Dez paragens obrigatórias na Rua dos Bacalhoeiros

Agora que o Campo das Cebolas está de cara lavada, a Rua dos Bacalhoeiros torna-se uma zona a explorar.

ManuelManso

Há um novo espaço verde na cidade e a rua, em plena Baixa, agora pedonal começa a ganhar uma vida perdida há muitos anos. Os próximos inquilinos serão os éclaires da L’Éclair, depois de também José Avillez ter aberto um restaurante aqui. Estas são as dez paragens obrigatórias na Rua dos Bacalhoeiros.

Dez paragens obrigatórias na Rua dos Bacalhoeiros

1

Campo das Cebolas

É um admirável mundo novo que surge no Campo das Cebolas. Depois de vários anos com a zona transformada num estaleiro e trânsito entupido, surge um novo espaço verde na cidade e podia também surgir um museu só com as peças quinhentistas recolhidas nas escavações durante as intermináveis obras.

Ler mais
Santa Maria Maior
2

Casa dos Bicos

3 /5 estrelas

A fachada da Casa dos Bicos, onde funciona a Fundação José Saramago (pode ser visitada por 3€), já era bastante fotografada. Agora esperam-se muitas mais razões para um passeio pela rua onde se vendia bacalhau – e que em tempos também se chamou Rua dos Confeiteiros. 

Ler mais
Santa Maria Maior
Publicidade
3

Cantina Zé Avillez

O 13.º restaurante de José Avillez em Lisboa tem duas salas e uma esplanada com vista para o jardim no Campo das Cebolas e a cozinha é “portuguesa familiar”, num registo de “cantina contemporânea”, um estilo que até agora o chef apenas apresentava, com algumas semelhanças, no Café Lisboa e na Taberna, dentro do Bairro do Avillez. 

Ler mais
Grande Lisboa
Publicidade
5

Qosqo

Agora que os tapumes das obras desimpediram a passagem pela rua, é tempo de (re)descobrir restaurantes como o Qosqo, o primeiro peruano da cidade, a funcionar desde 2012. Além dos ceviches (a partir de 15€), há pratos como os tiraditos (a partir de 14€) ou as causas (8,5€) que vai querer repetir – apesar da aparência mais sombria do espaço. 

Ler mais
Santa Maria Maior
6

Taberna Moderna

4 /5 estrelas

A Taberna Moderna é outro dos marcos gastronómicos da rua. Serve almoços (de terça a sábado, a partir das 12.00) desde o ano passado e está aberta até às 02.00 com pratos para partilhar, como polvo à galega (9€).

Ler mais
Santa Maria Maior
Publicidade
7

Lisbonita Gin Bar

O restaurante também ganhou fama pelo bar, o Lisbonita Gin Bar, o primeiro especializado em gin na cidade, com perto de 120 referências da bebida. 

Ler mais
Santa Maria Maior
8

Benamôr

A marca histórica portuguesa, que remonta a 1925, abriu um espaço próprio no Campo das Cebolas e é muito mais do que uma loja: nesta cozinha de beleza pode experimentar os produtos e comprar sabão ao peso. 

Ler mais
Alfama
Publicidade
9

Conserveira de Lisboa

5 /5 estrelas

A par do Elevador da Bica, da vista do Castelo de São Jorge e da Ponte 25 de Abril, é bem capaz de ser dos cenários mais fotografados por turistas. Talvez seja aquela perfeição das prateleiras de madeira com as latas coloridas todas alinhadas, talvez seja a perícia com que embalam as latas em papel pardo e atam com cordel, talvez seja porque quem lá entra aprende que aqui a matéria é toda 100% nacional e escolhida a dedo para oferecer aos clientes o melhor.

Ler mais
Santa Maria Maior
10

Silva & Feijó

Na rua desde 1924, com produtos típicos para despachar na bagagem de porão, do vinho às compotas.

Publicidade

Lisboa rua a rua

1

Nove paragens obrigatórias na Avenida da Igreja

Uma pessoa pensa que vai só à Avenida da Igreja mas acaba por parar em Carcassone (a pastelaria), na Líbia (uma farmácia), na cidade das mil e uma noites (a pastelaria Nova Bagdad, baptizada, calculamos, antes da Bagdad original ter sido destruída pela guerra); passamos ainda por Helsínquia (outra pastelaria) e acabamos em Biarritz. Aí batemos com o nariz na porta: a mítica pastelaria no topo da avenida fechou. Há tanto para fazer que nós dizemos-lhe as nove paragens obrigatórias nesta avenida. Recomendado: Oito novidades em Alvalade

Ler mais
Por Luís Leal Miranda
2

Dez paragens obrigatórias no Saldanha

Um filme indie? Um enxoval? À partida, seria difícil encontrar estes dois serviços num só bairro, mas Lisboa é tão incrível que nada disto se torna inverosímil. Bem-vindos ao Saldanha e aos seus nobres arredores, onde há vida, e muita. Venha daí descobri-la. 

Ler mais
Por Maria Ramos Silva
Publicidade
3

Paragens obrigatórias no Príncipe Real

É o bairro onde os níveis de FOMO (a sigla inglesa que significa fear of missing out, uma espécie de estar a perder qualquer coisa incrível) atingem valores elevadíssimos. Se correr o bairro de uma ponta à outra, sem contar com restaurantes do mundo e lojas, vai encontrar locais onde tem mesmo de parar e viver a vida no bairro da realeza. 

Ler mais
Por Francisca Dias Real
4

Paragens obrigatórias em Belém

Um passeio por Belém implica uma passagem pelos melhores museus e restaurantes. Deverá ainda tirar uma selfie com um batalhão de turistas como pano de fundo e paragem em alguns pontos de referência, como se andasse a descobrir a cidade pela primeira vez. 

Ler mais
Por Francisca Dias Real
Publicidade

Comentários

0 comments