A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
 Maria Atarefada
Inês Félix

As melhores lojas para comprar loiça em Lisboa

Esta cidade tem trunfos na hora de pôr a mesa. A peso ou à peça, eis as melhores lojas para comprar loiça em Lisboa.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Acabaram-se as desculpas para servir o jantar com loiça de meia tigela. Há quem guarde as peças mais bonitas ou mais valiosas para ocasiões especiais, mas — aqui que ninguém nos ouve — todas as refeições devem ser celebradas e acompanhadas por cerâmicas com alguma linhagem. E é difícil resistir a este roteiro que desenhamos e que se vai repartindo por diferentes espaços da cidade. Entre pratos, canecas, tigelas, terrinas e também peças decorativas, a peso ou à peça, dizemos-lhe quais as melhores lojas para comprar loiças em Lisboa.

Recomendado: De mãos na argila: descubra estas marcas portuguesas de cerâmica

Lisboa parte a loiça toda

  • Compras
  • Decoração
  • Benfica/Monsanto
  • preço 1 de 4

A Maria Atarefada é uma loja de loiça a peso, mas quando explorada com tempo, revela outros predicados. A começar na decoração da própria loja, feita com móveis restaurados pelas próprias donas, mãe e filha - Maria e Carolina Alcoforado. Já as loiças, são sobretudo utilitárias, mas sempre com um quê de anti-tédio. A nova morada em Benfica tem dois pisos cheios de relíquias cerâmicas, sendo o térreo dedicado sobretudo à decoração e o subterrâneo, mais amplo, aos pratos, taças, saladeiras, chávenas ou jarrões. 

Abriu loja em Lisboa, em São Bento, mas viu-se obrigada a fechar o espaço. Não foi por isso, no entanto, que a ceramista francesa Cécile Mestelan deixou de trabalhar a massa – agora fá-lo num novo ateliê no mesmo bairro e com o mesmo vigor de sempre. Pratos grandes, outros mais pequenos, taças, chávenas de café, copos, caixas ou bules – tudo feito cuidadosamente à mão, tornando cada peça única, e com um leque de cores que salta à vista. A loja online é o principal veículo de vendas, mas é possível fazer marcação (atelier@cecilemestelan.com) para visitar o ateliê, onde a ceramista recebe também quem quer não só uma, nem duas peças, mas uma colecção inteira personalizada.

Publicidade
  • Compras
  • Decoração
  • Chiado

É uma das lojas favoritas dos lisboetas na hora de rechear o louceiro lá de casa. E uma das razões é a balança que está no balcão. Aqui, as compras são pagas ao quilo, sendo o quilo de loiça algo que anda entre os 3,80€ e os 7,80€ – estejam os pratos mais ou menos maduros. A Cerâmicas na Linha começou por funcionar com algumas marcas apenas e com restos de colecções, mas o sucesso foi tal que tem cada vez mais fábricas de loiça a vender para a loja. Quase tudo é vendido a peso, mas há peças à unidade, como as loiças da Bisarro, Bordallo Pinheiro e Costa Nova.

(Together)
  • Compras
  • Chiado

As loiças de Anna Westerlund andavam por aqui e por ali, entre redes sociais e concept stores da cidade. Faltava-lhes um palco para brilhar e serem as personagens principais, palco esse que nasceu em pleno Chiado. Mas elas não estão sozinhas na nova (TOGETHER): convivem com ilustrações, toalhas de linho, velas artesanais e flores secas, num cenário que inspira e faz suspirar. O destaque está mesmo nas jarras, jarrinhos, bules, tabuleiros e até joalharia.

Publicidade
  • Compras
  • Chiado/Cais do Sodré

Se entre marido e mulher não se mete a colher, neste caso mete-se uma mão cheia de portas que separam a loja de azeites D’Olival, onde está Lino Rebolo, e o outro espaço do casal, onde quem toma conta do estaminé é Helena Beghetto. Na D’Olival Casa, em São Bento, tudo o que decora as prateleiras é 100% português e artesanal, da tapeçaria à cerâmica. A loja não tem uma extensa lista de marcas, melhor até para não se confundir. A jóia da coroa são as cerâmicas, quase todas em tons muito claros e com onde em cada peça se consegue perceber a minúcia do trabalho artesão. Dominam os produtos da algarvia Casa Cubista, com os pratos e jarras em barro pincelados de cor e grandes tapeçarias, tecidas à mão naqueles teares à antiga. Por lá encontra o recipiente de azeite do Laboratório d’Estórias e outras novidades que vão chegando.

  • Compras
  • Decoração
  • São Vicente 
  • preço 1 de 4

Não julgue esta loja pelo tamanho. Apesar de pequena, está bem apetrechada com tudo o que sempre sonhou levar para casa. Falamos das loiças, claro, ao estilo das Caldas da Rainha, essa grande capital da terrina e da travessa. Os gatos, as rãs, os lagartos, as galinhas e os peixes tomam conta das prateleiras, mas nem tudo o que há dentro do Armazém das Caldas pertence à linhagem bordaliana. A loja tem espaço para outras peças, todas elas feitas em fábricas e oficinas de artesãos locais.

Publicidade
  • Compras
  • Decoração
  • Alcântara

Está no topo das melhores lojas de decoração da cidade e é, decididamente, uma das nossas favoritas. As almofadas tatuadas com mosaicos e motivos pop falam para o coração, mas não é difícil o batimento cardíaco acelerar perante as outras peças assinadas pela dupla João e Tiago da Pura Cal. Mais: na Lx Factory, há outros objectos, de outros designers e marcas – tudo para dar cabo da nossa saúde. Se anda a pensar dar um novo ar à sua casa, programe já uma visita.

  • Compras
  • Chiado/Cais do Sodré

É altamente desaconselhável levar uma criança às lojas do Depósito da Marinha Grande. A vidraria é tanta que o risco de entrar em despesas é alto. Conselho dado, adiante. A primeira loja abriu no 418 da Rua de São Bento em 1935 e hoje está mais virada para o lado artístico; a segunda nasceu nos anos 40, no número 234, e é o sítio certo para comprar boiões, frascos, garrafas e copos de todas as cores, tamanhos e feitios. Já a Real Fábrica de Vidros da Marinha Grande é de 1769, mantém-se no activo com a sua especialidade, o vidro manual soprado, mas trabalha com outras fábricas da zona. Sempre sonhou ter o seu busto em vidro? Aqui fazem-no à medida.

Publicidade
  • Compras
  • Castelo de São Jorge

Espaço de valorização da cerâmica contemporânea, a Inútil é uma casinha de bonecas, num largo de árvores centenárias, entre o Miradouro de Santa Luzia e o Castelo de São Jorge. Com ar de galeria, as formas e texturas e cores das peças – desde jarros e tigelas a pratos e esculturas – saltam à vista, por cima do branco das paredes, prateleiras e aparadores. Inspirada pelo fascinante esplendor do inútil, expressão do crítico e ensaísta George Steiner, Maria Almeida, proprietária da loja, acredita que a proposta não se esgota na oportunidade de ver e comprar arte, mas passa também por reflectir acerca da utilidade da obra. Às jarras é fácil adicionar flores, às tigelas e aos pratos imaginá-los à mesa do pequeno-almoço e mesmo as folhas de Outono de cerâmica podem ser usadas como suportes para velas. Feitas artesanalmente, com diferentes técnicas, as peças foram todas escolhidas a dedo, e são de autores nacionais, como Martim Santa Rita, Teresa Cortez e Carmina Anastácio.

  • Compras
  • Decoração
  • Intendente
  • preço 2 de 4

Das duas uma: ou regressa à maior loja d'A Vida Portuguesa da cidade, a do Intendente, precisamente, ou aproveita para dar um saltinho ao espaço da Rua da Anchieta, no Chiado. Se é loiças que procura, fica bem servido nas duas. A primeira, por ser grande, tem tudo e mais alguma coisa. A segunda é mais pequena, mas tem uns tesourinhos por descobrir por lá, sobretudo da Bordalo Pinheiro ou do Depósito da Marinha Grande.

Publicidade
  • Arte
  • Areeiro/Alameda

Bordallo Pinheiro é uma das personalidades mais relevantes da cultura portuguesa oitocentista, com uma produção notável na criação de cerâmica e não só. A fábrica de faianças foi construída em 1884, nas Caldas da Rainha, por Raphael Bordallo Pinheiro e o seu irmão, Feliciano Bordallo Pinheiro e desde então que é reconhecida a sua influência. Na loja da Guerra Junqueiro encontra loiças com os mais variados motivos, que podem funcionar como decoração ou para servir um belo repasto numa travessa arrojada.

  • Compras
  • Chiado

Da mesma maneira que, quando queremos loiça a sério, vamos à Vista Alegre, quando queremos ir à Vista Alegre, escolhemos, de preferência, a loja do Chiado. Tudo o que faz desta uma das mais históricas e carismáticas marcas portuguesas está aqui: as peças assinadas por artistas portugueses, as colaborações com a Lacroix, as edições comemorativas, os cristais da Atlantis e o serviço de personalização de peças. Deseja mais alguma coisa?

Publicidade
  • Compras
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Esta marca nacional de louça em grés fino, que exporta grande parte da sua produção, chegou a Lisboa para conquistar os lisboetas. Entre mobiliário antigo, arranjos florais, velas e louça (sobretudo), encontra agora na Rua Castilho as colecções Costa Nova, assim como o universo criativo da marca – presente nos moldes e nas luvas, que foram usadas para produzir estas peças e que vieram directamente da fábrica, onde a marca ainda possui o seu primeiro ponto de venda ao público. Para além da característica louça de grés fino, há também talheres, copos de vidro, e têxteis para o lar. Objectos feitos a partir dos melhores recursos naturais nacionais e a celebrar a arte de bem servir e o amor pela gastronomia mediterrânica partilhada com família e amigos (diz a própria marca).

Mais compras em Lisboa

  • Compras

Não se assuste com o estrangeirismo. As concept stores são lojas com universos próprios, com espaço para moda, decoração, livros e até comida. E ninguém se chateia, nem as marcas, nem os designers, nem os artistas. Juntos, fazem destas 12 magníficas a elite do roteiro de compras de Lisboa. Fique a conhecer as melhores concept stores em Lisboa.

As melhores lojas para comprar ténis em Lisboa
  • Compras
  • Moda

A moda rebentou e ainda não deu sinais de abrandamento. Basicamente, o mundo percebeu que os ténis eram calçado para toda a obra. Dão para ir trabalhar, para ir jantar fora, para sair à noite e até para dar nas vistas numa festa. Mas têm de ser especiais e, em Lisboa, há um punhado de lojas especialistas na matéria.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade