Um roteiro de lojas na Comporta

Para dominar o beach style, ou estilo de praia, vale a pena serpentear por estes destinos de compras. As lojas da Comporta enchem-se de cores e acessórios e o mais difícil é resistir-lhes
Casa da Cultura, Comporta
Manuel Manso Casa da Cultura
Por Mariana Correia de Barros e Vera Moura |
Publicidade

Quem viu a Comporta há 10 anos e a vê no ano da graça de 2018 vai concordar que a localidade está irreconhecível no que toca ao comércio. Como muitos que a frequentam, fez um lifting e tornou-se num pólo de comércio de rua, sempre nas linhas que a caracterizam, que é como quem diz, na moda hippie-chic, bohemian e, como não podia deixar de ser, beach style. O que tem a fazer é garantir que o subsídio de férias está na conta à ordem e aventurar-se entre as várias portas que estão abertas.

Recomendado: Os melhores sítios para ficar na Comporta

Lojas na Comporta

Compras, Decoração

Alaire

A animada Rua do Secador ganhou mais um inquilino no Verão de 2018: a loja de decoração de exteriores Alaire. Com duas décadas de história em Cascais, levou o estilo descontraído que está mesmo a pedir um copo à beira da piscina ou uma tarde de churrasco para a Comporta – e fica-lhe a matar no edifício típico da região, branco e com telhado de colmo. Não tem casa de férias? Não tem sequer jardim? Espreite na mesma os móveis “beach style”, de marcas de design como a Gervasoni, a Dedon, a Tribu e a Manutti. De um dia para o outro tudo por mudar e assim já vai inspirado.

Compras

Fio d'Água

As praias da Comporta estão para o swimwear como a semana da moda de Paris está para a alta-costura: mais parecem um desfile das últimas tendências. Para estar à altura, pode e deve visitar a Fio d’Água, com biquínis da Lenny e Salinas para elas, fatos de banho da portuguesa DCK para eles, Havaianas para enfiar o dedo do pé e Futahs para estender no areal.

Publicidade
Rice
Fotografia: Ana Luzia
Compras

Rice

A Comporta tem um estilo muito próprio, que consegue juntar rústico e chique sem parecer que é Carnaval. E a Rice de Marta Mantero, que no início do Verão de 2016 trocou o edifício do Museu do Arroz por um espaço mesmo no centro da vila, reflecte na perfeição esse género elegante e descontraído, que tanto serve para a casa (de férias ou não) como para o closet (muito mais chique do que roupeiro – e já todos sabemos que a Comporta é chique a valer). Aqui, tudo o que está à vista, está à venda: dos fatos de banho, túnicas e anéis, aos móveis, candeeiros e velas.

Vintage Department
Fotografia: Ana Luzia
Compras

Vintage Department

Falcon chairs originais e assinadas, letras gigantes iluminadas, motas Zundapp do século passado, aparadores, mesas e sofás que fazem pensar que estamos na Escandinávia e não num destino de praia. A Vintage Department do Príncipe Real tem um irmão mais novo num antigo consultório de dentista na Comporta. A filosofia – e o estilo – são os mesmos, mas aqui há espaço para peças mais veranis: velas em forma de ananases, toalhas de praia da Summerland, almofadas com flamingos e mobiliário de jardim.

Publicidade
coral
Fotografia: Manuel Manso
Compras

Coral

A proposta é entrar na Coral e conhecer os novíssimos Perfumes da Comporta (para poder dizer que hoje está a usar o “Dona Bia”), as telas modernas de Bárbara Gil, ou comprar um peixe de cerâmica para pendurar na parede. 

lavanda
Fotografia: Manuel Manso
Compras

Lavanda

Um dos pontos de partida na Comporta pode ser a Lavanda, com túnicas, cestos, chapéus, alpergatas e fatos de banho, para mulher, homem e criança, e até algumas coisas para a casa. Por aqui desfilam marcas como a Christophe Sauvat, Maison Scotch ou Odd Molly e a certeza de que encontrará sempre aquela almofada com um print de palmeiras ou aquele acessório que fará toda a diferença na praia.

Publicidade
Compras, Decoração

Stork Club

Os ambientes são opostos, mas há qualquer coisa em comum entre o Stork Club dos anos 1930 a 1960 em Nova Iorque e o novíssimo Stork Club no Carvalhal. O primeiro estava reservado a uma elite que incluía estrelas de Hollywood e aristocratas; o segundo pertence ao designer de interiores francês Jacques Grange, com uma carteira de clientes que inclui Yves Saint Laurent, a princesa Carolina do Mónaco, Francis Ford Coppola e Paloma Picasso. Grange e o companheiro Pierre Passebon fazem parte do grupo de estrangeiros que se apaixonaram pela Comporta – e não lhes bastou comprar aqui a sua casa de férias. Abriram uma loja de decoração colorida e irreverente, onde até Setembro pode ver a bicharada de José Canudo em exposição (pintura e cerâmica). 

Compras

Casa da Cultura

Um antigo celeiro de arroz no centro da Comporta transformou-se numa concept store com muita pinta: a artista plástica Joana Astolfi instalou várias réplicas do porto de palafitas da Carrasqueira no edifício, no meio das quais dezenas de marcas portuguesas venderam os seus produtos. Havia ainda espaço para exposições de fotografia na velha sala de cinema da Comporta, mesmo ali ao lado, e para um bar com esplanada. Se não teve oportunidade de visitar a Casa da Cultura nas férias de Verão de 2017, temos boas notícias: o espaço voltou a animar a Rua do Secador desde Junho, com marcas como a Latitid, a Açaí co Granola, a our Sins ou a Wickett Jones. 

Publicidade
TM collection
Fotografia: Ana Luzia
Compras

TM Collection

Se vai visitar a Comporta, tem de passar por uma das lojas mais bonitas da vila, com candeeiros de seda gigantes pendurados no tecto, lustres intrincados com troncos de árvore, paletes transformadas em sofás cheios de almofadas confortáveis, mesas de madeira maciça com loiças de todas as cores e um cheirinho a Índia nas roupas sofisticadas mas descontraídas que Teresa Martins (a TM) desenha. Reabre na Páscoa para só voltar a encerrar quando o Verão chegar ao fim.

Mais Comporta

comporta café
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Restaurantes na Comporta e em Tróia

Independentemente do tempo, Comporta e Tróia são sempre boas opções, seja para umas férias, uma escapadinha de fim-de-semana ou apenas para um passeio – claro está que com sol tudo fica melhor. Mas nem só de mergulhos se vive por aqueles lados. Do peixe fresco grelhado às amêijoas à Bulhão Pato, passando pelo arroz de lingueirão ou pelas piadinas, não parta à descoberta da Comporta sem este saboroso guia de restaurantes. 

Praia do Carvalhal
Fotografia: Arlindo Camacho
Viagens

As melhores praias na Comporta e em Tróia

Não são, provavelmente, a primeira opção para quem vive em Lisboa e quer dar uns mergulhos durante o dia, mas de vez em quando arrisque ir mais longe. Garantimos que não se vai arrepender (duvidamos até que vá querer voltar, o mais certo é mesmo querer ficar). Azul turquesa é a cor que domina o cenário, para quem parte de Tróia rumo a sul, passa pela Comporta, pelo Carvalhal e chega à fronteira de Melides. Meta-se no ferry, atravesse o Sado e percorra 30 quilómetros feitos de mar, peixe e marisco da zona, e muito mais para fazer depois de esturricar o dia inteiro. 

Publicidade