Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Onde beber os melhores sumos naturais em Lisboa

Onde beber os melhores sumos naturais em Lisboa

Sumos, batidos ou smoothies, interessa é que estejam geladinhos. Fizemos uma lista com os melhores sumos naturais em Lisboa

Por Catarina Moura e Inês Garcia |
Publicidade
Sumo da Veggie Wave
©Duarte Drago Sumo da Veggie Wave

Bebidas frescas casam bem com tempo quente, mas nem só de calor vivem os sumos naturais. Na verdade, já fazem parte da mobília da casa, ou da ementa de qualquer tribo urbana, em tempo de Primavera, Verão, Outono ou Inverno. Sim, a caminhar a passos largos para o clássico dos clássicos. Estamos cá para orientá-lo, seja para lhe tratar da saúde ou simplesmente para melhorar o seu dia: há muitos carregadinhos de super alimentos, todos com fruta fresca e sempre prontos para pegar e levar. Estes são os melhores sítios para beber sumos naturais em Lisboa. 

Recomendado: Bons motivos para passar o Verão em Lisboa

Onde beber os melhores sumos naturais em Lisboa

veggie wave
Manuel Manso
Restaurantes

Veggie Wave

Chiado/Cais do Sodré

O Veggie Wave começou por ter várias bancas de rua com um sistema em que o cliente tem de dar ao pedal para receber o seu sumo natural. Andavam sem poiso certo entre Belém, Cais do Sodré e Lx Factory até que abriram a primeira loja no Princípe Real, perto do Miradouro de São Pedro de Alcântara. Para beber um sumo tem de se sentar numa estranha forma de bicicleta, com uma só roda, um selim e um guiador e pedalar para que um copo liquidificador, mesmo à nossa frente, comece a trabalhar. Mas se estiver mesmo cansado ou não tem vida para isto, é Pauline, a dona, que sobe para esta meia bicicleta e dá ao pedal para fazer os sumos. Além das bebidas, há também saladas. Tudo saudável. 

Sumo SuperGreen da Liquid
© Liquid
Restaurantes

Liquid

Chiado

Para os caminheiros que sobem a Rua Nova do Almada ao sol, a Liquid é a paragem do refresco e da energia desde 2011, com produtos biológicos, sazonais e de pequenos produtores. Na ementa a palavra detox é omnipresente – há o puro detox com maçã, aipo, pepino, gengibre e limão; o detox, com abacaxi, laranja, limão e erva trigo;  e ainda uns quantos elixires: o elixir secreto de  maçã, abacaxi, clorela, hortelã e pepino, a poção mágica com banana, manga e laranja e outras opções de “elixires de beleza” (sumos a partir de 3,20€).

Publicidade
sumo natural de morango e maca
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Lady Bug

Avenidas Novas

A cartada forte da Lady Bug é alimento para beber, pensado por nutricionistas e com objectivos definidos: para aumentar a líbido há o sumo de água de coco, mel, ginseng, guaraná e sumo de romã e banana; o sumo Anti-celulite leva abacaxi, uva, chá de dente de leão, chá verde e pepino; aquele que dá longevidade tem couve, gengibre, cenoura, aipo, kiwi e matcha. Se põe a sua fé na vida detox, aqui também se governa: vendem-se programas pensados para um, três ou cinco dias. 

Restaurantes, Sumos

YAO Pressed Juicery

Chiado/Cais do Sodré

Este balcão de sumos prensados a frio dá a força necessária a quem se apostar em subir a Calçada do Combro em direcção ao Chiado. Nessa caminhada tem outra loja da Yao e aí até pode comer uma smoothie bowl e beber uma bebida quente (como se os 40 graus na rua deixassem). Voltando a São Bento e à casa original da marca, aqui os sumos aparecem em combinações simples, numa carta pequena com copos pequenos a 3,50€ e grandes a 6€. O refresco faz-se ainda de leites vegetais feitos na casa (3€).

Publicidade
Milkees
©Inês Félix
Restaurantes, Cafés

Milkees

Grande Lisboa

No Milkees, um café pequenino, simples, decorado com muita madeira e flores naturais e com um cheirinho a café (aqui é servido o de especialidade) e bolos no ar. No menu, há apenas um sumo natural fixo, mas ganha um lugarzinho nesta lista porque é mesmo bom. É de acerola, um fruto tropical da aceroleira, com origem nas Antilhas, América Central e norte da América do Sul, e é feito no momento. Muito fresco, sem ser muito doce (2,50€). Acompanhe-o com uma das cookies – todas as manhãs há fornadas de cookies, grandes, com a massa ligeiramente crua, pedaços de chocolate enormes e flor de sal no topo – são feitas com manteiga noisette, e são as estrelas da casa, juntamente com as cookies de canela (1,60€ cada).  

Miolo
©Duarte Drago
Restaurantes, Padarias

Miolo

Bairro Alto

Neste pequeno café-restaurante no Bairro Alto, as bebidas são servidas em garrafinhas de vidro, a bem do ambiente. Para hidratar, para tratar da saúde ou simplesmente para melhorar o dia com uma data de bons nutrientes, há sumos naturais de laranja (3€), de fruta da época (3,50€) e limonada (2€), todos espremidos na hora e com desconto de 0,50€ se optar pelo refill no frasco da casa numa segunda volta. Aproveite e leve também uma sandes em pão de hambúrguer brioche com bochecha de porco estufada em vinho do Porto para o caminho (7,50€).

Publicidade
Restaurantes, Vegano

Juicy

Baixa Pombalina

Com um nome destes, claro que há bons sumos, sempre feitos ao momento, para acompanhar as várias opções vegan do menu. Prove o Beat it, com beterraba, cenoura e aipo ou o rRhab, com couve kale, espinafre, pimento verde, maçã verde e salsa (4€, 470ml) ou peça um dos smoothies.

Dear Breakfast
©Francisco Santos
Restaurantes

Dear Breakfast

O novo Dear Breakfast quer prolongar (e melhorar) as manhãs, com ovos de todas as maneiras e feitios, tostas e sumos naturais. Toda a atmosfera foi pensada ao pormenor para ser uma boa maneira de começar bem o dia: a luz não é agressiva, os aromas são suaves, as cadeiras são em veludo azul e rosa e a música é sempre chill. Portanto antes de se atirar ao menu de ovos, escolha o sumo natural: o Berry Thicker, com banana, amora, morango e hortelã, ligeiramente espesso, como o nome indica, é uma óptima opção (4€).

 

Publicidade
Fauna & Flora
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Fauna & Flora

Estrela/Lapa/Santos

O Fauna & Flora dispensa apresentações. Tem uma oferta colorida, às vezes saudável, às vezes nem tanto, mas sempre boa (e fotogénica). Na secção de sumos e cocktails sem álcool – também conhecidos como mocktails –, há o Green Flora, com kiwi, banana, espinafre, gengibre e limão (3€), o delicioso Passion Cocktail, com maracujá, manjericão e lima (3,50€) ou uma das limonadas, com gengibre ou frutos do bosque (2,50€).

Magnólia Lisboa
©Manuel Manso
Restaurantes

Magnolia

São Vicente 

Bárbara Natário e Chrystal queriam um café com pequeno-almoço para todas as horas do dia mas não queriam entrar só no conceito da moda. No Magnólia, em São Vicente, há todos os clássicos, dos ovos às panquecas, mas tudo com influências de outras gastronomias. Há três sumos naturais, de acerola e frutos vermelhos, ananás e manjericão ou banana, laranja e goiaba (3,50€) e uns quantos cocktails, simples.

 

Publicidade
naked
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Orgânico

Naked

Princípe Real

Todos os dias, logo de manhã, o Naked faz um sumo diferente. As frutas e vegetais são passados pela máquina de prensa a frio, que além de extrair todos os nutrientes necessários dos ingredientes, faz com que eles se preservem durante mais tempo, e apresenta-o aos clientes. E é 100% natural, sem qualquer adição de açúcar (3,50€).

Sabe a eterno Verão

Ink Farm Food
©Duarte Drago
Restaurantes

Os melhores sítios de grab&go em Lisboa

Estes sete sítios não lhe entregam a comida à porta de casa (se preferir não se mexer do sofá, espreite antes as melhores entregas ao domícilio em Lisboa), dizem-lhe antes para pegar e levar para um miradouro, um jardim ou seguir viagem para outro compromisso: não têm filas de espera intermináveis para conseguir arranjar uma mesa com vista à janela e são prós na arte de embalar. Há desde crepes bem recheados e sem glúten, empanadas argentinas, saladas com mais ou menos camadas, comida israelita e, claro, a pizza à fatia, melhor amiga do grab&go. 

TOPO Chiado
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

As melhores esplanadas em Lisboa

Passamos o Inverno inteiro a sonhar com elas, ao primeiro raio de sol da Primavera voltamos ansiosos para elas e durante o Verão instalamo-nos confortavelmente, porque não queremos outra coisa: são as melhores esplanadas da cidade. Receitamos-lhe 62 doses para repor os níveis de vitamina D: das novidades do ano aos sítios para ver navios, ou para levar à letra o conceito de comer fora, ou para rebolar na relva. Um roteiro que inclui também os Quióscares do ano — os prémios para os melhores quiosques da cidade, que acabámos de inventar. 

Publicidade
terraço 23
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes

Nos restaurantes com vista em Lisboa não olhe só para o prato

O prato é tudo, mas se vier acompanhado de uma vista para admirar nos intervalos entre garfadas melhor. E vistas são o que não falta a esta cidade das sete colinas — se formos ao mais alto edifício da Bica temos Cais do Sodré e muito Tejo, do alto do centro da Baixa temos o traçado ortogonal do Marquês e ao fundo as ruínas do Carmo. Da colina oposta vê-se Castelo, Sé e Senhora do Monte e se formos até Belém, há um imenso Ginjal na outra margem e uma ponte digna de filmes estrangeiros. Não faltam vistas a esta cidade e restaurantes também não. 

You may also like

    Publicidade