A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Bar, Fábrica da Musa, Sandes de Lingua de Vaca
©Gabriell VieiraSandes de Lingua de Vaca

Os melhores pratos com língua em Lisboa

De boi, de vaca ou de bacalhau. Estes são os melhores pratos com língua da cidade.

Escrito por
Inês Garcia
Publicidade

Tenra, muito macia, mais ou menos viscosa, se assim lhe quiser chamar, mas sempre carregadinha de sabor. É extremidade que causa estranheza, mas começa a ser bem trabalhada em vários restaurantes em Lisboa, que lhe tiram as teimas e as esquisitices e garantem que a linguinha vai e vai bem. Antes que comece com línguas de perguntador, damos com a língua nos dentes (obrigada língua portuguesa por nos permitir isto tudo) e dizemos-lhe onde estão os melhores pratos com língua da cidade, das sandes com língua de vaca, às línguas de tomatada, de bacalhau numa invenção à brás ou panadas. 

Recomendado: Restaurantes – a luta pela sobrevivência

  • Restaurantes
  • Chiado/Cais do Sodré

A língua de boi voltou ao menu no Estrela da Bica, o restaurante do bairro da Bica que assenta a sua experiência gastronómica na partilha. É curada durante quatro dias e depois fumada oito horas, antes de ser cozinhada a baixa temperatura e envolvida num caldo de carne por mais três dias. A empreitada resulta num prato com puré trufado, cogumelos portobello e pickles. A ementa de Novembro está toda disponível também para take-away e entregas ao domicílio, asseguradas pelas donas, Marta Figueiredo e Rita Borges.

Preço: 12€

  • Restaurantes
  • Português
  • Grande Lisboa

Na nova empreitada de Vítor Sobral, o Dom Roger, onde é chef consultor, dá para seguir dois caminhos: o da petiscada ou o dos pratos mais compostos, em que há sugestões do dia sempre diferentes. Na primeira opção, para a qual deve levar reforços, há um prato de lâminas de língua de vaca com tomatada. Às quintas-feiras, o prato é servido da maneira mais tradicional, com a língua a ser estufadinha e acompanhada por puré de batata e ervilhas.

Preço: 10,50€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • São Sebastião
  • preço 2 de 4

No restaurante de Tito Serradas Duarte e Frederico Pombares faz-se uma viagem pelo melhor das gastronomia no nosso país, havendo propostas típicas do Algarve e Alentejo, Estremadura e Ribatejo, Beiras, Ilhas e Trás-os-Montes, Minho e Douro. As línguas de bacalhau são estrelas na Estremadura e Ribatejo, aqui feitas como se de um brás tradicional de tratasse, com batata fatiada fina e depois frita. As línguas não são demolhadas e os ovos são emulsionados ao lume para lhes conferir cremosidade. Estão nos dois menus de degustação (um com oito paragens, a 45€, outro com 18 porções, a 65€).

  • Bares
  • Cervejaria artesanal
  • Marvila

Pedro Monteiro já posou com uma língua de vaca para a capa da Time Out, a última antes de o mundo mudar, dedicada aos chefs da nova gastronomia lisboeta. Na Fábrica da Musa, em Marvila, é ele o responsável pelos petiscos e gosta de trabalhar a língua em dónutes recheados, tostas ou esta sandes, que volta ao cardápio da cervejeira volta e meia. A língua é marinada em vinho tinto e depois estufada com uma marinada de cebola, alho, pimenta e louro antes de ir repousar no brioche.

Preço: 9€

Publicidade
  • Restaurantes
  • Português
  • Alfama
  • preço 2 de 4

Se há casa em Lisboa que faz jus ao bacalhau no nome é a Casa do Bacalhau: mantém as expectativas sem intrujices. Tem uma carta recheada com todos os pratos clássicos, do bacalhau à minhota ao cozido com todos, sem esquecer as línguas, em duas versões: panadas com molho tártaro (12€), uma entradinha, ou o arroz de línguas (32€) para partilhar.

Restaurantes em Lisboa para comer...

  • Restaurantes

Há quem diga que é sopa de doente esqueça esse ultraje. Na versão clássica, a base é o caldo onde é cozida a carne, ao qual se junta arroz ou massa dependendo da região. Há quem lhe acrescente também hortelã e cenoura. O que é certo é que se for bem feita não fica um caldinho insonso e é bem capaz de aconchegar um dia mais frio. Se a sopa tradicional por si só não o satisfaz totalmente, dê oportunidade a outras versões, sejam as mais modernaças que substituem a massa e arroz por quinoa ou a outras que vão buscar tradições de outras terras e até uma rabanada lá enfiam no meio. De galinha, rabo de boi ou até lingueirão, prove canja nestes restaurantes em Lisboa.

Recomendado: O melhor da cozinha tradicional portuguesa em Lisboa

  • Restaurantes

É a sobremesa caseira mais segura em todas as festas de aniversário e jantares de família ou amigos. Mas fora de casa, a coisa pode complicar-se. Antes de mais nada porque é facilmente comparável com a da avó, da mãe ou da tia, depois porque os níveis de cacau do chocolate variam facilmente e há quem goste dela mais intensa ou mais cremosa e consistente, outros preferem chocolate com menos percentagem de cacau ou com cheirinho. Nestes três restaurantes em Lisboa, a mousse de chocolate é servida como deve ser. Perfeita para um final de refeição guloso.

Publicidade
  • Restaurantes

Um restaurante italiano sem uma boa carbonara é como a Fontana di Trevi sem água, a Capela Sistina sem turistas afogueados ou a Praça de São Pedro sem turistas ansiosos para ver o Papa. Mas desengane-se quem pensa que é fácil encontrar um bom exemplar da receita clássica italiana em Lisboa – se lhe apresentarem um prato de massa com natas, fuja logo a sete pés. Para lhe facilitar o trabalho e não ser uma maçada, reunimos os melhores sítios em Lisboa para comer uma carbonara autêntica e conseguir acabar a refeição a dizer: Mamma mia! Che buono! 

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade