A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Nivà - Gelado Cremoso
©Manuel Manso

Derreta-se com as melhores gelatarias em Lisboa

Copo, cone ou pauzinho. Com os sabores de sempre ou com a última novidade, estas são as melhores gelatarias em Lisboa

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Basta o sol brilhar e a temperatura subir um pouco que um gelado torna-se logo no melhor aliado. Dos sabores de fruta, como o morango, a manga, o limão ou a framboesa, aos clássicos, como pistáchio, chocolate negro ou avelã, o céu é o limite no mundo dos gelados (ou gelatos, que são cada vez mais as perdições italianas na cidade). E a verdade é que a lista das melhores gelatarias em Lisboa não pára de engordar de ano para ano. Nesta selecção, tem das mais antigas às mais recentesComa rapidamente, antes que derreta.

Recomendado: 18 novas esplanadas em Lisboa para se por à fresca

Gelatarias em Lisboa

  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Chiado/Cais do Sodré

A UNICO não é só mais uma gelataria, é uma cremeria, com as receitas artesanais da Cremeria Funivia de Bolonha. Não usam corantes nem conservantes e os gelados são mais frescos ainda que os normais. Há vários sabores à escolha na loja de Santos. Do Bacio, com chocolate e avelãs, ao Limone, com limão. É tudo sem glúten e há opções vegan.

  • Restaurantes
  • Santa Maria Maior

Mantém-se discreta num canto da Praça dos Restauradores, com um nome que remonta a 1936 e se cruza com a história do italiano De Luca Giovanni, que haveria de dedicar-se ao comércio de gelados na capital portuguesa. Nos primeiros anos, a venda era feita em carrinhos ambulantes, que são ainda hoje parte da decoração da loja, e abriram fábrica na Avenida de Berna, onde continuam a perdurar as receitas originais de gelado feito com ingredientes 100% naturais. Estas receitas, que vêm de uma tradição familiar, ainda são as que vigoram hoje na montra da loja – o que não impede que se aventurem em novos sabores. Além de gelados de copo e em cone, esta gelataria (que é também uma Loja com História) é famosa pela cassata, pelo gelado de marrasquino e pelos gelados de taça. Ora, sai uma enorme bola de memory lane.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Baixa Pombalina

A marca foi criada em 2002 por dois amigos de infância, os italianos Cristiano Sereni e Paolo Benassi, e chegou a Portugal dez anos depois. É conhecida sobretudo pelos gelados em forma de flor, quando pedidos em cone. Cremosos, sem corantes ou aditivos artificais, são feites com leite fresco e ovos biológicos. Sabores há às dezenas, do doce de leite a cheesecake de mirtilos. 

  • Restaurantes
  • Alvalade

A abertura de cada nova época alta dos gelados produz um efeito viral para as bandas da Avenida da Igreja, em Alvalade. A fila na Conchanata pode testar os graus de paciência de devoção, mas este clássico do bairro é um caso sério. Ainda para mais, a história dos Gelados Itália Conchanata, ou apenas Conchanata para os amigos, perde-se nos confins de 1948, quando Quintílio e Alfo Tarlattini, pai e filho, inauguraram a casa. Os gelados continuam na família, sempre artesanais. Tem esplanada.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Princípe Real

A Nivà foi a primeira cremeria italiana em Portugal, servindo um gelado artesanal que, pela sua consistência de mousse gelada, merece destaque das demais gelatarias. Situado no coração do Príncipe Real, a loja é o quinto espaço da família Rivolta, que tem como lema “Privilegiar a excelência do produto e a satisfação do cliente”. A carta é variada e promete mudar a oferta com regularidade. Para além dos gelados, o estabelecimento vende outras opções igualmente tentadoras.

  • Restaurantes
  • Geladarias
  • São Sebastião

Pode chamar-lhes simplesmente gelados de pauzinho ou então apelar à cultura geral alheia e falar de paletas mexicanas. Em qualquer dos casos, no Pizpireto quem manda são os gelados, com base de leite ou de fruta. Tanto vai encontrar um simples morango, como gelados mais elaborados, recheados com cremes gulosos, como o de leite condensado.

Publicidade
Grom
  • Restaurantes
  • Grande Lisboa

Dentro destes potes de gelado não entram aromas nem corantes. O sabor e a cor são obtidos da forma mais natural possível através dos frutos e dos produtos cultivados na quinta de Federico Grom e Guido Martinetti, responsáveis pela gelataria no Chiado. É nas lojas que o gelado ganha forma para depois ser servido em copo biodegradável ou cone, que pode ser pedido simples ou com um rebordo de chocolate e avelã. Entre os sabores disponíveis na loja e para encomenda estão o caramelo salgado, morango e avelã. 

 

  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Chiado/Cais do Sodré

Na Nannarella, o gelado é artesanal, feito com produtos frescos, fruta portuguesa de um fornecedor do Mercado da Ribeira e, como manda a tradição romana, servem-no com uma espátula, sempre com um acrescento de natas batidas no topo, feitas várias vezes ao dia. Além dos clássicos de morango ou chocolate, a gelataria da italiana Costanza Ventura, tem outros bons sabores, como o gelado de avelã e o de pistáchio de Bronte DOP, que vem da Sicília.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Santos

As filas da loja-fábrica Davvero, em Santos, são prova de que vale a pena esperar por um destes gelados artesanais. Criada pelos italianos Filippo Licitra e Riccardo Farabegoli, a Davvero tem hoje várias lojas (a última das quais no Time Out Market). Há dezenas de sabores, entre os quais o morango, o chocolate e o iogurte grego. 

  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Chiado

Com mais de 70 anos de história, a Santini é já uma instituição entre os que privilegiam este doce veranil. Sabores há vários, como o coco ou a tangerina, sempre feitos com produtos frescos e naturais e sem aditivos. Se preferir encomendar ou fazer take-away, há caixas de gelado.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Castelo de São Jorge

Nada como procurar os copinhos azuis para perceber onde está. A Gelataria Portuguesa serve gelados artesanais com sabores portugueses bem no centro histórico de Lisboa. São perfeitos para conquistar turistas que vagueiam pela zona do Castelo, mas apostamos que os alfacinhas também não lhes ficam indiferentes. Os sabores são os clássicos, como o chocolate, o limão ou a amêndoa. 

  • Restaurantes
  • Princípe Real

A UAO tem origens no laboratório artesanal da MÚ (a gelataria de Marco Bauli e Elena) para servir gelados 100% vegan, sem lactose, sem glúten e sem açúcar adicionado, mas ainda assim ricos em sabor e muita fruta. No menu não faltam os sorvetes clássicos, como o de manga ou o de framboesa, e também sabores aconchegantes, como o creme de avelã e o chocolate negro.   

 

Publicidade
Colé
Gonçalo M Catarino

Colé

A Colé faz gelados artesanais de pauzinho com fruta fresca, que variam consoante a época. Tanto têm o exótico de açaí e banana como o fresco de abacaxi e hortelã, morango, melancia, frutos vermelhos ou manga e morango. Todos sem corantes nem conservantes, sem glúten e sem lactose. Fazem entregas ao domicílio em Lisboa e nas linhas de Cascais e de Sintra. 

  • Restaurantes
  • Sete Rios/Praça de Espanha

A marca de gelados artesanais já é bem conhecida dos lisboetas, mas acaba de abrir a sua oitava loja na cidade. A localização escolhida foi Benfica, mesmo à beira da pastelaria Califa, onde chegam novos sabores de gelados, sorbets, crepes, waffles e outras novidades no menu da Artisani. 

Publicidade
  • Restaurantes
  • Campo de Ourique

A montra da primeira loja de rua d’A Tarte, em Campo de Ourique, é imprópria para gulosos. Há fatias de tarte de amêndoa por toda a parte, acompanhadas de uma selecção de cookies artesanais e ainda por uma cuba cheia de gelado. Depois dos clássicos, como o gelado de tarte de amêndoa, O Gelado lança agora uma gama inteiramente vegan com sabores como morango, chocolate amargo com nougat de amêndoa, ou maracujá. 

 

  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Campolide

Luciano e Luc queriam mudar de vida e a escolha foi Lisboa e os gelados. Vieram do Norte de Itália para abrir uma gelataria em Campolide onde agora se comem sabores italianos como o crocantino, bacio, pistácio da Sicilia ou avelã de Piemonte. Nas opções mais surpreendentes encontra um gelado de batata doce roxa.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Alvalade

Os amigos António Dias e Ricardo Paulos descobriram os gelados de rolinho tailandeses pela primeira vez nas ilhas Gilli, na Indonésia. Quando voltaram a Portugal, abriram a Hey Mate na Casa da Guia, em Cascais – expandiram-se entretanto para outras moradas, como Alvalade. São preparados na hora à frente do cliente, numa placa gelada a -20 ºC onde se misturam os ingredientes. 

  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Baixa Pombalina

Manuela Carabina fundou a Fragoleto em 2005 e desde então que tem vindo a produzir uma grande variedade de sabores, incluindo versões de gelados vegan, biológicos, sem glúten e sem açúcar. Em 2016 recebeu o prémio de melhor gelato italiano em Portugal. 

Publicidade
  • Restaurantes
  • Geladarias
  • Lisboa

É no mercado e nas lojas do bairro que esta Fábrica anda à caça das matérias-primas para que a felicidade chegue até si num copo ou num cone. A nata, o leite e a fruta ganham toda uma dimensão neste refúgio dedicado ao gelado na zona dos Anjos. 

Sabores de Verão

  • Restaurantes
  • Cervejarias

A época do petisco rastejante tende a começar em Maio, à boleia do calor. Daqui para a frente, e até que o sol pare de nos dourar a pele, muitos cafés, restaurantes e tascas desta cidade informam-nos quase diariamente, para nossa alegria, que ali "há caracóis" com um papel branco na porta de entrada. É para pôr o guardanapo na lapela e pedir torradas com manteiga para a molhanga. Também é boa ideia mandar vir uma imperial para acompanhar. Já sabe as regras, portanto agora é só conferir esta lista dos melhores sítios para comer caracóis em Lisboa.

  • Coisas para fazer

Os dias aqueceram, a noite chega mais tarde e a vontade de voltarmos a tomar conta das ruas nunca foi tão grande. Beber um copo ao fim do dia, depois do trabalho, pode tornar-se o hábito que precisamos e as happy hours são a desculpa perfeita. Nestas horas felizes, as imperiais passam a custar uma módica moedinha e os cocktails caem para metade do preço. Escolhendo bem, ainda encontra petiscos com preços reduzidos para acompanhar e esplanadas na cidade que não têm preço. É tempo de correr as happy hours em Lisboa.

Publicidade
  • Restaurantes

Restaurantes de peixe em Lisboa? A resposta mais imediata talvez seja apontar as mesas à beira‑mar aqui ao lado (e também aqui estão), mas também na cidade se come bom peixe fresco, na grelha ou no tacho. Seja em restaurantes onde as bancas se parecem às dos mercados, carregadas de peixes, seja nos mais tradicionais onde os pratos do dia se fazem também de peixe. Nestes restaurantes de peixe em Lisboa e nos arredores há boas esplanadas (algumas para comer com o pé na areia), mas acima de tudo peixe sempre fresco.  

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade