Seis programas para sobreviver às férias da Páscoa dentro de casa

Chegaram as férias da Páscoa e não inscreveu os miúdos em nenhuma actividade? Temos algumas ideias para os manter entretidos sem sair de casa

Ilustração: Rui Pita

Porquê comprar amêndoas no supermercado, quando há tempo de sobra para as fazer na cozinha lá de casa? Para quê gastar um balúrdio em aguarelas se é tão fácil fazer tintas comestíveis – perfeitas para pequenos artistas despassarados? Se não foi a tempo de inscrever os miúdos numa destas actividades para as férias da Páscoa, inspire-se nesta lista e entretenha-os sem sair de casa. 

Recomendado: Páscoa em Lisboa

Seis programas para sobreviver às férias da Páscoa dentro de casa

1

Fazer amêndoas de chocolate caseiras

Nesta altura do ano, os supermercados estão cheios delas. Mas nada como chamar os miúdos para a cozinha e adoçar a Páscoa de forma caseira. Basta pôr em cima da bancada 250 g de amêndoas torradas, 1 chávena de água e outra de açúcar, 100 g de chocolate em pó, 1 colher de café de canela e o tablet, para seguir a receita que a blogger Joana Roque partilha no site mytaste.pt.

2

Pintar com tintas comestíveis

Sim, leu bem. Há tintas que os seus filhos podem comer sem correrem o risco de apanhar uma intoxicação. As maravilhosas mistelas que servem para pintar são feitas com corantes alimentares ou sumos de legumes (cenoura, espinafres, beterraba). No Youtube pode encontrar vários tutoriais sobre o tema. Só não se esqueça de forrar bem o chão com folhas de jornal antes de os pequenos Picassos darem largas à imaginação.

Publicidade
3

Procurar ovos da Páscoa nos filmes da Disney

Em português a expressão não tem significado, mas em inglês procurar os easter eggs num filme quer dizer tentar encontrar as pequenas referências ou private jokes que os argumentistas incluem a pensar nos cinéfilos mais atentos. Vá buscar à prateleira os filmes A Bela e o Monstro, Os 101 Dálmatas, A Pequena Sereia e Lilo & Stich e… boa caça!

+ Aproveitem as férias da Páscoa para fazer uma maratona de filmes da Disney. Aqui estão os melhores – e os piores.  

4

Contar histórias com sombras chinesas

A técnica é ancestral e muito fácil de fazer em casa. Basta recortar meia dúzia de figuras em cartão, com contornos muito bem definidos para se perceber o que é: animal, pessoa ou cenário. Depois, é só encostar as figuras a um pano branco, grande, e fazer incidir um foco de luz contra as formas por detrás do pano.

Publicidade
5

Fazer postais com materiais reciclados

Já ninguém escreve cartas a ninguém. É triste mas é verdade e a maioria dos miúdos nem sabe que em tempos idos este hábito existiu. Ajude-os a fazer um postal caseiro com um bocado de cartolina e materiais reciclados (papéis de rebuçados, palhinhas, tampas de garrafas de plástico…). Escrevam uma mensagem bonita de Boa Páscoa à família e aos amigos e depois é só ir com eles até à estação de correios mais próxima.

6

Transformar a roupa deles

As férias da Páscoa também são uma boa altura para dar a volta ao armário dos miúdos. Separar o que ainda serve do que já não está em condições nem para as aulas de Educação Física e aproveitar que o bom tempo vem aí para transformar uma t-shirt branca sensaborona numa peça cheia de estilo, com a ajuda de tintas, missangas, lãs, botões e velcros. Trate de reciclar as camisolas com borboto e deixe a parte criativa para eles.

Publicidade

Páscoa em Lisboa

Sete ovos da Páscoa para oferecer

Ovos há muitos e na Páscoa todos os querem. A par das amêndoas (em todas as suas variantes, de amêndoa, artesanais ou de chocolate) e dos folares da Páscoa, oferecer ovos de chocolate é uma das tradições mais queridas da época pascal e que enche a mesa de família. Dá para esconder e fazer uma verdadeira caça ao tesouro ou lambuzar-se logo todo. Nós temos sete ovos da Páscoa para oferecer.

Ler mais
Por Inês Garcia
Publicidade

Restaurantes em Lisboa para o domingo de Páscoa

Num brunch ou num almoço prolongado, aproveite o dia em família num destes restaurantes em Lisboa para o domingo de Páscoa. Há desde os menus tradicionais, com perna de borrego e cabrito assado, às reinterpretações.

Ler mais
Por Inês Garcia

Comentários

0 comments