serão os éclaires da L’Éclair, depois de também José Avillez ter aberto um restaurante aqui. Estas são as dez paragens obrigatórias na Rua dos Bacalhoeiros.

Garrafeira e Frutaria Morteira Santos
Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Nove paragens obrigatórias na Avenida da Igreja

Uma pessoa pensa que vai só à Avenida da Igreja mas acaba por parar em Carcassone (a pastelaria), na Líbia (uma farmácia), na cidade das mil e uma noites (a pastelaria Nova Bagdad, baptizada, calculamos, antes da Bagdad original ter sido destruída pela guerra); passamos ainda por Helsínquia (outra pastelaria) e acabamos em Biarritz. Aí batemos com o nariz na porta: a mítica pastelaria no topo da avenida fechou. Há tanto para fazer que nós dizemos-lhe as nove paragens obrigatórias nesta avenida. Recomendado: Oito novidades em Alvalade

Publicidade
Versailles
©Open House Lisboa/PedroSadio
Coisas para fazer

Dez paragens obrigatórias no Saldanha

Um filme indie? Um enxoval? À partida, seria difícil encontrar estes dois serviços num só bairro, mas Lisboa é tão incrível que nada disto se torna inverosímil. Bem-vindos ao Saldanha e aos seus nobres arredores, onde há vida, e muita. Venha daí descobri-la. 

Quiosque do Oliveira
Fotografia: Ana Luzia
Coisas para fazer

Paragens obrigatórias no Príncipe Real

É o bairro onde os níveis de FOMO (a sigla inglesa que significa fear of missing out, uma espécie de estar a perder qualquer coisa incrível) atingem valores elevadíssimos. Se correr o bairro de uma ponta à outra, sem contar com restaurantes do mundo e lojas, vai encontrar locais onde tem mesmo de parar e viver a vida no bairro da realeza. 

Publicidade