Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores restaurantes para crianças em Lisboa

Os melhores restaurantes para crianças em Lisboa

Dizemos-lhe quais os melhores restaurantes para uma refeição em família sem que os miúdos se aborreçam

Hygge Café
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Não se preocupe se o restaurante tem ou não menu infantil. Embora muitos tenham, isso é só um pormenor – e os miúdos nem sequer vão aguentar muito tempo sentados. Se quer comer fora, sem confusões, faça como nós: procure outros pontos de interesse e tenha em conta a facilidade de manter as pestinhas debaixo de olho. Do pequeno-almoço ao jantar, em Lisboa não faltam restaurantes amigos da família, seja com menus especiais, com área infantil ou apenas esplanada, esse oásis de liberdade para os mais pequenos. Estes são os melhores restaurantes para crianças em Lisboa.

Recomendado: 101 coisas para fazer com crianças em Lisboa

Os melhores restaurantes para crianças em Lisboa

Academia Time Out-miudos
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Time Out Market

O melhor da cidade debaixo do mesmo tecto? Os miúdos vão lá querer perder uma coisa destas. O Time Out Market, no Cais do Sodré, está preparado para todas as famílias, incluindo as que têm elementos esquisitinhos na hora de comer. Clique em "Ler mais" para descobrir os pratos a que eles não vão resistir – e o que há mais por lá para os entreter. 

Pop up cereal
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Pop Cereal

icon-location-pin Bairro Alto

Está para nascer a criança que não gosta de flocos. E ninguém sabe bem quem decidiu que eles estão reservados ao pequeno-almoço e ao lanche. Pois o Pop Cereal Café tem ajudado os alfacinhas a rebelar-se contra essa regra, com mais de 100 caixas de cereais vindas de várias partes do mundo, prontas para serem misturadas umas com as outras. Aos cereais junta-se leite de sabores e toppings, que vão das cookies aos brownies, passando pelas gomas de ursos e pelos M&Ms. Mais excitantes ainda são os freakshakes, monumentais batidos para beber (ou comer?) à colherada. 

Publicidade
Amélia Lisboa
©Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafés

Amélia Lisboa

icon-location-pin Campo de Ourique

A família do Nicolau tem crescido, mas na hora de escolher onde abancar com a família, aconselhamos o Amélia Lisboa, com mais espaço, menos filas, menos turistas e um agradável pátio interior. As panquecas estão sempre a sair – vão bem ao pequeno-almoço, no lanchinho da manhã, ao almoço ou ao lanche e fazem parte do brunch, que também se serve todos os dias e a qualquer hora e tem ainda uma taça de iogurte com fruta e granola, sumo de laranja, tosta de abacate ou ovos mexidos, café, chá ou chocolate quente. Os pais podem – e devem – acrescentar uma flute de Mimosa (mais 3€).

La Boulangerie
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Francês

La Boulangerie

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Dá tecto a alguns dos melhores croissants da cidade – e são eles as estrelas do brunch. Mas não vivem sozinhos: chegam acompanhados de um pain au chocolat, um pão rústico e um de cereais, compota, manteiga e Nutella, uma tábua de queijos, enchidos, salmão fumado e salada e ovos mexidos ou estrelados. Para tudo escorregar melhor, um sumo e uma bebida quente, iogurte com mel e granola e salada de fruta. Por mais 4€, pode juntar outro sumo e outra bebida quente. O que o torna o menu perfeito para dois. E dois menus perfeitos para uma família.

Publicidade
In Bocca al Lupa
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

In Bocca al Lupo

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

É o único restaurante da cidade sobre o qual um crítico da Time Out escreveu a meias com duas crianças. O resultado? Cinco estrelas. E não, não é porque a comida é infantil: é porque é genuinamente boa, italiana a preceito, e os gaiatos não ligam ao nome do chef nem à origem certificada dos produtos. E ainda que ligassem ficariam a saber que tudo aqui é feito por mãos conhecedoras com produtos biológicos, a começar na massa das pizzas (também há versão sem glúten). Acresce que, no primeiro turno de jantares, o restaurante é povoado de famílias com miúdos que, além das óptimas pizzas e pastas, procuram um espaço child- friendly, onde eles se podem entreter ver a massa fina ser estendida à frente dos olhos e depois enfiada no forno de pedra.

A Time Out diz
Brunch Wish Slow Coffee House Chiado
©Francisco Santos
Restaurantes, Cafés

Wish Slow Coffee House

icon-location-pin Alcântara

Lá em casa todos gostam de panquecas? Troque o fogão pela Wish Slow Coffee House e descubra as poffertjes (3€/10 unidades): panquecas holandesas pouco maiores do que uma moeda de dois euros. Comem-se bem quentes e cobertas de açúcar em pó e fazem parte do brunch (14,90€), com iogurte e granola, pão, croissant, Nutella, queijo, fiambre, sumo de laranja e sopa.

Publicidade
Pois Cafe
© Lydia Evans / Time Out
Restaurantes, Cafés

Pois, Café

icon-location-pin Santa Maria Maior

Se os miúdos são uns selvagens naqueles restaurantes muito chiques, leve-os a um que faz lembrar uma casa confortável, com almofadas espalhadas pelos sofás, livros e revistas empilhadas, filmes que se podem trocar, colecções de bules coloridos e brinquedos de madeira. É assim o Pois, Café, o clássico da Sé com quatro tipos de brunch: o que os miúdos mais gostam costuma ser o que é composto por uma bebida quente, um sumo natural de laranja, um prato de queijo e carnes frias, doces variados e um cesto de pão e manteiga.

A Time Out diz
Epic Sana brunch
©DR
Restaurantes, Europeu

Flor-de-Lis – EPIC SANA Lisboa Hotel

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

No restaurante do hotel Epic Sana, os domingos são dedicadas às famílias com um brunch especial. A oferta é variada e gulosa, com pratos frios, quentes e várias sobremesas, além de uma zona dedicada ao sushi. Mas o melhor de tudo é o espaço infantil onde até há uma consola Nintendo Wii. Há ainda pinturas faciais e actividades como workshops de gastronomia onde os miúdos se podem juntar aos chefs para aprenderem uns truques. O brunch tem o preço de 35€ por pessoa, mas os miúdos até aos 5 anos não pagam – e dos 6 aos 12 têm 50% desconto.

Publicidade
Monte Mar Lisboa
DR
Restaurantes

Monte Mar Lisboa

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

O Monte Mar Lisboa tem um feliz casamento com a FUNtoche, responsável por ocupar os miúdos durante os almoços de fim-de-semana. O restaurante tem um espaço gratuito só para crianças com um insuflável, uma piscina de bolas e duas monitoras cheias de ideias e actividades para entreter até a criatura mais irrequieta. Na hora de se sentar, pode escolher entre ficar ali em cima dos miúdos ou do outro lado do vidro (numa distância suficiente para não os ouvir). Na hora de comer, há menu infantil (15€) com os famosos filetes de pescada fresca, além de sopa, sobremesa e bebida.

A Sala
Duarte Drago
Restaurantes

a Sala

icon-location-pin Grande Lisboa

Nesta petiscaria/bar, o espaço infantil que vai encontrar é na verdade uma sala. Daniela, Vasco, Selma e Joseph, quatro amigos, queriam um sítio onde pudessem receber as pessoas e que estas ficassem a fazer sala, no bom sentido. Fazer sala com gosto. E por isso abriram a Sala, em São Bento. Aqui encontrará jogos de tabuleiro, folhas e lápis, livros, banda-desenhada e revistas – tudo para passar um bom serão.

Publicidade
Martinhal Cascais
DR
Hotéis

Martinhal Cascais Family Hotel

icon-location-pin Cascais

Tudo o que a marca Martinhal faz é a pensar nos mais novos, sem nunca descuidar a qualidade e sem nunca esquecer o conforto também dos pais. É tudo tão bom que até apetece ficar a dormir por lá, mas se não tiver disponibilidade para isso marque mesa no restaurante do hotel com vista para o enorme parque infantil, com trampolins, escorregas, baloiços e até um slide. Um aviso: é muito possível que os miúdos façam birra na hora de embora.

Green House piquenique
Fotografia: Manuel Manso
Bares, Cafés/bares

Green House

icon-location-pin Benfica/Monsanto

Está a ver as típicas esplanadas dos parques infantis – com cadeiras de plástico, chapéus de sol de marcas de gelados e oferta pouco criativa? Esqueça: a Green House, do Hello Park, no Parque da Serafina, é um oásis na terra. Não só porque permite que os pais fiquem a beber um copo enquanto os filhos brincam de forma segura (as pestinhas não conseguem fugir), mas porque serve saladas, sanduíches e wraps que não desiludem. O melhor são os coloridos piqueniques, servidos em cestas a preceito. Para as famílias, há duas boas hipóteses: o picnic party (65€) e o early bird picnic (50€) – ambos para 10 pessoas. O primeiro tem empadas de galinha, sandes de fiambre e queijo creme, fruta, muffins, hummus e três garrafas de bebidas. O segundo é mais adequado para madrugadores, com croissants, pastéis de nata, fruta e expressos. Não faltam sombras, mesas e bancos de madeira para se sentir verdadeiramente no campo.

Publicidade
Esplanada da Mata
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Esplanada da Mata

icon-location-pin Alvalade

É um dos segredos mais mal guardados de Lisboa, até porque a maioria dos pais que por ali passa acaba quase sempre por voltar. O menu é limitado e a maioria das opções tem ingredientes de sabor intenso – como queijo da ilha ou pimentos – que podem não agradar aos mais novos. Mas é tudo tamanho XL – ideal para dividir – e também há hambúrgueres e snacks mais simples. A envolvente compensa: o quiosque fica mesmo ao lado do parque infantil e à volta não faltam árvores e espaço para brincar e explorar.

Bares

Hamburgueria da Parada

icon-location-pin Campo de Ourique

Este quiosque no meio do Jardim da Parada tem bons hambúrgueres a preços simpáticos, para comer de olho no parque infantil mesmo ali ao lado. Os mais novos ficam satisfeitos com o simples ou com queijo. Os mais velhos podem arriscar no que junta requeijão e pesto, queijo da Ilha ou bacon e mostarda Dijon.

Publicidade
Doca de Santo
Manuel Manso
Restaurantes

Capricciosa - Doca de Santo Amaro

icon-location-pin Alcântara

A esplanada da Cappriciosa das Docas é, por si só, um óptimo destino para crianças com fobia a comportar-se entre quatro paredes. Mas, muito melhor que isso, tem um parque infantil mesmo ao lado, daqueles que os pais nem precisam de se levantar da mesa para ver os meninos. No menu não faltam massas e pizzas deliciosas, mas para facilitar a vida às famílias, mais vale ir directo à secção “Bambini” e escolher entre a mini pizza e o esparguete à bolonhesa.

 

Topo Chiado
©DR
Restaurantes

Topo Chiado

icon-location-pin Chiado

O Topo Chiado é muito mais do que um bar de cocktails e conta com três menus de brunch todos os fins-de-semana: o Chiado é o mais clássico e tem um cesto de pães e croissants, queijos e enchidos a acompanhar, sumo natural, bebida quente, ovos (mexidos, estrelados ou Benedict), iogurte com granola, salame de chocolate e madalenas; a opção vegetariana troca os enchidos por salada de rúcula e cogumelos e remata com brownie de batata doce; o terceiro menu é para miúdos e tem sumo, pão de deus, ovos e doces. Não seja lambão: deixe-os lá dar uma trinca no seu salame!

Publicidade
Espaço infantil da Pizzaria Luzzo
©Pizzaria Luzzo
Restaurantes

Luzzo

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Qualquer escolha que acabe na Luzzo é sempre acertada. Os miúdos não são esquecidos em nenhuma das pizzarias da marca, com um espaço próprio para brincadeiras. Ora com pequenas mesas e cadeiras com muitos desenhos para colorir, livros para ler e brinquedos, ora com cozinhas em miniatura para se armarem em chefs (ou pizzaiolos). Já para não dizer que há cocktails especiais para eles – porque um simples sumo não tem a mesma piada.

a minha cozinha
©DR
Restaurantes, Pastelarias

A Minha Cozinha

icon-location-pin Campo de Ourique

Algumas das melhores recordações dos adultos estão ligadas a uma cozinha: a da mãe ou a da avó. Os miúdos de Campo de Ourique podem criar boas memórias n’A Minha Cozinha – nem que sejam olfativas, com aquele cheirinho constante a bolo caseiro acabado de fazer. O brunch é clássico, perfeito para agradar a todas as idades: tem ovos mexidos, panquecas, sumos naturais e, claro, bolos.

Publicidade
Hygge Café
©Inês Félix
Restaurantes, Dinamarquês

Hygge Café

icon-location-pin Grande Lisboa

Não dá para traduzir o nome deste café numa só palavra nem sequer pronunciá-lo bem à primeira, mas nós ensinamos já essa parte – é hue-gah. Os donos quiseram trazer para Lisboa o conceito nórdico de bem-estar, felicidade e partilha com os outros. Tanto a ementa como o espaço do Hygge Café tentam reflectir isso mesmo, com opções de refeições leves e uma decoração simples mas confortável. No Dia da Criança lançaram o brunch kids menu, composto por panquecas, tosta de ovo estrelado ou croissant, taça de frutas e sumo natural.

Crush Doughnuts
Duarte Drago
Restaurantes, Hambúrgueres

Ground Burger

icon-location-pin São Sebastião

Os olhos também comem – e no Ground Burger não são só os hambúrgueres à americana,  com carne 100% Black Angus e pão brioche caseiro, que dão nas vistas. Depois de mais uma viagem pelos Estados Unidos, os donos Caroline e Gunnar Eng, chegaram a uma receita final de roscas artesanais que servem na hambúrgueria – até terem a carrinha mágica da Crush Doughnuts. São realmente artesanais e há sabores como a nutella, key lime (um género de tarte merengada de lima), ou caramelo salgado: um pecado com recheio de chocolate negro Valrhona e marshmallows tostados no topo.

Publicidade
Paco Bigotes
©Manuel Manso
Restaurantes, Mexicano

Paco Bigotes

icon-location-pin Cascais

O restaurante mais colorido da linha fica em São Pedro do Estoril e é uma taqueria fiel à comida mexicana. Há botanas para partilhar, ceviches e tostadas – aqui é preciso desde já aceitar que se vai sujar as mãos… e vai ser bom! Estamos a falar de tortilhas crocantes, fritas, com tudo no topo: tanto podem ser de atum fresco como de frango desfiado. Por fim, os clássicos tacos, servidos em doses de dois e com livro de instruções na mesa para miúdos e graúdos saberem como os devem comer.

Jamie's Italian
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Italiano

Jamie's Italian

icon-location-pin Princípe Real

Jamie Oliver tem cinco filhos e há muito que é conhecida a sua preocupação com a alimentação dos mais pequenos. Não é de estranhar por isso o atendimento especial dado às crianças no restaurante que o chef britânico abriu no Príncipe Real. O menu dos miúdos é uma folha com um desenho, que vem acompanhada por uma pequena caixa de lápis de cera, tal como acontece em todos os seus restaurantes. E se eles não sabem ler é dar-lhes para a mão o visualizador de imagens 3D e deixá-los escolher o prato pelas fotografias – é certo que se vão divertir.

A Time Out diz
Publicidade
Donnie Dough
©Manuel Manso
Restaurantes

Donnie Dough

icon-location-pin Grande Lisboa

Cookies para comer à colher. Todas as crianças do mundo deviam experimentar. À primeira vista vai parecer uma bola de gelado, mas não se deixe enganar pelas cuvetes e pelos copinhos em que este doce tipicamente americano é servido. Nélia Carreira e João Amaro, arquitectos paisagistas, andaram por Nova Iorque a provar vários exemplares e, de volta a Lisboa, puseram as mãos na massa, para alegria das famílias alfacinhas mais gulosas.

Cha Cha Moon
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Cafés

Cha Cha Moon

icon-location-pin Baixa Pombalina

Bolhas, bolhas, muitas bolhas. Neste café chinês, do mais instagramável que pode imaginar, vai encontrar duas tendências gastronómicas que estão a conquistar o planeta Terra: o chá de bolhas, servido gelado ou quente, com pequenas pérolas de tapioca com uma textura tipo goma (ou outras esferificações que rebentam na boca, de vários sabores, como lichia, maracujá ou caramelo) que são depois sugadas com palhinhas largas; e os bubble waffles, que aqui servem de cone aos gelados artesanais da casa. Pode acrescentar toppings, do molho de chocolate e caramelo á pepitas coloridas e pedaços de bolacha. Na liga dos doces exóticos, há ainda os coloridos mochis japoneses.

Publicidade
Pizza Primavera, Casanova
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Casanova

icon-location-pin São Vicente 

Já todos sabemos que as pizzas são mesmo boas e que (infelizmente) há quase sempre fila à porta... A parte boa é que a cozinha abre às 12.30 e não pára durante a tarde inteira, a permitir refeições fora de horas. No menu, há uma massa per bambini, com fiambre e natas, mas é das pizzas que eles gostam mais, o que torna ainda mais difícil dizer sim à sobremesa, quando suplicam para experimentar a focaccia de Nutella – mesmo que seja a dividir. Os miúdos acham graça às lâmpadas vermelhas com interruptor com que chamam os empregados, mas não tanto às mesas corridas, com pouco espaço para circular à volta: prolongar o tempo da refeição é, por isso, de evitar.

A Time Out diz
O Moço dos Croissants
©DR
Restaurantes, Pastelarias

O Moço dos Croissants

icon-location-pin Campo de Ourique

Manel Perestrelo é o moço responsável por esta pastelaria especializada em croissants. Cada vez que sai uma fornada, a rua onde mora enche-se de famílias a salivar. O francês de manteiga é o mais simples de uma lista que inclui salgados e doces, para qualquer hora do dia. Sem surpresas, o de chocolate é o preferido da miudagem.

Publicidade
Este Oeste
©DR
Restaurantes

Este Oeste

icon-location-pin Belém

Comida italiana ou sushi? Os desejos deles são ordens no restaurante do Centro Cultural de Belém, que tem uma esplanada com vista para o rio e espaço de sobra para muitas brincadeiras. Antes de ir, cheque a agenda da Fábrica das Artes do CCB, que trabalha “para todas as infâncias”.

Kaffeehaus - Prato
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Cafés

Kaffeehaus

icon-location-pin Chiado

Numa zona onde todos os dias nascem novidades, há clássicos onde vale sempre a pena voltar. Este café austríaco no Chiado é um óptimo exemplo, com uma carta de sonho para toda a família – principalmente para os membros mais novos, que costumam ter salsichas e panados na top list de favoritos.

A Time Out diz
Publicidade
A Carpintaria
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Italiano

A Carpintaria

icon-location-pin Cais do Sodré

O negócio da família sempre foi a carpintaria. Era assim com o pai de Alberto, que tinha uma oficina na Margem Sul, e com Alberto, que sendo projectista volta e meia se apanha a mexer em madeiras. É em homenagem ao negócio que abriu A Carpintaria, um restaurante de comida italiana e com música ao vivo no Cais do Sodré. Tem um menu especial para crianças e as que tiverem menos de 6 anos não pagam e podem escolher o seu prato em encargo para os adultos – ora uma pizza ou uma esparguete à bolonhesa.  

Crispy Mafya
Fotografia: Duarte Drago
Restaurantes

Crispy Mafya

icon-location-pin Princípe Real

Frango frito: duas palavrinhas mágicas. Aqui pode ser servido no meio de um waffle salgado (waffle, outra coisa que eles costumam adorar) ou em cones de gelado com molho à escolha. Qual acha que vai ser o preferido deles? Pais a tentar manter a forma: para vocês há uma salada com peito de frango e a sua pele frita ou tempura de vegetais.

Publicidade
Pasta Non Basta
ManuelManso
Restaurantes, Italiano

Pasta Non Basta - Alvalade

icon-location-pin Alvalade

O segundo Pasta non Basta da cidade foi pensado à medida dos longos finais de tarde de Verão – quando não faz mal atrasar a hora do banho-jantar-xixi-cama. Este italiano com esplanada é muito mais do que uma pizzaria, apesar de também ter pizzas – e das boas: há polpete al sugo (almôndegas com molho de tomate) e os infalíveis spaguetti alla carbonara e pappardelle alla bolognese.

A Time Out diz
Le Bar à Crêpes
©DR
Restaurantes, Creperias

Le Bar à Crêpes

icon-location-pin São Vicente 

Eles podem não saber quem são Monica Belucci, Marion Cotillard, Coco Chanel ou Louboutin, mas aqui interessam mais os ingredientes do que os nomes. Estamos a falar da casa de crepes da Graça, com exemplares doces e salgados, além de gelados e waffles. Tudo à grande e à francesa, ou não tivessem os donos vindo de Paris.

Publicidade
Butchers - Bife
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Butchers

icon-location-pin Parque das Nações

É melhor estudar bem a lição porque as crianças vão querer saber o que é isso da carne maturada. E se para os mais esfomeados chega dizer que é mais macia, os curiosos vão querer saber mais sobre o processo enzimático que se obtém quando os cortes são mantidos em ambientes de temperatura e humidade controlada por 35 dias e querer perceber como os ácidos libertados durante esse período fazem diminuir o pH da carne. Até porque é isso mesmo que faz a diferença no prato, mesmo quando se pede um hambúrguer ou uma picanha. Isso e a batata doce frita, claro…

Village Underground - Corleone
©André Santos
Restaurantes

Buzz Lisboeta

icon-location-pin Alcântara

Um restaurante que é um autocarro de dois andares? Sim, claro! Estacionado num lugar onde são permitidas bolas, bicicletas e patins, onde há um baloiço, uma cama de rede e, aos domingos, muitas vezes até um insuflável para saltar? Vamos a isso. O Buzz Lisboeta assume-se ainda como “pet friendly”: as crianças podem levar os animais, desde que não se esqueçam da trela. Ao longo do ano, há actividades para os mais novos, feiras e mercados, algumas com pinturas faciais, animadores e outras atracções.

Publicidade
a mesa
©DR
Restaurantes, Italiano

A Mesa

icon-location-pin Alcântara

A cadeira de barbeiro e o telefone de disco preto à entrada aguçam o apetite dos mais novos para explorar os brinquedos vintage em que é permitido mexer. As pizzas têm nomes de bairros da cidade e combinações improváveis, mas Ana Sotto Mayor explica que, apesar das opções mais simples, os miúdos de hoje têm o paladar apurado e gostam cada vez mais de arriscar. “Muitos já pedem a Bairro Alto, com pepperoni picante e adoram, ou às vezes, a Lisboa, com bacalhau, coisa que há uns anos não acontecia”, explica. A principal regra da casa é explicada à entrada: a pizza come-se com a mão!

Everest Montanha - Sala
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Nepalês

Everest Montanha

icon-location-pin Alvalade

É um restaurante simples, acolhedor, com preços moderados e que fica fora da movida, pelo que é fácil estacionar por ali, nas traseiras da Avenida do Brasil, o que quase sempre agrada aos pais. Mas a grande mais-valia do Evereste Montanha de Alvalade é mesmo a comida. O paladar da cozinha nepalesa e indiana está lá e na cozinha não se carrega demasiado no picante, o que faz do restaurante uma boa opção para iniciados e crianças mais sensíveis a especiarias. Para beber, ninguém resiste ao clássico Lassi de manga (os shots verdes de licor de meloa, no final, são só para os pais). 

A Time Out diz
Publicidade
B' Perfect Burguers
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

B' Perfect Burgers

icon-location-pin Avenidas Novas

O jardim da Praça de Londres fica logo ali, um ponto a favor para os pais de miúdos que não querem ficar sentados o almoço inteiro (que são 99%, vá...). Depois, os hambúrgueres estão entre os melhores da cidade – no TOP3 da Time Out Lisboa – por vários motivos: o pão é leve q.b., a carne surge tostada na medida certa e as batatas fritas às rodelas com ervas são de comer e chorar por mais. Para beber, há limonada e sumo de morango caseiro e no fim, como não podia deixar de ser, os gelados dominam, com sabores originais como baba de camelo e after eight. 

Peixinhos da horta do Páteo do Petisco
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Petiscos

Páteo do Petisco

icon-location-pin Cascais

Famílias mais ou menos numerosas vão em romaria ao Pátio do Petisco. O primeiro espaço, na Torre, continua a ser o mais concorrido, mas o do Mercado da Vila tem oferta semelhante e é igualmente amigo das crianças, com bitoque de frango como sugestão de repasto e lápis de cor como opção de diversão à mesa. As duas varandas (a que dá para o recinto do mercado e a que dá para a rua) são compridas, perfeitas para corridas e brincadeiras enquanto os pais petiscam.

Publicidade
PSI
© Arlindo Camacho
Restaurantes, Vegetariano

Psi

icon-location-pin Lisboa

Os roti, especialidade indiana de pão sem fermento feito na chapa, fazem quase sempre sucesso. Depois, há os hambúrgueres de vegetais e feijão, os pratos de seitan e tofu... Um sem número de opções preparadas pelo chef Yasser Saiyad, para fazer acompanhar os sumos naturais feitos na hora. O Psi é sem dúvida um vegetariano com paladares à medida dos mais pequenos, mas não é só por isso que as famílias o adoram. Vive numa casa com jardim e no exterior, o pavilhão envidraçado permite estar confortavelmente sentado à mesa sem perder de vista o parque infantil.

Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian
©Jorge Simão
Restaurantes, Cafeteria

Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian

icon-location-pin São Sebastião

O jardim dispensa apresentações e não é preciso lembrar que os mais pequeninos, que não resistem às correrias pelos cantos e recantos do espaço, deliram com os patos e peixes do lago (não se esqueça de levar pão) e ainda jogam à bola ou podem andar de triciclo. A novidade é que o chef Miguel Castro e Silva tomou conta da cafetaria do museu, introduziu serviço de mesa depois do pré-pagamento e acabou com o tormento dos pais de tabuleiro na mão à espera de um lugar para sentar. Na ementa, além dos já conhecidos bacalhau à Brás e polvo provençal, há outras especialidades do chef e uma grande variedade de pastéis salgados. Se ainda não reparou – embora essa alteração seja anterior – fique também a saber que a grade que separava as mesas da esplanada da relva em frente já lá não está, uma bênção para os pais.

A Time Out diz

Lisboa dos pequenitos

funtoche
©DR
Miúdos

As melhores festas de aniversário para crianças em Lisboa

No recato do lar ou fora de portas? Com animação ou na onda do DIY? Num museu perfeito para miúdos ou num dos melhores parques e jardins da cidade? Depende da disponibilidade, da paciência e do número de zeros na conta bancária dos pais – mas nesta lista encontra as melhores festas de aniversário para crianças em Lisboa à medida de todos. 

Parque do Alvito
Fotografia: Arlindo Camacho
Miúdos

Os melhores parques infantis em Lisboa para pôr os miúdos a brincar

Não há nada que eles gostem mais do que uma ida aos baloiços. Os olhos até brilham quando lhes dizemos as palavras mágicas: "Queres ir ao parque?". É que nem é preciso dizer mais nada, nem precisam de saber onde – tudo o que lhes interessa é que vão correr e brincar num sítio onde não faltam baloiços e escorregas. E foi por isso que corremos os parques infantis em Lisboa à procura dos melhores. 

Publicidade
Quinta pedagógica Armando Villar
Fotografia: Ana Luzia
Miúdos

Quintas pedagógicas: leve-os ao campo sem sair da cidade

Entre os enormes arranha-céus e a poucos quilómetros das avenidas cheias de carros e motas, há espaços verdes com animais do campo, hortas biológicas, pomares e actividades rurais que os miúdos nunca pensaram experimentar, como a lavoura, fazer pão em forno de lenha ou dar banho à bicharada. Se os seus filhos pensam que o leite nasce no pacote e que a fruta vem do supermercado, está na hora de os levar a estas quintas pedagógicas à volta de Lisboa. 

Actividades para crianças no Museu Berado
©Museu Berardo
Miúdos

Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos

É uma grande injustiça dizer que a palavra museu cheira a mofo. Mas se começou por arrastar os miúdos para uma exposição interminável que interessa apenas a adultos... é bem possível que o programa enfrente uma certa resistência. Não desanime. Um roteiro museológico não tem de ser um programa aborrecido, muito pelo contrário. Fomos à procura dos melhores museus para crianças em Lisboa. Para ir ao passado e ao futuro, sem sair do presente. 

Publicidade