Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores pastéis de nata em Lisboa

Os melhores pastéis de nata em Lisboa

Simples ou com canela e açúcar em pó. Crocantes mas também cremosos, estes são os melhores pastéis de nata em Lisboa

pasteis de nata da aloma
©DR
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

O pastel de nata é um ex-líbris português que deixa lisboetas e turistas de água na boca – por esse mundo fora não é difícil encontrar tentativas de reproduzir uma portuguese custard tart, mas nunca é bem a mesma coisa. O recheio não pode ser demasiado doce, tem de ter sabores equilibrados, a massa tem de ser estaladiça e pouco gordurosa e têm de ser tão bons mornos como frios. Parece simples mas requer técnica pasteleira à séria. Embarque numa viagem pelas pastelarias com os melhores pastéis de nata em Lisboa e comece assim o périplo para chegar ao seu eleito.

Recomendado: As melhores chocolatarias em Lisboa

Os melhores pastéis de nata em Lisboa

o melhor pastel de nata de Lisboa
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

Pastelaria Santo António

icon-location-pin Castelo de São Jorge

No bairro do Castelo, uns números acima do Chapitô, está a pastelaria vencedora do concurso do melhor pastel de nata de Lisboa em 2019, promovido pelo festival gastronómico Peixe em Lisboa. Na montra gulosa, os melhores pastéis de nata de Lisboa convivem com diferentes ofertas de pastelaria, desde opções de pequeno-almoço a tiramisús. À direita, o “aquário”, a cozinha onde decorre a última etapa do fabrico de pastéis, faz as delícias dos turistas, que param para ver os chefes pasteleiros a esticar a massa folhada. O forno aquece a 390 graus e a 385 graus, no topo e na base, respectivamente, para não queimar a massa. “Testámos várias temperaturas e chegámos à conclusão que esta era a melhor combinação. O creme tem aquela cor característica e o pastel não queima por baixo”, acrescenta João, enquanto o chef pasteleiro Luís Ascensão aperta um pastel para se ouvir a massa a estalar. “A massa tem de fazer isto e sair às lâminas, quando descascamos, e o creme deve estar cremoso sem estar demasiado líquido.”

Preço: 1€.

Manteigaria - Pasteis de Nata
©DR
Restaurantes, Pastelarias

Manteigaria

icon-location-pin Bairro Alto

Quando toca o sino na Manteigaria, ali às portas do Bairro Alto, é ver lisboetas e turistas a olhar em volta e uma fila a formar-se rapidamente. A campainha serve para avisar que uma nova fornada de pastéis de nata acabou de sair e não interessa muito se acabou de comer uma refeição completa: arranja-se sempre espaço para (mais) um. A fórmula do sucesso é muito simples e não precisa de ficar fechada num cofre a sete-chaves: a produção artesanal, a qualidade das matéria-primas usadas – ovos inteiros, manteiga de qualidade em vez de margarina, açúcar q.b., sem conservantes –; e o processo de abertura da massa folhada que é todo feito à mão e requer vários meses de treino para ser bem feito. O resultado é uma massa estaladiça e crocante e um creme com a quantidade certa de açúcar, razão pela qual a Time Out caiu de amores pelos bolos e os levou para o Time Out Market.

Preço: 1€.

Publicidade
Restaurantes, Frutos do mar

Mercado do Peixe

icon-location-pin Ajuda

Não é uma pastelaria nem uma padaria. É um sítio para se comer bom peixe na Ajuda ou, o que realmente interessa para esta lista, os pastéis de nata premiados com o primeiro lugar na prova do melhor pastel de nata de Lisboa no Peixe em Lisboa de 2018. Do peixe ao marisco, há um pouco de tudo, dos grelhados às ameijoas à Bulhão Pato. Só as opções de sobremesa são mais limitadas, mas há sempre o pastel de nata caseiro, uma receita muito antiga que foi adaptada, segundo o responsável pela sua confecção.

Preço: 1,90€.

Pãozinho das Marias II - Pastel de Nata
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

O Pãozinho das Marias

icon-location-pin Mafra/Ericeira

A história do pão de Mafra corre na família de Ilda, que está à frente da pastelaria O Pãozinho das Marias, na Ericeira. Já têm duas lojas nesta vila piscatória e por enquanto é o filho que toma conta da área da padaria e pastelaria de fabrico próprio. Especialmente no que toca aos pastéis de nata, vencedores do primeiro lugar no prémio do Peixe em Lisboa, em 2017.

Preço: 1,20€.

Publicidade
Restaurantes

Pastelaria Alcôa

icon-location-pin Chiado

Sim, a Alcôa é aquela dos tesouros conventuais que todos os dias vêm direitinhos de Alcobaça. São cornucópias, mimos de freira, pudins de São Bernardo, torrões reais, queijinhos do céu, coroas de abadessa, castanhas de ovos e, claro, pastéis de nata. Estes são, aliás, os únicos bolos que se fazem diariamente na bonita pastelaria de Lisboa. Diariamente e quase de hora a hora. Quando saem do forno, toca o sino. 

Preço: 1,10€.

pasteis de nata da aloma
©DR
Restaurantes, Cafés

Pastelaria Aloma

icon-location-pin Campo de Ourique

A Aloma já tem as portas abertas em Campo de Ourique há mais de 70 anos (embora com mudança de proprietários pelo meio) e sempre recebeu elogios à sua oferta pasteleira. Mas os pastéis de nata ganharam aquela fama da boa – e que até chegou ao jornal norte-americano The New York Times ou à CNN – quando ganharam o concurso de melhor pastel de nata do festival Peixe em Lisboa em 2012, 2013 e novamente em 2015. 

Preço: 1€.

Publicidade
Cafeteria Gulbenkian pelo Chef Miguel Castro Silva.
©Jorge Simão
Atracções

Fundação Calouste Gulbenkian

icon-location-pin São Sebastião

O chef Miguel Castro e Silva renovou completamente a Cafetaria do Museu Calouste Gulbenkian em 2017. Tem agora uma cozinha aberta e a bancada de self-service tem doces e salgados. Mas, melhor ainda, foi quando deu a provar pela primeira vez a sua linha de pastéis de assinatura. Estão lá as natas, claro, mas são seis no total: há também de bacalhau, de pescada com espinafres, de frango e cogumelos, frango e alho francês ou um de legumes. 

Preço: 1,50€.

confeitaria nacional
©DR
Restaurantes, Cafés

Confeitaria Nacional

icon-location-pin Baixa Pombalina

Foi a confeitaria que trouxe o bolo-rei para Portugal, uma receita que se mantém inalterada desde 1875 e continua a ser motivo de romaria por altura do Natal. Mas os pastéis de nata são o bolo mais vendido diariamente. 

Preço: 1,40€.

Publicidade
nata lisboa
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Pastelarias

Nata Lisboa

icon-location-pin Baixa Pombalina

O nome não deixa grande margem para dúvidas: Nata Lisboa é uma marca cujo core business é a venda de pastéis de nata, mas que tem outros produtos tradicionais associados, e que já criou um império em Portugal e no mundo. Uma bica e uma nata custam 1,70€. 

Preço: 1,10€.

Pastéis de nata da Pastelaria Fim de Século
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Pastelarias

Fim de Século

icon-location-pin Benfica/Monsanto

É uma pastelaria tradicional com tantos bolos e miniaturas quantos consiga imaginar, mas a grande especialidade da casa são os pastéis de nata estaladiços. Para comer até ao fim dos séculos. 

Preço: 0,90€.

Publicidade
casinha do pao
©DR
Restaurantes, Pastelarias

Casinha do Pão

A Casinha do Pão tem sempre uma vitrine que deixa qualquer um confuso e indeciso: há bolos de tudo e mais alguma coisa, bolachas com coberturas divertidas, empadas... E pastéis de nata, mornos e estaladiços, sempre em destaque. 

Preço: 1€ (se comprar 6 ou mais unidades, a gulodice já fica nos 0,80€ cada).

Balcão do marquês
©DR
Restaurantes, Pastelarias

Balcão do Marquês

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

O Balcão fica mesmo ali ao pé desse centro nevrálgico de empresas e empresários que é o Marquês de Pombal, por isso não é de estranhar que esteja sempre cheio, tanto aos pequenos-almoços como aos almoços. E se de manhã a especialidade são os pastéis de nata, aos almoços pode sempre escolher sopa de cozido. A sobremesa? Um pastel de nata, obviamente.

Preço: 1€ (uma caixa de 6 pastéis fica a 5,50€).

Publicidade
pasteis de nata da fábrica da nata
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Fábrica da Nata

icon-location-pin Santa Maria Maior

Na Praça dos Restauradores (há também uma outra casa na Rua Augusta) a fábrica fica logo à entrada da pastelaria e é envidraçada, por isso pode até ficar do lado de fora e assistir a todo o processo de confecção dos brilhantes pastéis de nata da Fábrica da Nata – mesmo a pedir para ceder à gula. Acabados de sair do forno, pode (e deve) polvilhá-los de canela ou açúcar em pó. Se tiver tempo, aprecie a iguaria sentada  se estiver bom tempo, opte mesmo pela esplanada.

Preço: 1€ (se lhe apetecer o menu de degustação, com direito a um pastel e a um copo de vinho do Porto, fica por 2,50€).

Especial gulosos

Boubou's - Pavlova
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Três sítios para comer pavlova

Parece um bolo meio desfeito mas é na verdade uma pavlova, um bolo com base de merengue feito pela primeira vez em homenagem à bailarina russa Anna Pavlova. Se não tem vagar para seguir a receita à risca em casa, siga as nossas sugestões e peça esta sobremesa num destes três sítios.

Nikkei
©Manuel Manso
Restaurantes

Três sítios para comer churros

Com a dose certa de açúcar a envolvê-los, sem gordura e crocantes q.b. Churros é comida rápida em feiras populares mas também sobremesa requintada nestes três restaurantes, para comer simples ou mergulhados em chocolate quente ou doce de leite.

Publicidade
pudim abade priscos do jncquoi
©DR
Restaurantes

Três sítios para comer pudim Abade de Priscos

Açúcar, ovos, vinho do Porto e canela. Claro, indispensável, o segredo: toucinho. O pudim criado por um abade de uma localidade nos arredores de Braga, Priscos, não se come só no Norte. E ainda bem, que este é provavelmente o rei dos pudins. Encontra o campeão nestes três sítios.

Publicidade